Licença artística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A licença artística é uma licença de software utilizada por alguns softwares livres, como a implementação padrão do Perl, a maioria dos módulos CPAN e a máquina virtual Parrot (em duplicidade com a licença GPL). Ela foi criada por Larry Wall e o seu nome é uma referência ao conceito de licença poética.

Existe uma controvérsia na definição da licença artística como uma licença de software livre. Ela é muito criticada por ser considerada ambígua, contraditória, e virtualmente impossível de interpretar. A Free Software Foundation não a considera uma licença de software livre. Porém, isto nunca foi motivo de problemas, já que a maioria dos desenvolvedores que adotaram a licença artística decidiram adotar uma licença adicional, a GPL. Nestes casos entende-se que o software possui uma licença dupla.

A versão 2.0 da licença, a Artistic License 2.0, foi criada em resposta aos pedidos da comunidade de desenvolvedores do Perl e é considerada uma licença de software livre. Esta versão foi escrita por Bradley M. Kuhn, que trabalhou para a Free Software Foundation, e deverá ser adotada na versão 6 da implementação padrão do Perl. [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]