Andrés D'Alessandro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
D'Alessandro
D'Alessandro
D'Alessandro treinando no Estádio Beira-Rio.
Informações pessoais
Nome completo Andrés Nicolás D'Alessandro
Data de nasc. 15 de abril de 1981 (33 anos)
Local de nasc. Buenos Aires,  Argentina
Nacionalidade Argentina argentino
Altura 1,74 m
Canhoto
Apelido El Cabezón'
Informações profissionais
Clube atual Brasil Internacional
Número 10
Posição Meio-Campista
Clubes de juventude
1991-2000 Argentina River Plate
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
20002003
20032007
2006
20062007
20072008
2008
2008
Argentina River Plate
Alemanha Wolfsburg
Inglaterra Portsmouth (emp.)
Espanha Zaragoza (emp.)
Espanha Zaragoza
Argentina San Lorenzo (emp.)
Brasil Internacional
089 000(24)
071 000(10)
013 0000(1)
041 0000(4)
019 0000(2)
024 0000(2)
298 000(70)
Seleção nacional3
20012011 Flag of Argentina.svg Argentina 028 0000(4)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 8 de outubro de 2014.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 15 de abril de 2014.

Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Atenas 2004 Equipe

Andrés Nicolás D'Alessandro (Buenos Aires, 15 de abril de 1981) é um futebolista argentino que atua como meia. Atualmente joga pelo Internacional. Integra o movimento Bom Senso F.C., que objetiva melhorar as condições do futebol brasileiro.[1] Atualmente detêm o título de melhor jogador estrangeiro atuando no futebol brasileiro.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

O meia D'Alessandro foi revelado nas categorias de base do River Plate, destacando-se por sua habilidade, inteligência, chutes precisos e personalidade forte. A partir dali chamou a atenção de José Pekerman, treinador da Seleção Argentina de Futebol Sub-20.

Em 2001, junto com Leandro Romagnoli, Javier Saviola e Maxi Rodriguez, D'Alessandro conquistou o Campeonato Mundial Sub-20, sendo eleito o segundo melhor jogador da competição disputada na própria Argentina.

Em meados de julho de 2003 o meia D'Alessandro foi negociado pelo River Plate com o Wolfsburg, da Alemanha, cujo principal acionista é a empresa automobilística alemã Volkswagen, por aproximadamente 9 milhões de euros ou 25,5 milhões de reais.

Nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, D'Alessandro ajudou a Seleção Argentina, então comandada pelo técnico Marcelo Bielsa, a conquistar a inédita medalha de ouro no futebol, após vitória por 1 a 0 sobre o Paraguai.

Em janeiro de 2006, D'Alessandro transferiu-se para o Portsmouth, da Inglaterra, por empréstimo até o fim da temporada 2005/2006. O clube inglês estava lutando contra o rebaixamento e a chegada do meia argentino foi muito importante, tanto que o time acabou a competição em 17º lugar, com 38 pontos, quatro pontos à frente do Birmingham, o primeiro rebaixado. A ida de D'Alessandro para o futebol inglês ocorreu por insistência de sua esposa, que estava grávida de oito meses, e que não podia viajar por longas distâncias (na época, o meia estava acertando seu retorno ao clube que o revelou, o River Plate). Apesar disso, o atleta ainda argumentou que foi apenas para não perder o nascimento de Martina.

No início da temporada 2006/2007, o meia argentino foi emprestado ao Real Zaragoza, da Espanha, onde permaneceu até o fim da temporada. Para a temporada seguinte (2007/2008), seus direitos federativos foram adquiridos em definitivo pelo clube espanhol, mas o mau desempenho da equipe fez com que D'Alessandro fosse emprestado, em janeiro de 2008, para o San Lorenzo, que comemorava 100 anos de vida e que possuía como treinador Ramón Díaz, que foi o primeiro treinador do meia no time profissional do River Plate.

O clube argentino pagou ao Real Zaragoza cerca de 9 milhões de reais para contar com o jogador na disputa da Taça Libertadores da América de 2008. Nessa competição, o time argentino foi eliminado nas quartas-de-final pela futura campeã LDU Quito, do Equador, após dois empates em 1 a 1 e derrota nos pênaltis por 4 a 3 no jogo de volta, em Quito.

Internacional[editar | editar código-fonte]

Terminado seu empréstimo ao San Lorenzo, D'Alessandro foi comprado pelo Internacional, assinando um contrato de 4 anos por 5 milhões de euros, cerca de 13,5 milhões de reais.

Fez sua estreia pelo Internacional no dia 13 de agosto de 2008 contra o Grêmio, pela Copa Sul-Americana, jogo que terminou em 1 a 1, onde o Inter eliminou seu arquirrival, se tornando campeão deste campeonato ao seu final.

Fez seu primeiro gol com a camisa do Inter no dia 14 setembro de 2008 contra o Botafogo, pelo campeonato brasileiro, na vitória da equipe colorada por 2 a 1. No mesmo ano fez seu 1º gol em grenais, abrindo o placar no Beira-Rio.

Até o final do ano de 2008 D'Alessandro jogou com a camisa 15 do Internacional, por este ser o número usado por ele nos jogos da Seleção da Argentina e também porque o ídolo Alex era o dono da 10 na época. Mas, a pedido de Fernando Carvalho, ex-presidente do clube, e também com a saída de Alex para o futebol russo, D'Alessandro passou a usar o número 10.

Jogando pelo Internacional, o meia conquistou a Copa Sul-Americana de 2008 sendo um dos destaques da equipe que conquistou o título na final contra o Estudiantes, da Argentina. Nessa competição, o meia marcou dois gols no segundo jogo semifinal contra o Chivas Guadalajara, do México, no Estádio Beira-Rio.

Também foi campeão invicto do Campeonato Gaúcho de 2009.

Em julho de 2009, D'Alessandro teve de ser afastado do grupo colorado para fazer um recondicionamento físico, forçado por uma lesão na perna direita.

Voltou a jogar em 10 de Agosto de 2009 na vitória por 3 a 0 contra o Sport, substituindo Andrezinho nos minutos finais e marcando o terceiro gol contra o time pernambucano.

Entretanto, apenas quatro dias após voltar ao time, o meia argentino foi punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva com cinco partidas de suspensão, em face de uma confusão protagonizada pelo meia no jogo final da Copa do Brasil 2009, diante do Corinthians, no Estádio Beira-Rio: depois de ser expulso de campo, D'Alessandro tentou brigar com o zagueiro Willian, do time paulista e houve vários minutos de paralisação. Essa punição foi de certa forma boa para o Internacional e para o próprio atleta, tendo em vista que a suspensão poderia chegar a 14 jogos. Essa punição só poderia ser cumprida em jogos do Campeonato Brasileiro.

Ele retornou ao time do Internacional na partida contra o Atlético Mineiro, no dia 2 de setembro de 2009, pelo Campeonato Brasileiro. D'Alessandro entrou no intervalo da partida, marcou o segundo gol da vitória por 3 x 0 e foi considerado o melhor jogador em campo.

No dia 27 de janeiro de 2010, em uma partida válida pelo Campeonato Gaúcho, D'Alessandro sofreu uma entrada muito forte do zagueiro Ferreira, do Juventude. O defensor do time de Caxias do Sul, além da entrada violenta, desferiu um violento golpe com o joelho no rosto de D'Alessandro. O argentino foi levado imediatamente para um hospital de Porto Alegre, onde, após exames, ficou constatada uma fratura ao lado do olho direito. Por isso, foi colocada uma placa metálica com microparafusos no local da lesão. Tal placa ficaria de forma permanente no rosto do jogador, e esse procedimento afastou D'Alessandro por aproximadamente 40 dias dos gramados, impedindo-o de jogar parte do Campeonato Gaúcho e da estreia do Internacional na Taça Libertadores da América de 2010.

D'Alessandro voltou a jogar futebol no dia 3 de março de 2010, quando entrou no segundo tempo do jogo contra o Santa Cruz, válido pelo Campeonato Gaúcho e que teve vitória do time Colorado por 4 a 1. Já no dia 11 de março, D'Alessandro entrou no segundo tempo da partida contra o Deportivo Quito, na capital do Equador, válida pela segunda rodada da Taça Libertadores da América de 2010.

E no dia 18 de agosto de 2010, D'Alessandro realizou o maior sonho de sua carreira: ser campeão da Taça Libertadores da América. Envergando a camisa 10 do Internacional, o meia argentino foi um dos maiores responsáveis pela conquista, sempre entregando-se ao máximo nos jogos e garantindo a eterna gratidão dos colorados. Em 13 de maio de 2013, D'Alessandro conquistou seu primeiro título como capitão do Internacional. O jogador voltava de lesão, e entrou no intervalo de jogo, no lugar de Tinga. O time perdia por 1-0, para o Caxias, no estádio Beira-Rio, e D'Alessandro, como sempre, deu outra cara à equipe. O Internacional virou o jogo, com gols de Sandro Silva e Damião e levantou o caneco pela 41ª vez.

O ano de 2013 foi muito positivo para o argentino, além de comandar a equipe colorada durante a temporada, o jogador atingiu diversos recordes com a camisa vermelha. Em março, no jogo contra o Canoas válido pelo Gauchão, D'Alessandro completou seu jogo de número 200 com a camisa do Internacional. Em 22 de agosto de 2013, D'Alessandro fez seu gol de Nº 50 com a camisa do Internacional contra o Salgueiro no jogo válido pela oitavas da Copa do Brasil.[3]

Em 7 de setembro de 2013, D'Ale marcou seu centésimo gol da carreira ao converter pênalti contra a Ponte Preta pelo Brasileirão. Mais da metade dos gols marcados por D'Alessandro foram pelo próprio Internacional, tamanha a identificação do jogador com o clube.[4]

No dia 06 de abril de 2014, entrou para a história ao marcar o primeiro gol da reinauguração do Estádio Beira Rio, numa partida amistosa contra o Peñarol, do Uruguai. D´Alessandro ainda marcou o segundo gol da vitória do time da casa pelo placar de 2 x 1.[5]

Seleção nacional[editar | editar código-fonte]

Jogando com a Seleção Argentina, D'Alessandro conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas, onde atuou ao lado de jogadores como Carlos Tévez, Javier Mascherano, Luis González, Roberto Ayala, entre outros. Também participou da Copa América de 2004, realizada no Peru, sendo vice-campeão após perdeu a final nos pênaltis contra a Seleção Brasileira. Na decisão por pênaltis, D'Alessandro foi um dos que desperdiçaram a cobrança, defendida pelo goleiro brasileiro Júlio Cesar.

D'Alessandro não era convocado para a Seleção Argentina desde Agosto de 2008, quando o técnico Alfio Basile comandou a equipe nos jogos contra a Seleção Paraguaia e a Seleção Peruana.

Sob o comando de Maradona, D'Alessandro não foi convocado nenhuma vez para a Seleção Argentina.

Após a conquista da Copa Libertadores da América de 2010, D'Alessandro voltou a ser convocado para a Seleção Argentina pelo técnico Sergio Batista, para o amistoso contra a atual seleção campeã do mundo, a Espanha.

Nesse jogo, disputado no dia 7 de setembro de 2010, no Estádio Monumental de Núñez, D'Alessandro entrou em campo aos 44 minutos do segundo tempo, no lugar de Messi. Apesar do pouco tempo, conseguiu armar a jogada do quarto gol da Argentina, marcado por Sergio Aguero, e que fechou o placar na goleada de 4 a 1 sobre a atual campeã mundial.

Na segunda convocação de Sergio Batista, para o amistoso contra o Japão, D'Alessandro também esteve presente.[6] Após receber elogios do técnico durante os dias de preparação, o meia do Internacional atuou ao lado de Messi na armação de meio-campo da equipe.[7] Mas o meia não teve boa atuação e foi criticado pela imprensa de seu país.[8]

Com a confirmação de Sergio Batista como técnico da Seleção Argentina, o meia D'Alessandro foi novamente convocado para o amistoso do dia 17 de novembro de 2010, em Doha, no Qatar, contra a Seleção Brasileira.[9]

Ele entrou em campo no final do jogo, no lugar de Pastore e viu Messi fazer linda jogada individual e fazer o gol da vitória da equipe comandada por Sergio Batista, a primeira da Seleção Argentina sobre a Seleção Brasileira desde 2005.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube País Temporada fd Partidas Gols
River Plate Argentina 1999/2000 1 0
River Plate Argentina 2000/2001 4 0
River Plate Argentina 2001/2002 36 9
River Plate Argentina 2002/2003 29 10
Wolfsburg Alemanha 2003/2004 29 3
Wolfsburg Alemanha 2004/2005 19 3
Wolfsburg Alemanha 2005/2006 13 2
Portsmouth Inglaterra 2006 13 1
Real Zaragoza Espanha 2006/2007 36 2
San Lorenzo Argentina 2008 15 3
Internacional Brasil 2008/2014 271 65

Internacional[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 17 de julho de 2013.

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais¹
Outros
torneios²
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Brasil Internacional 2008 11 2 7 2 18 4
2009 22 6 7 1 10 2 9 4 48 13
2010 20 1 15 1 10 3 45 5
2011 30 9 8 1 10 5 48 16
2012 21 1 5 1 7 1 33 3
2013 9 2 4 3 0 0 16 5 29 11
Total na carreira 113 21 11 4 38 5 52 18 227 51

Todos os Gols de D'Alessandro pelo Internacional:

Títulos[editar | editar código-fonte]

River Plate
Internacional
Seleção Argentina

Prêmios Individuais

  • Bola de Prata da Copa do Mundo da FIFA Sub-20: 2001
  • Seleção Ideal das Américas: 2001, 2002, 2008 e 2010
  • Melhor jogador das Américas: 2010
  • Bola de Bronze do Mundial de Clubes da FIFA: 2010
  • Troféu EFE do Campeonato Brasileiro: 2013

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]