Na Onda do Iê-iê-iê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Na Onda do Iê-Iê-Iê)
Ir para: navegação, pesquisa
Na Onda do Iê-iê-iê
Na Onda do Iê-iê-iê.jpg
 Brasil
1966 •  P&B •  111 min 
Direção Aurélio Teixeira
Produção Jarbas Barbosa Produções Cinematográficas
Roteiro Renato Aragão
Jarbas Barbosa
Braz Chediak
Aurélio Teixeira
Elenco Renato Aragão
Silvio César
Dedé Santana
José Augusto Branco
Mário Lago
Chacrinha
Valentina Godoy
Género Comédia, musical
Música Remo Usai
Direção de arte Alexandre Horvath
Direção de fotografia José Rosa
Edição Rafael Justo Valverde
Idioma português
Cronologia
Adorável Trapalhão (1966)
Página no IMDb (em inglês)

Na Onda do Iê-iê-iê é um filme brasileiro de 1966, dirigido por Aurélio Teixeira. É o primeiro filme do grupo humorístico Os Trapalhões e a estreia de Renato Aragão no cinema.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Os amigos Didi (Renato Aragão) e Maloca (Dedé) (Dedé Santana) ajudam o cantor César Silva (Silvio César) a vencer no mundo artístico. Ele se apresenta no programa de calouros do Chacrinha, concorre no Festival da Canção Popular Brasileira e se apaixona pela filha do dono de uma gravadora. Mas precisa enfrentar as armadilhas de um outro cantor, interessado em casar com a moça pelo dinheiro.

Participações[editar | editar código-fonte]

Nos números musicais, além de várias canções compostas e interpretadas por Silvio César, há ainda a apresentação de diversos artistas de sucesso da época. Paulo Sérgio (interpretando como calouro a canção Sentimental demais, de Altemar Dutra) esta foi sua primeira aparição pública, que até então, ainda era desconhecido e só faria sucesso em 1967. Foi Chacrinha quem lhe deu a ponta no filme, pois já imaginava que o jovem cantor iria estourar. Curiosamente o nome de Paulo Sérgio não foi creditado no filme. O longa traz ainda as participações de Wilson Simonal (com seu grande sucesso Mamãe passou açúcar em mim, de Carlos Imperial), Wanderley Cardoso, Rosemary, Clara Nunes, The Fevers, Os Vips e do baterista Miltinho, hoje membro do sexteto do programa de Jô Soares, em uma cena curta do filme. Muitos desses artistas brasileiros tiveram a chance de iniciar as suas carreiras identificando-se com o estilo musical dos anos 60 chamado de "Iê-iê-iê" que na verdade era o Rock 'n' Roll, mas no Brasil ganhou esse apelido, mas eram músicas agitadas e pesadas, com acompanhamento de guitarras elétricas, bateria, baixo, saxofone todos tocados bem alto.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.