STS-9

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
STS-9
Sts-9-patch.png
Informações da missão
Operadora NASA
Ônibus espacial Columbia
Astronautas John Young
Brewster Shaw
Owen Garriott
Robert A. Parker
Ulf Merbold
Byron Lichtenberg
Base de lançamento Plataforma 39A, Centro
Espacial John F. Kennedy
Lançamento 28 de novembro de 1983
16h00min00s UTC
Cabo Canaveral, Flórida,
Estados Unidos
Aterrissagem 8 de dezembro de 1983
Base Aérea de Edwards,
Califórnia, Estados Unidos
Órbitas 167
Duração 10 dias, 6 horas, 47 minutos,
24 segundos
Altitude orbital 253 quilômetros
Inclinação orbital 57 graus
Distância percorrida 6 913 504 quilômetros
Imagem da tripulação
Garriott, Lichtenberg, Shaw, Young, Merbold e Parker
Garriott, Lichtenberg, Shaw, Young, Merbold e Parker
Navegação
STS-8
STS-41-B

STS-9 (também chamada de STS-41A e Spacelab 1) foi uma missão do ônibus espacial Columbia, realizada entre novembro de dezembro de 1983, dedicada inteiramente ao Spacelab, o módulo-laboratório de pesquisas científicas, construído em conjunto pela NASA e pela Agência Espacial Europeia - ESA.[1]

Com seis tripulantes, sendo um deles alemão - o segundo no espaço e o primeiro da então Alemanha Ocidental - foi a missão com o maior número de astronautas a bordo de uma nave espacial até aquela data.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Hora de acordar[editar | editar código-fonte]

Objectivos da missão[editar | editar código-fonte]

Na missão STS-9 o Columbia regressou ao espaço. O lançamento ocorreu às 11 a.m. EST de 28 de Novembro de 1983, após um atraso de dois meses devido a um problema com o bocal de um dos SRBs. Foi a primeira vez que um ônibus espacial, após instalado na plataforma de lançamento, retornou ao Vehicle Assembly Building aonde o bocal foi substituído.

A tripulação era constituída por seus membros, um recorde naquela época e incluía John Young, um dos astronautas do Projeto Apollo a pisar na Lua, como comandante e Brewster Shaw como piloto; Owen Garriott e Robert Parker, ambos especialistas de missão; o pesquisador do MITByron Lichtenberg e o civil alemão Ulf Merbold, como especialistas de carga, o primeiro voo com dois tripulantes não astronautas a voar num ônibus espacial. Merbold, um cidadão da Alemanha Ocidental, também foi o primeiro não-americano a participar num voo do programa do ônibus espacial.

A missão estava voltada especialmente para o Spacelab l, um programa conjunto NASA/Agência Espacial Europeia (ESA) desenvolvido para demonstrar a capacidade de realizar pesquisas científicas avançadas no espaço, com astronautas e cientistas trabalhando no módulo Spacelab , e coordenando os seus esforços com os cientistas no Marshall Payload Operations Control Center (POCC) então localizado no Centro Espacial Johnson, em Houston. A construção e desenvolvimento do Spacelab l foi provida pela ESA. O laboratório ficava instalado no compartimento de carga e era conectado por um tubo a cabine do veículo.

O grupo foi dividido em duas equipes, cada uma trabalhando em turnos de 12 horas durante toda a missão. Young, Parker e Merbold formaram a equipe vermelha, enquanto Shaw, Garriott e Lichtenberg formaram a equipe azul. Normalmente, o comandante e o piloto permaneciam no compartimento de voo, enquanto os especialistas trabalhavam no Spacelab.

Setenta e duas experiências científicas foram realizados no campo atmosférico, nas áreas de física do plasma, astronomia, física solar, ciência dos materiais, tecnologia, ciências biológicas e observações terrestres. Os procedimentos correram tão bem que a missão foi aumentada em um dia adicional, para dez dias, fazendo desta o voo de maior duração de um ônibus espacial até aquela data.

A missão Spacelab l foi muito bem sucedida, tendo provado a utilidade da realização de experiências complexas no espaço com a colaboração de pessoas não pertencentes à NASA, treinadas como especialistas de carga em colaboração com um POCC. Além disto, o Tracking and Data Relay Satellite estava agora totalmente operacional, sendo capaz de retransmitir grandes quantidades de informação para o controle em terra.

Problemas com os computadores[editar | editar código-fonte]

Durante a orientação do veículo, quatro horas antes da reentrada na atmosfera, um dos computadores travou quando os propulsores foram disparados. Alguns minutos depois, um segundo computador a travou de uma maneira semelhante, porém foi reiniciado com sucesso. Young adiou a aterragem, deixando o veículo estável. Ele posteriormente disse: `Se tivéssemos ativado o Backup Flight Software, isso teria resultado na perda do veículo e da tripulação.'

A análise pós-voo revelou que os GPCs falharam quando o propulsor RCS de movimento atingiu uma peça de solda folgada e causou um curto-circuito na placa do computador.

O Columbia aterrou na Pista 17 da Base de Edwards em 8 de Dezembro de 1983, às 3:47 p.m. PST, completando 166 órbitas, perfazendo um total de 6.913.505 km percorridos. O Columbia foi carregado de volta para o KSC em 15 de Dezembro.

Insignia da missão[editar | editar código-fonte]

Spacelab 1 no compartimento de carga da Columbia

O Spacelab 1 é mostrado no compartimento de carga do Columbia. As nove estrelas e o caminho do veículo mostram a designação numérica da sequência da missão no Sistema de Transporte Espacial.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. NASA. «STS-9». Consultado em 13 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre STS-9
Precedido por
STS-8
Programa de Ônibus espaciais
Sucedido por
STS-41-B