Os Saltimbancos Trapalhões

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os Saltimbancos Trapalhões
Os Saltimbancos Trapalhões.jpg
 Brasil
1981 •  cor •  95 min 
Direção J. B. Tanko
Roteiro Renato Aragão
Antonio Pedro
Gilvan Pereira
J.B. Tanko
Tereza Trautman
Baseado em Os Saltimbancos de Sergio Bardotti e Luis Enríquez Bacalov
Elenco Renato Aragão
Mussum
Dedé Santana
Zacarias
Lucinha Lins
Mário Cardoso
Eduardo Conde
Mila Moreira
Género Comédia
Lançamento Brasil 21 de dezembro de 1981
Idioma português
Cronologia
Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood (2017)
Página no IMDb (em inglês)

Os Saltimbancos Trapalhões é um filme brasileiro estrelado pelo grupo humorístico Os Trapalhões em 1981, baseado na peça teatral Os Saltimbancos [nota 1], de Sergio Bardotti e Luis Enríquez Bacalov, adaptada para o português por Chico Buarque, por sua vez uma adaptação do conto Os Músicos de Bremen dos Irmãos Grimm. Foi dirigido por J. B. Tanko e lançado em 1981, sendo considerado pela crítica como o melhor filme do grupo[2]. O picadeiro utilizado no filme pertence ao Circo Irmãos Power.[nota 2]

Em 2014, foi lançada uma versão para o teatro, Os Saltimbancos Trapalhões - O Musical, montada por Charles Möeller e Claudio Botelho,[3] no ano seguinte, foi confirmado um novo filme inspirada na peça.[4] Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood, dirigido por João Daniel Tikhomiroff, que estreou em 19 de janeiro 2017, mantendo os Trapalhões sobreviventes Renato Aragão e Dedé Santana e contando com o circo de Marcos Frota, que no filme interpreta Satã, o gerente do circo. No elenco estão Letícia Colin como Karina, Emilio Dantas como Frank, Rafael Vitti, Maria Clara Gueiros, Roberto Guilherme e Lívian Aragão.[3][5] Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[6]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, funcionários humildes, trabalham no Grand Circo Bartholo como contra-regras, mas arrumam tantas trapalhadas quando aparecem para o público que passam a ser número obrigatório e a maior atração, sendo explorados, em sua ingenuidade por Barão (Paulo Fortes), o dono do circo. A filha de Barão, Karina (Lucinha Lins), por quem Didi está apaixonado, é bailarina e namorada de Frank, o acrobata, que é objeto de desejo de Tigrana (Mila Moreira), a domadora de leões e assistente do perverso mágico e hipnotizador Assis Satã (Eduardo Conde). Enciumado, Satã, sócio do Barão, conta que Frank está conscientizando os Trapalhões e promete afastá-lo de Karina e do circo, desde que seja dobrada sua participação nos lucros. Rapta Frank e o prende na casa onde Barão guarda o dinheiro que lucra, com o qual pretende reviver o fausto que a família teve no passado e arrumar um casamento milionário para Karina. Os Trapalhões, sonhando com a liberdade, e Karina, julgando ter sido abandonada por Frank, fogem para a cidade grande, imaginando chegar a Hollywood. A realidade das ruas é dura e eles voltam, conseguindo salvar Frank. Em conjunto com os outros artistas do circo, Frank, Karina e os Trapalhões arregimentam um grande público e procuram o Barão, que aceita contratá-los de maneira mais digna ao vê-los unidos e ao perceber que a força do espetáculo está com eles. No fim da grande apresentação, Karina convida Didi para ser o padrinho de seu casamento com Frank, deixando o trapalhão decepcionado, mas o espetáculo tem que continuar.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco Papel
Renato Aragão Didi
Dedé Santana Dedé
Mussum Mussum
Zacarias Zacarias
Lucinha Lins Karina Bartholo
Mário Cardoso Frank Severino
Mila Moreira Tigrana
Ivan Lins Ivan Lins
Eduardo Conde Assis Satã
Paulo Fortes Barão Bartholo
Carlos Kurt Leão de chácara / Policial
Amauri Guarilha
Anão Quinzinho
Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o


Recepção[editar | editar código-fonte]

Rodrigo Carreiro em sua crítica para o Cine Repórter escreveu: "Apesar das virtudes, é bem provável que as crianças do século XXI não simpatizem com a obra. O filme parece lento demais para pequenos espectadores acostumados à velocidade supersônica das tramas dos desenhos animados e videogames contemporâneos, enquanto as gags físicas e repetitivas de Os Trapalhões padecem de uma ingenuidade que simplesmente não existe mais nem mesmo nas crianças, muito mais cínicas do que os pirralhos de antigamente. É provável que filmes como 'Os Saltimbancos Trapalhões' estejam destinados a se tornarem artigos de museu, mas sempre existirão por aí alguns adultos nostálgicos da infância – e este é o público-alvo perfeito para este tipo de longa-metragem."[7]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora de Os Saltimbancos Trapalhões constitui-se de versões para as faixas que integravam Os Saltimbancos, musical infantil de Sergio Bardotti, Luis Enríquez Bacalov e Chico Buarque, e que teve montagem histórica no teatro Canecão com artistas como Nara Leão e Miúcha. Os números utilizados no filme são os seguintes:

  • Piruetas - Chico Buarque & Os Trapalhões
  • Hollywood - Lucinha Lins & Os Trapalhões
  • Alô, liberdade - Bebel Gilberto & Os Trapalhões
  • A cidade dos artistas - Elba Ramalho & Os Trapalhões
  • História de uma gata - Lucinha Lins
  • Rebichada - Chico Buarque & Os Trapalhões
  • Minha canção - Lucinha Lins
  • Meu caro barão - Chico Buarque & Os Trapalhões
  • Todos juntos - Lucinha Lins & Os Trapalhões

Notas

  1. I Musicanti no original[1]
  2. O Circo Irmãos Power ainda existe e inclusive possui um website oficial. Acesso em 01/12/2011

Referências

  1. Glauce Rocha apresenta o espetáculo “Saltimbancos” até dia 2 de outubro
  2. Crítica no website Cine Reporter. Acesso em 01/12/2011.
  3. a b Didi e Dedé refilmam 'Os Saltimbancos Trapalhões', sucesso do grupo em 1981
  4. Louise Soares (19 de outubro de 2014). «Estreando no teatro aos 78 anos, Dedé Santana quer atuar em filme sério». F5 - televisão. Consultado em 19 de outubro de 2014 
  5. «Novo "Saltimbancos" reúne Didi e Dedé e terá Marcos Frota e Lívian Aragão». UOL Cinema. Consultado em 6 de Agosto de 2016 
  6. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  7. Rodrigo Carreiro (1 de abril de 2008). «Saltimbancos Trapalhões, Os». www.cinereporter.com.br. Consultado em 20 de outubro de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.