Sterna Linhas Aéreas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sterna Cargo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sterna Linhas Aéreas
ICAO STR
Indicativo de chamada Sterna Cargo
Fundada em 2015
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional de Brasília
Outros centros
de operações
Aeroporto Internacional de Guarulhos
Aliança comercial Não possui
Frota 1 (atual 0)
Destinos 5
Sede Brasília
Sítio oficial http://www.sternacargo.com.br


A Sterna Linhas Aéreas ou Sterna Cargo foi uma empresa aérea brasileira que atuava no transporte nacional de cargas. Com sede operacional em Brasília - DF[1], atendia a demanda para os demais aeroportos em que opera, principalmente fazendo a RPN, rede postal noturna, em serviço para os Correios.

A empresa[editar | editar código-fonte]

A Sterna Linhas Aéreas foi fundada no final do ano de 2015 com intuito de operar, principalmente, contratos de carga postal para a EBCT.


Frota[editar | editar código-fonte]

Airbus A300 da Sterna Linhas Aéreas

Atualmente possuia apenas uma aeronave Airbus A300B4-203, fabricado pelo consórcio Airbus em 1983 e importado para o Brasil em 2015.[2][3]


Frota de aeronaves da Sterna Cargo
Aeronave Total
Airbus A300B4-203 PR-STN
01
Total de aeronaves
01

Destinos[editar | editar código-fonte]

Clientes[editar | editar código-fonte]

Correios (Fazendo a RPN - Rede Postal Noturna em alguns dos seus destinos).

Acidentes[editar | editar código-fonte]

No dia 21.10.2016, por volta das 6h10, o Airbus A300 de matrícula PR-STN preparava-se para pousar no Aeroporto Internacional do Recife e durante a realização deste, um problema no sistema hidráulico do avião, contribuiu para que a aeronave saísse da pista, o que em consequência levou ao colapso do trem de pouso do nariz. O voo era proveniente do Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos, cumpria uma rota da RPN dos Correios. A aeronave sofreu danos extensos e não houve mortos. A única aeronave que até 20.04.2017 se encontrava ainda parada no Aeroporto de Recife foi vendida à sucata.

O CENIPA está investigando o acidente.

Referências


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma companhia aérea é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.