Assu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Brasil.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde julho de 2013.

Município do Assu
"Cidade dos Poetas"
"Atenas Norte-Rio-Grandense"
"Capital do Vale"
Praça São João Batista

Praça São João Batista
Bandeira do Assu
Brasão do Assu
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 16 de outubro
Fundação 3 de Julho de 1783
Gentílico açuense[1]
Prefeito(a) Ivan Lopes Júnior (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização do Assu
Localização do Assu no Rio Grande do Norte
Assu está localizado em: Brasil
Assu
Localização do Assu no Brasil
05° 34' 37" S 36° 54' 32" O05° 34' 37" S 36° 54' 32" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Oeste Potiguar IBGE/2008[2]
Microrregião Vale do Açu IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Serra do Mel, Carnaubais, Mossoró, Upanema, Paraú, Jucurutu, São Rafael, Itajá, Ipanguaçu, Afonso Bezerra e Alto do Rodrigues.
Distância até a capital 207 km[3]
Características geográficas
Área 1 269,235 km² (RN: 4º)[4]
População 54 031 hab. (RN: 8º) –  IBGE/2012[5]
Densidade 42,57 hab./km²
Altitude 23 m
Clima semiárido Bs'h
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,661 (RN: 18°) – médio PNUD/2010 [6]
PIB R$ 312 542,403 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 5 916,67 IBGE/2008[7]
Página oficial

Assu[8] [9] ou Açu[nota 1] [10] é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do Norte, localizado na microrregião do Vale do Açu, que está na mesorregião do Oeste Potiguar e no Polo Costa Branca, a 207 km da capital do estado, Natal.[3] Tem aproximadamente 53.245 habitantes (de acordo com o senso do IBGE/2010), sendo 39.369 na cidade e 13.876 nas comunidades rurais do município. A área territorial do município é de 1 269,235 km².

História[editar | editar código-fonte]

Até meados do século XVIII, a terra rica em lavoura e pecuária do vale do rio Açu era habitada pelos janduís, nome do chefe indígena que se estendeu à tribo. Nessa época, os portugueses já haviam começado a explorar os potenciais da região, gerando amplo conflito de interesses com os índios. O homem branco partia para a criação bovina, enquanto os janduís consideravam legítima a caça ao gado.

Devido à intensidade das lutas entre brancos e índios, um grande conflito, conhecido como a Guerra dos Bárbaros, marcou a década compreendida entre 1687 a 1697.

Em 1696, Bernardo Vieira de Melo, então governador da Capitania do Rio Grande, colocou-se à frente de uma pequena expedição e fundou à margem esquerda do rio Açu (ou Piranhas) o Arraial de Nossa Senhora dos Prazeres, ponto de reforço para a conquista do sertão. Bernardo Vieira instalou-se com seus soldados no novo arraial, iniciando o aldeamento dos índios e assegurando o estabelecimento dos colonos. Surgiu daí o povoado conhecido como São João Batista da Ribeira do Céu.

A pecuária pôde retomar seu crescimento ao final dos conflitos, desenvolvendo-se rapidamente e tornando-se importante atividade econômica. Nesse período, as oficinas de carne seca e a indústria de extração da cera de carnaúba representavam a base da economia da região.

O município foi criado por Ordem Régia em 22 de julho de 1766. Inicialmente foi denominado de Vila Nova da Princesa, em homenagem à princesa Dona Carlota Joaquina de Bourbon, que se casou com D. João VI em abril de 1785.

A Lei Provincial nº 124, de 16 de outubro de 1845, concedeu à Vila Nova da Princesa foros de cidade com o nome de Açu. O nome Açu tem origem na expressão tupi taba-açu, que significa aldeia grande, uma área de agrupamento de índios guerreiros da região.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Assu está localizado no estado do Rio Grande do Norte, na Mesorregião do Oeste Potiguar e Microrregião do Vale do Açu. Os municípios limítrofes são: Serra do Mel, Carnaubais, Mossoró, Upanema, Paraú, Jucurutu, São Rafael, Itajá, Ipanguaçu, Afonso Bezerra e Alto do Rodrigues.

Solo[editar | editar código-fonte]

De acordo com o IDEMA, predominam dois tipos de solo na área do município: litólicos eutróficos e bruno não cálcico. Sua aptidão para a atividade agrícola é regular e restrita para pastagem natural. Nas áreas correspondentes a bruno não cálcico, as terras são aptas para culturas especiais de ciclo longo (algodão arbóreo, sisal, caju e coco). Na parte centro / norte as terras são indicadas para preservação da fauna e flora ou para recreação.

No atual Sistema Brasileiro de Classificação de Solos são encontrados no município, principalmente os latossolos, argissolos, chernossolos e neossolos.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Assu possui clima semiárido (Bsh na classificação climática de Köppen-Geiger), quente e seco.[11] A temperatura média anual é de 27,1 ºC, sendo janeiro e dezembro os meses mais quentes, com temperatura média de 27,8 ºC, e julho o mais frio, com média de 25,5 ºC. O índice pluviométrico é baixo, de aproximadamente 600 milímetros (mm) anuais, concentrados entre os meses de fevereiro e maio.[12]

Segundo dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), referentes ao período entre 2003 e 2013, o maior acumulado já registrado em 24 horas na zona urbana de Assu foi de 152 milímetros em 19 de fevereiro de 2007.[13] [14] Em um mês o maior volume registrado foi de 323,7 milímetros em abril de 2008.[15]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Assu Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33,4 32,8 32,1 31,8 31,6 31 31,1 32,2 33 33,6 33,6 33,6 32,5
Temperatura média (°C) 27,8 27,4 27 26,7 26,4 25,7 25,5 25,9 26,6 27,2 27,6 27,8 26,8
Temperatura mínima média (°C) 22,8 22,7 22,5 22,3 21,8 21 20,5 20,4 21,1 21,7 22,1 22,5 21,8
Chuva (mm) 44,6 86,7 144,5 135,6 94,6 38,9 17,4 5,9 2,2 2,1 4,2 15,4 585,9
Fonte: Weatherbase.[16]

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população total do município é de 53.245 habitantes, de acordo com o senso do IBGE (2010). Porém desse total, 39.369 vive na cidade (área urbana) e o restante(13.876) nas comunidades rurais

Sua área é de 1.269,24 km² representando 2,40% do estado, 0,08% da região e 0,01% de todo o território brasileiro.

IDH[editar | editar código-fonte]

PNUD (2000)
IDH 1991 2000
Renda 0,543 0,599
Longevidade 0,542 0,678
Educação 0,604 0,754
Total 0,563 0,677

Crescimento populacional[editar | editar código-fonte]

A tabela a seguir mostra o crescimento populacional da cidade do Assu do ano de 1970 até 2008

Ano Habitantes
1970 25.038
1980 34.398
1991 43.591
1996 45.054
2000 47.904
2007 51.262
2009 53.282
2011 53.636
Fonte: IBGE 2011

Economia[editar | editar código-fonte]

Apesar da importância da agricultura (fruticultura voltada para a exportação) e a pecuária, destacam-se a indústria (cerâmica e a petrolífera, entre outras) e o setor de serviços, além do comércio e a Pesca. De acordo com dados do IPEA do ano de 1996, o PIB era estimado em R$ 48,77 milhões, sendo que 9,8% correspondia às atividades baseadas na agricultura e na pecuária, 32,1% à indústria e 58,8% ao setor de serviços. O PIB per capita era de R$ 1.082,51.

A cidade esta tendo um crescimento econômico e é provável que se torne mais acentuado nos próximos cinco anos com a implantação da ZPE do sertão (zona de processamento de exportação), local onde se irá instalar um parque industrial com enormes benefícios fiscais e boa infraestrutura, o que trará um grande desenvolvimento para a cidade e para as cidades vizinhas, fortalecendo a economia da região e do estado. O processo de implantação da ZPE no município está em andamento; a estimativa é que ela entre em atividade num prazo de cinco anos, dos quais dois serão gastos no processo de sua construção e os outros três para construção da linha férrea para o escoamento da produção das fábricas instaladas, para o porto de Natal.

A instalação da ZPE do Assu já foi aprovada; agora só falta a prefeitura ir atrás de empresas interessadas em se instalar no município. É provável que inúmeras indústrias se interessem em se instalar na ZPE, devido aos incentivos fiscais que serão dados.

Frota de veículos[editar | editar código-fonte]

O Assu possui cerca de 4 170 automóveis, 508 caminhões/caminhonetes, 6.963 motocicletas/motonetas, 115 ônibus/micro-ônibus. A frota de veículos chega a mais de 13.074 (Fonte DETRAN-RN 18 de fevereiro de 2011).

Turismo[editar | editar código-fonte]

Localizado a 220 quilômetros de Natal, e 73 km de Mossoró, o município do Assu é conhecido pela sua riqueza cultural e, pelo histórico de poetas que ganharam fama a nível regional, tornou-se conhecida como a “Atenas Norte-Rio-Grandense”.

O turismo religioso é um dos pontos fortes do município que, no mês de junho, recebe milhares de fiéis para os festejos dedicados ao padroeiro São João Batista. O São João da cidade, um dos maiores do Nordeste brasileiro.

Atrações e destaques[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

O município possui 47 escolas de Ensino Fundamental com 406 docentes e 10.496 alunos, 33 de ensino pré-escolar com 55 docentes e alunos 1.318 e 6 de Ensino Médio com 104 docentes e 2.888 alunos.[17]

Ensino Superior[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com um hospital público estadual, o Hospital Regional Dr. Nelson Inácio e ainda 8 estabelecimentos públicos municipais e oito estabelecimentos privados. Com 81 leitos hospitalares, dos quais 77 disponíveis ao SUS.

Fonte IBGE

Desporto[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

A Associação Sportiva Sociedade Unida (ASSU) é o único time profissional do município, fundado em 10 de janeiro de 2002. Suas cores são verde e branco. Ao longo de sua história, o ASSU vem colecionando boas participações no Campeonato Potiguar, tendo chegado ao primeiro título no ano de 2009, garantindo também vaga na Série D do mesmo ano e participação na Copa do Brasil de 2010. É chamado pelos torcedores de "Camaleões do Vale", pelo fato do mascote do time ser um camaleão.

Conta com um estádio de futebol, o Edgard Borges Montenegro, de propriedade da Liga Açuense.


Notas

  1. Nota ortográfica: Segundo as normas ortográficas vigentes da língua portuguesa, este topônimo deveria ser grafado como Açu. A grafia correta é Açu, pois prescreve-se o uso da letra "ç" para palavras de origem tupi, bem como não se acentuam oxítonas terminadas em u (a exceção de palavras terminadas com u onde esta vogal encontra-se sozinha na sílaba). O nome vem do tupi Taba-Açu (referindo-se a "Aldeia Grande"). Ao longo dos anos, a grafia foi alterada para Assu e finalmente para Açu. Esse forma, com a grafia correta, é a utilizada pelos órgãos federais, como o IBGE, para se referir ao município.

Referências

  1. Histórico de Assu no site do IBGE.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. a b FEMURN. Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN. Página visitada em 31 de outubro de 2010.
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  5. ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (30 de agosto de 2011). Página visitada em 31 de agosto de 2012.
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 31 de agosto de 2013.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  8. Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte. Municípios com nomes alterados. Página visitada em 22/03/2009.
  9. Prefeitura
  10. Prefeitura
  11. Climate Summary (em inglês). Weatherbase. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  12. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Weatherbase_Assu
  13. Ocorrência de chuvas (2007). Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (2007). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  14. Posto: ASSU(PARTICULAR). Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (2007). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  15. Análise de precipitação acumulada por mês - Ano: 2008. Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (2008). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  16. Açu, Rio Grande do Norte (em inglês). Weatherbase. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  17. IBGE 2008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira do Rio Grande do Norte.svg A Wikipédia possui o Portal do Rio Grande do Norte. Artigos sobre história, cultura, atrações, personalidades e geografia.