Piraporinha (bairro de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
fotos históricas de Piraporinha, zona sul de São Paulo.

Piraporinha é um bairro da zona sul da cidade de São Paulo, localizado no distrito do Jardim São Luís na região da subprefeitura do M'Boi Mirim.

Situado a 17 km do marco zero da capital paulista e a 4 km do Largo 13 de Maio em Santo Amaro, tem como via de acesso principal à Estrada do M'Boi Mirim.

Breve histórico[editar | editar código-fonte]

O bairro Piraporinha surgiu da parte de uma grande fazenda chamada Tuparoquera, adquirida no final do século XIX, pelo Sr. Daniel Klein (membro da Colônia Alemã), quando Santo Amaro ainda era um município.

No passado essa região servia de passagem para os que iam ao Embú e Itapecerica da Serra e parada obrigatória aos que seguiam viagem.

Segundo relatos de moradores, diz que em meados do século XX, o Sr. Amaro Antonio de Araújo, morador antigo da região, o qual ajudou a desenvolver e que em sua homenagem foi dado o seu nome a uma rua na região, doou um terreno nas mediações da Estrada do M'Boi Mirim e o Córrego Ponte-Baixa para construir a primeira Capela de Tuparoquera em homenagem aos romeiros de Pirapora, a Paróquia Bom Jesus de Piraporinha, onde atualmente encontra-se um pequeno edifício comercial. A paróquia mudou-se para a Rua Humberto de Almeida com a Rua Amitaba, próximo à Estrada do M'Boi Mirim que era seu local original. A Paróquia Bom Jesus de Piraporinha tornou-se referência na formação do bairro.

Apesar de não constar na divisão administrativa da cidade, Piraporinha é na realidade um conjunto de bairros por reconhecimento de sua comunidade.

E mesmo não havendo registros de fundação ou aniversário do bairro, a Lei Municipal nº. 13.269/02, institui o "Dia de Piraporinha", a ser comemorado em 6 de Agosto.

O bairro[editar | editar código-fonte]

Após a década de 1950, iniciou-se o processo de desmembramento de seus antigos sítios em lotes dando origem às primeiras vilas formadas principalmente por operários migrantes das regiões Sudeste e Nordeste atraídos pela oferta de trabalho da recém instalação do pólo industrial na região de Santo Amaro e Jurubatuba.

Seu período de ocupação acelerou-se a partir dos anos 60, no qual antigos habitantes de Piraporinha assistiam a grande explosão demografica e o crescimento desordenado dos novos bairros em seu entorno tais como: Chácara Santana, Parque Figueira Grande, Jardim Klein, Jardim das Flores, Jardim Neide, Recanto Santo Antônio, Jardim Universal, Parque Santa Edwiges, Jardim Novo Santo Amaro, Jardim Bandeirante, Jardim Guarujá, Jardim Letícia e adjacências.

Piraporinha X Progresso[editar | editar código-fonte]

A partir dos anos 70, seu comércio expandiu-se rapidamente no setor de serviços com suas várias opções de estabelecimentos de pequeno e médio porte. Apesar de alguns avanços nas últimas décadas, com o crescimento populacional e o não acompanhamento pelo poder público, o bairro ainda necessita de estruturas básicas; carece de praças públicas, centros de esportes, telecentro, teatro, biblioteca, cinemas, restaurantes e outros atrativos empresariais. Sua localização estratégica é bem servida com linhas de ônibus para as regiões de Santo Amaro, Centro, Terminais de Ônibus e Metrô e bairros da Zona Sul. Está próximo à Represa de Guarapiranga, Centro Empresarial de São Paulo, Linha-5 do Metrô com o Trêm, Largo do Socorro e as Avenidas Guarapiranga, Guido Caloi e Marginal Pinheiros.

Referenciais públicos[editar | editar código-fonte]

  • Sacolão da Prefeitura [1]
  • Paróquia Bom Jesus de Piraporinha
  • Casa de Cultura do M'Boi Mirim [2]
  • Escola Estadual Vicente Leporace
  • Escola Estadual Professor Elyo Ferreira de Castro
  • Parque Guarapiranga [3]
  • EMEF Bel. Mário Moura & Albuquerque
  • Terminal Guarapiranga [4]
  • Escola Sinha Pantoja
  • Escola Mário Moura

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.