Reputation Stadium Tour

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reputation Stadium Tour
Pôster promocional da turnê.
Turnê de Taylor Swift
Álbum(ns) associado(s) Reputation
Data de início 8 de maio de 2018 (2018-05-08)
Data de fim 9 de novembro de 2018 (2018-11-09)
Partes 4
Número de
apresentações
40 na América do Norte
6 na Europa
5 na Oceania
51 no total
Cronologia de turnês de Taylor Swift
The 1989 World Tour
(2015)

Reputation Stadium Tour é a futura quinta turnê da cantora estadunidense Taylor Swift, feita para promover o seu sexto álbum de estúdio Reputation (2017). A excursão foi oficialmente anunciada em 13 de novembro de 2017 e percorrerá estádios na América do Norte, Europa e Oceania, começando em 8 de maio de 2018 no University of Phoenix Stadium em Glendale, Arizona, Estados Unidos, e terminando em 9 de novembro seguinte no Mount Smart Stadium em Auckland, Nova Zelândia, totalizando 51 concertos. A turnê será promovida pela Messina Touring Group e AEG Presents na América do Norte e pela Live Nation Entertainment internacionalmente.

Antecedentes e anúncio[editar | editar código-fonte]

A Reputation Stadium Tour começará em 8 de maio de 2018 no University of Phoenix Stadium em Glendale, Arizona, Estados Unidos (esquerda), e terminará em 9 de novembro do mesmo ano no Mount Smart Stadium em Auckland, Nova Zelândia (direita).

Em 24 de agosto de 2017, Swift oficialmente anunciou o seu sexto álbum de estúdio, Reputation, e divulgou sua capa correspondente, marcando sua data de lançamento para 10 de novembro seguinte.[1] No mesmo dia, em parceria com o programa "Verified Fan" da Ticketmaster — anteriormente usado por artistas como Bruce Springsteen e Ed Sheeran —, ela lançou uma página exclusiva com um esquema de vendas de ingressos para a futura turnê do disco.[2][3] Através do esquema, intitulado "Swift Tix", os fãs que quisessem comprar ingressos para a turnê, ao realizarem a pré-venda do CD e outras atividades — como comprar produtos na loja oficial da cantora na Internet ou assistir a seus vídeos — ganhariam prioridade na fila de espera dos bilhetes.[2][4] Momentos depois de ser inaugurada, a página lançada para a parceria saiu do ar, devido à alta demanda.[5] O último dia de inscrição na primeira etapa do programa foi em 28 de novembro de 2017, quando os fãs receberam maiores instruções para retirar os ingressos.[6] Além disso, fãs foram incentivados a tirarem fotos dos caminhões da empresa United Parcel Service — que serviu como a "distribuidora oficial" de Reputation —, espalhados em diversas cidades dos Estados Unidos contendo um decalque com a capa do disco, acompanhadas por uma hashtag, para garantirem uma "oportunidade melhor" de comprarem ingressos para a turnê do álbum.[2][7]

Em 11 de novembro de 2017, a Billboard publicou uma reportagem afirmando que os ingressos da turnê em apoio a Reputation começariam a ser vendidos em 13 de dezembro seguinte, no dia do aniversário de 28 anos de Swift, e que um total de 27 cidades com estádios da National Football League (NFL) — exceto Toronto e Columbus — receberiam a digressão.[8] A Reputation Stadium Tour, como foi denominada, foi oficialmente anunciada dois dias depois com 27 concertos em estádios na América do Norte agendados para 2018, começando em 8 de maio no University of Phoenix Stadium em Glendale, Arizona, e terminando em 6 de outubro seguinte no AT&T Stadium em Arlington, Texas.[9] A turnê será promovida na América do Norte pela Messina Touring Group e AEG Presents, enquanto internacionalmente este cargo será da Live Nation Entertainment. Ingressos da etapa norte-americana começaram a ser vendidos em 13 de dezembro de 2017.[9] As vendas das novas datas norte-americanas anunciadas começou em 31 de janeiro de 2018, e os fãs puderam se inscrever no "Swift Tix" entre 5 e 18 de janeiro. Os participantes do programa que já haviam se inscrito na etapa anterior receberam prioridade em relação aos novos.[10]

Datas da etapa europeia foram anunciadas em 24 de novembro de 2017, com shows confirmados no Etihad Stadium em Manchester, no Wembley Stadium em Londres, ambos na Inglaterra, e no Croke Park em Dublin, Irlanda. Os bilhetes destes concertos começaram a ser vendidos em 1º de dezembro de 2017.[11] A etapa da Oceania foi oficialmente confirmada em 3 de dezembro de 2017 e incluirá cinco apresentações: uma no Optus Stadium em Perth, Etihad Stadium em Melbourne, ANZ Stadium em Sydney e The Gabba em Brisbane, todas na Austrália, e uma no Mount Smart Stadium em Auckland, Nova Zelândia encerrando a turnê, em 9 de novembro de 2018.[12] A pré-venda dos ingressos começou em 12 de dezembro de 2017, com as vendas gerais se iniciando três dias depois.[12][13]

Recepção comercial[editar | editar código-fonte]

Venda de ingressos[editar | editar código-fonte]

Devido à alta demanda, seis datas extras foram adicionadas ao itinerário norte-americano, pouco após o término do período de inscrição no "Taylor Swift Tix": uma no Rose Bowl em Pasadena, no Soldier Field em Chicago, no MetLife Stadium em East Rutherford, no Gillette Stadium em Foxborough, no Rogers Centre em Toronto e no Mercedes-Benz Stadium em Atlanta.[14][12] Mais tarde, novas datas adicionais nos Estados Unidos foram anunciadas: mais uma no MetLife Stadium e no Gillette Stadium, totalizando três concertos em cada estádio, no Levi's Stadium em Santa Clara, no FedEx Field em Landover, no Lincoln Financial Field na Filadélfia, no U.S. Bank Stadium em Minneapolis e no AT&T Stadium em Arlington.[10][12] Tal situação também ocorreu com os shows na Europa onde, no primeiro dia de vendas, foram acrescentadas uma data a mais no Etihad Stadium em Manchester, no Wembley Stadium em Londres e no Croke Park em Dublin.[14][12]

O sistema de ingressos adotado para a turnê já havia sido testado anteriormente por artistas como o rapper Jay-Z (acima) e a banda The Rolling Stones (abaixo), que registraram altas receitas.

A pré-venda norte-americana começou em 5 de dezembro de 2017 para os fãs que obtiveram melhores resultados no "Taylor Swift Tix" — cerca de 5% do total — e cerca de uma hora após o início da pré-venda, a Ticketmaster desacelerou o processo de distribuição de códigos para a compra dos ingressos, chegando a permitir que apenas uma média de três pessoas por concerto adquirissem os bilhetes.[15] Nesta etapa, os ingressos foram apreçados a US$ 49,50 para as arquibancadas e US$ 249,50 para a pista, com os locais mais próximos ao palco e os pacotes VIP variando entre US$ 800 e US$ 1500.[15] A Ticketmaster prevê que entre 2.5 e 3 milhões de ingressos sejam vendidos, com David Marcus, chefe musical da empresa, comentando haver "muitos ingressos mas uma demanda massiva" e que a demanda "é muitas vezes maior do que qualquer programa que já vimos". Ele ainda disse que fãs não deveriam comprar bilhetes de terceiros, como no eBay, onde códigos de pré-venda estavam sendo vendidos a US$ 1500, uma vez que cada código corresponde a uma conta da Ticketmaster.[15] Mesmo com o "Taylor Swift Tix" concebido para evitar que cambistas comprassem os melhores assentos, ingressos para o concerto de 17 de julho de 2018 no FirstEnergy Stadium em Cleveland estavam sendo vendidos em sites de revenda como StubHub e VividSeats a até US$ 5800.[16]

Ao contrário das turnês anteriores de Swift, a Reputation Stadium Tour não teve nenhum concerto com ingressos esgotados logo após serem vendidos. Isto se deveu ao fato de que a Ticketmaster adotou um sistema que desacelerou as vendas e trouxe os ingressos de volta ao mercado primário, capturando mais receita para o artista e dando mais opções de vendas para os fãs,[17] uma estratégia testada anteriormente por aristas como Jay-Z e os The Rolling Stones, cujas turnês também registraram altas médias por concerto.[18] Na Reputation Stadium Tour, a empresa remodelou seu mercado primário para que parecesse mais com o secundário; assim, os fãs poderão comprar os ingressos diretamente da Ticketmaster, sem precisar pagar mais caro nos bilhetes ou competir com empresas de revenda na compra.[17] Marcus comentou que "nós gostaríamos de vender o último ingresso para o concerto quando ela [Swift] subir ao palco cada noite. Não estamos tentando vender todos os ingressos em um minuto; estamos tentando descobrir como vender ingressos de uma maneira muito mais moderna".[17] Na etapa das vendas gerais, os ingressos tiveram os valores aumentados: US$ 500 para a pista, US$ 800 para o "Snake Pit" e US$ 1500 para os pacotes VIP.[18]

Na The 1989 World Tour, 30% dos ingressos foram vendidos através do mercado secundário, enquanto nesta apenas 3% foram para este mercado — cerca de 70 mil dos 2.5 milhões disponíveis.[17] Esta tática significaria cerca de US$ 1 a US$ 1.5 milhão adicionais por show, de acordo com Jesse Lawrence, fundador da TicketIQ. Segundo Marcus, "esta experiência nos ensinou que nós podemos ter mais pessoas usando o mapa de assentos de uma vez, especialmente em um estádio onde há muito mais lugares disponíveis. Isso muda o modelo anterior, que era sobre o momento, quando os promotores estão sempre tentando continuar durante uma venda de ingresso, para uma abordagem baseada em demanda onde fãs podem ir em uma época determinada e comprar a partir de um mapa interativo. Isso substituirá o momento pela escolha e experiência do cliente".[17]

Faturamento[editar | editar código-fonte]

Um artigo publicado na coluna Page Six do New York Post divulgou que a turnê estava com vendas fracas, sem ter um concerto esgotado após dias à venda, como o primeiro em Glendale, Arizona.[19] A declaração foi desmentida por Brooks, que disse ainda que a excursão poderia arrecadar entre US$ 390 e US$ 510 milhões, tornando-se uma das mais lucrativas da história, com uma média alta entre US$ 7.5 e US$ 10 milhões por show. O colunista avaliou também que cerca de US$ 180 milhões em ingressos já haviam sido lucrados em apenas sete dias — sendo quatro na pré-venda do "Verified Fan" e três nas vendas gerais —, com cerca de 110 mil ingressos sendo vendidos para as apresentações de 18 e 19 de maio no Rose Bowl — um aumento de 36% em comparação com a passagem da The 1989 World Tour em Los Angeles, que mobilizou 81 mil fãs para a arena Staples Center num total de seis datas.[18]

Em 5 de janeiro de 2018, dias após a reportagem de Brooks, Don Muret, da VenuesNow e em texto para a Pollstar, noticiou uma alta venda de ingressos da turnê tanto na pré-venda quanto nas vendas gerais.[20] Segundo dados apurados pela Gridiron Stadium Network, um consórcio de estádios da NFL que trabalham juntos para agendar concertos nesses locais, pelo menos 35 mil ingressos haviam sido vendidos em pelo menos dez dos estádios marcados, sendo que, até 18 de dezembro de 2017 — cinco dias após as vendas gerais e duas semanas após a primeira pré-venda —, cerca de 35,419 haviam sido vendidos no Heinz Field em Pittsburgh e 48,039 no Lincoln Financial Field na Filadélfia, locais onde Swift havia passado com suas três turnês anteriores. Jimmie Sacco, vice-presidente de operações e gestão dos Pittsburgh Steelers, comentou: "Nós ainda estamos vendendo ingressos todos os dias e nosso show é apenas em 7 de agosto. Já estamos próximos da capacidade de 63% e temos cerca de 12 mil ingressos sobrando".[20] No Levi's Stadium em Santa Clara, onde foi adicionado uma segunda apresentação devido à alta demanda, cerca de 47 mil bilhetes foram vendidos em apenas duas semanas; o concerto de 12 de maio — o primeiro a ser originalmente agendado — gerou quase US$ 9 milhões em receita até o início de janeiro de 2018.[20] Embora não tenha fornecido dados de vendas ou receita, Xen Riggs, vice-presidente associado de vida estudantil e antigo operador do Ohio Stadium em Columbus, declarou: "Além de nós, há shows em Louisville, Indianápolis, Detroit, Pittsburgh e Cleveland. São seis mercados com 300 mil assentos. Há tanta demanda assim? Mas, por enquanto, estamos bastante impressionados. Está vendendo extremamente bem".[20]

Datas[editar | editar código-fonte]

Data Cidade País Local Atos de abertura Público Receita
Etapa 1 — América do Norte[9][12]
8 de maio de 2018 Glendale  Estados Unidos University of Phoenix Stadium N/A N/A N/A
11 de maio de 2018 Santa Clara Levi's Stadium
12 de maio de 2018
18 de maio de 2018 Pasadena Rose Bowl
19 de maio de 2018
22 de maio de 2018 Seattle CenturyLink Field
25 de maio de 2018 Denver Sports Authority Field at Mile High
1º de junho de 2018 Chicago Soldier Field
2 de junho de 2018
Etapa 2 — Europa[9][12]
8 de junho de 2018 Manchester  Inglaterra Etihad Stadium N/A N/A N/A
9 de junho de 2018
15 de junho de 2018 Dublin  Irlanda Croke Park
16 de junho de 2018
22 de junho de 2018 Londres  Inglaterra Wembley Stadium
23 de junho de 2018
Etapa 3 — América do Norte[9][12]
30 de junho de 2018 Louisville  Estados Unidos Papa John's Cardinal Stadium N/A N/A N/A
7 de julho de 2018 Columbus Ohio Stadium
10 de julho de 2018 Landover FedEx Field
11 de julho de 2018
13 de julho de 2018 Filadélfia Lincoln Financial Field
14 de julho de 2018
17 de julho de 2018 Cleveland FirstEnergy Stadium
20 de julho de 2018 East Rutherford MetLife Stadium
21 de julho de 2018
22 de julho de 2018
26 de julho de 2018 Foxborough Gillette Stadium
27 de julho de 2018
28 de julho de 2018
3 de agosto de 2018 Toronto  Canadá Rogers Centre
4 de agosto de 2018
7 de agosto de 2018 Pittsburgh  Estados Unidos Heinz Field
10 de agosto de 2018 Atlanta Mercedes-Benz Stadium
11 de agosto de 2018
14 de agosto de 2018 Tampa Raymond James Stadium
18 de agosto de 2018 Miami Hard Rock Stadium
25 de agosto de 2018 Nashville Nissan Stadium
28 de agosto de 2018 Detroit Ford Field
31 de agosto de 2018 Minneapolis U.S. Bank Stadium
1º de setembro de 2018
8 de setembro de 2018 Kansas City Arrowhead Stadium
15 de setembro de 2018 Indianápolis Lucas Oil Stadium
18 de setembro de 2018 St. Louis The Dome at America's Center
22 de setembro de 2018 Nova Orleans Mercedes-Benz Superdome
29 de setembro de 2018 Houston NRG Stadium
5 de outubro de 2018 Arlington AT&T Stadium
6 de outubro de 2018
Etapa 4 — Oceania[12][13]
19 de outubro de 2018 Perth  Austrália Optus Stadium N/A N/A N/A
26 de outubro de 2018 Melbourne Etihad Stadium
2 de novembro de 2018 Sydney ANZ Stadium
6 de novembro de 2018 Brisbane The Gabba
9 de novembro de 2018 Auckland  Nova Zelândia Mount Smart Stadium
Total

Referências

  1. Andrea Park (24 de agosto de 2017). «Taylor Swift announces 6th album, "Reputation"» (em inglês). CBS News. Columbia Broadcasting System. Consultado em 25 de agosto de 2017 
  2. a b c Caroline Franke (25 de agosto de 2017). «With Reputation, Taylor Swift has learned to stop worrying and love capitalism» (em inglês). Vox. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  3. Robert Levine (25 de agosto de 2017). «Taylor Swift Is the Latest Superstar to Use Ticketmaster's Verified Fan Program – But Does It Work?». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 25 de agosto de 2017 
  4. Timmothy J. Seppala (25 de agosto de 2017). «Feed the Taylor Swift hype machine for a better chance at tickets» (em inglês). Engadget. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  5. Leonardo Torres (25 de agosto de 2017). «Taylor Swift anuncia turnê e derruba site da Ticketmaster». POPLine. Consultado em 25 de agosto de 2017 
  6. «Swift Tix Powered by Ticketmaster Verified Fan» (em inglês). Ticketmaster. Consultado em 31 de outubro de 2017 
  7. «UPS Is The Official Delivery Partner For Taylor Swift's 6th Studio Album reputation» (em inglês). United Parcel Service. 25 de agosto de 2017. Consultado em 27 de agosto de 2017 
  8. Dave Brooks (11 de novembro de 2017). «Taylor Swift Planning Birthday Tour Announcement: Exclusive». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 11 de novembro de 2017 
  9. a b c d e «Taylor Swift's reputation Stadium Tour First Round Of Dates Announced» (em inglês). PR Newswire. 13 de novembro de 2017. Consultado em 13 de novembro de 2017 
  10. a b Nicholas Rice (3 de janeiro de 2018). «Taylor Swift Announces More North American Dates For the Reputation Stadium Tour». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 3 de janeiro de 2018 
  11. Claire Rutter (24 de novembro de 2017). «Taylor Swift UK tour 2018 announced – here are the Reputation dates and how to get tickets». Metro (em inglês). DMG Media. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  12. a b c d e f g h i «Events» (em inglês). TaylorSwift.com. Consultado em 3 de dezembro de 2017 
  13. a b Simon Collins (3 de dezembro de 2017). «Taylor Swift to kick off Australian leg of Reputation tour with mega WA show». The West Australian (em inglês). Seven West Media. Consultado em 3 de dezembro de 2017 
  14. a b Allison Stubblebine (29 de novembro de 2017). «Taylor Swift Adds 9 Dates to Reputation Tour Due To Popular Demand». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  15. a b c Dave Brooks (6 de dezembro de 2017). «Taylor Swift's Most Loyal (And Verified) Fans Get First Crack at Reputation Tour Tickets». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  16. Troy L. Smith (8 de dezembro de 2017). «Taylor Swift tickets already being resold for thousands of dollars». The Plain Dealer (em inglês). Advance Publications. Consultado em 11 de novembro de 2017 
  17. a b c d e Dave Brooks (14 de dezembro de 2017). «Taylor Swift Has Concert Industry Embracing 'Slow Ticketing' Model». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  18. a b c Dave Brooks (2 de janeiro de 2018). «Shake It Off: Despite Negative Press, Taylor Swift's Reputation Tour Could Be One of the Biggest of All Time». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 2 de janeiro de 2018 
  19. Richard Morgan (1º de janeiro de 2018). «Taylor Swift's 'Reputation' tour shaping up to be a disaster». New York Post (em inglês). News Corp. Consultado em 2 de janeiro de 2017 
  20. a b c d Don Muret (5 de janeiro de 2018). «Stadiums Report 'Strong' Ticket Sales For Taylor Swift Tour» (em inglês). Pollstar. Consultado em 5 de janeiro de 2017