Picos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Picos
"Capital do Mel"
"Cidade modelo"
"Capital do Sul Piauiense"
Catedral de Nossa Senhora dos Remédios

Catedral de Nossa Senhora dos Remédios
Bandeira de Picos
Brasão de Picos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de dezembro
Fundação 12 de dezembro de 1890 (124 anos)
Gentílico picoense ou picolense
Lema Ser de Picos é ser forte!
Prefeito(a) Kléber Eulálio (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Picos
Localização de Picos no Piauí
Picos está localizado em: Brasil
Picos
Localização de Picos no Brasil
07° 04' 37" S 41° 28' 01" O07° 04' 37" S 41° 28' 01" O
Unidade federativa  Piauí
Mesorregião Sudeste Piauiense IBGE/2008 [1]
Microrregião Picos IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Santana do Piauí (N), Itainópolis (S), Geminiano, Sussuapara, Campo Grande do Piauí (L), Paquetá, Dom Expedito Lopes e Santa Cruz do Piauí (O)
Distância até a capital 307 km
Características geográficas
Área 535,000 km² [2]
População 73 417 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 137,23 hab./km²
Altitude 206 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,698 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 831,280 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 11,013 11 IBGE/2012[5]
Página oficial

Picos é um município brasileiro do estado do Piauí. Conhecida como Cidade Modelo e Capital do Mel. Cidade jovem, tem como principal característica social a mistura étnica pois sua população é formada por indivíduos das mais diversas partes do país[carece de fontes?]. Geograficamente é cortada pelo rio Guaribas, que apesar de ser um rio temporário, alivia o calor das tardes picoenses.

Situa-se na região centro-sul do Piauí. É uma cidade economicamente desenvolvida nessa região. Essa característica aliada ao seu posicionamento geográfico lhe conferem a condição de polo comercial no Piauí especialmente para combustíveis e mel. É cortada pela BR-316 (ou Rodovia Transamazônica), BR-407, BR-230 e fica muito próxima a BR-020. É uma das maiores produtoras de mel do país [carece de fontes?]. Picos sedia uma unidade do Exército Brasileiro (3º BEC - Batalhão de Engenharia e Construção).

História[editar | editar código-fonte]

A origem do município de Picos deu-se como a maioria das cidades piauienses mais conhecidas, através da atividade econômica que era a mais desenvolvida neste território, a pecuária. Segundo fontes históricas[carece de fontes?] acredita-se que ela deu origem no povoado de Bocaina, ligado a capital Oeiras. Inicia-se com a chegada dos primeiros fazendeiros de gado vindo de Portugal nos anos de 1740, trazendo alguns escravos e gado, ocupando grandes territórios.

A construção de uma capela em 1754 sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição pelo sertanista Antônio Borges Leal Marinho foi o marco inicial desse seu povoamento. Neste período, o território de Picos pertencia ao município de Oeiras. A família Borges Leal, que à época ocupava grandes áreas de terras nos arredores do município. Félix Borges Leal, um dos descendentes, fundou nessa região uma de suas mais importantes fazendas, a Fazenda Curralinho ou Retiro Curralinho, como também era conhecida, aproveitando as terras que eram favoráveis a criação do gado solto e também do rio que fornecia água em abundância.

O processo de povoamento do futuro município deveu-se ao desdobramento dessa fazenda. Recebeu o nome de Picos, devido a se encontrar em uma região rodeada por montes picosos. Local de terras férteis, desenvolveu-se rapidamente graças ao Rio Guaribas que por muito tempo abasteceu a população, oferecendo lhe água e diversas vazantes favorecendo o plantio em suas margens e várzeas.

A região de Picos por muitos anos atraiu diversas pessoas que buscavam locais para se desenvolver e negociantes vindos da Bahia e Pernambuco, que vinham para negociar animais principalmente gado e cavalo aém de outros produtos. Era um negócio lucrativo e muito rentável.

A seca de 1932[editar | editar código-fonte]

Em 1932, a cidade de Picos passou por um período de estiagem, segundo conta[carece de fontes?] foi uma das piores, mesmo com a presença do Rio Guaribas, os efeitos foram quase nulos, que por causa disso concedeu à cidade o status de abrigo seguro para os migrantes vindo de outros estados e municípios.

O município de Picos no início do século XX.

A década de 40[editar | editar código-fonte]

Entre os anos 40 o município era apenas um aglomerado de residências de características rurais, era bastante verde devido ainda possuir mata ao redor das margens do Rio Guaribas, alguns trechos correspondia a propriedades particulares e eram dedicados a cultura de vazante realizadas durante o verão, dentre os produtos cultivados se destacavam o alface, o coentro, cebolinha, cebola e sobretudo o alho, produto no qual, o município passou por vários anos como grande produtor nacional. A outra atividade comum era a lavagem de roupas que era muito comuns grupos de mulheres utilizarem a o rio para essa finalidade. Dentre outras atividades destacavam-se, os banhos nos poços, no qual eram determinados por sexo, práticas da pesca com a utilização de anzóis, redes, tarrafas ou até mesmo com as mãos.

A época de ouro da cidade de Picos (anos 1950)[editar | editar código-fonte]

Essa época de ouro consagrada no município foi marcante devido a grandes alterações tanto no contexto político, social e econômico. Nos anos 50, segundo dados do censo do IBGE a população do município era de 54.713, sendo que 50.145 (91,65%) na área urbana e 4.568 (8,35%) na área rural. No mesmo ano, cresce a economia em Picos a indústria e o comércio ativo aumentando a demanda de produtos e seus consumidores.

Nessa época tem relatos[carece de fontes?] de vários acontecimentos marcantes como a chegada da primeira sorveteria, a chegada do candidato a presidência da República pela UDN o brigadeiro Eduardo Gomes, melhorias na rede elétrica e no sistema de abastecimento d'água com a perfuração de vários poços. A partir desse período Picos passa a perder seus territórios a partir de 1954 com a perda do seu primeiro território que passaria a formar o município de Itainópolis.

Enchente que alagou o município de Picos nos anos 60.

Segundo o depoimento do Sr. José Manoel de Almondes que presenciou a época das enchentes relatou o seguinte:

"Foi um período de muitas chuvas, de chuvas intensas e torrenciais, choveu em muita região do Piauí, as pessoas viviam amedrontadas pela quantidade de água que acumulou em diversas ruas em Picos, muitas plantações destruídas e muitos animais mortos, me recordo muito bem da intensidade da água que foi acumulada no Guaribas. A água era tão intensa que levava tudo que tinha na frente, inclusive vi muitos animais, principalmente o gado sendo levado pela correnteza, presenciei o momento em que em que a ponte caiu, a água carregava tantas árvores que elas se prenderam nos pilares da ponte, e com a força da água ela não suportou, de repente ouvi um estralo muito forte e a ponte caiu, levando todo o material no qual a ponte era constituída. Depois que o período de enchente foi acabando, reconstruíram novamente a ponte, dando acesso a outra parte do município de Picos."[carece de fontes?]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo os dados do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), a cidade de Picos no Piauí tem a maior média anual de temperatura: 29,4°C.

Localização[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º04'37" sul e a uma longitude 41º28'01" oeste, localizada na região centro-sul do Piauí.

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

Os solos deste município estão representados pelos seguintes solos com horizonte latossólico, solos pouco desenvolvidos, solos soncrecionários tropicais de característica suave, ondulada, apresentando testemunhos espaços, com predominância de solos litólicos e areias quartzo e de natureza argilosa.[carece de fontes?] Tem como acidentes geográficos o Rio Guaribas, o Rio Itaim e a Lagoa das Abóboras.

O Município de Picos está a 206 metros acima do nível do mar e apresenta em seu relevo inúmeros picos argilosos, que se erguem nas proximidades ribeirinhas, e as serras rochosas que dão a impressão de que a cidade está localizada numa cratera, fazendo surgir os denominados baixões agrícolas piauienses. O município conta ainda, com cursos naturais de água como o Rio Guaribas que, ao contrário dos demais rios piauienses, que cortam seu relevo no sentido sul-norte ou sudeste-noroeste, este faz o sentido oposto, ou seja, norte-sul, até suas águas encontrarem o rio Itaim, Riacho Vermelho, Riacho dos Macacos, Além de possuir o maior lençol freático na região.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
de Picos[3]
Ano População
1950 54 713
1980 62 000
1991 68 408
2000 69 974
2007 70 450
2013 76 300

A população da cidade de Picos em 2010 era de 73.414 habitantes (Censo Demográfico IBGE 2010), sendo que 58.307 na zona urbana e 15.107 na zona rural, caracterizando assim a terceira maior do Piauí perdendo apenas para a Capital Teresina e Parnaíba. Possui uma densidade demográfica de 137.23 hab./km².

Política[editar | editar código-fonte]

Os dois primeiros anos da República (1889 a 1890) foi um período de caos total no Piauí, o processo de transição política acontecia e a presença firme do coronelismo estavam com os dias contados, os militares tomaram o poder no país, pelo menos era o medo dos coronéis, sem contar que o município iniciava o processo de emancipação política em meio a esse caos em que se passava todo o Estado, sendo que, esse período foram os mais agitados em Picos, registrando-se o escapamento do Juiz da Comarca e a prisão do padre Benedito Portela Lima segundo relatos históricos eram um dos simpatizantes ao processo de mudança político e democrático.

A política administrativa na cidade de Picos começou ainda no período de transição de vila para a categoria de cidade no ano de 1890. A forte presença política do coronelismo marcou os primeiros anos da República em todo o Estado, os primeiros representantes eram oriundos da oligarquia que controlava a política em todo o Piauí, o que aconteceu até 1945 com a ascensão de Getúlio Vargas ao poder com a criação do Estado Novo. Nos anos de 1920 começa a insatisfação popular nos locais onde a presença política oligárquica era muito forte e presente.

Os coronéis tinham bastante influência política, com o medo da política da derrubada do Governo de Floriano Peixoto e a criação da Constituição Piauiense em 1981 no Governo Estadual de Gabriel Luís Ferreira, a política local inicia um processo de "eleição" através da "indicação de sucessor político".

A Câmara Municipal teve como primeiro presidente o coronel Clementino de Sousa Martins, filho do legendário piauiense Major Manoel Clementino de Sousa Martins, herói da Balaiada, exerceu, também o cargo de Prefeito (intendente) por dois anos.

Hino de Picos[editar | editar código-fonte]

Prefeitos de Picos[editar | editar código-fonte]

Ver: Lista dos Prefeitos de Picos.

As primeiras eleições[editar | editar código-fonte]

No ano de 1892 foi realizada a primeira eleição para prefeito, quando transferiu o cargo para Helvídio Clementino de Sousa Martins (filho de Clementino de Sousa Martins), passando a ser o primeiro prefeito de Picos pelo voto direto.

Leis provinciais e estaduais[editar | editar código-fonte]

  • 1851

Já bastante desenvolvida, a elevação do povoamento à categoria de freguesia deu-se a invocação de Nossa Senhora dos Remédios, através da Resolução Provincial Nº 308 de 11 de setembro de 1851. O seu primeiro pároco foi o padre José Dias de Freitas.

  • 1855

Devido ao constante crescimento da freguesia, foi desmembrado de Oeiras, mais anexado ao seu Judiciário (Comarca de Oeiras). Foi elevado à categoria de vila através da Resolução Provincial Nº 397 de 20 de dezembro de 1859.

  • 1859

Como a Lei Provincial Nº 468 de 1859, o tempo judiciário de Picos foi desmembrado da Comarca de Oeiras, anexando-o a Comarca de Jaicós e assim permanecendo até o ano de 1889. Sendo então desanexada a Comarca de Picos juntamente com o município de Patrocínio, hoje, Pio IX.

  • 1889

Pelo Decreto de 28 de dezembro de 1889 é instalada a Comarca de Picos pelo seu primeiro Juiz de Direito, Dr. João Leopoldino Ferreira, tendo como promotor o coronel Josino José Ferreira.

  • 1890

A elevação da vila à categoria de cidade verificou-se através da Resolução Estadual Nº 33 de 12 de dezembro de 1890, assinada pelo então chefe de Governo Estadual João da Cruz Santos o Barão de Uruçuí, desmembrando de Oeiras.

Quando da divisão administrativa verificada em 1993, o município de Picos apresentava-se com 2 (dois) distritos, sendo o 2º de Patrocínio, hoje Pio IX.

Divisão político-administrativa[editar | editar código-fonte]

Mapa territorial de Picos e seus respectivos desdobramentos territoriais.

A área territorial inicial definida pelas Divisões Administrativas para o município de Picos era da ordem de 4.756 Km2 e permaneceu incólume por muitos anos. Desde a ultima divisão administrativa até os nossos dias, vários distritos forma desmembradas do município de Picos, vindo a constituírem-se em municípios como os de:

Observação: Em 1994, mais os municípios de Geminiano e de Paquetá (Paquetá de Ducha) foram também criados, e Sussuapara no ano de 1995, sendo instalados oficialmente, todavia, em 1997, com a posse dos seus primeiros governantes, eleitos nas eleições de 1996, O município de Aroeiras do Itaim foi instalado em 1 de Janeiro de 2005. Ficando o município de Picos, depois de todos esses desmembramentos para constituição de novos municípios, com a área com menos de 800 Km2.

Bairros e povoados[editar | editar código-fonte]

Povoados de Picos[editar | editar código-fonte]

Coroatá, Fátima do Piauí, Gameleira dos Rodrigues, Lagoa Grande, Mirolândia, Morrinhos, Samambaia, Saquinho, Cipaúba, Tapera, Torrões e Val Paraíso, Lagoa Comprida,Tabuleiro dos Pios, Malhada Grande dos Almodes.

Bairros[editar | editar código-fonte]

Aerolândia, Altamira, Aroeiras do Matadouro, Bairro de Fátima, Belo Norte, Boa Sorte, Boa Vista, Bomba, Canto da Várzea I, Canto da Várzea II ,Catavento, Centro, Condurú, DNER, Emaús, Ingazeira, Ipueiras, Jardim Natal, Junco, Malva, Morada do Sol, Morada Nova, Morro da AABB, Pantanal, Vila do Flamengo, Paraibinha, Paroquial (Chão dos Padres), Parque de Exposição, Passagem das Pedras, Pedrinhas, Pedro Brito, São José, São Sebastião (Malvinas), Trisidela, Umari e Unha de Gato (3º BECnst).

Cultura, religião, turismo e lazer[editar | editar código-fonte]

Cultura e arte[editar | editar código-fonte]

A cultura de Picos é muito rica em diversos aspectos tais como:

  • Danças Folclóricas

Geralmente essas danças ocorrem em conjunto com algumas festas tradicionais religiosas: Reizado, São Gonçalo, Cavalo Piancó, Dança do Congo, Passeata, Queima de Judas e as Quadrilhas Juninas.

  • Escrita

No município de Picos também existem Academias de Letras que destacam o contexto intelectual dos picoenses. Dentre elas a ALERP (Academia de Letras de Picos) e a UPE (União Picoense de Escritores). Nesse contexto intelectual escrito são expostos ao público livros, versos, poemas, literatura de cordel e diversos contos.

  • Música

Em Picos encontra-se uma riqueza em relação a músicos e compositores, alguns até conhecidos em território nacional, o município é composto por pessoas apreciadoras da boa música regional, não é a toa que é muito comum encontrar locais de socialização de pessoas ter um músico ou compositor expondo suas obras.

  • Artesanato

Artes com palha, couro, madeira, barro, bordado, tricô, ponto cruz e vagonite.

  • Cinema e teatro

O município de Picos não possui uma área exclusiva para teatro e cinema, porém, existem vários grupos teatrais cujas peças são encenadas em escolas ou em manifestações culturais realizadas pelas instituições educacionais ou particulares da cidade. A macrorregião conta com os cineastas Douglas Nunes, Thico Almeida e Roberto Borges. Tais cineastas já têm trabalhos de grande repercussão no país inteiro, como: a minissérie Raízes do Sertão de Roberto Borges[6] , Intolerância e Paixão e Vidas Cruzadas de Douglas Nunes[7] , Vidas Opostas de Thico Almeida. O longa metragem "Intolerância e Paixão" de Douglas Nunes foi selecionado na 5º Mostra de cinema do Colégio Civitatis de São Paulo, concorrendo ao Troféu Graça Aranha de Cinema. E o filme "Vidas Cruzadas selecionado no 9º Festival de Cinema dos Sertões de Floriano, na categoria "Piauí na Tela".

  • O Desfile de 7 de setembro
Desfile cívico de 7 de setembro.

Comemorado aqui no município de Picos na "Semana da Pátria" e realizado no feriado de 7 de setembro, é um desfile que todo o ano é apreciado por diversas pessoas que vão a avenida marcar presença como público. No desfile são apresentados os militares do 3º Batalhão de Engenharia e Construção, policiais e bombeiros militares, escolas estaduais e municipais entre outros. Sempre é marcado pela presença do prefeito municipal, lideranças militares e políticas convidadas.

Um fato marcante foi a passagem da maior referência nordestina, O Rei do Baião Luiz Gonzaga que a convite de amigos maçons veio ao município de Picos no ano de 1984 participar do desfile de 7 de setembro, após isso houve uma confraternização no Recanto dos Maçons.[carece de fontes?]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Museu Ozildo Albano, onde se encontra o maior acervo histórico de Picos.
  • Catedral de Nossa Senhora dos Remédios (em estilo neogótico).
  • Morro da Mariana (onde se tem uma vista panorâmica da cidade, além variados restaurantes e pizzarias e, sobretudo, a maior característica da cidade, que tem a maior concentração urbana vivendo em encostas ou sobre morros do Estado do Piauí).
  • Igreja do Sagrado Coração de Jesus - "igrejinha" (a primeira igreja da cidade de Picos).
  • Museu Ozildo Albano (com peças e gravuras que retrata a história da cidade).
  • Feira-Livre (uma das maiores feiras livres do Piauí e do Nordeste - a diversidade de produtos comercializados serve de atrativo).
  • Prainha do Rio Guaribas.
  • Barragem de Bocaina (cidade vizinha).

Religião[editar | editar código-fonte]

Igrejinha do Sagrado Coração de Jesus (Primeira Igreja do Município de Picos).

Em relação a religião, o município de Picos possui várias denominações cristãs:

  • A Religião Católica Apostólica Romana

A história da Igreja Católica na região de Picos dá-se antes da origem da cidade. A primeira igreja construída no ano de 1828 pelos descendentes dos Borges Leal juntamente com a Família Moura Fé foi a Capelinha de São José (atual Igrejinha do Sagrado Coração de Jesus), posteriormente recebendo a denominação de "São José das Botas", em devoção dos vaqueiros da região, pois sua representação fazia com a vestimenta de vaqueiro.

Entre os anos de 1847 a 1871 dá-se o processo da criação da Igreja Matriz na cidade de Picos, desde a chegada da Imagem de Nossa Senhora dos Remédios em 31 de dezembro de 1847 trazida por um escravo a pé da Bahia, em troca ganharia sua liberdade, até a construção da Igreja Sede no ano de 1871 por ato do padre José Antônio Maria Pereira Ibiapina (conhecido por Frei Ibiapina). Atualmente ela é conhecida como um dos maiores e mais belos templos católicos do Nordeste, sendo eleita a 2ª Maravilha do Piauí.

São algumas das principais Igrejas Católicas Apostólica Romana:

Igreja Matriz Nossa Senhora dos Remédios (catedral), Igreja de São Francisco de Assis, Igreja de São José Operário, Igreja do Sagrado Coração de Jesus.

  • A Religião Protestante:

No município de Picos também se encontram várias igrejas protestantes dentre elas se destacam:

Igreja Assembleia de Deus, Igreja Batista, Igreja Adventista do Sétimo Dia, Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja Internacional da Graça, Igreja Presbiteriana Renovada, Congregação Cristã no Brasil.

  • Outras Denominações Cristãs:

Dentre as principais denominações cristãs se destacam no município de Picos:

Comunidade Religiosa das Testemunhas de Jeová e Centros Espíritas Kardecistas.

Maçonaria[editar | editar código-fonte]

No município de Picos, destaca-se a presença da maçonaria, dividida em diversas lojas maçônicas, dentre elas:

  • Loja Maçônica Segredo Força e União Picoense
  • Loja Maçônica Cavalheiros do Piauí
  • Loja Maçônica Frei Caneca Nº 14
  • Loja Maçônica Vale do Guaribas

Arte rupestre[editar | editar código-fonte]

Existem vários registros no município e macroregião.[8]

Economia e serviços[editar | editar código-fonte]

O município de Picos apresenta o segundo maior PIB do Estado (dados IBGE 2004), sendo que a região fiscal de Picos arrecada mais que as regiões fiscais de Parnaíba, Floriano e Campo Maior juntas. Perdendo apenas para a região fiscal da Capital Teresina. Na cidade de Picos encontra-se uma das maiores frotas de veículos per capita do país, haja vista que o município possui em média um automóvel para cada três pessoas. São aproximadamente 27.000 veículos motorizados para 76.000 habitantes, dados de 2013.

Atualmente dois shoppings estão em construção na cidade. O Picos Plaza Shopping e o Piauí Shopping.

Educação[editar | editar código-fonte]

Unidade Escolar Des. Vidal de Freitas.

O município de Picos é constituído de uma grande rede de ensino nas redes pública e privada desde o maternal, ensino infantil, fundamental, médio e superior. A rede municipal dispõe 78 escolas, a rede estadual 17 escolas e a rede particular conta com 15 (quinze) escolas, e cinco campus de Ensino Superior.

IFPI - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (Núcleo de Picos).
Ficheiro:C.E.E.P Petrônio Portela.
Centro Estadual de Educação Profissional Petrônio Portela

Faculdades e universidades[editar | editar código-fonte]

UESPI - Universidade Estadual do Piauí - (Em Construção) Situado no Campus Universitário de Picos, bairro Altamira.

UAB- Universidade Aberta do Brasil - (Antiga UESPI) Situado no Campus Universitário de Picos, Bairro Junco.

  • Cursos Integrais: Bacharelado em Administração de Empresas, Bacharelado em Agronomia, Bacharelado em Direito, Licenciatura Plena em Educação Física, Pedagogia, Bacharelado em Ciências Contábeis, Licenciatura Plena em Letras/Português, Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, Licenciatura Plena em Ciências da Computação, Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas e Jornalismo, Bacharelado em Enfermagem.
  • Cursos EAD: Licenciatura Plena em Letras/Espanhol e Bacharelado em Administração Pública.

UFPI - Universidade Federal do Piauí - Situado no Campus Universitário de Picos, bairro Junco.

  • Cursos Integrais: Licenciatura Plena em Letras, Licenciatura Plena em Pedagogia, Licenciatura Plena em História, Licenciatura Plena em Matemática, Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, Bacharelado em Nutrição, Bacharelado em Enfermagem, Bacharelado em Administração e Bacharelado em Sistemas de Informação.

IESRSA - Instituto de Ensino Superior R. Sá - Situado no bairro Altamira, saída para Teresina.

  • Cursos integrais: Bacharelado em Ciência da Comunicação, Bacharelado em Serviço Social, Bacharelado em Comunição Social, Bacharelado em Administração, Pedagogia, Bacharelado em Fisioterapia, Bacharelado em Ciências Contábeis.

IFPI - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (CEFET) - Situado no bairro Pantanal.

  • Cursos integrais: Licenciatura Plena em Física e Licenciatura Plena em Química.

ISEAF - Instituto Superior de Educação Antonino Freire - Situado no bairro Centro, no atual prédio da Escola Normal Oficial de Picos.

  • Curso: Normal Superior.

UNOPAR - Universidade Norte do Paraná (Núcleo de Picos) - Situado no bairro Dner.

  • Cursos: Bacharelado em Administração, Bacharelado em Ciências Contábeis, Licenciatura Plena em História, Licenciatura Plena em Letras e Bacharelado em Serviço Social.
  • Superior de Tecnologia: Análises e Desenvolvimento de Sistemas, Gestão em Recursos Humanos, Gestão Hospitalar, Gestão Pública, Marketing, Processos Gerenciais, Segurança do Trabalho.

Institutos federais de educação e aprendizagem[editar | editar código-fonte]

  • SENAI/FIEPI (Serviço Nacional da Aprendizagem Industrial) - Av. Sen. Helvídio Nunes, S/N - Bairro Paraibinha.
  • SENAC (Serviço Nacional da Aprendizagem Comercial) - Centro José Almir de Sá - Rua Marcos Parente, 570 - Bairro Centro.
  • SESI (Serviço Social da Indústria) - CAIC - Bairro Parque de Exposição.
  • SEST/SENAT (Serviço Social do Transporte / Serviço Nacional da Aprendizagem do Transporte) - Posto e Hotel Nacional - Bairro Junco.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

  • AABB (Associação Atlética Banco do Brasil) - Situado no bairro Catavento.
  • Clube do Professor - Situado no bairro Paraibinha.
  • CRIC (Clube Recreativo das Indústrias Coelho) - Situado no bairro Paraibinha.
  • Clubes no 3º BEC (Clube dos Oficiais, Clube dos Subtenentes e Sargentos e Clube dos Cabos e Soldados) - Dentro do quartel do exército do 3º BEC.
  • Recanto dos Maçons - Povoado Samambaia.
  • Samambaia Campestre Clube - Situado no povoado Samambaia.
  • Sport Center.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município de Picos oferece amplo atendimento na área da saúde, tanto no setor público quanto privado, atendendo a demanda da microrregião em diversas especialidades.

Justiça e segurança[editar | editar código-fonte]

  • Poder Judiciário (1ª, 2ª, 3ª, 4ª Varas, 1 Juizado Especial(com uma sede dois anexos), com um total 4 juízes de direito titulares);
  • Ministério Público: 6 (seis) promotores de justiça; DECOM — Serviço de Defesa do Consumidor;
  • 7 (sete) cartórios, sendo: 4 (quatro) cíveis, 1 (um) criminal e 2 (dois) eleitorais que atende parte da microrregião, *1 Vara Regional do Trabalho, 1 Vara da Justiça Federal e Procuradoria Regional do Trabalho
  • 3 (três) delegacias de polícia;
  • 1 (um) Quartel do Exército Brasileiro — 3º BEC (Batalhão de Engenharia e Construção);
  • 1 (um) Quartel da Polícia Militar, responsáveis pela segurança local;
  • 1 Subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil — OAB.

Esporte[editar | editar código-fonte]

O município é a sede da Sociedade Esportiva Picos, mais conhecida como SEP ou Picos, clube profissional de futebol, que está atualmente na primeira divisão do Campeonato estadual, sendo o atual vice-campeão (temporada de 2008). O time alcançou grande notoriedade estadual na década de 90; quando foi o maior vencedor, conquistando todos os seus 4 títulos de campeão estadual na 1ª divisão. Os títulos foram conquistados nos anos de 1991, 1994, 1997 e 1998. O time ocupa atualmente[quando?] a 148ª posição no Ranking da CBF com 32 pontos.

Picoenses ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • Revista FOCO ed. comemorativa (111 anos de história) - Folha de Picos, 2001.
  • LIMA, Iracilde Maria de Moura Fé. Piauí: tempo e espaço: estudos sociais / Iracilde Maria de Moura Fé Lima, Maria Cecília Silva de Almeida Nunes, Emília Maria de Carvalho Gonçalves Rebêlo. - São Paulo: FTD, (Terceira Edição) 1995.
  • DUARTE, Renato. Picos: os verdes anos cinqüenta / Renato Duarte. - 2. ed. rev. ampl. - Recife: [s.n.], 1995 (Gráf. Ed. Nordeste) 218p.: il.
  • Piauí: Formação - Desenvolvimento - Perspectivas. Organizado por R. N. Monteiro de Santana. Teresina, Halley, 1995 462p.
  • LIMA, José Osvaldo Lavôr de. Poesias e Política - Tela Set Tipografia—Picos-PI, 1990.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Estações de rádios[editar | editar código-fonte]

Consulte abaixo a listagem das rádios que são captadas em Picos:

Emissoras de TV[editar | editar código-fonte]

Consulte abaixo a listagem dos canais de televisão que são captadas em Picos:

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. a b Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2012.
  6. http://www.riachaonet.com.br/novo-filme-da-saga-raizes-do-sertao-sera-lancado-dia-29.html
  7. http://www.portalopovo.com.br/noticia_detalhe.php?id=8168
  8. IPHAN

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Baci-4s.jpg O município possui sítio arqueológico (arte rupestre brasileira) de interesse histórico e turístico!