Wanderley Cardoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Wanderley Cardoso
Wanderley em 1966.
Informação geral
Nome completo Wanderley Conti Cardoso
Também conhecido(a) como O Bom Rapaz
Nascimento 10 de março de 1945 (75 anos)
Local de nascimento São Paulo, SP
Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Iê-iê-iê, Música romântica, gospel
Ocupação(ões) cantor
Instrumento(s) Vocal
Afiliação(ões) Jovem Guarda

Wanderley Conti Cardoso (São Paulo, 10 de março de 1945) é um cantor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido no bairro paulistano do Belenzinho, começou a carreira de intérprete aos 13 anos.[1] Morou nos bairros de Pirituba e Lapa em São Paulo. Estudou na Escola Estadual Guilherme Kuhlmann, onde concluiu o primário (1ª a 4ª série), no Largo da Lapa, Lapa de Baixo, em São Paulo.

Depois de cinco anos dedicados ao estudos, investiu com força no showbiz. Seu primeiro sucesso, gravado em 1965, chamava-se "Preste Atenção". Rapidamente se tornou um dos ídolos da Jovem Guarda, ganhando o apelido de "O Bom Rapaz", título de seu grande sucesso gravado em 1967, que vendeu mais de cinco milhões de cópias.

Foi apresentador de rádio e televisão e participou como um dos Trapalhões no programa "Os Adoráveis Trapalhões" na extinta TV Excelsior, ao lado de Renato Aragão, Ted Boy Marino e Ivon Curi. O cantor aparece em um número musical no filme de 1966 de Renato Aragão, Na Onda do Iê-iê-iê, no qual também pode ser visto Wilton Franco, que criou o famoso programa humorístico para a TV Excelsior.

Depois da Jovem Guarda e dos Adoráveis Trapalhões, foi contratado por Silvio Santos em 1970, juntamente com Paulo Sérgio e Antônio Marcos, para se apresentar semanalmente no quadro "Os Galãs cantam e dançam na TV", que trazia além dos 3 (três) contratados fixos, vários cantores convidados. Manteve o romantismo em seus shows e discos.

No início dos anos 70 foi barbaramente espancado na cidade de Uberaba, Minas Gerais,onde realizaria um show.[2] O ato de violência foi praticado por vários "playboys", ricos fazendeiros e industriais da região. Os fatos não foram devidamente apurados, devido ao grande poder dos empresários de Uberaba junto aos militares que governavam o país.

No cinema, protagonizou vários filmes e participou de algumas peças de teatro e telenovelas. Outro de seus sucessos foi "Adeus Ingrata" que lançou no filme O Pobre Príncipe Encantado, o qual conta com a participação de Flávio Migliaccio e Vanusa.

Ao longo de sua carreira, gravou mais de 900 músicas e vendeu cerca de dezesseis milhões de cópias de seus 84 discos. Lançou um DVD, com participações de vários artistas brasileiros.

Atualmente mora em Campinas, e tem um novo CD, só com musicas italianas, que será lançado brevemente.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.