Derrame pleural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Derrame pleural
Classificação e recursos externos
CID-10 J90-J91
CID-9 511.9
Star of life caution.svg Aviso médico
Radiografia de tórax com derrame pleural. A seta A mostra a camada de fluido na cavidade pleural direita. A seta B mostra o comprimento normal do pulmão na cavidade.

Derrame pleural é a acumulação excessiva de fluido na cavidade pleural, a qual é naturalmente lubrificada. Uma quantidade excessiva deste fluido pode descompensar a ventilação por limitar a expansão dos pulmões durante a inalação.

Normalmente uma pleura sobre a outra como se fossem duas lâminas de vidro com uma quantidade mínima de líquido pleural para evitar o atrito.

Quando uma dessas pleuras sofre um processo inflamatório a dor aparece.

Em função do comprometimento pleural ser evolutivo, tem-se produção anormal do líquido pleural e/ou redução na reabsorção deste líquido, que passa a acumular-se no espaço pleural e “afasta” uma pleura da outra, evitando o atrito, atenuando e até fazendo desaparecer a dor.

A produção aumentada e/ou a reabsorção reduzida faz com que haja uma grande quantidade de líquido no espaço pleural, o que é o “derrame pleural” que a medida que aumenta faz colapsar lóbulos/lobos pulmonares levando a uma insuficiência ventilatória restritiva que se manifesta por “falta de ar” (dispnéia).

Classificação[editar | editar código-fonte]

Os derrames pleurais são classificados em :

  • Líquidos:
    • quanto à etiologia (tuberculose, pneumonia, neoplasia)
    • quanto ao caráter (serofibrinoso, hemático ou hemorrágico, purulento, quiliforme)
    • quanto à localização (grande cavidade, interlobar, mediastínico)
  • Gasosos: Pneumotórax
  • Mistos: hidropneumotórax, hemopneumotórax, piopneumotórax.

Classificação de acordo com a composição bioquímica (Critérios de Light)[editar | editar código-fonte]

Os derrames pleurais são classificados de acordo com sua composição bioquímica, como:

  • 1 transudatos (Proteína pleural / Proteína sérica <0,5; DHL pleural / DHL sérica <0,6; e Teor de DHL < que 2/3 do valor limite superior da concentração sérica normal)
  • exsudatos (Proteína pleural / Proteína sérica >0,5; DHL pleural / DHL sérica >0,6; e Teor de DHL > que 2/3 do valor limite superior da concentração sérica normal. E o gradiente de albumina sérica - albumina do derrame é < que 1,2 g/dL).

Para diagnóstico de exsudato, necessita-se de apenas 1 dos critérios.

Características dos transudatos[editar | editar código-fonte]

Geralmente, por conterem pouca proteína na sua composição, os derrames pleurais do tipo transudato são límpidos, amarelo-claros e não se coagulam espontaneamente.

Doenças associadas a derrame pleural do tipo transudato[editar | editar código-fonte]

  • Condições hipoalbuminêmicas com anasarca
  • Insuficiência cardíaca congestiva
  • Embolia pulmonar
  • Obstrução da veia cava superior
  • Cirrose hepática com ascite
  • Síndrome nefrótica
  • Glomerulonefrite
  • Diálise peritonial
  • Mixedema
  • Sarcoidose

Características dos exsudatos[editar | editar código-fonte]

Em contraposição, os derrames pleurais do tipo exsudatos, freqüentemente se coagulam devido à presença de fibrinogênio, e podem ser classificados quanto ao aspecto em:

  • serosos
  • sero-leitosos (quilotórax).
  • turvos
  • purulentos
  • sero-hemáticos. Os derrames pleurais exsudatos do tipo sero-hemáticos são geralmente secundários a:
    • acidentes de punção (toracocentese)
    • neoplasias
    • embolia pulmonar
    • pancreatite
    • ruptura de aneurisma de aorta
  • hemáticos (hemorrágicos). Os derrames pleurais exsudatos do tipo hemáticos são geralmente secundários a:
    • traumas torácicos
    • iatrogenia

Doenças associadas a derrame pleural do tipo exusudato[editar | editar código-fonte]

  • Doenças infeciosas
    • Tuberculose
    • Bactérias
    • Fungos
    • Vírus
    • Parasitas
  • Doenças neoplásicas
    • Carcinoma broncogênico
    • Metástase ou carcinomatose
    • Sídrome de Meigs
    • Mesotelioma
    • Linfangioleiomiomatose
  • Doenças colágeno-vasculares
    • Pleurite reumatóide
    • Lúpus eritematoso sistêmico
    • Síndrome de Sjögren
    • Granulomatose de Wegner
    • Síndrome da unha amarela
  • Patologia abdominal
    • Peritonite
    • Pancreatite
    • Abscesso subfrênico
    • Abscesso intra-hepático
    • Perfuração do esôfago
    • Obstrução da veia cava inferior
    • Obstrução do trato urinário
    • Diálise peritonial
  • Doenças inflamatórias
    • Embolia Pulmonar
    • Síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA)
    • Insuficiência renal crônica em hemodiálise
    • Uremia
    • Síndrome de Dressler
  • Miscelânea
    • Sarcoidose
    • Induzido por drogas
    • Exposição ao asbestos

Análise laboratorial do líquido pleural[editar | editar código-fonte]

Análise de elementos não protéicos:

  • Coloração
  • pH
  • Glicose

Análise de elementos protéicos:

  • DHL
  • Proteínas
  • Amilase
  • Adenosina deaminase (ADA)
  • Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) para Mycobacterium tuberculosis = a sensibilidade pode chegar à 78 %, com uma especificidade próximo de 100 %.
  • Interferon gama = semelhante à ADA, quando aumentado sugere tuberculose pleural. Entretanto, em muito locais, este exame não existe de rotina.

Análise de elementos celulares:

  • Citograma
  • Citologia oncótica
  • Cultura e antibiograma
  • Cultura para BAAR = positiva em menos de 30 % dos pacientes e pode demorar 2 meses ou mais.

Biópsia pleural[editar | editar código-fonte]

agulha de biópsia pleural2

Além da análise do derrame pleural, nos casos de liquido pleural do tipo exsudato, devemos cogitar a biópsia pleural na tentativa de obtenção do diagnóstico anatomopatológico.

A biópsia pleural pode ser obtida com:

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.famema.br/uec/DerramePleural.pdf
  2. A modified outer cannula can help thoracentesis after pleural biopsy. de Menezes Lyra R. Chest. 1997 Jul;112(1):296.[1]


Ícone de esboço Este artigo sobre Cirurgia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.