William Westmoreland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
William Westmoreland
Flag of the United States.svg
Nascimento 26 de março de 1914
Spartanburg County, EUA
Morte 18 de julho de 2005 (91 anos)
Charleston, EUA
Nacionalidade norte-americano
Cargo Comandante-em-chefe das tropas norte-americanas na Guerra do Vietnã (1964-1968)
Serviço militar
Patente General-de-exército

William C. Westmoreland (Spartanburg County, 26 de março de 1914Charleston, 18 de julho de 2005) foi um general do exército dos Estados Unidos, comandante das tropas norte-americanas na Guerra do Vietnã, entre 1964 e 1968.

Início na carreira[editar | editar código-fonte]

Filho de uma família de classe alta do ramo bancário e têxtil, Westmoreland entrou para a Academia Militar de West Point em 1932, formando-se em 1936 como oficial da artilharia e sendo enviado para diversas frentes de combate durante a II Guerra Mundial, alcançando o posto de coronel ainda durante a guerra, que ao seu final o encontrou como chefe de estado-maior de uma divisão de infantaria.

Após comandar um regimento durante a Guerra da Coreia, ele foi promovido a brigadeiro-general e trabalhou por cinco anos no Pentágono. Em 1956, aos 42 anos, se tornou o mais jovem major-general dos Estados Unidos. Em 1960 exerceu o cargo de superintendente de West Point.

Vietnam[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1964, o general Westmoreland assumiu o Comando de Assistência Militar ao Vietnam, que em princípio tinha grande publicidade positiva e simpatia pelo envolvimento logístico dos EUA na guerra. Entretanto, à medida que o tempo passava, o fortalecimento das forças norte-vietnamitas lutando no sul e o endurecimento da resistência, levando a uma guerra aberta, fez com que Westmoreland fosse obrigado a fazer pedidos regulares de envio de mais forças americanas ao país, o que fez com que o número de tropas envolvidas na guerra, 16 mil soldados existentes no Vietnã do Sul quando ele assumiu o comando em 1964, chegassem a 535 mil em 1968, quando ele foi promovido a chefe do estado-maior do exército e deixasse o Vietnam.

Diz um ditado que “sob o comando de Westmoreland, os Estados Unidos ganharam todas as batalhas em que se envolveram até perderem a guerra”. O ponto de virada foi a Ofensiva do Tet em janeiro de 1968, quando as forças comunistas, tendo obrigado Westmoreland a comprometer quase 40% de seus recursos militares tentando levantar o cerco das tropas sitiadas em Khe Sahn, surpreenderam americanos e sul-vietnamitas com uma ofensiva em larga escala por todo o Vietnã do Sul, atacando cidades e vilas e chegando a infiltrar comandos armados na embaixada dos EUA na capital, Saigon.

O general Westmoreland em meio de suas tropas no Vietnã do Sul.

Os norte-americanos e sul-vietnamitas resistiram aos ataques e destruíram toda a ofensiva inimiga causando grandes perdas em vidas e material ao inimigo, mas o fato causou um grande choque na confiança da opinião pública americana no governo e em Westmoreland, que antes afirmava estar a guerra já ganha. Os debates políticos, a reação da mídia e os protestos da população que se seguiram, levaram o presidente Lyndon Johnson a limitar futuros aumentos de tropas americanas na Guerra do Vietnã.

Ele estava convencido de que a maneira de ganhar a guerra rapidamente seria forçar o Vietcong e o Exército do Povo do Vietnam a lutarem uma guerra frontal de atrito, com o uso de grandes unidades de combate, artilharia e enfrentamento aéreo no que os norte-americanos eram superiores, mas os vietnamitas estabeleceram seu próprio ritmo de combate, recorrendo a guerrilhas e evitando combates entre grandes unidades militares, causando o desgaste do exército convencional de Westmoreland.

Ele disse depois sobre o envolvimento dos Estados Unidos no Vietnã:

Nós não perdemos a guerra militarmente. O fato é que nós, como nação, não nos comprometemos totalmente com os sul-vietnamitas como deveríamos ter feito.


Após seu período no comando no Vietnã, ele voltou aos Estados Unidos e exerceu o cargo de chefe de estado-maior do exército até 1972, quando se retirou da vida militar.

Apesar das controvérsias surgidas sob o seu comando nos primeiros quatro anos críticos da Guerra do Vietnã, Westmoreland foi sempre um general popular entre o público e amado por seus soldados. Um de seus grandes momentos de vida foi quando ele liderou uma grande parada em Chicago, 1986, em honra dos veteranos da guerra. Muitos dos homens que ali desfilavam usavam orgulhosamente distintivos onde se lia: "Westy´s Warriors" ("Guerreiros de Westy (Westmoreland)").