Ultra-Humanoide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Ultra-Humanoide
Nome original Ultra-Humanite
Outro(s) nome(s) Gerard Shugel (original)
Dolores Winters
Johnny Thunder
Sexo Variável
Espécie Variável
Características Capacidade de transferência da mente
Ocupação Cientista, criminoso
Poder(es) Grande inteligência, poderes mentais, telepatia
Amigo(s) Sociedade Secreta de Super-Vilões
Alemanha Nazista
Inimigo(s) Superman
Criado por Jerry Siegel
Joe Shuster
Série(s) Superman da Era de Ouro
Primeira aparição Action Comics #13
(julho de 1939)
Editora(s) DC Comics
Espécie Variável

O Ultra-Humanoide (Ultra-Humanite em inglês) é um personagem fictício dos quadrinhos da DC Comics, havendo sido o primeiro supervilão que enfrentou o Super-Homem.

Origem[editar | editar código-fonte]

Sua origem é desconhecida, e o próprio personagem declarou que desconhece qual seu nome real ou aparência original, que teria se perdido em razão das muitas experiências pelas quais aplicou a si mesmo, às quais atribui sua super-inteligência; ele apareceu em 1939 quando Clark Kent (repórter que é a identidade secreta do Super-Homem) toma um táxi e é assaltado pelo motorista, descobrindo ao investigar que este fazia parte de uma gangue de taxista chefiada por Jackie Reynolds na empresa Cab Protective League; quando chega ao chefe da gangue ele descobre o Ultra-Humanoide que chefiava operações criminosas por todo o país.[1]

Em sua primeira aparição ele se apresentava como um homem já velho, aleijado e careca; quando Super-Homem tentou detê-lo, foi atingido por uma forte descarga elétrica que o fez desmaiar e o vilão em seguida tentou matá-lo usando uma serra circular que, ante a invulnerabilidade do herói, se quebrou e voando pelo ar veio a matar o assecla Reynolds enquanto o chefe coloca fogo no lugar e escapa num avião especial que foi logo derrubado pelo homem-de-aço mas, quando este procurou nos destroços pelo corpo do criminoso, nada encontrou.[1]

Continuação dos crimes e novo corpo[editar | editar código-fonte]

Na edição seguinte da Action Comics é revelado que Ultra-Humanoide havia escapado saltando de para-quedas; na edição de número 17 sabe-se que ele montara nova rede de extorsões e finalmente, em dezembro de 1940 ele ataca Metrópolis, inflingindo à cidade uma "praga roxa" que a paralisa; confrontado pelo Super-Homem ele dispara uma arma elétrica que, no entanto, explode tirando-lhe a vida; o herói então deixa seu corpo inerte para que as autoridades tomem as providências devidas (Action Comics #19).[1]

Mas isto que não acontece pois a morte fora apenas aparente e os capangas do vilão, seguindo suas orientações, levam seu corpo quase morto para que cirurgiões criminosos mantenham o seu cérebro preservado até que encontrem um novo hospedeiro, o que fazem após algum tempo depois de capturarem uma jovem e bela atriz, Dolores Winters: ela teve então seu cérebro removido e o do criminoso colocado no lugar.[1]

Dolores Winters[editar | editar código-fonte]

Aproveitando-se da condição de seu novo corpo, Ultra-Humanoide é convidado de honra para uma festa de gala no cruzeiro Sea Serpent; quando o navio está longe da costa ele o domina e exige um resgate de cinco milhões de dólares; quando o dinheiro é pago, Super-Homem segue os asseclas do vilão que o levam até uma gruta onde ele vê "Dolores" contando as cédulas e declarando que, mesmo tendo recebido o pagamento, iria matar os reféns: à luz de tochas o herói a ataca e, no escuro, reconhece no olhar de Dolores os olhos de seu antigo inimigo que, por meio de artifícios, mais uma vez consegue escapar (Action Comics #20).[1] Livre, na edição seguinte da Action Comics o vilão fica sabendo que o físico Terry Curtis fizera a descoberta de uma nova arma atômica; usando os atributos de seu corpo feminino, ele seduz o cientista, o sequestra e, após torturá-lo, faz com que o ajude a construir um arsenal para ele; depois de um primeiro ataque feito por meio de um dirigível que destruiu um prédio de Metrópolis, Super-Homem descobre o esconderijo do bandido dentro de um vulcão e este, ameaçando matar o cientista, exige em troca da vida dele que o herói roube-lhe as joias da coroa, pensando assim que os guardas que defendem o tesouro liquidassem com seu inimigo — o que, obviamente, não acontece e ao voltar ileso, o homem-de-aço tem contra si uma série de armadilhas das quais consegue se livrar, e o vilão salta para a cratera de lava do vulcão, deixando a impressão de que morrera mais uma vez.[1]

Esta última aparição do vilão contra o Super-Homem da Era de Ouro, considerada canônica, teve uma sequência de aparições depois de 1942, muitas vezes confusas e geralmente confrontando outros heróis.[1]

Ultra-Humanoide em 1942[editar | editar código-fonte]

O vilão havia escapado da morte ao usar uma máquina de perfuração resistente ao calor, com a qual abre um túnel sob a terra, conseguindo assim reagrupar seus capangas e ampliando seus planos; por meio da ciência cria as super-máquinas criminosas Deathbolt e Amazing Man; ele ainda descobre uma espécie de criatura subterrânea da qual gera um exército de servos e, ainda, reúne uma série de artefatos que lhe ampliam os poderes a fim de conseguir confrontar o Super-Homem, dentre os quais o martelo de Thor e o elmo do Senhor Destino (revistas Action Comics #47; Superman #17, All Star Comics #3).[1]

Ele mais uma vez sequestra Terry Curtis, que já então era conhecido como Cyclotron, e tenta vencer a Sociedade da Justiça e consegue capturar o primeiro Robotman (Robert Crane).[1]

Na década de 1980 o vilão volta no tempo para aquele ano e troca seu cérebro mais evoluído a fim de ampliar suas chances de vitória, mas tem seus planos frustrados quando a equipe de heróis da Infinity, Inc. o persegue e foi aparentemente morto quando Curtis/Cyclotron detona a si mesmo a fim de destruir a ambos.[1]

Pós-1942[editar | editar código-fonte]

Vários registros após este ano fazem a história do vilão ficar confusa; como Dolores Winters ele teria se aliado aos nazistas possivelmente num universo paralelo e, após a guerra, teria assumido o corpo do herói criado ainda em 1938, Tex Thompson (Americommando); neste relato ele consegue se tornar senador dos Estados Unidos e transferir o cérebro de Adolf Hitler para o herói menor da DC, Dan "Dyna-Mite", mas são vencidos pelo All-Star Squadron.[1]

Segundo a linha do tempo das histórias da Crise nas Infinitas Terras ele teria permanecido no corpo de Dolores Winters até 1947, quando então teria trocado por uma formiga gigante e foi derrotado pelo Super-Homem e pela Rainha Inseto; noutra história assume o corpo de um tiranossauro e é derrotado pelo All-Star Squadron e seus aliados Young All-Stars.[1]

Versões recentes[editar | editar código-fonte]

Os registros recentes procuram dar uma certa coerência à trajetória do vilão; após sua derrota de 1942 ele teria se mudado para a Alemanha nazi e, quando esta foi finalmente derrotada, ele escapou continuando um inimigo da Sociedade da Justiça; mesmo assim não é bem registrado o fato de ele ter se aliado a outros "super-vilões" como Vandal Savage e Onda Mental para enfrentá-la.[1]

Apesar das incoerências o fato é que a partir dos anos 1980 ele usou seus conhecimentos científicos para fazer com que um gorila albino sofresse mutações, aumentando-lhe o tamanho e força, e então transplantando seu cérebro para o animal, corpo no qual recria a Sociedade Secreta de Supervilões reunindo dez dos maiores inimigos da Liga da Justiça e da Sociedade da Justiça e capturando vários dos membros de ambas mas, ao ser traído pelos membros da sua própria equipe, os liberta e a seus integrantes são presos e a entidade dissolvida.[1]

Ele então é enviado ao Limbo onde arquiteta novos planos e consegue escapar ao estudar a lenda do Rio de Koehaha onde faz uma emboscada a vários membros da Sociedade da Justiça no Colorado, afogando-os no lendário curso d'água; isto, contudo, não os mata e sim os mantém entorpecidos e sob o domínio do mal; os heróis ficam desacreditados e o Ultra-Humanoide tenta conquistar o planeta até ser frustrado pelos remanescentes das associações de heróis; ele então foge para o Limbo onde trava uma luta cerebral contra o vilão Onda Mental que o faz perder grande parte dos poderes que tinha na forma simiesca.[1]

Ultra-Humanoide volta a cometer vários outros crimes ainda como macaco, mas este corpo começa a falhar; quando a Sociedade da Justiça foi aprisionada no Limbo ao combater o Ragnarok ele finalmente deixa esse corpo e passa por vários humanos enquanto ergue uma empresa, a "Ultra-Gen", onde realiza uma série de inovações genéticas, dentre as quais um novo corpo com mais poderes que antes; ele é finalmente detido pela Sociedade, que fora libertada com ajuda do Flash.[1]

Nas aparições mais recentes ele surge como mentor da organização criminosa chamada "O Conselho", e seu novo corpo quase-humano ainda está a revelar os poderes que possui.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q (Não atribuído). «The Ultra-Humanite». Execpc. Consultado em 23 de março de 2017.. Cópia arquivada em 3 de dezembro de 2012