Unidos do Cabuçu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Unidos do Cabuçu
Bandeira da SERES Unidos do Cabuçu.png
Fundação 28 de dezembro de 1945 (75 anos)
Cores
Símbolo Leões e Estrela
Bairro Engenho Novo
Presidente Marcelo Rodrigues
Desfile de 2020
Enredo " A Cabuçu Canta para subir no Centenário de Bangbalá"

Sociedade Esportiva Recreativa Escola de Samba Unidos do Cabuçu é uma escola de samba da cidade do Rio de Janeiro, fundada a 28 de dezembro de 1945.[1][2]

Seu nome é uma homenagem à rua onde sua sede se situava, a Rua Cabuçu, no Lins de Vasconcelos, não devendo a escola ser confundida com o bairro de Cabuçu, em Nova Iguaçu.

História[editar | editar código-fonte]

Desfile da Unidos do Cabuçu de 1972. Arquivo Nacional.

A história da escola conta que, no Morro do Amor, segundo Hiram Araújo, no livro "Carnaval - Seis Mil Anos de História", existia um clube de futebol com o nome Nacional Futebol Clube, com sede na Rua Dona Francisca, com as cores azul e branca. Na época do carnaval, este clube se transformava em bloco carnavalesco, e daí partiu a ideia de transformar o bloco em escola. As comunidades que participam da escola são as do Morro do Barro Vermelho, da Favela do Barro Preto e do Amor, localizadas na região que compreende os bairros de Engenho Novo, Lins e Méier.

Babaú teve a ideia de juntar os blocos e fundar no dia 28 de dezembro de 1945 a escola de samba Unidos do Cabuçu, que já no ano de 1946 desfilou com o enredo "Carnaval na Fazenda", de autoria do próprio Babaú. O primeiro desfile oficial da Cabuçu foi em 1947, na Praça 11, com enredo e samba de Babaú - "Compositor Desprezado". Waldomiro Rocha (Babaú), Orlando Vicente Ribeiro, Jairo Marques da Silva, Izalte Francisco de Oliveira, Jorge Alves, Wanderley Alves, João Taul Silva, e outros, são os fundadores.

De 1950 até 1960 desfilou na Candelária, em 1961 a escola ganhou o Segundo Grupo com o enredo "Relíquias do Rio Antigo". Retorna ao Primeiro Grupo em 1977 com o enredo "Os Sete Povos das Missões". No ano de 1982 é eleita a jornalista Therezinha Monte como sua primeira presidente que entre suas glórias tem a conquista do Primeiro Campeonato da Passarela do Samba - 1984, com o enredo "Beth Carvalho - A Enamorada do Brasil".[3] A escola permaneceu no Grupo Especial por seis anos consecutivos, entre 1985 e 1990.

Desfile da Unidos do Cabuçu de 1972. Arquivo Nacional.

Nessa época passou a ser conhecida como a escola das homenagens. Entre as personalidades que serviram de inspiração a enredos da escola, destacou-se: Beth Carvalho, Roberto Carlos, Milton Nascimento, Xuxa, Adolpho Bloch, Mauricio de Sousa dentre outros.

Em 31 de maio de 1998, foi eleita para sua presidência a Dra. Elisabeth Rodrigues, que desde 1992 comanda na azul e branco do bairro do Engenho Novo a Ala do Axé e que em 1993 fundou a escola mirim "Miúda da Cabuçu".

Após amargar o rebaixamento no carnaval de 2004, a escola não conseguiu ainda voltar ao antigo Grupo de acesso B. Em 2009, ficou em 7° lugar com o enredo Experiência mística, permanecendo no mesmo grupo para 2010, onde terminou na 4º colocação.

Para 2011, depois de homenagear o rei Roberto Carlos em 1987, homenagearia sua mãe Lady Laura, com o enredo Lady Laura a Cabuçu conta a sua história,[4][5] mas no decorrer do ano desistiu do tema[6] e apresentou o novo enredo A Cabuçu mexe e remexe através dos tempos, cujo samba-enredo já foi escolhido devido aos compositores não concordarem com a verba disponível.

Em 2012, a escola retomou sua linha de enredos em homenagens a personalidades do mundo das artes e escolheu Elza Soares para tentar voltar à Sapucaí. Além disso, tem como novo presidente Carlos Alberto Vieira, que trouxe o veterano Mestre Mug como seu novo diretor de bateria.[7]

Em 2013, foi campeã do Grupo C. Foi vice-campeã em 2014, num desfile com temática anti-racista, e em 2015, quando apresentou Nossa Senhora Aparecida como tema de seu desfile, obteve apenas a 12ª colocação.

No carnaval de 2016, a escola abordou em seu enredo seus 70 anos de história.

Em 2020, homenageou o centenário ogã Bangbala.[8]

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Therezinha Monte 1982-1998 [9]
Elizabeth Pires Rodrigues 1999-2000 [9]
José Carlos "Feijão" 2004 [9]
Valdir Merchioro 2008-2011 [9]
Carlos Alberto Vieira "Caju" 2012-2019 [9]
Marcelo Rodrigues 2019 - atualidade [10]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014-2015 Leandro Azevedo Cosme e Asprilla Rogerinho Cabuçu [11]
2019 André Jales
2020 André Jales Israel Rogerinho Lima e Pastel [10]

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Período Intérprete oficial Referências
1981–1986 Di Miguel e J. Leão [12]
1987 Di Miguel e Celsinho [13]
1988 J. Leão [12]
1989–1993 Di Miguel [14]
1994 Ciganerey [15]
1995–1996 Sidney Moreno [16]
1997–1998 Celsinho [17]
1999–2002 Sereno [18]
2003–2005 Paulinho da Área [19]
2006–2010 Marcelo Rodrigues [20]
2011 Marcelo Rodrigues, Di Miguel, Dudu Mendes e Junior [21]
2012 Sandro Motta [22]
2013 Nino do Milênio e Jean Cláudio [23]
2014–2016 Sandro Motta [22]
2017 Tuninho Júnior [24]
2018 Marcelo Rodrigues
2019-atualmente Maykon Rodrigues [10]

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014-2015 Cláudio Macena [11]
2020 Renan e Guty [10]

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014-2016 Yuri Pires e Mirian Jalles [25]
2020 Yuri Pires e Mirian Jalles [10]

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Ano Rainha Madrinha Ref.
2011 Hérica Matos [26]
2015-2016 Cristina Fernandes Fabiane Bonfim [27]
2020 Fabiane Bonfim Dani Vraa [10]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Unidos do Cabuçu
Ano Colocação Divisão Enredo Carnavalesco Ref.
1947 13.º Lugar Desfile Oficial "Compositor desprezado" [28]
1948 22.º Lugar Desfile Oficial "Brasil, celeiro do mundo"
1949 25.º Lugar FBES "Proclamador da República"
1950 8.º Lugar UGESB
1951 10.º Lugar UGESB
1952 3.º Lugar Grupo 2 "Encouraçado São Paulo"
1953 17.º Lugar Grupo 1 "Bandeiras, armas e fardas do Brasil antigo"
1954 9.º Lugar Grupo 1 "Relíquias do Rio antigo"
1955 13.º Lugar Grupo 1 "A queda da monarquia"
1956 7.º Lugar Grupo 1 "O primeiro centenário do Corpo de Bombeiros"
1957 12.º Lugar Grupo 1 "Sinfonia do Trabalho"
1958 14.º Lugar Grupo 1 "Aí vem a Marinha e seu patrono"
1959 14.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 1 "Coroação de D. Pedro I"
1960 4.º Lugar Grupo 2 "De Cabral a JK"
1961 Campeã Grupo 2 "Relíquias do Rio antigo"
1962 7.º Lugar Grupo 1 "A glória e os amores de D. Pedro I"
1963 7.º Lugar Grupo 1 "Os heróis de Vila Rica"
1964 10.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 1 "Brasil de norte a sul"
1965 10.º Lugar Grupo 2 "Rio de 400 janeiros"
1966 10.º Lugar Grupo 2 "Apoteose ao trabalho"
1967 8.º Lugar Grupo 2 "Bandeiras e brasões na história do Brasil"
1968 14.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 2 "A primazia da Bahia"
1969 Campeã Grupo 3 "Origem do samba"
1970 11.º Lugar Grupo 2 "As musas de Chico Buarque de Holanda"
1971 13.º Lugar Grupo 2 "Ninguém segura este país"
1972 15.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 2 "Laços de amizade"
1973 Vice-campeã Grupo 3 "Onde começou o Brasil"
1974 4.º Lugar Grupo 2 "Devaneios de um poeta"
1975 8.º Lugar Grupo 2 "Uiara a Deusa da Terra Grande"
1976 Vice-campeã Grupo 2 "Reisado da terra das Alagoas"
1977 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo 1 "Os sete povos das missões" Cláudio Souza
1978 3.º Lugar Grupo 2 "Exaltação às pedras preciosas do Brasil"
1979 7.º Lugar Grupo 1B "Gigante negro da Abolição à República" Wivaldo Antunes
1980 7.º Lugar Grupo 1B "Tua obra não nega, Lalá" Comissão de Carnaval
(Therezinha Monte, Jorge Silveira, Jailton e Eucyr Pereira)
1981 5.º Lugar Grupo 1B "De Daomé a São Luis, a pureza Mina Jêje" Comissão de Carnaval
Luiz Fernando Reis, Therezinha Monte e Ricardo Luiz)
1982 8.º Lugar Grupo 1B "A lenda do dragão dourado" Gustavo Coutinho e Ronaldo Marins
1983 4.º Lugar Grupo 1B "A visita de Ony de Ijé ao Obá de Oió" Gustavo Coutinho e Ronaldo Marins
1984 Campeã Grupo 1B "Beth Carvalho, a enamorada do samba" Lula Carvalho e Edmundo Souto
1985 13.º Lugar Grupo 1A "A festa é nossa, ninguém tasca ou quem ri por último, ri melhor" Sidelson
1986 13.º Lugar Grupo 1A "Deu a louca na História! E agora, Stanislaw, como é que fica?" Ilvamar Magalhães
1987 7.º Lugar Grupo 1 "Roberto Carlos na cidade da fantasia" Ilvamar Magalhães [29]
1988 15.º Lugar Grupo 1 "O mundo mágico dos Trapalhões" Alexandre Louzada
1989 14.º Lugar Grupo 1 "Milton Nascimento, sou do mundo, sou de Minas Gerais" Beto Sol
1990 16.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo Especial
(primeira divisão)
"Será que votei certo pra presidente?" Beto Sol
1991 4.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"Aconteceu, virou manchete" Paulo Afonso de Lima
1992 8.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"Xuxa, a realidade vira sonho no Xou da Cabuçu" Paulo Afonso de Lima
1993 3.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"De quadrinho em quadrinho, lá vai meu recado ... Maurício de Sousa" Paulo Dubois e Alfredo Sá
1994 5.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"Brajiru, meu Japão Brasileiro" Paula Vannier
1995 8.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"Um abraço à Cinelândia, 60 anos de Teatro Rival" Paula Vannier
1996 5.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"Do reclame ao merchandising, a história da propaganda no Brasil" Paula Vannier
1997 7.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo A
(segunda divisão)
"Todas as Marias de nossa terra" Paula Vannier
1998 3.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
"Toda a sorte do mundo" Paula Vannier
1999 7.º Lugar Grupo A
(segunda divisão)
"O meu cabelo não nega" Jorge Cunha e Paulo Trabachini
2000 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo A
(segunda divisão)
"Brasil 500... Ano 2000... Cabral faz a festa no Brasil" Lane Santana
2001 8.º Lugar Grupo B
(terceira divisão)
"Cabuçu canta e encanta com o canto das sereias" Marcos Caleiros
2002 11.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B
(terceira divisão)
"Se reciclar não vai faltar" Paulo Flores
2003 Vice-campeã Grupo C
(quarta divisão)
"Cores, brilhos e fantasias, abram alas pra folia" Luiz Carlos Guimarães
2004 11.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B
(terceira divisão)
"Therezinha Monte - A guerreira do samba e seus 20 anos de folia na Cabuçu" Luiz Carlos Guimarães
2005 11.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Pindorama, paraíso de belezas naturais, hoje terra de todos, depois só Brasil" Luiz Carlos Guimarães
2006 6.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"A mão que varre esse chão segura com firmeza essa nação" Comissão de Carnaval
Marcos Calheiro, Mauro Valentim, Jorge Carnaval e Celso Almeida)
2007 8.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Da existência dos Pretos Forros ao desenvolvimento do Méier" Luiz Carlos Guimarães e Humberto Abrantes
2008 10.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Lendas e costumes... o tesouro folclórico de suas regiões" Luiz Carlos Guimarães
2009 7.º Lugar Grupo RJ-2
(quarta divisão)
"Experiência mística" Luiz Carlos Guimarães
2010 4.º Lugar Grupo RJ-2
(quarta divisão)
"Estácio de Sá, o berço do samba"
Compositores:Silvano, Lair, Betinho Santana, Luis Fernando e Jéferson.
Luiz Carlos Guimarães
2011 7.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"A Cabuçu mexe e remexe através dos tempos" Luiz Carlos Guimarães
2012 12.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
"Cabuçu dá a Elza na avenida!"
Sylvinho, Jefferson, Lair e Laércio.
Marco Aramha e Marcyo de Olliveira
2013 Campeã Grupo C
(quarta divisão)
"O mestre sala do mares" Laerte Gulini e Clébson Prates
2014 Vice-campeã Grupo B
(terceira divisão)
"Tire sua mordaça do caminho... Que eu quero gritar a minha cor..." Laerte Gulini e Clébson Prates
2015 12.º Lugar Série B
(terceira divisão)
"Nossa Senhora Aparecida - O Milagre"

Compositores:Jefferson, Tuil Pontes, Lair e Laércio

Jack Vasconcelos [30][31][32][11]
2016 11.º Lugar Série B
(terceira divisão)
"A festa é nossa e ninguém tasca! São 70 anos de "xou" da Cabuçu no mundo mágico do carnaval" Edson Siqueira [33]
2017 Vice-campeã Série B
(terceira divisão)
"Domingo Menino Dominguinhos" João Vitor Araújo
2018 10.º Lugar

(Rebaixada)

Série B
(terceira divisão)
''Um Reinado Preto Brasileiro'' André Rodrigues [34]
2019 13.º Lugar

(Rebaixada)

Série C
(quarta divisão)
Tra-la-lá nas Ondas do Rádio Cristiano Prado [35]
2020 11.º Lugar Acesso da Intendente
(quarta divisão)
Cabuçu canta pra subir no Centenário de Bángbalà
Compositores:Ney da Passarela, Jefāo do Cavaco, Bira do Império, Márcio Oliveira, Chiquinho da Passarela, Ivan do Bar, Rico, Nego do Atabaque, Tio Carlinhos, Maykon Rodrigues e Anderson
Lane Santana, Jorge Lucas e Cristiano Prado [36][10][8]
2021 Acesso da Intendente

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmios recebidos pela SERES Unidos do Cabuçu.

Ano Prêmio Categoria premiada Divisão Ref.
1979 Estandarte de Ouro Samba-enredo do Grupo 1B (Atual Série A)
("Gigante negro da Abolição à República" - Compositores: Ilzamar, Marlon, Valmir e Amauri)
Grupo 1B [37]
1987 Estandarte de Ouro Personalidade (Vilma) Grupo 1 [38]
1996 Estandarte de Ouro Samba-enredo do Grupo A (Atual Série A)
("Do reclame ao merchandising, a história da propaganda no Brasil" - Compositores: Carlos Werneck, Karlinhos Madureira, Sérgio Magnata, Beto Pernada, Ney do Cabuçu e Jadir)
Grupo A [37]
1997 Estandarte de Ouro Samba-enredo do Grupo A (Atual Série A)
("Todas as Marias de nossa terra" - Compositores: Ney do Cabuçu, Carlos Werneck, Jadir, Sérgio Magnata, Beto Pernada e Di Miguel)
Grupo A [37]
1999 S@mba-Net Enredo ("O meu cabelo não nega") Grupo A [39]
2001 S@mba-Net Samba-enredo (“Cabuçu canta e encanta com o canto das sereias” - Compositores: Carlinhos Melodia, Wanderlei Araújo, Chiquinho da Passarela e Valdir da Mina) Grupo B [40]
Intérprete (Sereno)
2004 S@mba-Net Samba-enredo ("Therezinha Monte, a guerreira do samba e seus 20 anos de folia da Cabuçu" - Compositores: Paulo Figueiredo, Dudu Mendes, Telmo Augusto, Paulinho da Área e Carlos Junior) Grupo B [41]
2006 Troféu Jorge Lafond Ala mirim Grupo C [42]
2007 Troféu Jorge Lafond Velha guarda Grupo C [43]
2008 Troféu Jorge Lafond Ala das baianas Grupo C [44]
2013 Troféu Jorge Lafond Campeã do Grupo C Grupo C [45]

Referências

  1. «Cabuçu». Samba Rio Carnaval. Consultado em 4 de janeiro de 2011 
  2. «Cabuçu». Academia do Samba. Consultado em 5 de janeiro de 2011 
  3. Carnavalesco (9 de janeiro de 2014). «Sambódromo 30 Anos: Unidos do Cabuçu, a primeira campeã da passarela». 18:13. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  4. EGO (8 de maio de 2010). «Mãe de Roberto Carlos também será enredo de carnaval em 2011, diz jornal». 10h04. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  5. Galeria do Samba (19 de maio de 2010). «Unidos do Cabuçu confirma enredo em homenagem a Lady Laura». 21:07. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  6. Geissa Evaritsto, para o SRZD-Carnaval (20 de julho de 2010). «Cabuçu desiste de homenagear Lady Laura». 15h45. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  7. SRZD-Carnaval (1 de setembro de 2011). «Após 3 anos afastado, mestre Mug vai mostrar que 'merece' na Cabuçu». 15h59. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  8. a b Extra. «Aos 100 anos, ogan Bangbala, mais antigo do Brasil, será enredo da Unidos do Cabuçu em 2020». Consultado em 17 de junho de 2020 
  9. a b c d e Academia do Samba. «Diretoria». Consultado em 24 de maio de 2014 
  10. a b c d e f g «Unidos do Cabuçu / Carnaval 2020 / Acesso». Samba na Intendente. Consultado em 21 de maio de 2020 
  11. a b c [1]
  12. a b «J Leão». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  13. «1987». Galeria do Samba. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  14. «1989». Galeria do Samba. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  15. «Ciganerey». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  16. «Sidney Moreno». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  17. «1997». Galeria do Samba. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  18. «Sereno». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  19. «Paulinho da Área». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  20. «2007». Galeria do Samba. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  21. «2011». Galeria do Samba. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  22. a b «Sandro Motta». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  23. «Nino do Milênio». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  24. «2017». Galeria do Samba. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  25. [2]
  26. Tititi do Samba (27 de janeiro de 2011). «Cabuçu irá coroar sua Rainha de Bateria Hérica Mattos» 
  27. [3]
  28. «Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Cabuçu. Consultado em 22 de outubro de 2015 
  29. «1987». Academia do Samba. Consultado em 6 de janeiro de 2011 
  30. [4]
  31. [5]
  32. SRZD- Carnaval (19 de maio de 2014). «Jack Vasconcelos dará duplo expediente em 2015». 18h43 
  33. http://www.radioarquibancada.com.br/site/apuracao-do-grupo-b-ao-vivo/
  34. «Unidos do Cabuçu». Apoteose.com. Consultado em 19 de janeiro de 2018 
  35. «Unidos do Cabuçu 2019». Galeria do Samba. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  36. «Cabuçu 2020». Galeria do Samba. Consultado em 13 de fevereiro de 2020 
  37. a b c «Estandarte de Ouro - Samba-enredo Grupo 2». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de maio de 2016 
  38. «Estandarte de Ouro - Personalidade». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 6 de maio de 2016 
  39. «Premiação S@mba-Net 1999». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 13 de maio de 2016 
  40. «Premiação S@mba-Net 2001». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de maio de 2016 
  41. «Premiação S@mba-Net 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de maio de 2016 
  42. «Troféu Jorge Lafond 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  43. «Troféu Jorge Lafond 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  44. «Troféu Jorge Lafond 2008». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 24 de junho de 2016 
  45. «Confira os vencedores do 11º troféu Jorge Lafond – Carnaval 2013». Consultado em 28 de junho de 2016