Matinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Matinhos
"A Namorada do Paraná"
Matinhos

Matinhos
Bandeira de Matinhos
Brasão de Matinhos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de junho de 1967 (47 anos)
Fundação 30 de julho de 1938
Gentílico matinhense
Padroeiro(a) São Pedro
Prefeito(a) Eduardo Antônio Dalmora (PDT)
(2009–2012)
Localização
Localização de Matinhos
Localização de Matinhos no Paraná
Matinhos está localizado em: Brasil
Matinhos
Localização de Matinhos no Brasil
25° 49' 04" S 48° 32' 34" O25° 49' 04" S 48° 32' 34" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Metropolitana de Curitiba IBGE/2008[1]
Microrregião Paranaguá IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Guaratuba, Paranaguá e Pontal do Paraná
Distância até a capital 111 km
Características geográficas
Área 117,064 km² [2]
População 29 831 hab. estatísticas IBGE/2011[3]
Densidade 254,83 hab./km²
Altitude 3 m
Clima subtropical subquente super-úmido Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,793 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 335 277,449 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 13 988,55 IBGE/2008[5]
Página oficial

Matinhos é um município brasileiro no litoral do estado do Paraná. Pertence à Mesorregião Metropolitana de Curitiba e Microrregião de Paranaguá e localiza-se a sudeste da capital do estado, distando desta cerca de 111 km. Ocupa uma área de 117,064  km², sendo 4,75 km² estão em perímetro urbano,[6] e sua população em 2011 foi estimada em 29 831 habitantes,[3] sendo que em 2010 era o 61º mais populoso do estado paranaense.

A sede tem uma temperatura média anual de 19,5°C e na vegetação do município predomina a mata atlântica, com trechos de restinga ao longo de sua faixa litorânea. Com uma taxa de urbanização da ordem de 99%, o município contava, em 2009, com nove estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,793, considerando como médio em relação ao estado.

O município destaca-se pelas suas praias situadas nos 15 balneários, que atraem milhares de pessoas na alta temporada, sendo o balneário de Caiobá o maior de todos, onde estão a Praia Brava e a Praia Mansa. Também há a realização anual de diversas festas e eventos, como o Carnaval de Matinhos, em fevereiro ou março, e as feiras de artesanato, organizadas no decorrer do ano.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Há aproximadamente entre 3000 e 5000 anos atrás, vivia na região do atual município de Matinhos o "Homem do Sambaqui", que são um povo extinto e que deixou os primeiros vestígios da presença do homem naquela área.[7] Depois deles surgiram os índios Carijós, do Grupo Tupi-Guarani.[8]

Matinhos sofreu influência sócio-cultural dos povoadores de Paranaguá, e posteriormente dos de Guaratuba, por se tratar de ponto intermediário entre os dois municípios. Com o tempo foi se firmando como povoado, tendo vida própria, e participando da vida política regional.[8]

Em 1771 residia ali o alferes Antonio Carvalho Bueno, que foi nomeado pelo tenente-coronel Afonso Botelho, para servir de Juiz Ordinário na Vila de Guaratuba.[8]

Formação administrativa e etimologia[editar | editar código-fonte]

Até 1938 Matinhos estava diretamente ligado a Guaratuba, município a quem estava jurisdicionado, quando, por ato do Interventor Manoel Ribas, Guaratuba perdeu sua autonomia política, passando a pertencer ao município de Paranaguá. Como Matinhos pertencia territorialmente à Guaratuba, passou também à jurisdição de Paranaguá.[8] Pela Lei n° 613 do dia 27 de janeiro de 1951, Matinhos foi elevado à condição de distrito, ligado diretamente a Paranaguá, de quem se desmembrou a 12 de junho de 1967, pela Lei Estadual n° 05, sancionada pelo governador Paulo Pimentel, ganhando a condição de município emancipado.[8]

De origem geográfica, sua denominação provém da abundância de vegetação rasteira, típica da planície litorânea do Paraná.[9] "Matinhos" é uma palavra formada pelo termo "mato" acrescida do sufixo nominativo masculino plural "inhos". O termo "mato" é substantivo masculino de "mata", e origina-se do latim tardio "matta", terreno onde medram plantas agrestes. (ABHF, AGC, FT).[10]

A instalação do novo município se deu solenemente no dia 19 de dezembro de 1968, ocasião em que ocorreu a posse das autoridades municipais eleitas.[8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 117,064 km², sendo que 4,75 km² constituem a zona urbana e os 112,314 km² restantes constituem a zona rural.[6] Situa-se a 25°49'04" de latitude sul e 48°32'34" de longitude oeste e está a uma distância de 111 quilômetros a sul da capital paranaense. Seus municípios limítrofes são Guaratuba, a sul e oeste, e Paranaguá e Pontal do Paraná, a norte; além do Oceano Atlântico, a leste.[7]

Casas construídas sobre formações rochosas na área litorânea da cidade.

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

O relevo do município de Matinhos é predominantemente plano, sendo esta uma das características do litoral paranaense, onde predomina o tipo de relevo denominado planície litorânea, planície com cerca de 10 a 20 km de largura, constituída de formações arenosas, paludais terrestres, manguezais (paludais marinhos) e nas proximidades do complexo cristalino por terrenos de aluviões terrestres, não tendo formações de lagoas ou lagunas.[11] O município está inserido entre o maciço montanhoso da Serra da Prata e amplas áreas da planície costeira da Praia de Leste, havendo oito morros: Cabaraquara, Escalvado, Canela, Bico Torto, Taguá, Pedra Branca, Batatal e do Boi.[7]

O território é banhado por nove rios e córregos, sendo eles: da Draga, Matinhos, da Onça, Canal da Lagoa Amarela, Indaial, Novo, Cambará, do Meio e Cachoeirinha.[7] Um dos principais é o Rio da Onça, que passa pelo perímetro urbano e em suas margens situa-se o Parque Estadual Florestal do Rio da Onça, constituindo-se como um corredor biológico.[12]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima matinhense é caracterizado, segundo o IBGE, como subtropical subquente super-úmido (tipo Cfa segundo Köppen),[13] tendo temperatura média anual de 19,5 °C, com temperaturas amenas e chuvas constantes durante todo o ano.[14] [15] O mês mais quente, janeiro, tem temperatura média de 23,5 °C, sendo a média máxima de 28,3 °C e a mínima de 18,7 °C. E o mês mais frio, junho, de 16,0 °C, sendo 20,9 °C e 11,1 °C as médias máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[16]

A precipitação média anual é de 1955,1 mm, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem 64,8 mm. Em fevereiro, o mês mais chuvoso, a média fica em 313,1 mm.[16] Nos últimos anos, entretanto, dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 30 °C, especialmente entre julho e setembro. Em 9 de setembro de 1997, por exemplo, os termômetros chegaram perto dos 40ºC, em pleno inverno.[17] Segundo o Instituto Tecnológico SIMEPAR, a maior temperatura registrada no litoral paranaense foi de 41ºC, no dia 15 de fevereiro de 1975. Já a mínima foi observada no dia 10 de junho de 1967, quando foram observadas temperaturas negativas em algumas áreas.[17]

Segundo a Superintendência de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, de outubro de 1948 a março de 1980 e entre 2008 e 2011, o maior acumulado de chuva registrado em menos de 24 horas na cidade foi de 240,5 mm, observado no dia 28 de janeiro de 1951.[18] Outros grandes acumulados foram de 165,9 mm, no dia 28 de fevereiro de 1954;[19] 162,4 mm, em 23 de fevereiro de 1950;[20] e 161,0 mm, em 31 de março de 1954.[21]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Matinhos Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 28,3 27,4 27,4 25,1 23,9 20,9 21,9 21,6 21,0 22,9 24,3 26,2 24,2
Temperatura mínima média (°C) 18,7 19,0 18,3 15,7 13,1 11,1 10,9 12,0 12,8 14,3 15,7 17,5 14,9
Precipitação (mm) 261,5 313,1 263,5 159,9 116,6 105,5 64,8 83,0 129,0 157,3 139,5 161,4 1 955,1
Fonte: Jornal do Tempo[16]

Fauna e flora[editar | editar código-fonte]

Árvore centenária em Matinhos.

A vegetação nativa do município pertence ao domínio florestal Atlântico (Mata Atlântica), onde destacam-se árvores como os ipês, jacarandás, angicos, quaresmeiras, araucárias e cedro.[22] Também destaca-se nas áreas costeiras a restinga, que reduz a constante mudança das dunas formadas pela areia, depositadas nas praias pelas marés altas e transportadas pelos ventos. Há vários projetos com foco à preservação desse tipo de vegetação.[23]

Há duas áreas de preservação que se destacam na cidade. Uma delas é o Parque Estadual Florestal do Rio da Onça, que situa-se na região central do município, às margens do Rio da Onça. Foi criado pelo Decreto Estadual nº 3825, de 4 de junho de 1981, em uma área de reflorestamento que abrigava o depósito de lixo do município, tendo atualmente 1 660 hectares.[12] A outra área é o Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange, que foi criado pela Lei nº 10.227, de 23 de maio de 2001, sendo que tem 24 500 hectares, englobando áreas de Matinhos, Guaratuba, Morretes e Paranaguá. Nele o foco é a preservação da mata atlântica.[12]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Uma Igreja Católica na cidade, cuja religião é a que predomina em Matinhos.

Em 2011, a população do município foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 29 831 habitantes, apresentando uma densidade populacional de 18,04 habitantes por km².[3] Em 2010, 14 333 habitantes eram homens e 15 093 habitantes mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 29 277 habitantes viviam na zona urbana e 149 na zona rural.[24] A população matinhense era composta por 20 209 brancos (68,67%); 802 pretos (2,73%); 197 amarelos (0,67%); 8 086 pardos (27,48%); e 134 indígenas (0,46%).[25]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Matinhos é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Seu valor é de 0,793, sendo o 31° maior de todo estado do Paraná (em 399 municípios); o 387° de toda Região Sul do Brasil (em 1159) e o 715° de todo país (entre 5507).[4] A cidade possui a maioria dos indicadores médios e parecidos com os da média nacional segundo o PNUD.[26] [27] O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, é de 0,41, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[28] No ano de 2003, a incidência da pobreza, medida pelo IBGE, era de 45,80%, o limite inferior da incidência de pobreza era de 31,98%, o superior era de 59,61% e a incidência da pobreza subjetiva era de 26,50%.[28]

De acordo com dados do censo de 2000 realizado pelo IBGE, a população de Matinhos está composta por: Católicos (65,48%), evangélicos (23,30%), pessoas sem religião (6,62%), espíritas (0,44%) e 4,16% estão divididas entre outras religiões.[29]

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[30] O primeiro líder do poder executivo e prefeito do município foi Eros Aldo da Silveira Lépica, que tomou posse em 1968, após a emancipação da cidade. Em 14 mandatos, vários prefeitos passaram pela prefeitura de Matinhos.[31] Em 2008, quem venceu as Eleições municipais no Brasil no município foi Eduardo Antônio Dalmora, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), sendo eleito com 59,30% dos votos válidos. Por ter menos de 200 mil eleitores, não pode haver segundo turno no município.[32]

O Poder legislativo é constituído pela câmara, composta por nove vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[33] ) e está composta da seguinte forma:[34] três cadeiras do Partido do Democrático Trabalhista (PDT); três cadeiras do Democratas (DEM); duas cadeiras do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB); e uma do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias). O município se rege ainda por lei orgânica, que foi publicada em 3 de abril de 1990,[35] e é sede da Comarca de Matinhos, instalada no final do ano de 1998.[36] Possuía 24 296 eleitores em novembro de 2011, o que representava 0,318% do total do estado do Paraná.[37]

Economia[editar | editar código-fonte]

O produto interno bruto (PIB) de Matinhos é um dos maiores de sua microrregião,[5] destacando-se na área de prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2008, o PIB do município era de R$ 335 277,449 mil.[5] Em 2009, 18 716 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes.[5] O PIB per capita é de R$ 13 988,55[5]

Em 2009 havia 12 920 trabalhadores, sendo 7 426 pessoal ocupado total e 5 494 ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 53 678 mil reais e o salário médio mensal de todo município era de 1,8 salários mínimos. Havia 1 467 unidades locais e 1 434 empresas atuantes.[38]

Setor primário
Produção de arroz, cana-de-açúcar e mandioca (2010)[39]
Produto Área colhida (hectares) Produção (tonelada)
Arroz 53 265
Cana-de-açúcar 3 105
Mandioca 3 51

A agricultura é o setor menos relevante da economia de Matinhos. De todo o PIB da cidade 5 696 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[5] Segundo o IBGE, em 2010 o município possuía um rebanho de 90 bovinos, 80 equinos, 36 bubalinos, 310 suínos, 80 caprinos e 4 600 aves, dentre estas 2 000 galinhas e 2 600 galos, frangos e pintinhos.[40]

Em 2010 a cidade produziu 18 mil litros de leite de 50 vacas e 8 mil dúzias de ovos de galinha.[40] Na lavoura temporária são produzidos principalmente o arroz (265 toneladas), a cana-de-açúcar (105 toneladas) e a mandioca (51 toneladas).[39] Também destaca-se no município a pesca, para fins esportivos ou para subsistência das chamadas vilas de pescadores.[41]

Pescador em Matinhos. A pesca é uma das principais atividades econômicas relativas ao setor primário.
Setores secundário e terciário

A indústria, atualmente, é o segundo setor mais relevante para a economia do município. 31 572 reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[5] A produção industrial ainda é muito incipiente na cidade, mesmo que comece a dar sinais de aprimoramento, sendo resumida principalmente à área da agroindústria.[42]

O setor terciário é o mais relevante para a economia municipal. Em 2010, 229 886 reais do PIB de Matinhos eram do valor adicionado bruto do setor terciário,[5] destacando-se as áreas do turismo e do comércio. As praias de Matinhos são os principais atrativos do município, havendo, consequentemente, bastantes hotéis e pousadas,[43] que na alta temporada e durante feriados prolongados hospedam milhares de turistas que vêm de várias partes do Paraná, do Sul brasileiro ou mesmo de outros países,[44] [45] o que também favorece o desenvolvimento do movimento comercial matinhense, que tem se expandido bastante nos últimos anos.[46] Grande parte da atividade comercial do município concentra-se nas proximidades das praias e se dedica à venda de produtos artesanais.[47]

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Habitação, infraestrutura básica e criminalidade[editar | editar código-fonte]

No ano de 2010 a cidade tinha 9 723 domicílios particulares permanentes. Desse total, 8 745 eram casas, 100 eram casas de vila ou condomínios, 862 eram apartamentos e 16 eram habitações em cortiços ou casas de cômodo. Parte dessas residências conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. 9 087 domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água (93,45% do total); 9 660 (99,35%) possuíam banheiros para uso exclusivo das residências; 9 652 (99,26% deles) eram atendidos pelo serviço de coleta de lixo; e 9 688 (99,64%) possuíam abastecimento de energia elétrica.[48]

Como na maioria dos municípios médios e grandes brasileiros, a criminalidade ainda é um problema em Matinhos. Em 2008, a taxa de homicídios no município foi de 25,0 para cada 100 mil habitantes, ficando no 58° lugar a nível estadual e no 657° lugar a nível nacional.[49] O índice de suicídios naquele ano para cada 100 mil habitantes foi de 4,2, sendo 93° a nível estadual e o 1437° a nível nacional.[50] Já em relação à taxa de óbitos por acidentes de transito, o índice foi de 22,3 para cada 100 mil habitantes, ficando no 115° a nível estadual e no 929° lugar a nível nacional.[51] Por força da Constituição Federal do Brasil, o município possui uma Guarda Municipal, que tem função de proteger os bens, serviços e instalações públicas.[52]

Saúde e educação[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o município possuía nove estabelecimentos de saúde entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo sete deles públicos e dois privados e que todos estes públicos pertenciam à rede municipal. Neles a cidade possuía 15 leitos para internação, sendo que todos eles estavam nos públicos.[53] Em 2010 foram registrados 396 nascidos vivos[54] e dois óbitos, sendo que ambos os mortos eram mulheres.[55]

Na área da educação, o município, em 2009, contava com aproximadamente 7 459 matrículas e 29 escolas nas redes públicas e particulares.[56] Segundo dados da Secretaria de Estado da Educação (SEED), 323 crianças estudavam em creches e a taxa de analfabetismo de pessoas entre 20 e 24 anos era de 1,9%, sendo que o índice era maior entre pessoas maiores de 50 anos, sendo de 14%. Em 2000, o Índice de Desenvolvimento Humano da educação (IDHM-E) era de 0,894, classificando-se como elevado.[57]

Educação de Matinhos em números[56]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 582 35 10
Ensino fundamental 5 637 234 16
Ensino médio 1 240 70 3

Serviços[editar | editar código-fonte]

A distribuição de energia no município é fornecida pela Companhia Paranaense de Energia (Copel).[58] A energia que abastece da cidade é oriunda da Usina Hidrelétrica Governador Parigot de Souza, que foi inaugurada em 1970 e situa-se no município de Antonina, a 50 km de Curitiba.[59] Já o serviço de abastecimento de água de toda a cidade é feito pelo Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).[60]

O código de área (DDD) de Matinhos é 041[61] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) é 85117-000.[62] No dia 12 de janeiro de 2009 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outros municípios com o mesmo DDD. A portabilidade é um serviço que possibilita a troca da operadora sem a necessidade de se trocar o número do aparelho.[63] [64]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Canoas usadas para pesca em uma praia de Matinhos.

A frota municipal no ano de 2010 era de 8 724 veículos, sendo 4 775 automóveis, 254 caminhões, onze caminhões-trator, 487 caminhonetes, 256 caminhonetas, 27 microônibus, 1 981 motocicletas, 681 motonetas, 22 ônibus, 15 utilitários e 215 classificados como outros tipos de veículos.[65] Matinhos possui um terminal rodoviário, o Terminal Rodoviário José Bonatto.[66] Foi inaugurado em junho de 2000, tendo passado por reformas em 2011, e liga Matinhos, principalmente, a várias cidades do Paraná ou do estado de São Paulo.[67] A cidade também possui transporte coletivo urbano, feito pela Viação Oceânica Sul, atendendo a quase toda a cidade, além de manter integração de linhas com Pontal do Sul.[68]

Não existem aeroportos que operam na cidade. Há apenas o Aeroporto Santos Dumont (IATA: PNGICAO: SSPG), em Paranaguá, que situa-se a cerca de 40 km de Matinhos;[69] e o Aeroporto Internacional de Sao José dos Pinhais, em Curitiba.[70] A cidade é atendida pela PR-508 (Rodovia Elísio Pereira Alves Filho) – que a liga à BR-277 e, posteriormente, a todo o interior paranaense, até chegar em Foz do Iguaçu, na divisa com o Paraguai e a Argentina – e pela PR-407 (Rodovia Argus Tha Hein) – que margeia todo o litoral paranaense, ligando Matinhos às cidades que naquele estão situadas.[71] Não há transporte de cargas por via hidroviária, sendo que os barcos da cidade são utilizados principalmente para a pesca.[72]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A responsável pela gestão pública do setor cultural de Matinhos é a Secretaria Municipal de Esporte, Educação e Cultura, que tem como objetivo planejar e executar a política cultural e educacional do município por meio da elaboração de programas, projetos e atividades que visem ao desenvolvimento cultural. Está vinculada ao Gabinete do Prefeito, integra a administração pública indireta do município e possui autonomia administrativa e financeira, assegurada, especialmente, por dotações orçamentárias, patrimônio próprio, aplicação de suas receitas e assinatura de contratos e convênios com outras instituições.[73]

Eventos e gastronomia[editar | editar código-fonte]

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Matinhos, juntamente ou não com instituições locais, passou a investir mais no segmento de festas e eventos. Anualmente destacam-se as realizações do Projeto Praia Verão, com diversas atividades culturais e esportivas, entre janeiro de fevereiro;[74] o Concurso Princesinha do Mar do Paraná, concurso de beleza infantil que reúne meninas de todo o estado;[74] Carnaval de Matinhos, em fevereiro ou março;[75] do Ressacão, na primeira sexta-feira após o carnaval;[75] do Torneio de Pesca, em março;[74] do Expoarte, onde os artistas e artesãos se reúnem para expor seus trabalhos;[74] as comemorações do aniversário da cidade, que, apesar de ser no dia 12 de junho, têm programações que duram várias semanas; a Festa de São João, com festas e celebrações religiosas;[74] o Torneio de Pesca Noturno, que ocorre em setembro, sendo realizado pela Secretaria Municipal de Esporte e Educação;[74] as comemorações de Natal, em dezembro;[74] além do Reveillon, entre os dias 31 de dezembro e 1º de janeiro, celebrando o ano novo.[74]

O artesanato também se destaca no município. Surgiu pela necessidade da confecção de ferramentas para pescadores, e estas agradavam aos turistas, então passaram a ser comercializadas. Com o passar do tempo houve um crescimento do comércio para artesanato, e atualmente a produção artesanal de Matinhos tem como característica as matérias-primas naturais que são usadas, como fibras do coco, escamas e pele de peixe, fibras da bananeira, conchas e sementes.[76] Conforme já citado anteriormente, durante o ano são realizadas algumas feiras que têm foco à exibição e comércio de produtos artesanais, como a Feira de Artesanato do Balneário Gaivotas e da Expoarte.[74] [75]

Atrativos[editar | editar código-fonte]

Vista de Caiobá, o principal balneário de Matinhos.

Dentre os atrativos naturais, há de se destacar as praias situadas nos vários balneários que compõem o município de Matinhos. Dentre eles encontram-se: Corais, Jussara, Gaivotas, Iracema, Guacyara, Currais, Ipacaraí, Betaras, Solimar, Marajó, Saint Etiene, Florida, Riviera I e II e Flamingo, além da praia de Matinho, na Sede. O balneário de Caiobá é o maior de todos, sendo onde estão a Praia Brava, onde há realização de campeonatos de surf, e a Praia Mansa, que destaca-se pelas águas calmas e pouco profundas. Ainda no balneário está o Parque Águas Claras, parque aquático inaugurado em abril de 1994 e que possui área de 242 mil km².[77] Também há o Morro do Escalvado e o Morro do Boi, que se destacam pelas suas trilhas ecológicas e visões panorâmicas.[77]

A cidade conta com vários atrativos de valor histórico e cultural, como a Igreja Matriz de São Pedro, que é a principal igreja da cidade, construída com linhas arquitetônicas simples; a Igrejinha de São Pedro, que foi construída entre os anos de 1938 e 1944, abrigando por muito tempo o título de Igreja Matriz, sendo tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1987; o Calçadão da Praia Central, que é usada para caminhadas e passeios de bicicleta; e o Mercado dos Pescadores, onde são comercializados vários tipos de pescados.[77]

Esporte[editar | editar código-fonte]

Nas praias se destaca a prática de esportes aquáticos, como o surf, triatlo e a natação. Durante o ano são organizados diversos campeonatos esportivos com foco a essas modalidades esportivas, especialmente durante a alta temporada do litoral, destacando a importância do Campeonato de Surf, que faz parte de uma das etapas do campeonato sul-brasileiro. Além destes, também há realizações de campeonatos de basquetebol, voleibol e peteca.[74] [75]

O futebol da cidade ainda é considerado amador, em comparação a muitas cidades brasileiras. A Prefeitura Municipal de Matinhos, juntamente com o Secretaria Municipal de Esporte, Educação e Cultura, realiza anualmente o Campeonato de Futebol Amador de Matinhos, dando oportunidade aos times e jogadores do município de mostrarem seu trabalho e suas técnicas. Este é um dos principais eventos desportivos do município, um dos mais populares e que atrai público razoável.[78]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Matinhos há dois feriados municipais e oito feriados nacionais, além dos pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia do aniversário da cidade, em 12 de junho, e o dia do padroeiro, São Pedro, em 29 de junho.[74] [75] De acordo com a lei federal n.º 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluída a Sexta-Feira Santa.[79] [80]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (1º de julho de 2008). Divisão Territorial do Brasil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Visitado em 11 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  3. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2011). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 1º de julho de 2011 (PDF). Visitado em 9 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  4. a b Atlas do Desenvolvimento Humano (2000). Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Visitado em 11 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  5. a b c d e f g h i Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2008). Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Visitado em 11 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  6. a b Embrapa Monitoramento por Satélite. Paraná. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  7. a b c d Prefeitura. Matinhos. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  8. a b c d e f FERREIRA. João Carlos Vicente. O Paraná e seus municípios. Maringá: Memória Brasileira, 1996. p. 441.
  9. FERREIRA, João Carlos Vicente. O Paraná e seus municípios. Maringá: Memória Brasileira, 1996. p. 442.
  10. FERREIRA, João Carlos Vicente (2006). Municípios paranaenses: origens e significados de seus nomes (em português) Projeto Paraná da Gente. Visitado em 27 de dezembro de 2011.
  11. João José Bigarella (dezembro de 2001). Contribuição ao Estudo da Planície Litorânea do Estado do Paraná Instituto de Biologia e Pesquisas Tecnológicas. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  12. a b c Prefeitura. Parques, Reservas e Estações Ecológicas. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  13. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. World Map of the Köppen-Geiger climate classification Institute for Veterinary Public Health. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  14. Portal Brasil (6 de janeiro de 2010). Clima. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  15. Biblioteca IBGE. Brasil - Climas. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  16. a b c Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Climatologia de Matinhos - PR Jornal do Tempo. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  17. a b Instituto Tecnológico SIMEPAR. Almanaque Climático. Visitado em 2 de janeiro de 2012.
  18. Superintendência de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental. Chuvas - Médias Diárias – 01/1951 Agência Nacional de Águas (ANA). Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  19. Superintendência de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental. Chuvas - Médias Diárias – 02/1954 Agência Nacional de Águas (ANA). Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  20. Superintendência de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental. Chuvas - Médias Diárias – 02/1950 Agência Nacional de Águas (ANA). Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  21. Superintendência de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental. Chuvas - Médias Diárias – 03/1954 Agência Nacional de Águas (ANA). Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  22. Bioma Urbano (24 de julho de 2009). Árvores típicas da Mata Atlântica. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  23. Ceres Battistelli (15 de julho de 2010). Seminário mostra a importância da restinga para áreas litorâneas Prefeitura. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  24. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Censo 2010 - Paraná. Visitado em 11 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  25. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra) (2010). População de Matinhos por raça e cor. Visitado em 2 de janeiro de 2012.
  26. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (26 de abril de 2005). Matinhos (PR). Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  27. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (2000). Índice de Desenvolvimento Humano - Municipal, 1991 e 2000 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  28. a b Cidades@ - IBGE. Indicadores sociais dos municípios brasileiros. Visitado em 2 de janeiro de 2012.
  29. Religião. Visitado em 2 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2012.
  30. Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno JusVi. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  31. Prefeitura (19 de fevereiro de 2009). Dalmora recebe visita do primeiro prefeito de Matinhos. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  32. Terra (6 de outubro de 2008). Apuração 1º turno (Prefeitos). Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  33. DJI. Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  34. Terra (6 de outubro de 2008). Apuração 1º turno (Vereadores). Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  35. Prefeitura (18 de julho de 2006). Lei orgânica do município de Matinhos, estado do Paraná. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  36. Caiobá. Comarca de Matinhos, Paraná. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  37. Consulta Quantitativo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (novembro de 2011). Visitado em 3 de janeiro de 2012.
  38. Cidades@ - IBGE (2009). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Visitado em 3 de janeiro de 2012.
  39. a b Cidades@ - IBGE (2010). Lavoura Temporária 2010. Visitado em 3 de janeiro de 2012.
  40. a b Cidades@ - IBGE (2010). Pecuária 2010. Visitado em 3 de janeiro de 2012.
  41. Portal de Matinhos. Pesca. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  42. Prefeitura (12 de janeiro de 2010). Agroindústrias expõem produtos na Feira Sabores do Paraná em Guaratuba e Matinhos. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  43. Prefeitura. Hotéis e Pousadas. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  44. Prefeitura (9 de setembro de 2009). Shows atraem milhares de pessoas a Matinhos no feriado. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  45. Prefeitura (1º de janeiro de 2012). Queima de fogos no Litoral atrai 1,5 milhão de pessoas. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  46. Prefeitura (21 de novembro de 2009). Prefeitura prepara Matinhos para a temporada. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  47. Prefeitura (17 de abril de 2009). Integração do Turismo no Litoral. Visitado em 3 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2012.
  48. Cidades@ - IBGE (2010). Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios: Resultados do Universo. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  49. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de homicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  50. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  51. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  52. Presidência da República (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  53. Cidades@ - IBGE (2009). Serviços de Saúde 2009. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  54. Cidades@ - IBGE (2010). Síntese das Informações. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  55. Cidades@ - IBGE (2010). Morbidades Hospitalares 2010. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  56. a b Cidades@ - IBGE (2009). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  57. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) (2010). Caderno Estatístico Município de Matinhos. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  58. Castro Online (22 de março de 2011). Fornecimento de energia elétrica no Litoral está quase normalizado. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  59. EletroMec Online (13 de dezembro de 2000). Principais Usinas Hidrelétricas do Brasil - Parigot de Souza. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  60. Prefeitura (17 de dezembro de 2011). Governador anuncia ações do Verão Paraná no Litoral do Estado. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  61. ddi e ddd brasil. DDD 41 - Paraná. Visitado em 10 de outubro de 2012.
  62. Correios. CEP de cidades brasileiras. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  63. Gladson Angeli (13 de janeiro de 2009). DDD 41 é recordista de pedidos de portabilidade Gazeta do Povo. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  64. DDI e DDD Brasil (13 de outubro de 2011). trocar de operadora, portabilidade, como fazer?. Visitado em 4 de outubro de 2012.
  65. Cidades@ - IBGE (2010). Frota 2010. Visitado em 4 de janeiro de 2012.
  66. Prefeitura (12 de janeiro de 2011). Reforma do terminal Rodoviário de Matinhos. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  67. Douglas Gerasom (7 de janeiro de 2011). Começa a reforma do Terminal Rodoviário de Matinhos A Voz de Matinhos. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  68. Prefeitura (19 de junho de 2009). Pontal e Matinhos já têm transporte coletivo integrado. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  69. Olhar (7 de dezembro de 2009). Buraco no portão. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  70. Éphira. Como chegra. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  71. Agência de Desenvolvimento do Turismo Sustentável do Litoral do Paraná (Adetur Litoral). Destinos / Matinhos. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  72. Vanessa Marions Andreoli (2007). Um estudo sobre os pescadores artesanais de Matinhos - PR Pgsocio. Visitado em 4 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2012.
  73. Prefeitura. Secretaria de educação, esporte e cultura. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.
  74. a b c d e f g h i j k Portal de Matinhos. Calendário de Eventos. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.
  75. a b c d e Prefeitura. Calendário de eventos. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.
  76. Prefeitura. Artesanato Local. Visitado em 7 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2012.
  77. a b c Prefeitura. Pontos turísticos. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.
  78. Renato Luiz Adami (17 de junho de 2005). Campeonato de Futebol Amador de Matinhos Guaratuba Online. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.
  79. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual Guia Trabalhista. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.
  80. Presidência da República. Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995. Visitado em 5 de janeiro de 2012. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 28-01-2013 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

Mais artigos audíveis
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Commons Categoria no Commons
Mapas