Fortaleza de Cacela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Fortaleza de Cacela
Fortaleza dos Cavaleiros de Santiago de Cacela
Vista da Fortaleza de Cacela, Portugal
Tipo Fortaleza costeira
Estilo dominante Abaluartada
Início da construção (1770)
Fim da construção (1794)
Proprietário inicial Reino de Portugal
Função inicial Militar
Proprietário atual República Portuguesa
Função atual Cultural
Classificação  Imóvel de Interesse Público
Geografia
País Portugal Portugal
Cidade Portugal Vila Nova de Cacela
Coordenadas 37° 10' 35" N 7° 32' 45" O
Geolocalização no mapa: Portugal Continental
Fortaleza de Cacela está localizado em: Portugal Continental
Fortaleza de Cacela
Forte de Cacela: vista sobre a foz da ria Formosa.

O Forte de Cacela, também referido como Fortaleza de Cacela, no Algarve, localiza-se na povoação de Cacela-Velha, freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo António, no distrito de Faro, em Portugal.

Em posição dominante sobranceira à foz da ria Formosa, encontra-se atualmente compreendido no património classificado de Cacela Velha, considerado como um dos mais importantes conjuntos arquitectónicos do Algarve.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Castelo de Cacela

A primitiva fortificação no local foi um castelo mouro anterior à Reconquista da Península Ibérica.

No século XVI, já em ruínas, foi essa defesa foi reconstruída por ordens de D. João III ou de D. Sebastião. É sabido que este último inspeccionou pessoalmente as obras em 1573.

A fortificação sofreu várias vicissitudes nos séculos seguintes: relatos de 1617 esclarecem que as suas muralhas se encontravam arruinadas do lado da arriba; em 1750 a fortaleza encontrava-se arruinada, tendo ficado quase destruída com o terramoto de 1755.

Do terramoto de 1755 aos nossos dias[editar | editar código-fonte]

A atual estrutura remonta a D. Rodrigo de Noronha, que ordenou a sua reconstrução, prolongando-se os trabalhos de 1770 a 1794.

Ao final do século XIX, em 1897, as dependências do forte foram ocupadas pela Guarda Fiscal (hoje Brigada Fiscal da GNR).

Funcionou no seu interior um radar que se destinava à vigilância do espaço aéreo.

Os seus edifícios, no terrapleno, encontram-se utilizados pela corporação, razão pela qual não é permitida a visitação turística ao monumento.

Do largo fronteiro à fortaleza avista-se, para leste, o troço final da ria Formosa (que se estende até poucas centenas de metros da Manta Rota), a baía de Monte Gordo e, mais longe, já em Espanha, a Ilha Canela e a Ilha Cristina.

Características[editar | editar código-fonte]

Planta do Fortaleza de Cacela (1784), da autoria do engº militar José Sande de Vasconcelos .

O forte apresenta planta trapezoidal com baluartes nos ângulos salientes, e guaritas. No seu terrapleno erguem-se as edificações de serviço e abre-se a cisterna. Existe uma planta datada de 1784[1] da autoria do engº militar José Sande de Vasconcelos.

Lápide na Entrada[editar | editar código-fonte]

Lápide colocada na entrada Fortaleza de Cacela dando conta da sua reedificação em 1794.

A Lápide colocada à entrada apresenta a seguinte inscrição.

EM O REINADO DA AUGUSTISSIMA S. D. M. I. RAINHADPORTUGALGOUERNANDO ESTE RN. DO ALG.OILMO.E EXMO. NUNO IOZE FULGENSIO DEMENDONSA EMOURA CONDE DE UALEDREIS GENTILHOME DS.A.R. DEPUTADO DA JUNTA DOS 3 ESTADOS GOUERNADOR E CAP. GENERAL DTO. REINO MANDOU REEDIFICAR ECABAR ESTAFORTALEZA SENDO INSPETOR DA MESMA OBRA O DR. JOZE CAETANNO DANRADE E CASTRO GUARDA MOR DA CID. DE TAUIRA ANNO DE 1794.

Algumas personalidades descritas na lápide são:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Mappa da configuração de todas as praças fortalezas e baterias do reyno do Algarve, [1788] - Biblioteca Nacional Digital». purl.pt. Consultado em 28 de setembro de 2017