Cardoso Moreira Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cardoso Moreira FC
Cardoso Moreira Futebol Clube.png
Nome Cardoso Moreira Futebol Clube
Alcunhas Marreco
Cardosão
Tricolor Cardosense
Torcedor/Adepto Cardosense
Mascote Marreco
Fundação 19 de março de 1935 (82 anos)
Estádio Antônio Ferreira de Medeiros
Capacidade 1.000 pessoas
Presidente Brasil José Armando Ribeiro Barreto
Treinador Brasil Rafael Soriano
Patrocinador Brasil Prefeitura Municipal de Cardoso Moreira_PMCM
Material (d)esportivo Brasil Casa do Atleta
Competição Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série B2 www.fferj.com.br
Website CMFC.com.br
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Cardoso Moreira Futebol Clube é uma agremiação esportiva da cidade de Cardoso Moreira, no estado do Rio de Janeiro, fundada a 19 de março de 1935.

Equipe profissional do Cardoso Moreira em 2011

História[editar | editar código-fonte]

O Cardoso Moreira foi fundado em 1935 e nas primeiras décadas se manteve como uma agremiação amadora. O campo utilizado pelo clube na época da criação é hoje onde se localiza a praça principal da cidade de Cardoso Moreira. O time utilizava camisas completamente vermelhas com calções brancos e meiões listrados nas mesmas cores. Na década de 1940, chegou a jogar com camisas quadriculadas em vermelho e branco, shorts brancos e com meiões vermelhos. Na década de 1960, o uniforme ganhou camisetas com listras verticais em vermelho e preto[1]. Já na década seguinte, a camisa branca com duas listras horizontais no centro passava a imperar, um uniforme parecido com o do São Paulo, voltando a camisa vermelha nos anos 80.

Na década de 1990, numa tentativa de se tornar profissional, venceu o Campeonato Carioca da Terceira Divisão de 1994. Contudo, devido a problemas com a prefeitura, teve que abandonar temporariamente os planos de continuar profissional[2]. Em competição disputada por pontos corridos, o Cardoso Moreira foi o campeão ao vencer o União Atlético Clube, de Santa Maria Madalena, por 2 a 0, com gols de Ademir da Moitá aos 20 minutos e Bacuri aos 41. Ambos no segundo tempo. O Cardoso Moreira atuou com Fofinho, Ademizinho, Aurélio, Margarida e Daniel; Fidélis Bruxa, Mica e Izaias; Ademir da Moitá, Bacuri e Rodapé. Técnico: Ivan de Oliveira. Reservas: Mauro, Zanata, Gamelão, Camãn e Alexandre. União: Geraldo, Lim, Vandervel, Chico e Adalberto; Maicon, Leandro e Timar; Flatelo, Júlio (Claudinho) e Jaime. Técnico: Gugu. Estádio: Antônio Ferreira de Medeiros a 13 de agosto de 1994. Árbitro: Fernando Sampaio. Em 12 jogos o Cardoso Moreira obteve 9 vitórias, 2 empates e 1 derrota. Marcou 34 gols e sofreu 9. Saldo: 25. O italvense Bacuri, com 13 gols, foi o artilheiro do campeonato.

Voltando a ter estrutura e projetos profissionais apenas em 2005, o time sagrou-se novamente campeão estadual da terceira divisão de 2006. Em 2007, o Cardoso Moreira conseguiu subir à primeira divisão para disputar o Campeonato Carioca de Futebol de 2008[3]. O experiente lateral-direito Neném, com passagens por Palmeiras e Botafogo, entre outros times, esteve presente na equipe, treinada por Mário Marques (ex-jogador de Fluminense, Grêmio e Sporting CP), na campanha do acesso à Série A. Ao final da disputa, sagrou-se campeão o Resende. Foram promovidos ainda à primeira divisão, além do campeão, pela ordem: Mesquita Futebol Clube, Macaé Esporte Futebol Clube, Cardoso Moreira e Duque de Caxias Futebol Clube.

Em 2008, na sua primeira e única experiência na série A, o time ficou na última colocação e acabou rebaixado à Série B juntamente com o America Football Club.

Em 2009, realizou campanha apenas regular, no Grupo "A", conseguindo se manter na Série B.

Em 2010, se licenciou das disputas profissionais.

Em 2011, o clube negou-se a disputar o Grupo X, ou torneio da morte, e acabou punido e rebaixado à terceira divisão pela Federação juntamente com Itaperuna Esporte Clube e Aperibeense Futebol Clube. O presidente do Cardoso Moreira, Armando Barreto, recusou-se a colocar a equipe e entrou com ações no TJD/RJ e no STJD para cancelar o Grupo X. Segundo o dirigente, o Mesquita e o Itaperuna deveriam ter sido rebaixados pela suspensão em três partidas ainda na primeira fase - em função do não pagamento dos borderôs da FFERJ. A outra justificativa apontada na defesa da exclusão do Grupo X foi o rebaixamento de Miguel Couto, Floresta e Guanabara - já fechando o mínimo de três rebaixados definido no regulamento.

Desde então, o Cardoso Moreira se licenciou das disputas profissionais.

O uniforme utilizado pelo clube era predominantemente vermelho, com duas listras em formato de ondas horizontais centrais brancas e uma, entre elas, na cor preta.

O Cardoso Moreira atua no Estádio Antônio Ferreira de Medeiros, o popular Ferreirão, localizado na própria cidade de Cardoso Moreira. O estádio tem capacidade para 1000 espectadores aproximadamente e sua tribuna de honra chama-se Tribuna Agnaldo Jacinto da Silva. Suas cores são preto, vermelho e o branco, sendo assim conhecido como o Tricolor Cardosense.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]