Simpatia É Quase Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2010).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Simpatia é Quase Amor
Fundação 1984
Escola-madrinha Banda de Ipanema
Cores amarelo e lilás
Bairro Ipanema
Rainha do bloco Michele Caldas

Simpatia é Quase Amor é um bloco de carnaval brasileiro, nascido em 1985, em meio à campanha pelas Diretas Já. O bloco desfila em Ipanema, na cidade do Rio de Janeiro, suas cores do bloco são o amarelo e o lilás, inspiradas no remédio Engov, usado para evitar ressaca, seu grito de guerra é "Alô burguesia de Ipanema".[1]

Realiza dois desfiles carnavalescos todos os anos, começando na Praça General Osório no bairro de Ipanema. O primeiro desfile é no sábado anterior ao Carnaval e o segundo desfile é no domingo de Carnaval, ambos por volta das 16 horas.

História[editar | editar código-fonte]

O bloco foi criado em 1984, após a chamada "retomada" dos blocos de rua do Rio de Janeiro. Durante o movimento das Diretas Já alguns jovens de Ipanema criaram a FlaDiretas, um torcida organizada do Flamengo que pedia a redemocratização do Brasil, a Emenda Dante de Oliveira que traria a volta de eleições diretas ao país não foi aprovada no Congresso Nacional e os criadores da FlaDiretas, que haviam comprado alguns instrumento para ir ao Maracanã, resolveram aproveita-los criando um bloco, assim nasceu o Simpatia é Quase Amor, em seu primeiro Carnaval, em 1985, contou cerca 300 pessoas, em 2015 cerca de 170 mil pessoas acompanharam o bloco, sendo assim um dos maiores do Rio de Janeiro.

Dona Zica da Mangueira e o fundador da Banda de Ipanema, Albino Pinheiro são padrinhos do bloco. Seu nome foi inspirado num personagem do livro de crônicas “Rua dos Artistas e Arredores” de Aldir Blanc, Esmeraldo Simpatia é Quase Amor é um carioca da Zona Norte (Subúrbio do Rio de Janeiro), conquistador e simpático.

Em 2016, o bloco apresentou o samba "Simpatia vai Passar", que contava a história do bloco, que começou logo após a redemocratização do Brasil, e no decorrer a letra de seu samba, homenageou o cantor Chico Buarque de Hollanda, que foi perseguido durante a ditadura militar e que então recentemente foi vítima de ataques de intolerância política.[2]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Simpatia É Quase Amor
Ano Grupo Enredo Ref
2013 Bloco de Embalo Simpatia de Moraes

Compositores: Bil-Rait Buchecha / Guilherme Vargues / Manuela Trindade / Nina Rosa

2014 Bloco de Embalo Balzaquiando o Simpatia vai Passar

Compositores: Marceu Vieira / Janjão / Orlando Magrinho

2015 Bloco de Embalo Chegou o Simpatia Quase Amor

Compositores: Leandro Fregonesi / Ciraninho / Rafael dos Santos

2016 Bloco de Embalo Simpatia vai Passar

Compositores: Luiz Fernando / Luiza Fernanda

[3]
2017 Bloco de Embalo Centenário do Samba

Compositores: Diogo Nogueira / Rafael dos Santos / Leandro Fregonesi / Ciraninho

[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons

Referências

  1. carnavalvirtual.com.br. «Simpatia é Quase Amor». Consultado em 22 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2013 
  2. O Globo. «Com mensagem de paz e tolerância, Simpatia É Quase Amor desfila em Ipanema». Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  3. O Globo (30 de janeiro de 2016). «Simpatia reúne 100 mil foliões em Ipanema, diz Riotur». Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  4. O Globo (22 de janeiro de 2017). «Blocos pedem licença para rir da crise e criticar autoridades nos dias de folia». p. 13. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017