Gianfranco Ravasi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gianfranco Ravasi
Cardeal da Igreja Católica
Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, Presidente da Pontifícia Comissão para os Bens Culturais da Igreja e Presidente da Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra
Hierarquia
Papa Francisco
Atividade eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Serviço pastoral Pontifício Conselho para a Cultura
Nomeação 3 de setembro de 2007
Predecessor Dom Paul Joseph Jean Cardeal Poupard
Mandato 2007 - atual
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 28 de junho de 1966
por Dom Giovanni Umberto Cardeal Colombo
Nomeação episcopal 3 de setembro de 2007
Ordenação episcopal 29 de setembro de 2007
Basílica de São Pedro
por Papa Bento XVI
Nomeado arcebispo 3 de setembro de 2007
Cardinalato
Criação 20 de novembro de 2010
por Papa Bento XVI
Ordem Cardeal-diácono
Título São Jorge em Velabro
Brasão
Coat of arms of Gianfranco Ravasi.svg
Lema PRÆDICA VERBUM
Dados pessoais
Nascimento Merate
18 de outubro de 1942 (78 anos)
Nacionalidade italiano
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Gianfranco Ravasi (Merate, 18 de outubro de 1942) é um cardeal católico italiano e presidente do Pontifício Conselho para a Cultura no Vaticano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ele foi enviado do campo para a pequena cidade de Merate para estudar e morou lá com uma tia, até frequentar o Seminário Maior de Milão, onde obteve a licenciatura em teologia. Depois foi para Roma e estudou na Pontifícia Universidade Gregoriana e no Pontifício Instituto Bíblico, obtendo a licenciatura em Sagradas Escrituras. Ele passou os verões na Síria, Jordânia, Iraque e Turquia, onde trabalhou como arqueólogo com estudiosos como Kathleen Kenyon e Roland de Vaux. Ele estudou várias línguas antigas e modernas, entre elas latim, grego e hebraico.[1]

Foi ordenado padre em 28 de junho de 1966, incardinado na arquidiocese de Milão, pelo cardeal Giovanni Colombo, arcebispo de Milão. Tornou-se professor de exegese do Antigo Testamento na Faculdade de Teologia do Norte da Itália. Em 1989, foi nomeado prefeito da Biblioteca Ambrosiana de Milão, fundada pelo Cardeal Federico Borromeo em 1607; ocupou o cargo até setembro de 2007. Foi também professor de exegese bíblica no Seminário maior de Milão e na Faculdade de Teologia do Norte da Itália de Milão. A pedido do Papa Bento XVI, ele escreveu as meditações para a Via Sacra na Sexta-Feira Santa de 2007 no Coliseu.[1]

Foi nomeado presidente do Pontifício Conselho para a Cultura e presidente ex officio da Pontifícia Comissão para o Patrimônio Cultural da Igreja e da Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra em 3 de setembro de 2007, sendo nessa mesma data nomeado arcebispo-titular de Villamagna em Proconsular. Sua consagração ocorreu em 29 de setembro, na Basílica de São Pedro, pelas mãos do Papa Bento XVI, assistido pelo Cardeal Tarcisio Bertone, S.D.B., Cardeal Secretário de Estado, e pelo Cardeal Marian Jaworski, arcebispo de Lviv do rito latino.[1][2]

No dia 20 de outubro de 2010 foi anunciada a sua criação como cardeal pelo Papa Bento XVI. No consistório de 20 de novembro recebeu o anel cardinalício, o barrete purpurado e o titulus de cardeal-diácono de São Jorge em Velabro.[1][2]

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d The Cardinals of the Holy Roman Church
  2. a b Catholic Hierarchy

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Carlos Enrique García Camader
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo Titular de
Vilamagna de Proconsular

20072010
Sucedido por
Fernando Vérgez Alzaga, LC
Precedido por:
Paul Poupard
Brasão da Santa Sé
Presidente do Pontifício
Conselho para a Cultura

2007 — atualidade
Seguido por:
incumbente
Precedido por:
Mauro Piacenza
Brasão da Santa Sé
Presidente da Pontifícia
Comissão de Arqueologia Sacra

2007 — atualidade
Precedido por:
Alfons Maria Stickler, S.D.B.
Brasão cardinalício
Cardeal-diácono de
São Jorge em Velabro

2010 — atualidade