Língua fula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fula (Fulfulde, Fuuta Jalon, Pulaar)
Falado em:  Benim
 Burkina Faso
Camarões
Chade
Gâmbia
Gana
Guiné
Guiné-Bissau
Mali
Mauritânia
Níger
Nigéria
República Centro-Africana
Senegal
Serra Leoa
Sudão
Togo
Total de falantes: de 10 000 000 a 16 000 000
Família: Nigero-congolesa
 [1] Atlântico-Congo
  Atlântico
   Setentrional
    Senegambiano
     Fula
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

A língua fula ou fulani (também chamada peul em francês, pullaar em wolof, fulbe, fulfulde ou pular, em fula) é uma língua do ramo senegambiano das línguas nigero-congolesas falada principalmente na África Ocidental pela etnia fulani.

Geografia[editar | editar código-fonte]

É falada numa área que vai desde o Senegal até Camarões, ao sul, e o Sudão, a leste. Conta com 10 a 16 milhões de falantes e tem estatuto de língua oficial na Mauritânia, Senegal, Mali, Guiné, Burkina Faso, Níger, Nigéria e Camarões. É também falada, como segunda ou terceira língua, em Gâmbia, Chade, Serra Leoa, Benim, Guiné-Bissau, Sudão, República Centro-Africana, Costa do Marfim, Gana, Togo, Libéria e Gabão. .

Escrita[editar | editar código-fonte]

A escrita árabe foi adaptada para o fulani depois da conquista pelos árabes.

O alfabeto árabe foi introduzido entre os falantes de Fulani por missionárioss, administradores e estudiosos europeu. Foram desenvolvidos diversos modos de escrever o Fula. Algumas das convenções usadas pela escrita Fula foram estabelecidas na “conferência sobre ortografias africanas” em 1966 em Bamako no Mali, mas há diferenças entre as grafias dos diversos países.

  • em Senegal, Gâmbia e Mauritânia são usados 36 símbolos (inclui letras modificadas e combinadas) não tem q, v, z
  • em Guiné-Bissau, Serra Leoa e Libéria são usados 31 (inclui letras modificadas e combinadas) não tem q, v, z

O Ethnologue não a considera uma língua, mas separa-a em várias línguas, atribuindo um código diferente para cada uma delas.

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Innama aadeeji fof poti, ndimɗidi e jibinannde to bannge hakkeeji. Eɓe ngoodi miijo e hakkilantaagal ete eɓe poti huufo ndirde e nder ɓ iynguyummaagu.

Português

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade. (artigo 1º - Declaração Universal dos Direitos Humanos)


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Derivado da classificação de Etnhologue

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.