Festival Eurovisão da Canção 1963

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Festival Eurovisão da Canção 1963
 Reino Unido
1963 logo.jpg
Logo do Festival Eurovisão da Canção 1963
Edição
8.ª edição
Datas
Final 23 de março de 1963
Anfitrião
Local BBC Television Centre, Londres,Reino Unido
Apresentador(es) Reino Unido Itália Katie Boyle
Diretor Reino Unido Yvonne Littlewood
Maestro Reino Unido Eric Robinson
Estação anfitriã BBC logo (50s-60s).svg BBC
Atuações
Atuações nos intervalos Ola & Barbro
Participantes
Número de entradas 16 países
Países estreantes Nenhum
Países de regresso Nenhum
Países de saída Nenhum
Mapa dos países participantes
Portugal no Festival Eurovisão da CançãoEspanha no Festival Eurovisão da CançãoSan Marino no Festival Eurovisão da CançãoFrança no Festival Eurovisão da CançãoReino Unido no Festival Eurovisão da CançãoIrlanda no Festival Eurovisão da CançãoIslândia no Festival Eurovisão da CançãoBélgica no Festival Eurovisão da CançãoPaíses Baixos no Festival Eurovisão da CançãoSuíça no Festival Eurovisão da CançãoAlemanha no Festival Eurovisão da CançãoDinamarca no Festival Eurovisão da CançãoMalta no Festival Eurovisão da CançãoItália no Festival Eurovisão da CançãoNoruega no Festival Eurovisão da CançãoSuécia no Festival Eurovisão da CançãoFinlândia no Festival Eurovisão da CançãoEstónia no Festival Eurovisão da CançãoLetónia no Festival Eurovisão da CançãoLituânia no Festival Eurovisão da CançãoEslováquia no Festival Eurovisão da CançãoÁustria no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoHungria no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoAlbânia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoGrécia no Festival Eurovisão da CançãoBulgária no Festival Eurovisão da CançãoRoménia no Festival Eurovisão da CançãoMoldávia no Festival Eurovisão da CançãoUcrânia no Festival Eurovisão da CançãoBielorrússia no Festival Eurovisão da CançãoRússia no Festival Eurovisão da CançãoGeórgia no Festival Eurovisão da CançãoAzerbaijão no Festival Eurovisão da CançãoTurquia no Festival Eurovisão da CançãoChipre no Festival Eurovisão da CançãoIsrael no Festival Eurovisão da CançãoArménia no Festival Eurovisão da CançãoMarrocos no Festival Eurovisão da CançãoLiechtenstein no Festival Eurovisão da CançãoAndorra no Festival Eurovisão da CançãoMónaco no Festival Eurovisão da CançãoPolónia no Festival Eurovisão da CançãoRepública Checa no Festival Eurovisão da CançãoLuxemburgo no Festival Eurovisão da CançãoLíbano no Festival Eurovisão da CançãoTunísia no Festival Eurovisão da CançãoArgélia no Festival Eurovisão da CançãoUm mapa colorido dos países da Europa
Sobre esta imagem

     Países confirmados que já escolheram o seu artista e/ou canção     Países que não se classificaram para a final     Países que participaram no passado mas não em 1963

Votação
Sistema de
voto
Cada país tinha 20 júris e cada um deles atribuía as suas 5 canções favoritas 5, 4, 3, 2,e pontos por ordem de preferência. Todos esses pontos eram adicionados e as canções com maior número de pontos obtinham 5, 4, 3, 2, e 1 voto, por ordem.
Votos nulos  Finlândia
 Noruega
 Países Baixos
 Suécia
Vencedor(a)  Dinamarca
Grethe & Jørgen Ingmann
"Dansevise"
Cronologia
Fleche-defaut-gauche-gris-32.png   1962     Wiki Eurovision Heart (Infobox).svg     1964   Fleche-defaut-droite-gris-32.png

O Festival Eurovisão da Canção 1963 (em inglês: Eurovision Song Contest 1963 e em francês: Concours Eurovision de la chanson 1963) foi o 8º Festival Eurovisão da Canção, que teve lugar no Reino Unido. A Dinamarca venceu pela primeira vez com a canção "Dansevise" interpretado pelo duo Grethe & Jørgen Ingmann. Por seu turno, a Finlândia, a Noruega a Suécia e os Países Baixos não obtiveram qualquer ponto, com este último a tornar-se o primeiro país a não obter qualquer pontuação dois anos consecutivos.[1]

Depois da França (vencedora do ano anterior), ter recusado organizar pela terceira vez o certame, passou-se a vez ao segundo classificado, o Mónaco que também recusou, assim como o Luxemburgo (terceiro classificado).[2] Em outubro de 1962, foi finalmente anunciado que seria o Reino Unido a organizar a edição de 1963.[3]

Esta edição apresenta uma alteração na regra de solistas e duetos. Estão autorizados a ser acompanhado por artistas principais e em segundo plano um coro de até três pessoas.

Esta edição ficou ainda marcada pela controversa votação da Noruega (que votou primeiro de uma maneira, e, quando foi novamente chamada a votar, modificou os seus resultados) e, pela primeira vez, uma mulher, Yvonne Littlewood, responsável pela produção do espetáculo.

Esta foi a primeira edição do Festival Eurovisão da Canção que foi transmitida em direto para Portugal, através da RTP.[4][5] Em edição foi vista por 50 milhões de pessoas em todo o mundo.[6]

Nana Mouskouri, Françoise Hardy, Esther Ofarim e Alain Barrière foram alguns dos artistas famosos que participaram nesta edição, com o último a ter o seu tema ("Elle était si jolie") a transformar-se num êxito internacional.

Local[editar | editar código-fonte]

Mais sobre a cidade anfitriã: Londres
A BBC Television Centre, em Londres, no Reino Unido.

O Festival Eurovisão da Canção 1963 ocorreu em Londres, no Reino Unido. Londres é uma das maiores cidades da Europa e já liderou a lista das maiores cidades do mundo. De uma cidade romana chamada Londínio, a capital da região administrativa romana Britannia, a cidade acabou por se tornar o centro do império britânico, contribuindo hoje com 17% do PNB de um país que é a quarta maior economia do mundo. Londres tem sido um dos mais importantes centros da política e do comércio mundiais por quase dois milénios (apesar de a capital de Inglaterra ter sido Winchester durante grande parte da idade média).

O festival em si realizou-se na BBC Television Centre. Inaugurado em 1960, a BBC Television Centre é uma das instalações mais facilmente reconhecíveis de seu tipo, tendo surgido como pano de fundo para muitos programas da BBC. Permaneceu como uma das maiores instalações do mundo até o fechamento em março de 2013.[7]

Visual[editar | editar código-fonte]

Como o estúdio TC1, à época o maior estúdio da Europa, não estaria pronto até abril de 1964, foram usados os estúdios TC3 e TC4. Um terceiro estúdio, o TC5, foi usado pelo júri britânico. Dois estúdios (TC3 e TC4) foram usados: um para a plateia, para o quadro de votações e para a apresentadora, Katie Boyle; e outro, com melhor acústica, para a orquestra e para os artistas. A decoração do primeiro estúdio consistia numa escadaria ladeada por pilastras douradas e grandes espelhos. O quadro de votação foi colocado à direita do palco. A decoração do segunda estúdio consistia num piso feito de vários pódios hexagonais de diferentes tamanhos. Para isso, foram adicionadas uma escada, um pórtico e outros acessórios, conforme as atuações dos vários artistas.

A principal novidade técnica da edição de 1963 (para além do uso de duas salas separadas) foi o uso de microfones suspensos. Estes, invisíveis na tela, permitiram maior liberdade de movimento aos artistas e uma encenação mais elaborada. Cada artista tinha, portanto, o direito a uma apresentação personalizada.[6] Esta técnica deu origem a persistentes, mas imprecisos rumores de que os artistas não interpretaram as músicas ao vivo.[2] Pela primeira vez, efeitos visuais foram usados ​​para as atuações: close-ups, imagens de rastreamento, imagens sobrepostas e filtros animados. Além disso, pela primeira vez, uma máquina de vento foi usada. O objetivo desta edição foi inovar para criar um novo visual.

O sorteio da ordem de atuação foi feita a 26 de novembro de 1962, muito mais cedo do que em edições anteriores, de modo a que os artistas posteriormente na ordem de atuação não precisassem de estar presentes durante os três dias de ensaios.

Os ensaios começaram a 21 de março, com os primeiros 8 países a terem um ensaio de 55 minutos com a orquestra, composta por 45 elementos.[8]

Formato[editar | editar código-fonte]

O vídeo introdutório começou com a apresentação dos nomes dos países participantes no logótipo da Eurovisão, nas suas línguas oficiais. Depois, começou com uma vista aérea da BBC Television Center e depois dos dois estúdios. Após as saudações habituais, Katie Boyle chamou os artistas de cada vez, que se apresentaram ao público

Cada música foi introduzida por uma visão em um mapa da Europa. Uma lâmpada luminosa, colocada no local da capital, indicava o país participante. O nome deste, da música e dos artistas apareceu então sobreposto no mapa.

Inicialmente, planeava-se inserir entre cada música trinta segundos de sketches com os bonecos Pinky & Perky. Essas sequências foram, portanto, roteirizadas e gravadas nnm estúdio em Manchester, e até pré-publicitados, mas a produção mudou no último momento, não sendo transmitidas.[3]

Para o intervalo, os equilibristas Ola & Barbro interpretaram uma atuação de circo. Barbro fez algumas figuras de equilíbrio, no guidão de uma bicicleta dirigida por Ola. Esta última então realizou outras acrobacias, sozinha, na mesma bicicleta. Ambos concluíram com números de dueto.

Votação[editar | editar código-fonte]

Um novo sistema de votação foi utilizado. Assim, a votação baseou-se em 20 júris por país que atribuíram 5, 4, 3, 2 e 1 ponto às suas cinco canções favoritas, por ordem de preferência; somaram os totais de cada país e deram à canção mais votada 5 pontos, à segunda 4 pontos, à terceira 3 pontos, à quarta 2 pontos e à quinta 1 ponto. Uma outra novidade foi o facto da apresentadora também estar em ligação telefónica com um escrutinador da EBU, um árbitro cuja decisão caberia em caso de dificuldades.

Aconteceu algo de controverso durante a votação. Durante a votação norueguesa, o porta-voz do júri enganou-se ao revelar as votações esquecendo-se de ordená-las (pois a votação era dada pela ordem de actuação e não de forma decrescente). Katie Boyle, a pedido do porta-voz, adiou a divulgação dos resultados noruegueses para o final da votação dos outros júris nacionais. Quando voltou para dar os votos, o júri norueguês alterou-os e deu 5 pontos ao Reino Unido; 4 pontos à Dinamarca (anteriormente dados à Itália), 3 pontos à Itália (anteriormente dados à Suíça), 2 pontos à Alemanha (anteriormente dados à Dinamarca) e 1 ponto à Suíça (anteriormente dado à Alemanha), roubando o primeiro lugar da Suíça para a "vizinha" Dinamarca. Ainda hoje não se sabe, ao certo, se foi uma confusão ou se a alteração foi intencional para beneficiar outro país escandinavo. No entanto, sabe-se que os resultados do júri norueguês não estavam prontos quando foi chamado pela primeira vez por Katie Boyle. O seu presidente ainda estava ocupado a somar os votos dos jurados. Surpreendido, Roald Øyen teria lido os resultados provisórios.[6]

Após a segunda votação da Noruega, o Mónaco também foi chamado a divulgar os seus votos pela segunda vez, pois tinha atribuído duas vezes um ponto (para o Reino Unido e para o Luxemburgo). Após a releitura dos votos, foi retirado um ponto a o Luxemburgo, que não alterou em nada a classificação dos países[1]

Também se especulou se os júris estavam de facto no outro lado da linha ou no próprio estúdio, dada a clareza com que suas vozes podiam ser ouvidas, em vez de soar como se estivessem sendo redirecionadas por uma linha telefónica.

Esta foi também uma das votações mais renhidas da História, visto que ora liderava a Dinamarca, ora liderava a Suíça, com a primeira acabando por vencer por apenas 2 pontos.

Participantes[editar | editar código-fonte]

  Países participantes

De entre os participantes encontravam-se vários nomes de renome internacional, como Nana Mouskouri (representando o Luxemburgo), Françoise Hardy (representando o Mónaco), Esther Ofarim (representando a Suíça) e Alain Barrière (representando a França).[9]

País Título original da Canção Artista Processo Data da Selecção
Tradução em Português Idiomas de Interpretação
 Áustria "Vielleicht geschieht ein Wunder" Carmela Corren Selecção Interna de 1963 -
Talvez um milagre vá acontecer Alemão e Inglês
 Alemanha "Marcel" Heidi Brühl Heidi Brühl Singt 1963 28 de fevereiro de 1963
Marcel Alemão
 Bélgica "Waarom?" Jacques Raymond Canzonissima-finale 1963 16 de fevereiro de 1963
Porquê? Holandês
 Dinamarca "Dansevise" Grethe & Jørgen Ingmann Dansk Melodi Grand Prix 1963 24 de fevereiro de 1963
Balada de dança Dinamarquês
 Espanha "Algo prodigioso" José Guardiola Seleção interna -
Algo maravilhoso Castelhano
 Finlândia "Muistojeni laulu" Laila Halme Euroviisut 1963 14 de fevereiro de 1963
A canção das minhas memórias Finlandês
 França "Elle était si jolie" Alain Barrière Sélection française 1963 -
Ela era tão bonita Francês
 Itália "Uno per tutte" Emilio Pericoli Festival della Canzone Italiana di Sanremo 1963 9 de fevereiro de 1963
Um por todos Italiano
 Iugoslávia "Brodovi" Vice Vukov Pjesma Eurovizije 1963 -
Navios Servo-Croata
 Luxemburgo "À force de prier" Nana Mouskouri Selecção interna -
Por força da oração Francês
 Mónaco "L'amour s'en va" Françoise Hardy Selecção interna -
O amor vai-se embora Francês
 Noruega "Solhverv" Anita Thallaug Melodi Grand Prix 1963 10 de fevereiro de 1963
Solstício Norueguês
 Países Baixos "Een speeldoos" Annie Palmen Nationaal Songfestival 1963 23 de janeiro de 1963
Uma caixa de música Holandês
 Reino Unido "Say Wonderful Things" Ronnie Carroll A song for Europe 1963 24 de fevereiro de 1963
Diz coisas maravilhosas Inglês
 Suécia "En gång i Stockholm" Monica Zetterlund Eurovisionsschlagern svensk final 1963 16 de fevereiro de 1963
Uma vez em Estocolmo Sueco
 Suíça "T'en va pas" Esther Ofarim Finale suisse 1963 9 de fevereiro de 1963
Não te vás embora Francês

Festival[editar | editar código-fonte]

# País Idioma Artista Canção Tradução Lugar Pontos
 Reino Unido Inglês Ronnie Carroll "Say Wonderful Things" Diz coisas maravilhosas 28
 Países Baixos Holandês Annie Palmen "Een speeldoos" Uma caixa de música 13º 0
 Alemanha Alemão Heidi Brühl "Marcel" Marcel 5
 Áustria Alemão, Inglês Carmela Corren "Vielleicht geschieht ein Wunder" Talvez um milagre vá acontecer 16
 Noruega Norueguês Anita Thallaug "Solhverv" Solstício 13º 0
 Itália Italiano Emilio Pericoli "Uno per tutte" Um por todos 37
 Finlândia Finlandês Laila Halme "Muistojeni laulu" A canção das minhas memórias 13º 0
 Dinamarca Dinamarquês Grethe & Jørgen Ingmann "Dansevise" Balada de dança 42
 Iugoslávia Servo-Croata Vice Vukov "Brodovi" (Бродови) Navios 11º 3
10º  Suíça Francês Esther Ofarim "T'en va pas" Não te vás embora 40
11º  França Francês Alain Barrière "Elle était si jolie" Ela era tão bonita 25
12º  Estado espanhol Castelhano José Guardiola "Algo prodigioso" Algo maravilhoso 12º 2
13º  Suécia Sueco Monica Zetterlund "En gång i Stockholm" Uma vez em Estocolmo 13º 0
14º  Bélgica Holandês Jacques Raymond "Waarom?" Porquê? 10º 4
15º  Mónaco Francês Françoise Hardy "L'amour s'en va" O amor vai-se embora 25
16º  Luxemburgo Francês Nana Mouskouri "À force de prier" Por força da oração 13

Resultados[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez, a ordem de votação, respeitou a ordem de atuação. A Noruega, apesar de ter sido a quinta a votar, aparece a tabela em último, por ter sido novamente chamada a votar. Sendo assim, a ordem de votação no Festival Eurovisão da Canção 1963, foi a seguinte:

  Vencedor
  2º classificado
  3º classificado
Países Votantes Países Pontuados
Reino Unido Países Baixos Alemanha Áustria Noruega Itália Finlândia Dinamarca República Socialista Federativa da Iugoslávia Suíça França Espanha Suécia Bélgica Mónaco Luxemburgo
 Reino Unido 4 2 3 5 1
 Países Baixos 3 1 5 4 2
 Alemanha 2 4 1 5 3
 Áustria 3 5 2 4 1
 Itália 2 5 4 3 1
 Finlândia 3 4 2 5 1
 Dinamarca 3 1 5 4 2
 Iugoslávia 3 4 5 2 1
 Suíça 5 3 4 1 2
 França 3 2 1 5 4
 Estado espanhol 5 3 2 4 1
 Suécia 2 3 5 1 4
 Bélgica 2 3 5 4 1
 Mónaco 1 3 5 4 2
 Luxemburgo 4 5 3 1 2
 Noruega 5 2 3 4 1
Lugar 28 0 5 16 0 37 0 42 3 40 25 2 0 4 25 13
Total 13º 13º 13º 11º 12º 13º 10º
Países Votantes Reino Unido Países Baixos Alemanha Áustria Noruega Itália Finlândia Dinamarca República Socialista Federativa da Iugoslávia Suíça França Espanha Suécia Bélgica Mónaco Luxemburgo
Países Pontuados
Resultados acumulados
Países Votantes Países Pontuados
Reino Unido Países Baixos Alemanha Áustria Noruega Itália Finlândia Dinamarca República Socialista Federativa da Iugoslávia Suíça França Espanha Suécia Bélgica Mónaco Luxemburgo
 Reino Unido 0 0 0 4 0 2 0 3 0 5 0 0 0 0 1 3
 Países Baixos 3 0 0 4 0 3 0 8 0 5 4 0 0 0 3 3
 Alemanha 3 0 0 4 0 3 0 10 0 9 5 0 0 0 8 3
 Áustria 3 0 0 4 0 3 0 13 0 14 7 0 0 4 9 3
 Itália 3 0 0 4 0 3 0 15 0 19 11 0 0 4 12 4
 Finlândia 6 0 0 8 0 5 0 20 0 19 11 0 0 4 12 5
 Dinamarca 9 0 0 9 0 10 0 20 0 23 11 0 0 4 12 7
 Iugoslávia 12 0 0 9 0 14 0 20 0 23 16 2 0 4 13 7
 Suíça 12 0 0 9 0 19 0 23 0 23 20 2 0 4 14 9
 França 15 0 0 11 0 19 0 23 1 23 20 2 0 4 19 13
 Estado espanhol 20 0 0 11 0 22 0 23 3 27 21 2 0 4 19 13
 Suécia 22 0 0 14 0 22 0 28 3 28 21 2 0 4 23 13
 Bélgica 22 0 0 16 0 25 0 33 3 32 22 2 0 4 23 13
 Mónaco 23 0 3 16 0 30 0 33 3 36 24 2 0 4 23 13
 Luxemburgo 23 0 3 16 0 34 0 38 3 39 25 2 0 4 25 13
 Noruega 28 0 5 16 0 37 0 42 3 40 25 2 0 4 25 13
Total 13º 13º 13º 11º 12º 13º 10º
Países Votantes Reino Unido Países Baixos Alemanha Áustria Noruega Itália Finlândia Dinamarca República Socialista Federativa da Iugoslávia Suíça França Espanha Suécia Bélgica Mónaco Luxemburgo
Países Pontuados

5 pontos[editar | editar código-fonte]

Os países que receberam 5 pontos foram os seguintes:

# Países Pontuados Países Votantes
5  Dinamarca Bélgica, Finlândia, Luxemburgo, Países Baixos, Suécia
3  Itália Dinamarca, Mónaco, Suíça
 Suíça Áustria, Itália, Reino Unido
2  Mónaco França, Alemanha
 Reino Unido Espanha, Noruega
1  França Jugoslávia

Maestros[editar | editar código-fonte]

País Maestro
 Reino Unido Eric Robinson
 Países Baixos
 Alemanha Willy Berking
 Áustria Erwin Halletz
 Noruega Øivind Bergh
 Itália Gigi Cicchellero
 Finlândia George de Godzinsky
 Dinamarca Kai Mortensen
 Iugoslávia Miljenko Prohaska
 Suíça Eric Robinson
 França Franck Pourcel
 Estado espanhol Rafael Ibarbia
 Suécia William Lind
 Bélgica Francis Bay
 Mónaco Raymond Lefèvre
 Luxemburgo Eric Robinson
Maestro anfitrião

Artistas Repetentes[editar | editar código-fonte]

Em 1963, os repetentes foram:

País (1963) Foto Artista Ano Anterior País Representado Canção Tradução Pontuação Classificação
 Reino Unido Eurovisie Songfestival 1962 te Luxemburg, voor Engeland Ronnie Carroll, Bestanddeelnr 913-6611.jpg Ronnie Carroll ESC 1962 Reino Unido "Ring-A-Ding Girl" Ring-a-ding rapariga 10

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Os canais de televisão responsáveis pela difussão do concurso quer via televisão, quer via rádio foram as seguintes cadeias televisivas:

Referências

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Os mapas presentes neste artigo, respeitam as fronteiras geográficas estabelecidas na altura em que o festival ocorreu.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Festival Eurovisão da Canção 1963