Romance visual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Visual novel (ビジュアルノベル bijuaru noberu?, lit.: "romance visual") é um gênero de jogo eletrônico bastante comum no Japão, focado em leitura de texto e escolhas.

Exemplo de Visual Novel protagonizado pela Wikipe-tan.

São jogos focados em seu enredo, nos quais o jogador acompanha uma história por meio de textos, músicas, imagens, vídeos e alguns raros casos, cenas gravadas com atores reais. Em momentos-chaves desses jogos o jogador deve decidir que caminho o protagonista deve seguir e, desta forma, o jogo avança. O desenvolvimento da trama destes jogos costuma depender das escolhas que os jogadores fazem durante o jogos. São como filmes ou livros interativos;[1] daí o nome "visual novel".

Exemplos de romances populares são: Fate/Stay Night , Tsukihime, Steins;Gate, Clannad, Air, Higurashi no Naku Koro ni, Umineko no Naku Koro ni, Danganronpa e Phoenix Wright: Ace Attorney.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Romances visuais são distintos dos outros tipos de jogos por seu mínimo e peculiar estilo de jogo; resumindo-se apenas em precisar clicar para avançar o texto, acompanhado por gráficos referentes às situações ocorridas e trilha sonora.

A maioria tem um seguimento múltiplo da história e consequentemente vários finais que dependem das opções selecionadas pelo jogador (e em alguns casos, escolhendo uma opção "errada" resulta em um final ruim). Outras não chegam a ter escolhas, sendo centrada em apenas em sua única história, como em Planetarian ou Umineko no naku koro ni.

Alguns romances visuais tentam integrar outros elementos que exijam mais a interatividade do jogador como minigames , em Symphonic Rain por exemplo; requerendo que se toquem instrumentos musicais e só podendo avançar ao ter uma boa graduação, mas, como no exemplo citado, são sempre relativos à história do jogo.

No geral, romances visuais são narrados pelo protagonista (na primeira pessoa) e divididos em dias ou capítulos, estes acompanhando o personagem em seu cotidiano. Embora existam meios, como por exemplo, Saya no Uta, no qual não existem divisões notáveis do tempo e o ocorre mudanças de narrador.

Nas características gráficas, costumam ser compostas por um fundo genérico, referente ao cenário onde determinado fato ocorre, junto de uma imagem dos personagens que estão no ponto de vista do narrador e, em certos momentos especiais, CGs: imagens mais detalhadas que foram desenhadas especialmente para definir os elementos da cena em questão, normalmente são armazenadas e, inclusive, algumas são desbloqueáveis, o que motiva jogá-lo novamente e tentar tomar diferentes decisões.

Gênero e conteúdo[editar | editar código-fonte]

Muitos romances visuais são centrados em temas românticos, grande parte também contém conteúdo erótico, embora outros temas como ficção científica, fantasia e terror não sejam muito raros.

Referências

  1. Henrique Porto (2 de outubro de 2009). «Festival do Rio exibe sessão de filme interativo». Portal G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]