Escolas de samba campeãs da segunda divisão do carnaval do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Escolas de samba campeãs da segunda divisão do carnaval do Rio de Janeiro
Rio de Janeiro- Carnival 2015 2F5A7852.jpg
Bateria da Estácio de Sá no desfile de 2015, quando a agremiação venceu a Série A. A Estácio é a escola com mais títulos na segunda divisão do carnaval carioca.
Atual campeã
2019 Estácio de Sá
Maiores campeãs
Farm-Fresh cup gold.png Estácio de Sá
8 Títulos
Farm-Fresh cup silver.png Acadêmicos de Santa Cruz
5 Títulos
Nomenclatura e organização
1952—1961 "Desfile Intermediário" ou "Campeonato", organizado pela AESB
1962—1978 "Grupo 2", organizado pela AESEG
1979—1986 "Grupo 1-B", organizado pela AESCRJ
1987—1989 "Grupo 2", organizado pela AESCRJ
1990—1994 "Grupo A", organizado pela AESCRJ
1995 "Grupo A", organizado pela LIESGA
1996—2008 "Grupo A", organizado pela AESCRJ
2009—2012 "Grupo A", organizado pela LESGA
2013—presente "Série A", organizada pela LIERJ

A lista de escolas de samba campeãs da segunda divisão do carnaval do Rio de Janeiro relaciona as agremiações vencedoras de cada ano dos desfiles da segunda divisão do carnaval carioca. O Desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro é a parada carnavalesca que acontece anualmente no período de carnaval. Um determinado número de agremiações disputa o título de campeã do carnaval através de avaliações feitas por jurados divididos em diversos quesitos previamente estipulados pela liga organizadora do evento. A campeã é promovida a desfilar, no ano seguinte, na primeira divisão. Assim como a última colocada do primeiro grupo é rebaixada a desfilar no segundo grupo no ano seguinte. Ao longo dos anos, a segunda divisão do carnaval carioca teve várias nomenclaturas, passando pela organização de diversas entidades carnavalescas.

O desfile competitivo foi idealizado pelo jornalista pernambucano Mário Filho, irmão do dramaturgo Nelson Rodrigues, através do seu periódico, Mundo Sportivo. O primeiro concurso ocorreu no carnaval de 1932.[1][2][3] Devido ao número crescente de escolas escritas para o desfile, foi criada, em 1952, a segunda divisão do carnaval. No grupo 1, denominado "Supercampeonato", inscreviam-se escolas com o mínimo de trezentos componentes. No grupo 2, denominado "Campeonato", o mínimo de componentes exigido era cem. Com o passar dos anos, o número de componentes subiu, chegando aos milhares. A nomenclatura dos grupos e as entidades organizadoras dos desfiles também foram alteradas diversas vezes.[4]

Em suas primeiras décadas, o "Campeonato" da segunda divisão foi organizado pela Associação das Escolas de Samba do Brasil (AESB), depois renomeada para Associação das Escolas de Samba do Estado da Guanabara (AESEG) e, finalmente, para Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro (AESCRJ). A partir de 1962, a segunda divisão passou a se chamar "Grupo 2". Em 1979 foi renomeada para Grupo 1-B; em 1987 voltou a se chamar Grupo 2; e em 1990 foi renomeada para Grupo A. Após discordâncias com o resultado do desfile de 1994, um grupo de agremiações decidiu fundar a Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo de Acesso (LIESGA), que organizou o desfile do Grupo A de 1995. No ano seguinte, o comando da segunda divisão retornou para a AESCRJ, que comandou o grupo até 2008. Em 15 de julho de 2008, sete presidentes de agremiações do Grupo de Acesso A decidiram fundar a Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso (LESGA), que comandou a segunda divisão do carnaval carioca até o ano de 2012, quando a Riotur deixou de reconhecer a legitimidade da entidade. O carnaval de 2012 foi cercado de polêmicas. A LESGA não rebaixou as duas últimas escolas de samba classificadas no desfile do ano, o que caracterizou quebra de contrato com a Riotur. Além disso, o resultado da apuração foi contestado. O fato de seis jurados não terem distribuído notas para algumas escolas, e a escola campeã ser presidida pelo presidente da liga aumentaram as polêmicas.[5] Para o carnaval de 2013, a segunda divisão teve diversas alterações. A LESGA passou a se chamar Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (LIERJ). Um novo presidente foi eleito para a agremiação. Também ficou decidido que os desfiles seriam divididos em dois dias (sexta-feira e sábado). Anteriormente, todas as escolas desfilavam no sábado. A nomenclatura da segunda divisão foi alterada para Série A.[6]

Trinta e sete escolas diferentes já conquistaram, uma ou mais vezes, o título de campeã da segunda divisão do carnaval carioca. A Estácio de Sá é a maior vencedora, com oito campeonatos conquistados. Sílvio Cunha é o carnavalesco com mais títulos na segunda divisão, tendo ganho cinco vezes. Joãosinho Trinta, Renato Lage, Max Lopes e Paulo Barros também já conquistaram títulos no grupo.

Campeãs por ano[editar | editar código-fonte]

Ao longo dos anos, a segunda divisão do carnaval carioca teve várias nomenclaturas e foi organizada por diversas entidades carnavalescas. Abaixo, a listagem de escolas campeãs e vice-campeãs em cada ano na segunda divisão do carnaval do Rio de Janeiro.

Legenda:  *  Sem informação disponível  †  Escola extinta
Campeonato
Ano Escola campeã N.º Enredo Carnavalesco(a) Escola vice-campeã Ref.
1952 Unidos do Indaiá 1 Regresso da Primavera * Cada Ano Sai Melhor [7][8]
1953 Acadêmicos do Engenho da Rainha 1 Glória à Música Brasileira * Independentes do Rio † [9][10]
1954 Beija-Flor 1 O Caçador de Esmeraldas Cabana Caprichosos de Pilares [11][12]
1955
[nota 1]
Corações Unidos de Jacarepaguá 1 Primavera * Unidos de Bento Ribeiro † [13][14]
Paz e Amor † 1 O Guarani *
1956
[nota 2]
Flor do Lins 1 Exaltação à Princesa Isabel * Unidos de Vila Isabel [15][16]
União do Centenário 1 Palheta no Brasil *
1957 Unidos de Bangu 1 Homenagem à Aviação Brasileira Maza Tupy de Brás de Pina [17][18]
1958 Mocidade Independente de Padre Miguel 1 Apoteose ao Samba Ari de Lima Unidos do Salgueiro † [19][20]
1959 Unidos de Padre Miguel 1 Lampião Valter Monteiro Aprendizes da Boca do Mato [21][22]
1960 Caprichosos de Pilares 1 Invasão Holandesa na Bahia * Acadêmicos de Bento Ribeiro † [23][24]
1961 Unidos do Cabuçu 1 Rio, Ontem e Hoje ou Relíquias do Rio Antigo * Tupy de Brás de Pina [25][26]
Grupo 2
Ano Escola campeã N.º Enredo Carnavalesco(a) Escola vice-campeã Ref.
1962 Unidos de Bangu 2 Fragata de D. Afonso Darcy de Jesus Beija-Flor [27][28]
1963 Unidos da Capela 1 * * Unidos de Padre Miguel [29][30]
1964 Império da Tijuca 1 O Esplendor do Rio de Janeiro Imperial João Quadrado e Mário Pereira Imperatriz Leopoldinense [31][32]
1965 Acadêmicos de Santa Cruz 1 Rio, Um Fato em cada Século ou Rio, Quatro Séculos de Glórias Abílio Correia de Souza Unidos de Vila Isabel [33][34]
1966 São Clemente 1 Apoteose ao Folclore Brasileiro Ivo Rocha Gomes Imperatriz Leopoldinense [35][36]
1967 Unidos de São Carlos (Estácio de Sá) 1 Lendas e Costumes do Brasil José Coelho Independentes do Leblon [37][38]
1968 Em Cima da Hora 1 Anita Garibaldi, Amor e Revolução Ney Roriz Imperatriz Leopoldinense [39][40]
1969 Acadêmicos de Santa Cruz 2 O Rio dos Vice-Reis Wilson Paixão e Abílio Correia de Souza Unidos do Jacarezinho [41][42]
1970 Império da Tijuca 2 Segredos e Encantos da Bahia Jorge Melodia e Chicão Unidos de Padre Miguel [43][44]
1971 Em Cima da Hora 2 Este Rio que Eu Amo Sebastião Souza de Oliveira Unidos de Lucas [45][46]
1972 Tupy de Brás de Pina 1 Chiquinha Gonzaga, Alma Cantante do Brasil Jairo de Souza Unidos do Jacarezinho [47][48]
1973 Unidos de São Carlos (Estácio de Sá) 2 Trá, Lá, Lá, Um Hino ao Carnaval Brasileiro de Lamartine Babo Walter Belisário Beija-Flor [49][50]
1974 União da Ilha do Governador 1 Lendas e Festas das Yabás Mário Barcellos Unidos de Lucas [51][52]
1975 Lins Imperial 1 Dona Flor e Seus Dois Maridos José Félix Tupy de Brás de Pina [53][54]
1976 Império da Tijuca 3 Guerreiros das Alagoas Joãosinho Trinta Unidos do Cabuçu [55][56]
1977 Arrastão de Cascadura 1 Um Talismã para Iaiá Luiz Fernandes e Ricardo Aquino Arranco [57][58][59]
1978 Unidos de São Carlos (Estácio de Sá) 3 Céu de Orestes no Chão de Estrelas Comissão de Carnaval Imperatriz Leopoldinense [60][61][62]
Grupo 1-B
Ano Escola campeã N.º Enredo Carnavalesco(a) Escola vice-campeã Ref.
1979 Unidos de Vila Isabel 1 Os Dourados Anos de Carlos Machado Fernando Costa e Sílvio Cunha Império Serrano [63][64][65]
1980 Unidos da Tijuca 1 Delmiro Gouveia Renato Lage Arranco [66][67][68]
1981 Unidos de São Carlos (Estácio de Sá) 4 Quem Diria, da Monarquia à Boemia ao Esplendor da Praça Tiradentes Ney Ayan e Gil Costa Império da Tijuca [69][70][71]
1982 Caprichosos de Pilares 2 Moça Bonita Não Paga Luiz Fernando Reis Unidos da Ponte [72][73][74]
1983 Unidos de São Carlos (Estácio de Sá) 5 Orfeu do Carnaval Sílvio Cunha Império da Tijuca [75][76][77]
1984 Unidos do Cabuçu 2 Beth Carvalho, a Enamorada do Samba Sidelson Acadêmicos de Santa Cruz [78][79][80]
1985 Unidos da Ponte 1 Dez, Nota Dez Geraldo Cavalcanti Unidos da Tijuca [81][82][83]
1986 Unidos do Jacarezinho 1 Candeia, Luz de Inspiração Flávio Tavares São Clemente [84][85][86]
Grupo 2
Ano Escola campeã N.º Enredo Carnavalesco(a) Escola vice-campeã Ref.
1987 Unidos da Tijuca 2 As Três Faces da Moeda Sílvio Cunha Tradição [87][88][89]
1988 Arranco 1 Pra Ver a Banda Passar Carlinhos de Andrade, Roberto Costa e César Azevedo Unidos do Jacarezinho [90][91][92]
1989 Acadêmicos de Santa Cruz 3 Stanislaw, Uma História Sem Final José Félix Lins Imperial [93][94][95]
Grupo A
Ano Escola campeã N.º Enredo Carnavalesco(a) Escola vice-campeã Ref.
1990 Unidos do Viradouro 1 Só Vale o Escrito Max Lopes Acadêmicos do Grande Rio [96][97][98]
1991 Tradição 1 De Geração à Geração nas Asas da Tradição Jorge Luiz Vilela Leão de Nova Iguaçu [99][100][101]
1992 Acadêmicos do Grande Rio 1 Águas Claras Para Um Rei Negro Lucas Pinto e Sônia Regina Unidos da Ponte [102][103][104]
1993 Tradição 2 Não Me Leve a Mal, Hoje É Carnaval Lícia Lacerda Império Serrano [105][106][107]
1994 Unidos da Villa Rica 1 Copacabana, Meu Amor Antônio Sérgio e Maria José (Zezé) São Clemente [108][109][110]
1995 Unidos do Porto da Pedra 1 Campo Cidade - Em Busca da Felicidade Mauro Quintaes Império da Tijuca [111][112][113]
1996 Acadêmicos de Santa Cruz 4 Ribalta - Luz, Sonho e Ilusão Albeci Pereira Acadêmicos da Rocinha [114][115][116]
1997 Tradição 3 Os Balangandãs Orlando Júnior Caprichosos de Pilares [117][118][119]
1998 Império Serrano 1 Sou o Ouro Negro da Mãe África João Luís de Moura São Clemente [120][121][122]
1999 Unidos da Tijuca 3 O Dono da Terra Oswaldo Jardim Unidos do Porto da Pedra [123][124][125]
2000 Império Serrano 2 Os Canhões de Guararapes Sílvio Cunha Paraíso do Tuiuti [126][127][128]
2001 Unidos do Porto da Pedra 2 Um Sonho Possível: Crescer e Viver! Agora É Lei! Cahê Rodrigues São Clemente [129][130][131]
2002 Acadêmicos de Santa Cruz 5 Papel: Das Origens à Folia - História, Arte e Magia Fernando Alvarez Unidos de Vila Isabel [132][133][134]
2003 São Clemente 2 Mangaratiba, Uma História de Lutas Para Todos que Amam a Terra e a Liberdade Lane Santana União da Ilha do Governador [135][136][137]
2004 Unidos de Vila Isabel 2 A Vila é Para Ti... João Luís de Moura Acadêmicos de Santa Cruz [138][139][140]
2005 Acadêmicos da Rocinha 1 Um Mundo Sem Fronteiras Alex de Souza União da Ilha do Governador [141][142][143]
2006 Estácio de Sá 6 Quem É Você? Paulo Barros, Sandro Carvalho e Edgley Cunha São Clemente [144][145][146]
2007 São Clemente 3 Barrados no Baile Edward Moraes e Fábio Santos Caprichosos de Pilares [147][148][149]
2008 Império Serrano 3 Taí, Eu Fiz Tudo pra Você Gostar de Mim Renato Lage e Márcia Lage Acadêmicos da Rocinha [150][151][152]
2009 União da Ilha do Governador 2 Viajar é Preciso - Viagens Extraordinárias Através de Mundos Conhecidos e Desconhecidos Jack Vasconcelos Renascer de Jacarepaguá [153][154][155]
2010 São Clemente 4 Choque de Ordem na Folia Mauro Quintaes Inocentes de Belford Roxo [156][157][158]
2011 Renascer de Jacarepaguá 1 Águas de Março Edson Pereira e Paulo Barros Unidos do Viradouro [159][160][161]
2012 Inocentes de Belford Roxo 1 Corumbá - Ópera Tupi Guaikuru Wagner Gonçalves Império Serrano [162][163][164]
Série A
Ano Escola campeã Enredo Carnavalesco(a) Escola vice-campeã Ref.
2013 Império da Tijuca 4 Negra, Pérola Mulher Júnior Pernambucano Unidos do Viradouro [165][166][167]
2014 Unidos do Viradouro 2 Sou a Terra de Ismael. ‘Guanabaran’ Eu Vou Cruzar... Pra Você Tiro o Chapéu, Rio Eu Vim Te Abraçar João Vitor Araújo Estácio de Sá [168][169][170]
2015 Estácio de Sá 7 De Braços Abertos, de Janeiro a Janeiro. Sorrio, Sou Rio, Sou Estácio de Sá! Amauri Santos e Tarcisio Zanon Unidos de Padre Miguel [171][172][173]
2016 Paraíso do Tuiuti 1 A Farra do Boi Jack Vasconcelos Unidos de Padre Miguel [174][175][176]
2017 Império Serrano 4 Meu Quintal É Maior do que o Mundo Marcus Ferreira Unidos do Viradouro [177][178][179]
2018 Unidos do Viradouro 3 Vira a Cabeça, Pira o Coração - Loucos Gênios da Criação Edson Pereira Unidos de Padre Miguel [180][181][182]
2019 Estácio de Sá 8 A Fé que Emerge das Águas Tarcisio Zanon Acadêmicos do Cubango [183][184]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Campeonatos por escola[editar | editar código-fonte]

Abaixo, a lista de títulos conquistados por cada escola. Ao todo, 37 escolas diferentes já venceram a segunda divisão do carnaval carioca. Estácio de Sá é a escola que mais vezes venceu, com oito conquistas.

Bandeira da Estácio de Sá, a escola com mais títulos de campeã da segunda divisão do carnaval carioca.
O carnavalesco Renato Lage tem dois títulos de campeão da segunda divisão.
Paulo Barros tem dois campeonatos no segundo grupo.
Mauro Quintaes venceu a segunda divisão do carnaval carioca por duas vezes.
Legenda:  †  Escola extinta
Títulos Escola de samba Anos
8 Estácio de Sá 1967, 1973, 1978, 1981, 1983, 2006, 2015 e 2019
5 Acadêmicos de Santa Cruz 1965, 1969, 1989, 1996 e 2002
4 Império da Tijuca 1964, 1970, 1976 e 2013
Império Serrano 1998, 2000, 2008 e 2017
São Clemente 1966, 2003, 2007 e 2010
3 Tradição 1991, 1993 e 1997
Unidos da Tijuca 1980, 1987 e 1999
Unidos do Viradouro 1990, 2014 e 2018
2 Caprichosos de Pilares 1960 e 1982
Em Cima da Hora 1968 e 1971
União da Ilha do Governador 1974 e 2009
Unidos de Bangu 1957 e 1962
Unidos de Vila Isabel 1979 e 2004
Unidos do Cabuçu 1961 e 1984
Unidos do Porto da Pedra 1995 e 2001
1 Acadêmicos da Rocinha 2005
Acadêmicos do Engenho da Rainha 1953
Acadêmicos do Grande Rio 1992
Arranco 1988
Arrastão de Cascadura 1977
Beija-Flor 1954
Corações Unidos de Jacarepaguá 1955
Flor do Lins 1956
Inocentes de Belford Roxo 2012
Lins Imperial 1975
Mocidade Independente de Padre Miguel 1958
Paraíso do Tuiuti 2016
Paz e Amor † 1955
Renascer de Jacarepaguá 2011
Tupy de Brás de Pina 1972
União do Centenário † 1956
Unidos da Capela 1963
Unidos da Ponte 1985
Unidos da Villa Rica 1994
Unidos de Padre Miguel 1959
Unidos do Indaiá 1952
Unidos do Jacarezinho 1986

Vice-campeonatos por escola[editar | editar código-fonte]

Abaixo, a relação de vice-campeonatos que cada escola possui.

Vices Escola de samba / (ano)
5 São Clemente (1986, 1994, 1998, 2001 e 2006) e Unidos de Padre Miguel (1963, 1970, 2015, 2016 e 2018)
4 Imperatriz Leopoldinense (1964, 1966, 1968 e 1978)
3 Caprichosos de Pilares (1954, 1997 e 2007); Império da Tijuca (1981, 1983 e 1995); Império Serrano (1979, 1993 e 2012); Tupy de Brás de Pina (1957, 1961 e 1975); Unidos de Vila Isabel (1956, 1965 e 2002); Unidos do Jacarezinho (1969, 1972 e 1988); e Unidos do Viradouro (2011, 2013 e 2017)
2 Acadêmicos da Rocinha (1996 e 2008); Acadêmicos de Santa Cruz (1984 e 2004); Arranco (1977 e 1980); Beija-Flor (1962 e 1973); União da Ilha do Governador (2003 e 2005); Unidos da Ponte (1982 e 1992); e Unidos de Lucas (1971 e 1974)
1 Acadêmicos de Bento Ribeiro (1960); Acadêmicos do Cubango (2019); Acadêmicos do Grande Rio (1990); Aprendizes da Boca do Mato (1959); Cada Ano Sai Melhor (1952); Independentes do Leblon (1967); Independentes do Rio (1953); Estácio de Sá (2014); Inocentes de Belford Roxo (2010); Leão de Nova Iguaçu (1991); Lins Imperial (1989); Paraíso do Tuiuti (2000); Renascer de Jacarepaguá (2009); Tradição (1987); Unidos da Tijuca (1985); Unidos de Bento Ribeiro (1955); Unidos do Cabuçu (1976); Unidos do Porto da Pedra (1999); e Unidos do Salgueiro (1958)

Vice-campeonatos consecutivos[editar | editar código-fonte]

Unidos de Padre Miguel é a única escola a conquistar dois vice-campeonatos consecutivos na segunda divisão.

Vices Escola de samba Anos
2 Unidos de Padre Miguel 2015 e 2016

Títulos por carnavalesco(a)[editar | editar código-fonte]

Abaixo, a listagem de títulos conquistados por cada carnavalesco. Mais de sessenta profissionais já venceram a segunda divisão do carnaval carioca, seja em trabalhos individuais, em dupla ou participando de comissões. Sílvio Cunha é o maior vencedor da segunda divisão com cinco títulos conquistados.

Títulos Carnavalesco / (ano)
5 Sílvio Cunha (1979, 1983, 1987, 2000 e 2006)
2 Abílio Correia de Souza (1965 e 1969); Edson Pereira (2011 e 2018); Jack Vasconcelos (2009 e 2016); João Luís de Moura (1998 e 2004); José Félix (1975 e 1989); Mauro Quintaes (1995 e 2010); Paulo Barros (2006 e 2011); Renato Lage (1980 e 2008); e Tarcísio Zanon (2015 e 2019)
1 Albeci Pereira (1996); Alex de Souza (2005); Amauri Santos (2015); Antônio Sérgio (1994); Ari de Lima (1958); Cabana (1954); Cahê Rodrigues (2001); Carlinhos de Andrade (1988); César Azevedo (1988); Chicão (1970); Darcy de Jesus (1962); Edward Moraes (2007); Fábio Santos (2007); Fernando Alvarez (2002); Fernando Costa (1979); Flávio Tavares (1986); Geraldo Cavalcanti (1985); Gil Costa (1981); Ivo Rocha Gomes (1966); Jairo de Souza (1972); João Quadrado (1964); João Vitor Araújo (2014); Joãosinho Trinta (1976); Jorge Luiz Vilela (1991); Jorge Melodia (1970); José Coelho (1967); Junior Pernambucano (2013); Lane Santana (2003); Lícia Lacerda (1993); Lucas Pinto (1992); Luiz Fernandes (1977); Luiz Fernando Reis (1982); Márcia Lage (2008); Marcus Ferreira (2017); Maria José "Zezé" (1994); Mário Barcellos (1974); Mário Pereira (1964); Max Lopes (1990); Maza (1957); Ney Ayan (1981); Ney Roriz (1968); Orlando Júnior (1997); Oswaldo Jardim (1999); Ricardo Aquino (1977); Roberto Costa (1988); Sandro Carvalho (2006); Sebastião Souza de Oliveira (1971); Sônia Regina (1992); Sidelson (1984); Valter Monteiro (1959); Wagner Gonçalves (2012); Walter Belisário (1973); e Wilson Paixão (1969)

Carnavalescos(as) campeões em escolas diferentes[editar | editar código-fonte]

Abaixo, a lista de carnavalescos que conquistaram mais de um título em escolas diferentes.

Jack Vasconcelos foi campeão em 2009 pela União da Ilha do Governador e em 2016 pela Paraíso do Tuiuti.
Carnavalesco Quantidade Escolas em que venceu
Sílvio Cunha 4 escolas Estácio de Sá, Império Serrano, Unidos da Tijuca e Unidos de Vila Isabel
Edson Pereira 2 escolas Renascer de Jacarepaguá e Unidos do Viradouro
Jack Vasconcelos Paraíso do Tuiuti e União da Ilha do Governador
João Luís de Moura Império Serrano e Unidos de Vila Isabel
José Félix Acadêmicos de Santa Cruz e Lins Imperial
Mauro Quintaes São Clemente e Unidos do Porto da Pedra
Paulo Barros Estácio de Sá e Renascer de Jacarepaguá
Renato Lage Império Serrano e Unidos da Tijuca

Notas

  1. Corações Unidos de Jacarepaguá e Paz e Amor empataram em primeiro lugar.
  2. Flor do Lins e União do Centenário empataram em primeiro lugar.

Referências

  1. «A história dos desfiles das escolas de samba». Portal MultiRio. Consultado em 22 de julho de 2017 
  2. «Mario Filho: futebol, carnaval e construção da alma carioca». Portal MultiRio. Consultado em 22 de julho de 2017 
  3. «Mário Filho inventou o desfile das escolas de samba pra encher páginas de jornal». Extra Online. Consultado em 22 de julho de 2017 
  4. «Desfiles de 1952». Site Academia do Samba. Consultado em 7 de janeiro de 2018 
  5. Carnavalesco. «Riotur não reconhece mais legitimidade da Lesga». Consultado em 23 de fevereiro de 2012 
  6. Rodrigo Coutinho – Carnavalesco (28 de agosto de 2012). «Lierj decide que Série A é o novo nome do Grupo de Acesso». 22:48. Consultado em 29 de agosto de 2012 
  7. «Resultado 1952». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  8. «Resultado 1952». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  9. «Resultado 1953». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  10. «Resultado 1953». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  11. «Resultado 1954». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  12. «Resultado 1954». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  13. «Resultado 1955». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  14. «Resultado 1955». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  15. «Resultado 1956». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  16. «Resultado 1956». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  17. «Resultado 1957». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  18. «Resultado 1957». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  19. «Resultado 1958». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  20. «Resultado 1958». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  21. «Resultado 1959». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  22. «Resultado 1959». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  23. «Resultado 1960». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  24. «Resultado 1960». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  25. «Resultado 1961». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  26. «Resultado 1961». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  27. «Resultado 1962». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  28. «Resultado 1962». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  29. «Resultado 1963». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  30. «Resultado 1963». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  31. «Resultado 1964». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  32. «Resultado 1964». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  33. «Resultado 1965». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  34. «Resultado 1965». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  35. «Resultado 1966». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  36. «Resultado 1966». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  37. «Resultado 1967». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  38. «Resultado 1967». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  39. «Resultado 1968». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  40. «Resultado 1968». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  41. «Resultado 1969». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  42. «Resultado 1969». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  43. «Resultado 1970». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  44. «Resultado 1970». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  45. «Resultado 1971». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  46. «Resultado 1971». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  47. «Resultado 1972». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  48. «Resultado 1972». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  49. «Resultado 1973». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  50. «Resultado 1973». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  51. «Resultado 1974». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  52. «Resultado 1974». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  53. «Resultado 1975». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  54. «Resultado 1975». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  55. «Resultado 1976». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  56. «Resultado 1976». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  57. «Resultado 1977». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  58. «Resultado 1977». Site Apoteose. Consultado em 18 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de abril de 2018 
  59. «Resultado 1977». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  60. «Resultado 1978». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  61. «Resultado 1978». Site Apoteose. Consultado em 18 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de abril de 2018 
  62. «Resultado 1978». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  63. «Resultado 1979». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  64. «Resultado 1979». Site Apoteose. Consultado em 18 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de abril de 2018 
  65. «Resultado 1979». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  66. «Resultado 1980». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  67. «Resultado 1980». Site Apoteose. Consultado em 18 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  68. «Resultado 1980». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  69. «Resultado 1981». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  70. «Resultado 1981». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  71. «Resultado 1981». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  72. «Resultado 1982». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  73. «Resultado 1982». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  74. «Resultado 1982». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  75. «Resultado 1983». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  76. «Resultado 1983». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  77. «Resultado 1983». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  78. «Resultado 1984». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  79. «Resultado 1984». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  80. «Resultado 1984». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  81. «Resultado 1985». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  82. «Resultado 1985». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  83. «Resultado 1985». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  84. «Resultado 1986». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  85. «Resultado 1986». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  86. «Resultado 1986». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  87. «Resultado 1987». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  88. «Resultado 1987». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  89. «Resultado 1987». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  90. «Resultado 1988». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  91. «Resultado 1988». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  92. «Resultado 1988». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  93. «Resultado 1989». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  94. «Resultado 1989». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  95. «Resultado 1989». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  96. «Resultado 1990». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  97. «Resultado 1990». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  98. «Resultado 1990». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  99. «Resultado 1991». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  100. «Resultado 1991». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  101. «Resultado 1991». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  102. «Resultado 1992». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  103. «Resultado 1992». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  104. «Resultado 1992». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  105. «Resultado 1993». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  106. «Resultado 1993». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  107. «Resultado 1993». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  108. «Resultado 1994». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  109. «Resultado 1994». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  110. «Resultado 1994». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  111. «Resultado 1995». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  112. «Resultado 1995». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  113. «Resultado 1995». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  114. «Resultado 1996». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  115. «Resultado 1996». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  116. «Resultado 1996». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  117. «Resultado 1997». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  118. «Resultado 1997». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  119. «Resultado 1997». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  120. «Resultado 1998». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  121. «Resultado 1998». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  122. «Resultado 1998». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  123. «Resultado 1999». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  124. «Resultado 1999». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  125. «Resultado 1999». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  126. «Resultado 2000». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  127. «Resultado 2000». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  128. «Resultado 2000». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  129. «Resultado 2001». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  130. «Resultado 2001». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  131. «Resultado 2001». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  132. «Resultado 2002». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  133. «Resultado 2002». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  134. «Resultado 2002». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  135. «Resultado 2003». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  136. «Resultado 2003». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  137. «Resultado 2003». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  138. «Resultado 2004». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  139. «Resultado 2004». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  140. «Resultado 2004». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  141. «Resultado 2005». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  142. «Resultado 2005». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  143. «Resultado 2005». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  144. «Resultado 2006». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  145. «Resultado 2006». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  146. «Resultado 2006». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  147. «Resultado 2007». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  148. «Resultado 2007». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  149. «Resultado 2007». Site Sambario Carnaval. Consultado em 29 de abril de 2018. Cópia arquivada em 18 de março de 2017 
  150. «Carmem Miranda dá sorte ao Império Serrano». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 30 de julho de 2017 
  151. «Resultado 2008». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  152. «Resultado 2008». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  153. «União da Ilha é campeã do Grupo de Acesso A do Rio». Portal G1. Consultado em 3 de junho de 2018. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2016 
  154. «Resultado 2009». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  155. «Resultado 2009». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  156. «São Clemente conquista o título e volta para o Grupo Especial em 2011». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2012 
  157. «Resultado 2010». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  158. «Resultado 2010». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  159. «Renascer de Jacarepaguá vence no Grupo de Acesso A». Portal G1. Consultado em 16 de junho de 2018. Cópia arquivada em 15 de outubro de 2012 
  160. «Resultado 2011». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  161. «Resultado 2011». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  162. «Inocentes de Belford Roxo vence Acesso e estreia no Especial em 2013». Portal G1. Consultado em 1 de junho de 2018. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2017 
  163. «Resultado 2012». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  164. «Resultado 2012». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  165. «Império da Tijuca homenageia mulher negra é a campeã da Série A no Rio». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 3 de julho de 2017 
  166. «Resultado 2013». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  167. «Resultado 2013». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  168. «Viradouro é campeã da Série A do carnaval do Rio de Janeiro». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  169. «Resultado 2014». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  170. «Resultado 2014». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  171. «Estácio de Sá volta à elite do carnaval do Rio com enredo sobre os 450 anos». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 19 de julho de 2017 
  172. «Resultado 2015». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  173. «Resultado 2015». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  174. «Paraíso do Tuiuti é campeã da série A do Carnaval do Rio de Janeiro». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2016 
  175. «Resultado 2016». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  176. «Resultado 2016». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  177. «Império Serrano é campeão da Série A e volta à elite do carnaval em 2018». Portal G1. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2018 
  178. «Resultado 2017». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  179. «Resultado 2017». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  180. «Viradouro é campeã do carnaval da Série A e volta ao Grupo Especial». O Globo. Consultado em 6 de maio de 2018. Cópia arquivada em 3 de maio de 2018 
  181. «Resultado 2018». Site Galeria do Samba. Consultado em 17 de abril de 2018. Arquivado do original em 17 de abril de 2018 
  182. «Resultado 2018». Site Sambario Carnaval. Consultado em 23 de abril de 2018. Cópia arquivada em 23 de abril de 2018 
  183. «Com enredo Cristo Negro, Estácio de Sá é campeã e volta ao Grupo Especial». Site UOL. Consultado em 21 de abril de 2019. Cópia arquivada em 21 de abril de 2019 
  184. «Resultado 2019». Site Sambario Carnaval. Consultado em 20 de abril de 2019. Cópia arquivada em 20 de abril de 2019 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carnaval do Rio de Janeiro

Ligações externas[editar | editar código-fonte]