Os Trapalhões e a Árvore da Juventude

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Os Trapalhões e a Árvore da Juventude
Os Trapalhões e a Árvore da Juventude.jpg
 Brasil
1991 •  cor •  100 min 
Direção José Alvarenga Júnior
Roteiro Mauro Wilson
Paulo Andrade
Elenco Renato Aragão
Dedé Santana
Mussum
Cristiana Oliveira
Andréia Faria
Carlos Loffler
Duda Little
Glenda Kozlowski
Género comédia
Música Jota Moraes
Idioma português
Cronologia
O Mistério de Robin Hood (1990)
O Noviço Rebelde (1997)

Os Trapalhões e a Árvore da Juventude é um filme brasileiro de 1991, do gênero comédia infanto-juvenil e aventura, dirigido por José Alvarenga Júnior e estrelado pela trupe humorística Os Trapalhões. O filme foi criado e feito especialmente para comemorar os 25 anos dos Trapalhões, sendo premiado no III Festival de Cine Infantil de Ciudad Guayana (Venezuela), em 1993.

Este foi o último filme d'Os Trapalhões como o trio remanescente, após a morte de Zacarias em 1990. Foi também o último filme de Mussum, falecido em 1994. Em 1997, é lançado o filme O Noviço Rebelde, em 1998 é lançado o filme Simão, o Fantasma Trapalhão, e também em 1999 é lançado o filme O Trapalhão e a Luz Azul, somente com Didi e Dedé, sendo que este já não trabalhava na Rede Globo. Somente em 2017, com Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood, foi que outro filme com Renato Aragão voltou a ter Os Trapalhões em seu título.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na Amazônia, Didi, Dedé e Mussum são os atrapalhados guardas florestais do posto 3, que lutam contra a ação de contrabandistas liderados pelo americano Dr. Stone (John Stanley). O trio é ajudado pela bela engenheira Juliana (Cristiana Oliveira) e por um grupo de estudantes que vieram a Amazônia para estudar as plantas. Em meio às lutas contra os serralheiros, os três vão parar em uma misteriosa caverna, onde encontram uma árvore, da qual jorra água da mística fonte da juventude. Ao beberem da tal água, os três viram crianças, e logo em seguida, jovens com 25 anos. Ao reencontrarem Juliana, eles assumem novas identidades e resolvem continuar no encalço dos bandidos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Vozes (dublagem)[editar | editar código-fonte]

Canções[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Thomas Boeira em sua crítica para o Papo de Cinema disse que "mesmo ficando longe de ser um filme perfeito, é capaz de deixar marcas satisfatórias tanto no público infantil quanto no adulto."[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Thomas Boeira (10 de abril de 2016). «Os Trapalhões e a Árvore da Juventude». www.papodecinema.com.br. Consultado em 24 de outubro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.