Acadêmicos da Abolição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Acadêmicos da Abolição
Bandeira do GRES Acadêmicos da Abolição.png
Fundação 20 de janeiro de 1976 (44 anos)
Escola-madrinha Caprichosos de Pilares[1][2]
Cores
Símbolo Coroa sobre anéis
Bairro Abolição
Presidente Neto Dória
Página da Escola

«facebook.com/GRESAbolicao» 

Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos da Abolição é uma escola de samba da cidade do Rio de Janeiro, fundada a 20 de janeiro de 1976. Está localizada na Zona Norte do Rio de Janeiro, precisamente em bairro de mesmo nome. As cores de seu pavilhão são verde e branco.

História[editar | editar código-fonte]

Ala das baianas da escola de samba Acadêmicos da Abolição.

Desfilou pela primeira vez, como escola de samba em 1993. Esteve na Marquês da Sapucaí em 1995 e 1996. No ano de 2009, apresentou como enredo o Rio São Francisco, obtendo a 4º colocação com 158,4 pontos, permanecendo no mesmo grupo.

Comissão de frente da Acadêmicos da Abolição, no Carnaval 2009.

Em 2012, iria homenagear duas ex-baluartes da Mangueira (Dona Neuma e Zica) com o tema com o enredo Dona Zica e Dona Neuma – As Estrelas Verde e Rosa,[3] enredo esse que seria desenvolvido por Jhonson Santos. Porém, no meio do ano, a escola trocou o carnavalesco por Levi Cintra, e junto, mudou também o tema do desfile, para um enredo sobre o arroz. Naquele ano, seria rebaixada para o grupo D.

Depois do carnaval, houve uma eleição em que se sagrou vencedor Marcelo Dentinho como novo presidente da escola. Optado por um enredo afro, levou Márcio Puluker como idealizador e carnavalesco, Anderson Bala como intérprete,[4] porém este último, devido a problemas particulares, desligou-se da agremiação, sendo substituído pela dupla Tuninho Azevedo e Ademir de São Miguel.[5]

Em 2014, mesmo estando como carnavalesco da Cubango, Márcio Puluker permaneceu como carnavalesco da escola, só que dividindo o posto com Giovanni Targa. Inicialmente, a escola iria homenagear o tradicional River Futebol Clube, do vizinho bairro da Piedade,[6] mas acabou por alterar novamente o enredo, apresentando mais uma vez um enredo afro.[7]

Para sua volta ao grupo B, em 2015, a Acadêmicos da Abolição definiu um enredo sobre os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Porém devido a problemas internos, a escola desfilou apenas com seu pavilhão, sendo automaticamente rebaixada.

Em 2016, a agremiação trouxe um enredo sobre a mística das águas, e veio a ser novamente rebaixada.

Em 2017, a escola apresentou o orixá Oxóssi como tema de seu desfile. Após enfrentar problemas internos, com a diretoria renovada, marcando a chegada do presidente Neto Dória e seu vice Leo Sabego, faltando 1 mês para o desfile, a escola trouxe os carnavalescos Fábio Henriques e Victor Angelo, o casal Evelyn Estrela e Weslen Santo para conduzir o pavilhão da escola, além do coreógrafo Léo Torres para a comissão de frente. Após uma apuração acirrada, a escola conquistou o 10º lugar, se mantendo no Grupo D.

Em 2018, foi a quarta escola a desfilar na Estrada Intendente Magalhães, defendendo um enredo de temática ambientalista, desenvolvido pelo departamento cultural da escola, formado pelos pesquisadores Léo Torres, Vladimir Rocha e Raquel Faria.

Em 2019, a escola apostou em um enredo sobre representatividade afro-descendente, apresentando a vida e a obra da escritora Conceição Evaristo. Naquele ano, alcançou o 4° Lugar na apuração, se mantendo no Grupo D, em um desfile que contou com a estreia da porta-bandeira Rayara Monnier, ao lado de Weslen Santos e a promoção da musa Larissa Melo, à rainha da bateria.

Larissa Melo, rainha de bateria da Acadêmicos da Abolição.

Já em 2020, com a redivisão dos grupos dos desfiles da Intendente Magalhães, a escola acabou sendo promovida, juntamente com as demais, da quinta para a quarta divisão do Carnaval, apresentando diversas mudanças nos seus segmentos, para um desfile que abordou a Feira de São Cristóvão, que completava 75 anos.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Ano Presidente Ref.
André Luis Avelino 20022003 [8]
Joelson Martins 2004 [8]
André Luis Avelino 20052012 [8]
Marcos Dentinho 20132015 [9]
Darcy Silveira 2015–2016
Neto Dória 2017–2020 [10]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor de harmonia Mestre de bateria Ref.
2017 Wilmar Douglas Jorge
2018-2019 Dalton Ferreira Douglas Jorge
2020 Vladimir Oliveira Rocha Alexandre Carvalho “Novinho” Carlos Alexandre "Lerdão" [10]

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2013–2015 Victor Hugo
2016 Jardel Lemos
2017-2020 Léo Torres e Daniel Ferrão [10]

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Período Intérprete oficial Referência
1998–2003 Mesquitinha e Luís Carlos [11]
2004–2005 Diego Chocolate [12]
2006–2007 Sandrinho do Beco [11]
2008 Lico Monteiro [11]
2009–2010 Gago [11]
2011–2012 Fabrício Alves [11]
2013–2015 Tuninho Azevedo e Ademir de São Miguel [11]
2016 Geovani Trindade [11]
2017–2019 Raphael O Krek [11]
2020 Rodrigo de Jesus da Silva "Digão Audaz" [10]

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2012 Willian Miranda e Thainara Mathias
2013 Ewerton Anchieta e Thainara Mathias [13]
2014 Paulo Roberto e Thainara Mathias
2015 Wanderson e Fabiana Cid
2017-2018 Weslen Santos e Evelyn Estrela
2019 Weslen Santos e Rayara Monnier
2020 Raison Alves e Dandara Luiza [10]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Acadêmicos da Abolição

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha de bateria Madrinha de bateria Ref.
2008-2009 Aisha Cruz
2010 Gi Maurity
2011-2012 Andrea Martins [14]
2013-2014 Julyana Albuquerque [2]
2015-2016 Nininha Strass Jéssyca Gessi
2017 Lili Tudão
2018 Aline Souza Cristina Fernandes [15]
2019 - 2020 Larissa Melo - [16][10]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Acadêmicos da Abolição
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
1998 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo C
(terceira divisão)
Dê ao Rio o que é do Rio: porquê eu tô maluco Sérgio Murilo e Alberto Paixão [11]
1999 10.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo D
(quinta divisão)
Ao despertar do relógio, que sufoco. Vai começar tudo de novo Silvio César [11]
2000 Vice-campeã Grupo E
(sexta divisão)
Brasil te amo ainda mais Carlinhos da Abolição [11]
2001 3.º Lugar Grupo D
(quinta divisão)
Miscigenação, a cara do povo Lane Santana [17]
2002 Vice-campeã Grupo D
(quinta divisão)
Nada se perde, tudo se recicla Lane Santana [18]
2003 5.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Gauiá, Guapi, Guarím, Guapimirim a nascente do amor Comissão de Carnaval
(Joel Maouzinho, Maria Eugênia, Carla Maria, Maria da Conceição, Giselle Dexheimer, Oswaldo Jardim e Nonato Trinta)
[19]
2004 4.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Brasil grande por natureza e rico em pobreza Joel Moutinho [20]
2005 10.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Neste carnaval, a Acadêmicos da Abolição é surreal Lane Santana e Alexandre Santos [21]
2006 5.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Na terra, na água, no fogo, no ar os espíritos da natureza clamam pela vida Lane Santana e Alexandre Santos [22]
2007 6.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Sou Abolição, sou forte e hoje estou com a sorte Comissão de Carnaval
(Gio Salles, Renata Caulliraux e Alexandre Devecchi)
[23]
2008 7.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Do papiro ao e-mail, a Abolição mostra seu papel na Avenida! Renata Caulliraux e Morgana Bastos [24]
2009 4.º Lugar Grupo RJ-2
(quarta divisão)
Rio São Francisco, um tanto pai, um tanto mestre, um tanto santo Morgana Bastos [25]
2010 6.º Lugar Grupo RJ-2
(quarta divisão)
Naveguei, naveguei, um paraíso encontrei! Marcos Oliveira e Adriana Freitas [26]
2011 11.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Mãe Bahia, terra de encantos, crenças e magias...
(Samba-enredo composto por Nalva Escafura, Lapisinho, J. Rabelo, Zequinha do Cavaco e Cezinha)
Marcos Oliveira e Adriana Freitas [27]
2012 13.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
De acompanhante à prato principal, a Abolição vem mostrar o arroz no Carnaval! Levi Cintra [28]
2013 7.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Sou negro, sou raça, sou vida .... Sou Abolição Marcio Puluker [29][5]
2014 4.º Lugar Grupo C
(quarta divisão)
Brilhando com toda raça, Abolição aos povos abraça! A origem das raças – A lenda colombiana Marcio Puluker e Giovanni Targa [7][30]
2015 18.º Lugar
(Rebaixada)
Série B
(terceira divisão)
E assim se descobriu o Rio de Janeiro do Brasil! Giovanni Targa e Rondineli Allemand
2016 12.º Lugar
(Rebaixada)
Série C(quarta divisão) Nos encantos das águas, Abolição lava a alma
(Samba-enredo composto por Thiago Sousa, Igor Vianna, Victor Alves, Alex Alves, Renatinho do Cavaco, Geovanni Trindade e Raphael O Krek)
Beto Botelho [31]
2017 10.º Lugar Série D
(quinta divisão)
Oxóssi, o caçador Victor Angelo e Fabio Molhada
2018 5º Lugar Série D
(quinta divisão)
É Preciso Preservar Fábio Henriques, Léo Torres, Vladimir Oliveira e Raquel Faria [32]
2019 4º Lugar Série D
(quinta divisão)
Conceição Evaristo - A “escrevivência” abolicionista em versos, poemas e contos Léo Torres, Vladimir Oliveira e Raquel Faria [33]
2020 4° Lugar Acesso da Intendente
(quarta divisão)
Dos primeiros nordestinos, que deixaram seu torrão, Abolição exalta a Feira de São Cristóvão: o coração do Nordeste no Rio
Compositores:Renan Diniz, Thiago Bahiano, Márcio de Deus, Tinga, Jefferson Oliveira, João Perigo, Lico Monteiro, Dr. Márcio, Thiago Vaz, Kevin Sardou e Luizinho das Camisas
Vladimir Oliveira, Raquel Faria e Léo Torres [34][10]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmios recebidos pelo GRES Acadêmicos da Abolição.

Ano Prêmio Categoria / premiados Grupo Ref.
2004 Troféu Jorge Lafond Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Alexandro e Manoela) Grupo C [35]
Ala mirim
Velha guarda
2006 Troféu Jorge Lafond Mestre-sala (Feliciano Junior) Grupo C [36]
2007 Troféu Jorge Lafond Samba-enredo

("Sou Abolição, sou forte e hoje estou com a sorte" - Compositores: Waguinho Olá, Zilmar Conde, Marcelo Poesia, Dudú e Carlinhos Maciel)

Grupo C [37]
2008 Troféu Jorge Lafond Destaque Grupo C [38]
2009 Troféu Jorge Lafond Comissão de frente Grupo C [39]
Rainha de bateria
2015 SRZD-Carnaval Destaque dos desfiles da Intendente Magalhães (Jéssica Gessi - Rainha de bateria) Série B [40]

Referências

  1. Tititi do Samba (16 de setembro de 2012). «3º EDIÇÃO DA FEIJOADA DA ABOLIÇÃO». Consultado em 6 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 19 de julho de 2014 
  2. a b Tititi do Samba (18 de setembro de 2012). «3ª Tradicional feijoada do Acadêmicos da Abolição». Consultado em 6 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2014 
  3. Wellington Lopes, para OBatuque.com (4 de maio de 2011). «Acadêmicos da Abolição fará homenagem a D. Zica e D. Neuma». Consultado em 4 de maio de 2011 
  4. Tititi do Samba (28 de junho de 2012). «Um pouquinho do cantor e compositor Anderson Bala». Consultado em 17 de novembro de 2013. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  5. a b Tititi do Samba (24 de novembro de 2012). «Abolição apresenta seu novo carro de som». Consultado em 17 de novembro de 2013. Arquivado do original em 10 de junho de 2015 
  6. Oscar do Samba (23 de maio de 2013). «Abolição homenageará o centenário do River Futebol Clube». 0:47. Consultado em 29 de maio de 2013 [ligação inativa]
  7. a b Tititi do Samba. «Abolição realizará feijoada para o lançamento do enredo, entrega da sinopse e apresentação da nova diretoria». Consultado em 7 de outubro de 2013. Arquivado do original em 10 de junho de 2015 
  8. a b c Academia do Samba. «Abolição - Diretoria». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  9. SRZD-Carnaval (11 de junho de 2012). «APRESENTAÇÃO DA NOVA DIRETORIA DO ACADÊMICOS DA ABOLIÇÃO». Consultado em 17 de novembro de 2013. Arquivado do original em 11 de junho de 2015 
  10. a b c d e f g «Acadêmicos da Abolição / Carnaval 2020 / Acesso». Samba na Intendente. Consultado em 22 de maio de 2020. Cópia arquivada em 22 de maio de 2020 
  11. a b c d e f g h i j k Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição - Enredos». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  12. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2005». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  13. [1]
  14. «Andrea Martins nova rainha de bateria do Acadêmicos da Abolição». Tititi do samba. Consultado em 13 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2014 
  15. Folia do samba. «Cristina Fernandes será coroada madrinha de bateria da Abolição». Consultado em 1 de novembro de 2018 
  16. Feras do Carnaval. «LARISSA MELO É A RAINHA DA BATERIA FERAS DO RITMO, DO GRES ACADÊMICOS DA ABOLIÇÃO PARA O CARNAVAL 2019». Consultado em 1 de novembro de 2018 [ligação inativa]
  17. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2001». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  18. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2002». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  19. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2003». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  20. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2004». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  21. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2005». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  22. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2006». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  23. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2007». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  24. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2008». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  25. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2009». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  26. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2010». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  27. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2011». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  28. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2012». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  29. Academia do Samba. «Acadêmicos da Abolição 2013». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  30. OBatuque (27 de abril de 2013). «Tuninho Azevedo e Ademir São Miguel renovam com a Acadêmicos da Abolição». Consultado em 17 de novembro de 2013 [ligação inativa]
  31. http://www.radioarquibancada.com.br/?platform=hootsuite
  32. «Abolição». Apoteose.com. Consultado em 19 de janeiro de 2018 
  33. «Abolição 2019». Galeria do Samba. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  34. «Abolição 2020». Galeria do Samba. Consultado em 13 de fevereiro de 2020 
  35. «Troféu Jorge Lafond 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de junho de 2016 
  36. «Troféu Jorge Lafond 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  37. «Troféu Jorge Lafond 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  38. «Troféu Jorge Lafond 2008». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 24 de junho de 2016 
  39. «Troféu Jorge Lafond 2009». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  40. «Prêmio SRZD-Carnaval/RJ 2015: São Clemente vence como melhor escola». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 10 de maio de 2016