O Trapalhão e a Luz Azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
O Trapalhão e a Luz Azul
 Brasil
1999 •  cor •  80 min 
Direção Paulo Aragão
Alexandre Boury
Produção Daniel Filho
Produção executiva Tininho Fonseca
Roteiro Renato Aragão
Paulo Cursino
Elenco Renato Aragão
André Segatti
Dedé Santana
Adriana Esteves
Christine Fernandes
Danielle Winitz
Rodrigo Santoro
Gênero comédia
Música Duda Aragão
Caxa Aragão
Lincoln Olivetti
Fernando Moura
Cinematografia Nonato Estrela
Companhia(s) produtora(s) Renato Aragão Produções Artísticas
Lereby Produções
Globo Filmes
Distribuição Lumière Pictures
Europa Filmes
Lançamento 17 de dezembro de 1999[1]
Idioma Português
Cronologia
Simão, o Fantasma Trapalhão (1998)
Um Anjo Trapalhão (2000)
Página no IMDb (em inglês)

O Trapalhão e a Luz Azul é um filme brasileiro de 1999 dirigido por Paulo Aragão e Alexandre Boury.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O cantor Davi (André Segatti) e seu melhor amigo Didi (Renato Aragão) são transportados magicamente para um mundo distante onde todos os seus conhecidos vivem com outras identidades, tudo isso a partir de um poderoso cajado que Didi encontrou. Os dois vão parar no reino mágico de Taniz, onde o asqueroso Vizir (Dedé Santana) quer tomar posse de todo o reino e se casar com a princesa Allim (Christine Fernandes). A situação complica-se quando Vizir se alia ao malvado guerrilheiro Naval (Roberto Guilherme) e toma posse de todo o reino. Para salvar o lugar e seus habitantes, cabe a Didi encontrar a Luz Azul, uma luz mítica e muito poderosa dotada de grandes poderes mágicos. O único problema é que a tal Luz está nas mãos da malvada Bruxa Corona (Danielle Winitz). Para isso, o trapalhão contará com a ajuda de Tatu (Helder Agostini) e Pedrinha (Debby Lagranha), duas crianças camponesas e da serva Anajuli (Adriana Esteves) por quem Didi se apaixona.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco Papel
Renato Aragão Didi
Dedé Santana Dedé / Vizir
Roberto Guilherme Sr. Rabugento (Patrão) / Naval (Vilão)
Adriana Esteves Juliana / Anajuli
Danielle Winits Corina / Bruxa Corona
André Segatti Davi / Príncipe Levi
Christine Fernandes Milla / Princesa Allim
Helder Agostini Pedrinho / Tatu
Debby Lagranha Tuta / Pedrinha
Terezinha Elisa Rainha Flora
Rodrigo Santoro D'Artagnan
Livian Aragão Filha de Anajuli
Thierry Figueira Mosqueteiro Aramis
Eliezer Motta Padre do Reino
Ivan de Albuquerque Velho Mago
Charles Myara
Márcio Trigo
Marisa Aragão

O filme também contou com a participação musical de SNZ, Caxa, O Rappa, Raimundos e também com a participação especial do ex-MTV Cazé Peçanha como o apresentador do festival.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

  • Indicado ao Grande Prêmio Brasil de Cinema na categoria de Melhor Ator (Renato Aragão) e Melhor Direção de Arte (Yurika Yamasaki).

Fonte IMDB.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O filme foi o último da dupla Didi e Dedé. Ambos só retomariam a parceria dez anos depois em 2008.
  • A bilheteria nos cinemas foi de 771.831 espectadores pagantes, de acordo com a Ancine.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Página do Filme (no site da Globo Filmes)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Temporada de caça aos 'baixinhos': Xuxa e Didi lançam novos filmes hoje». Folha de S.Paulo. 17 de dezembro de 1999. Consultado em 13 de maio de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.