Comissão Eleitoral de Unidade Democrática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de CEUD)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Comissão Eleitoral de Unidade Democrática
Fundação 1969
Dissolução 1970
Ideologia Social-democracia
Socialismo democrático
Republicanismo
Anti-ditadura
Pró-democracia
Espectro político Centro-esquerda

A Comissão Eleitoral de Unidade Democrática (CEUD) foi uma formação eleitoral oposicionista que disputou as eleições legislativas de 1969 nos círculos de Lisboa, Porto e Braga (foi rejeitada pelas autoridades portuguesas a candidatura por Moçambique), onde a oposição ao Estado Novo não chegou a acordo para estabelecer listas unitárias, sobretudo em virtude das disputas entre socialistas e comunistas.

Além do grupo político liderado por Mário Soares, a Acção Socialista Portuguesa (ASP), as candidaturas da CEUD incluíam ainda algumas personalidades católicas (como Alçada Baptista e Sophia de Mello Breyner Andresen) e monárquicas (nomeadamente Francisco Sousa Tavares e Gonçalo Ribeiro Telles). A formação da CEUD visava sobretudo destacar perante o país a existência dos socialistas, demarcando-se do Partido Comunista Português (PCP).

Após uma campanha afectada por múltiplas dificuldades levantadas pela Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE) e pelas autoridades oficiais, a CEUD obteve resultados modestos, traduzidos somente em 8673 votos (5,2% do total) obtidos em Lisboa, não conseguindo eleger qualquer deputado para a Assembleia Nacional. Para Mário Soares, o número de votos da CEUD, ultrapassada pela Comissão Democrática Eleitoral (CDE) em Braga e Lisboa, não deixa de ser decepcionante. As legislativas serviram sobretudo para a afirmação do projecto socialista, numa lógica de afastamento do PCP, que apoiava o CDE, e o reforço da notoriedade de Mário Soares, o líder da ASP (que teria de se exilar novamente no ano seguinte).

Fontes e bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • As Eleições de Outubro de 1969. Documentação básica, coordenação de João Palma Ferreira, Lisboa, Publicações Europa-América, 1970.
  • Eleições no Regime Fascista, Mem Martins, Comissão do Livro Negro sobre o Fascismo, 1979.
  • Madeira, João, “As oposições de esquerda e a extrema-esquerda”, in A Transição Falhada. O marcelismo e o fim do Estado Novo (1968-1974), coordenação de Fernando Rosas e Pedro Aires Oliveira, Lisboa, Editorial Notícias, 2004.


Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.