Neville d'Almeida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Neville de Almeida)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Neville d'Almeida
Neville d'Almeida
Neville de Almeida, 2014
Nome completo Neville Duarte de Almeida
Nascimento 1941 (78 anos)
Belo Horizonte
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Residência Ilha da Jigoia, Barra da Tijuca
Ocupação Cineasta, escritor, fotógrafo e artista plástico

Neville Duarte de Almeida (Belo Horizonte, 1941) é um cineasta, roteirista, escritor, ator, fotografo e artista multimídia brasileiro, ligado a arte contemporânea, instalações, objetos de arte e performance.[1]


Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, filho de uma família protestante.

Iniciou sua trajetória no cinema em Belo Horizonte no Centro de Estudo Cinematográficos (CEC), foi um dos fundadores do CEMICE – Centro Mineiro de Cinema Experimental. Estudou teatro, no TU (Teatro Universitário de Minas Gerais).[2]

Em 1973,em Nova York, realizou com o artista Hélio Oiticica, uma série de instalações conhecida como Cosmococa, também conhecida como QUASI CINEMA, que vieram a ser as primeiras instalações audiovisuais interativas e sensoriais da história da Arte Contemporânea. Atualmente, a obra está exposta em um pavilhão permanente no museu Inhotim.[3][4]

Com liberdade e ousadia tornou-se um dos mais polêmicos cineastas brasileiros. Perseguido pela censura da ditadura militar, teve quatro filmes proibidos e interditados.

A Dama do Lotação, dirigido por ele em 1978, foi o terceiro filme mais visto da história do cinema brasileiro.[1]Seu filme Rio Babilônia, de 1982, foi recordista de audiência do cinema brasileiro na televisão.

É autor de mais de 25 roteiros originais, adaptações literárias, parcerias com autores consagrados como: Michel Melamed, Jorge Mautner, Mario Bortoloto, Duncan Lindsay, João Ubaldo Ribeiro, Glauber Rocha, Plinio Marcos, Nelson Rodrigues, Hélio Oiticica e atualmente está trabalhando em um projeto com Paulo Lins e Duca Rachid.

Dirigiu atrizes como: Sonia Braga, Regina Casé, Claudia Raia, Louise Cardoso, Norma Bengell, Christiane Torloni, Glauci Rocha, Dina Sfat, Bruna Linzmeyer, Vera Fischer entre outras. Trabalhou com atores como: José Mayer, Paulo Cezar Pereio, Carlinhos de Jesus, Nuno Leal Maia, Jorge Doria, Mauricio Do Valle, Lima Duarte, Antônio Fagundes, Antônio Pitanga, Jhonny Massaro, Chay Suede, entre outros.

As trilhas sonoras dos filmes de Neville tiveram composições originais de autores como: Edu Krieger, Lulu Santos, Andre Abujamra “Karnak”, Mú Carvalho, Ivo Meireles, Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Lobão, Lincoln Ollivett, Robson Jorge, Carlinhos Brown, Caetano Veloso entre outros.

Neville participou da Bienal de Veneza de 2011, representando o Brasil no pavilhão latino Americano. Participou de mais de 50 exposições em alguns dos museus mais importantes do mundo; no setembro de 2017, participou como artista convidado,da exposição Hélio Oiticica -To Organize a Delirium, no Whitney Museum of American Art em Nova Iorque.

Trabalha e mora no Rio de Janeiro, na Ilha da Gigóia.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Premiado em vários festivais,entre eles 

Presidente da Associação Brasileira de Cineastas 1990 – 1992.

Seu filme “Mangue-Bangue” faz parte da coleção permanente da Cinemateca do MOMA – Museu de Arte Moderna de Nova Iorque como “Ícone da Contra Cultura do Cinema Mundial”.[5]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Como ator[editar | editar código-fonte]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Neville d' Almeida, Cronista da beleza e do caos (2018)
  • Block - Experiments in Cosmococa - Program i progress, Hélio Oiticica And Neville D' Almeida(2013).
  • A dama da internet (2012), romance
  • Além Cinema - Tabamazônica (2009)
  • COSMOCOCA Programa in Progress (2005)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Dono da terceira maior bilheteria do país, Neville D'Almeida lança filme e ganha documentário». O Globo. 1 de março de 2015. Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  2. Produção/Divulgação, Leo Lara/Universo. «'Acho que sou pioneiro', resume Neville D'Almeida, diretor de 'A Dama do Lotação'». Home. Consultado em 13 de fevereiro de 2019 
  3. «Galeria Cosmococa : Inhotim» (em inglês). Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  4. «ISTOÉ Gente». www.terra.com.br. Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  5. [1]
Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.