Gardner Fox

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gardner Fox
Gardner Francis Cooper Fox
Pseudônimo(s) Jefferson Cooper
Bart Sommers
Paul Dean
Ray Gardner
Lynna Cooper
Rod Gray
Larry Dean
Robert Starr
Don, Ed, Warner and Michael Blake
Tex and Willis Blane
Ed Carlisle
Edgar Weston
Tex Slade
Eddie Duane
Etc.
Nascimento 20 de maio de 1911
Morte 24 de dezembro de 1986 (75 anos)
Ocupação escritor
Principais trabalhos Era de Ouro:
Sandman
Flash
Gavião Negro
Senhor Destino
Starman
Sociedade da Justiça
Era de Prata:
Eléktron
Gavião Negro
Zatanna
Batgirl
Liga da Justiça
Prêmios Alley Award
*Best Script Writer (1962)
*Best Book-Length Story (1962, com Carmine Infantino)
*Favorite Novel (1963, com Mike Sekowsky)
*Best Novel (1965, com Murphy Anderson)

Gardner Francis Cooper Fox[1] (Brooklyn, Nova York, 20 de Maio de 1911 - 24 de Dezembro de 1986) foi um escritor estadunidense. Criou numerosos personagens para histórias em quadrinhos para a DC Comics chegando à incrível marca de 4.000 histórias.

Histórias em Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Durante sua carreira, ele criou 85 personagens e entre eles estão o Flash (com Harry Lampert), e o Gavião Negro (com Dennis Neville). Com o editor Sheldon Mayer e o artista E. E. Hibbard, Fox criou a Sociedade da Justiça da América.

Entre 1940 e 1941, Fox escreveu para a Columbia Comic Corporation, escrevendo histórias com personagens como g "Face," "Marvelo," "Rocky Ryan," "Skyman," e "Spymaster." Por aproximadamente três anos (1947-1950), Fox escreveu para EC Comics, nos títulos famosos da editora The Crypt of Terror, The Vault of Horror and Weird Fantasy, Gunfighter, Happy Houlihans, Moon Girl, Saddle Justice, Valorentre outros.

Crom the barbarian, Out of This World #1 (Junho de 1950)

Durante a Segunda Guerra Mundial, Fox assumiu a responsabilidade por uma variedade de personagens e títulos de vários de seus colegas. Ele trabalhou para inúmeras editoras, incluindo a predecessora da Marvel Comics, Timely Comics; Magazine Enterprises de Vin Sullivan, onde criou o Skyman e EC Comics, onde trabalhou um breve período como escritor-chefe. Com a popularidade dos super-heróis em declínio, Fox produziu histórias de faroeste, ficção científica, humor e romance.

No final da década de 1940 e o início da década de 1950, ele trabalhou para a Magazine Enterprises, escrevendo histórias para as revistas "The Durango Kid", Ghost Rider, "Red Hawk," "Straight Arrow" e "Tim Holt".

Ao longo da década de 1950, Fox também escreveu histórias para Avon Comics, mais notavelmente as de "Crom the Barbarian", e de "Kenton of the Star Patrol."

Durante a década de 50, o editor Julius Schwartz reviveu muitos heróis da Era de Ouro incluindo o Flash, Fox contribuiu revivendo o Átomo e o Gavião Negro revivendo a Sociedade da Justiça como a Liga da Justiça da América. Fox também escreveu scripts para Batman reintroduzindo vilões como o Charada e o Espantalho. Gardner Fox foi creditado por criar o conceito de multiverso, criando o Sindicato do Crime da América com Mike Sekowsky e o homem que descrobriu este conceito, o Flash Barry Allen, com Carmine Infantino.

Literatura[editar | editar código-fonte]

Durante sua carreira escrevendo para a DC Comics, Fox também escreveu romances e contos usando uma variedade de pseudônimos masculinos e femininos para várias de editoras, incluindo Ace, Gold Medal, Tower, Belmont, Dodd Mead, Hillman, Pocket Library, Pyramid Books and Signet Books.[1]

Em meados da década de 1940 e na década de 1950, Fox escreveu uma as as revistas pulp Weird Tales, Planet Stories e Amazing Stories, Marvel Science Stories, Baseball Stories, Big Book Football Western, Fighting Western, Football Stories, Lariat Stories, Ace Sports, SuperScience, Northwest Romances, Thrilling Western, e Ranch Romances.[1]

Fox também autor de dois romances de ficção científica intitulada Warriors of Llarn (1964) e Ladrão de Llarn (1966).

De 1969 a 1970, publicou pela Belmont Books uma série de romances de espada e feitiçaria, protagonizados pelo bárbaro Kothar. Kothar: Barbarian Swordsman, Kothar of the Magic Sword, Kothar and the Demon Queen, Kothar and the Conjurer's Curse and finally Kothar and the Wizard Slayer Estes foram seguidos em 1976 pela série do bárbaro Kyrik: Kyrik: Kyrik: Warlock Warrior, Kyrik Fights the Demon World, Kyrik and the Wizard's Sword e Kyrik and the Lost Queen.[2]

Legado[editar | editar código-fonte]

Em 2002, a Cartoon Network exibiu o episódio da série de TV Liga da Justiça chamado "Lendas" com a participação do Grêmio da Justiça da América que homenageia a Sociedade da Justiça de Fox. Este episódio foi dedicado a ele.

Referências

  1. a b c Bails, Jerry (2006). "Fox, Gardner". Who's Who of American Comic Books 1928–1999
  2. Brian Stableford. The A to Z of Fantasy Literature. Scarecrow Press, 2009. 156 e 157. ISBN 9780810863453