Mark Blundell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mark Blundell
Mark Blundell portrait 2011.jpg

Blundell em 2011
Nacionalidade    Reino Unido Britânico (inglês)
Local de nascimento Barnet,  Reino Unido
Data de nascimento 8 de abril de 1966 (49 anos)
Registros na Fórmula 1
Anos 1991, 1993-1995
Times 4 (Brabham, Ligier, Tyrrell e McLaren)
Campeonatos 0 (10º em 1993 e 1995)
Pontos 32
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP Estados Unidos GP dos Estados Unidos de 1991
Último GP Austrália GP da Austrália de 1995
GPs Poles Pódios Vitórias
63 (61 largadas) 0 3 0
Registros na CART/Champ Car
Anos 1996-2000
Times 1 (PacWest)
Campeonatos 0 (6º em 1997)
Pontos 219
Voltas mais rápidas 2
Primeira corrida Estados Unidos GP de Homestead, 1996
Primeira vitória Estados Unidos GP de Portland, 1997
Última vitória Estados Unidos GP de Fontana, 1997
Última corrida Estados Unidos GP de Fontana, 2000
GPs Poles Pódios Vitórias
81 0 5 3
Registros nas 24 Horas de Le Mans
Anos 1989-1990, 1992, 1995, 2001-2003
Times 6 (Nissan Motorsports, Nissan Motorsports International,
Peugeot Talbot Sport, GTC Gulf Racing,
MG Sport & Racing Ltd. e Team Bentley)
Melhor colocação 1º (1992)
Vitórias em classe(s) 1 (Classe C1, 1992)
Outros campeonatos
1987-1989
1988
1983-1987
Fórmula 3000
Fórmula 3000 japonesa
Fórmula Ford britânica

Mark Blundell (Barnet, 8 de abril de 1966) é um piloto automobilístico britânico que disputou provas de Fórmula 1, carros esportivos e CART (Champ Car) entre 1991 e 2003. Até 2008, foi comentarista da rede de televisão ITV. Está casado e tem dois filhos.

Início de carreira[editar | editar código-fonte]

Blundell iniciou a carreira em 1980, aos 14 anos, participando de corridas de motocross na Inglaterra. Conseguiu logo bons resultados e tornou-se um dos corredores de destaque do Reino Unido, além de vencer alguns campeonatos. Aos 17 anos de idade ele trocou a moto pela Fórmula Ford britânica. Novamente, ele foi recompensado com um sucesso instantâneo e em sua primeira temporada ele terminou em segundo lugar no Campeonato Britânico Júnior de Fórmula Ford (apesar das 25 vitórias e 24 poles). No ano seguinte, Mark venceu os campeonatos britânicos Esso e o Snetterton FF1600. No ano seguinte, ele foi para a categoria de maior potência da FF2000 e de imediato venceu a série BBC Grandstand. Mesmo retornando para a FF1600, para a disputa do Campeonato Europeu, conseguiu a pole e terminou a temporada na quarta colocação. Em 1986, participou de outro campeonato na FF2000 e desta vez ele conseguiu o título europeu.

A partir deste ponto em sua carreira, Blundell decidiu que deveria continuar com seus bons resultados e transferiu-se para as corridas internacionais. Ele pulou a tradicional etapa da Fórmula 3 e uniu-se a TOMS-Toyota na Fórmula 3000[1] . Apesar de estar em uma equipe recém-formada e de ter à disposição um carro não competitivo, ele demonstrou incrível talento e conseguiu uma série de bons resultados, incluindo algumas vitórias. Mesmo tendo participado de poucas corridas na F-3, ele também mostrou lá as suas habilidades. Em 1987 ele assinou contrato com a equipe Lola, naquela época uma das maiores da série. Em uma temporada muito disputada, Blundell terminou a competição com um respeitável sexto lugar.[1]

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Blundell pilota o carro da McLaren no GP da Inglaterra de 1995.

No ano seguinte, assinou contrato com a equipe de carros esportivos da Nissan e também foi piloto de testes de uma das melhores equipes da Fórmula 1, a Williams. Em 1990, Blundell abandonou a F-3000 para se concentrar nas corridas de carros esportivos. Naquele mesmo ano, ele firmou um novo recorde de volta mais rápida e conseguiu a pole position na prestigiada corrida de 24 Horas de Le Mans — sendo o piloto mais jovem a conseguir tal feito.

1991 marcou o maior impulso na carreira de Mark: a sua estreia na Fórmula 1. Em sua temporada de estreia, a melhor colocação do piloto inglês foi um 6º lugar na Bélgica, pela decadente equipe Brabham, e a conquista de seu primeiro ponto no campeonato, terminando em 19º na classificação final. Embora ainda permanecesse contratado como piloto de testes da Williams, na temporada seguinte, ele foi afetado pela grave crise financeira pelo qual passou a Brabham e ficou fora da temporada de 1992. Ele, contudo, conseguiu assinar um contrato para ser o piloto de testes da McLaren. Em paralelo com as funções na equipe de Woking, ele também continuou correndo com os carros esportivos. Naquele ano, com a equipe Peugeot, venceu as 24 Horas de Le Mans em parceria com o compatriota Derek Warwick e o francês Yannick Dalmas.

Em 1993, Mark continuava a ser destaque no automobilismo. Na tradicional equipe Ligier, ele obteve os seus dois primeiros podiuns: 3º: na África do Sul e na Alemanha. Ele acabou terminando em 10º no final do Campeonato Mundial com 10 pontos. Seu contrato com a Ligier durou um ano e em 1994 ele fechou com outra equipe de tradição, a Tyrrell. O ano não foi de tanto sucesso como havia sido o ano anterior, mas Blundell conseguiu apenas um pódio, no GP da Espanha, com o 3º lugar (último na carreira e da equipe na Fórmula 1). Terminou em 12º no campeonato com 8 pontos.

No final da temporada, devido à falta de patrocinadores, a Tyrrell dispensou-o. A demissão, surpreendentemente, acabaria beneficiando Blundell, que voltaria à McLaren para ser o test-driver em 1995; seu compatriota Nigel Mansell, alegando falta de espaço em seu carro, é afastado e Blundell foi chamado para ocupar o lugar do "Leão" na equipe nos GPs do Brasil e da Argentina. O campeão de 1992 voltaria nas etapas de San Marino e Barcelona, mas não é bem sucedido e encerra sua carreira na F-1, fazendo com que Blundell fosse efetivado como titular, tendo o futuro bicampeão mundial Mika Häkkinen como seu companheiro na escuderia. O inglês somou cinco pontos no campeonato e terminou mais uma vez em 10º lugar e 13 pontos. Foi o último ano de Mark Blundell na Fórmula 1, uma vez que o escocês David Coulthard assinou contrato com a McLaren. Ainda em 1995, ele ainda manteve o seu bom desempenho nas corridas de carros esportivos com um 4º lugar conseguido em Le Mans.

CART[editar | editar código-fonte]

Fora da Fórmula 1, Blundell mudou-se para os Estados Unidos da América e uniu-se à equipe PacWest Racing, com outro ex-piloto de F-1, Maurício Gugelmin, ao seu lado. Um acidente na etapa do Rio de Janeiro fez com que o inglês tivesse a vaga ocupada pelo italiano Teo Fabi, e, recuperado, disputaria o restante do campeonato, obtendo 2 quintos lugares como melhor resultado.

1997 foi um ano de sucessos para Blundell, que venceu as corridas de Portland, Toronto e Fontana ficando em sexto no campeonato. Naquele ano ele também foi considerado o Piloto Britânico do Ano pela revista Autosport. 1998, ao contrário da temporada anterior, não foi um ano bom para o piloto inglês, que ficou em décimo-oitavo lugar (melhor resultado: sexto lugar em Fontana) e depois de uma série de acidentes no início de 1999, foi substituído pelo brasileiro Roberto Pupo Moreno em 8 etapas e o inglês acabou ficando em um esquálido 23º lugar na tabela do campeonato (melhor resultado: 8º lugar em Homestead), com apenas 9 pontos.

Ele ainda disputaria a temporada de 2000, aos 34 anos, novamente com a PacWest. Porém, esta foi também outra temperada de insucessos — 18 pontos, e a vigésima-primeira colocação no término do campeonato — o que ocasionou a sua saída da PacWest e o fim de sua carreira na CART.

Blundell ainda teria um último contato com a CART em 2002: testou o Lola-Ford da Dale Coyne para ajudar na preparação de seu compatriota Darren Manning para a sua primeira corrida de CART no Reino Unido, em Rockingham.

De piloto a comentarista[editar | editar código-fonte]

Blundell novamente cruzou o Atlântico para se dedicar às corridas de carros esportivos. Ele não teve sucesso em Le Mans com a equipe MG Lola, embora ele e seus dois companheiros de equipe (Julian Bailey e Kevin McGarrity) tenham impressionado. Fora das pistas, Blundell juntou-se à ITV, uma emissora de televisão do Reino Unido, onde trabalhou como analista durante as temporadas de Fórmula 1 até 2008.

Desde 2001, o envolvimento de Blundell como piloto de corridas tem diminuído, com apenas participações ocasionais. Além do teste com a Dale Coyne, correu na etapa britânica do Campeonato Mundial de Rally.

Em 2003, ele obteve grandes conquistas com os carros esportivos. Juntamente com Johnny Herbert e David Brabham, ele terminou na vice-liderança das 24 Horas de Le Mans, pela Bentley. Ele também terminou na terceira colocação nas 12 Horas de Sebring.

Embora nunca tenha tido o sucesso de muitos de seus contemporâneos, Blundell conseguiu juntar uma extensa lista de triunfos. Com seus mais novos sucessos nos carros esportivos, parece que a corrida terá o prazer de sua presença por ainda muito mais anos.

Juntamente com o ex-corredor Martin Brundle, Blundell também dedicou seu tempo administrando uma companhia, a 2MB Sports Management, que mantém contratos com o ex-piloto de testes da McLaren, Gary Paffett e o ex-campeão da Fórmula 3 britânica, Mike Conway. A sociedade foi desfeita com a saída de Brundle, em janeiro de 2009.[2]

Em outubro de 2011, após o acidente que matou seu compatriota Dan Wheldon no Grande Prêmio de Las Vegas, Blundell criticou a realização de corridas em circuito oval.[3]

'Blundellismo'[editar | editar código-fonte]

O estilo de Mark de apresentar e comentar na TV assuntos ligados à Fórmula 1 tem cada vez mais aumentado a audiência de interessados por este tipo de esporte, particularmente através da internet. Por causa deste ato, chamado de "Blundellismo", Mark tem também recebido críticas por empregar em excesso a chamada "gramática coloquial".[1]

24 Horas de Le Mans[editar | editar código-fonte]

Ano Posição Classe Time Pilotos Chassis Pneus Voltas
Motor
2003 2 LMGTP 8 Reino Unido Team Bentley Reino Unido Mark Blundell
Austrália David Brabham
Reino Unido Johnny Herbert
Bentley Speed 8 M 375
Bentley 4.0L Turbo V8
2002 30
DNF
LMP675 27 Reino Unido MG Sport & Racing Ltd. Reino Unido Mark Blundell
Reino Unido Julian Bailey
Reino Unido Kevin McGarrity
MG-Lola EX257 M 219
MG (AER) XP20 2.0L Turbo I4
2001 30
DNF
LMP675 33 Reino Unido MG Sport & Racing Ltd. Reino Unido Julian Bailey
Reino Unido Mark Blundell
Reino Unido Kevin McGarrity
MG-Lola EX257 M 92
MG (AER) XP20 2.0L Turbo I4
1995 4 GT1 24 Reino Unido GTC Gulf Racing Reino Unido Mark Blundell
Reino Unido Ray Bellm
Brasil Maurizio Sala
McLaren F1 GTR M 291
BMW S70 6.1L V12
1992 1 C1 1 França Peugeot Talbot Sport Reino Unido Derek Warwick
França Yannick Dalmas
Reino Unido Mark Blundell
Peugeot 905 Evo 1B M 352
Peugeot SA35 3.5L V10
1990 41
DNF
C1 24 Japão Nissan Motorsports International Reino Unido Mark Blundell
Reino Unido Julian Bailey
Itália Gianfranco Brancatelli
Nissan R90CK D 142
Nissan VRH35Z 3.5L Turbo V8
1989 55
DNF
C1 24 Japão Nissan Motorsports Reino Unido Julian Bailey
Reino Unido Mark Blundell
Reino Unido Martin Donnelly
Nissan R89C D 5
Nissan VRH35Z 3.5L Turbo V8


CART[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe Chassis Motor Pneus GP's Vitórias Poles Pontos Classificação
2000 PacWest Reynard Mercedes F 20 0 0 18 21º
1999 PacWest Reynard Mercedes F 12 0 0 9 23º
1998 PacWest Reynard Mercedes F 19 0 0 36 18º
1997 PacWest Reynard Mercedes F 19 3 0 115
1996 PacWest Reynard Ford G 13 0 0 41 16º

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

(legenda)

Ano Nome Oficial da Equipe Chassis Motor Pneus 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Pontos Posição
1995 Marlboro McLaren Mercedes McLaren MP4/10 Mercedes FO 110 V10 G BRA
ARG
Ret
13 10º
McLaren MP4/10B MON
CAN
Ret
FRA
11º
GBR
ALE
Ret
HUN
Ret
BEL
ITA
PAC
JAP
AUS
McLaren MP4/10C POR
EUR
Ret
1994 Tyrrell Racing Organisation Tyrrell 022 Yamaha OX10B V10 G BRA
Ret
PAC
Ret
SMR
MON
Ret
ESP
CAN
10º
FRA
10º
GBR
Ret
ALE
Ret
HUN
BEL
ITA
Ret
POR
Ret
EUR
13º
JAP
Ret
AUS
Ret
8 12º
1993 Ligier Gitanes Blondes Ligier JS39 Renault RS5 V10 G AFS
BRA
EUR
Ret
SMR
Ret
ESP
MON
Ret
CAN
Ret
FRA
Ret
GBR
ALE
HUN
BEL
11º
ITA
Ret
POR
Ret
JAP
AUS
10 10º
1991 Motor Racing Developments Ltd Brabham BT59Y Yamaha OX99 V12 P EUA
Ret
BRA
Ret
1 19º
Brabham BT60Y SMR
MON
Ret
CAN
NQ
MEX
Ret
FRA
Ret
GBR
Ret
ALE
12º
HUN
Ret
BEL
ITA
12º
POR
Ret
ESP
Ret
JAP
NPQ
AUS
17º

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b About Mark Site oficial de Mark Blundell (2012). Visitado em 23 de junho de 2013.
  2. "Brundle to step back from 2MB role", autosport.com, 7 de janeiro de 2009. Página visitada em 7 de janeiro de 2009.
  3. "A Senna moment: Wheldon tragedy must change this sport forever, says Blundell", Daily Mail, 17 de outubro de 2011.