Chris Amon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chris Amon
Informações pessoais
Nacionalidade Nova Zelândia Neozelandesa
Registros na Fórmula 1
Temporadas 19631976
Equipes Reg Parnell, Ian Raby Racing, Cooper, Amon, Ferrari, March, Matra, Tecno, Tyrrell, BRM, Ensign, Wolf
GPs disputados 108 (96 largadas)
Títulos 0
Vitórias 0
Pódios 11
Pontos 83
Pole positions 5
Voltas mais rápidas 3
Primeiro GP Grande Prêmio da Bélgica de 1963
Último GP Grande Prêmio da Alemanha de 1976

Christopher Arthur Amon (Bulls, 20 de julho de 1943) é um ex-piloto de Fórmula 1 da Nova Zelândia.

Seu pai era um rico agricultor e ele, aos 18 anos, começo a correr conseguindo uma boa reputação como piloto em seu pais. No final de 1962 foi convidado pelo ex-piloto inglês Reg Parnell para correr na Europa. Em 1963 estreou na Formula 1. Em 1964 continuou na equipe de Parnell, tendo se mudado para a McLaren onde permaneceu até o ano seguinte, quando foi contratado pela Ferrari. Em 1966, em dupla com Bruce McLaren vence as 24 Horas de Le Mans. Nos anos seguintes contiunua sem bons resultados na Fórmula 1 apesar de ser reconhecidamente um piloto rápido e de talento. Em 1967 vence, em dupla com Lorenzo Bandini as 24 Horas de Daytona e as 1000 Milhas de Monza. Sai da Ferrari no final de 1969. Em 1970 corre pela March e no ano seguinte passa para a Matra, carro com o qual consegue sua única vitória a bordo de um carro de Fórmula 1: o Grande Prêmio da Argentina de 1971 que, por ser uma prova extra-campeonato, não entra nas estatísticas da categoria.Em 1973, com a saída da Matra das competições no ano anterior, Amon aceita o convite da Tecno, mas o carro se mostra muito ruim. Cria sua própria equipe, mas o carro, o Amon F101, apesar de bom potencial, se mostra pouco confiável. No final do mesmo ano, aceita o convite da BRM e disputa algumas corridas pela mesma. Em 1975 é contratado por Morris Nunn para desenvolver o carro de sua equipe, o Ensign. O ano de 1975 mostra poucos resultados, mas o ano seguinte começa animador com o 5º lugar na Bélgica e bons desempenhos na Suécia e Inglaterra, onde abandonou por problemas mecânicos. O acidente quase fatal de Niki Lauda na Alemanha, naquele mesmo ano, faz com que se recuse a largar e acaba demitido da Ensign. Correu as provas finais do campeonato a pedido de Walter Wolf que havia comprado um Willians, mas abandonou definitivamente a Fórmula 1 no final daquele ano.

Ele é tido por muitos como o melhor piloto da história da Fórmula 1 a nunca conquistar uma vitória em prova válida pelo campeonato. Sua reputação por má sorte era tanta que seu companheiro Mario Andretti uma vez bricou dizendo:

"Se ele se tornasse um coveiro, as pessoas parariam de morrer".

Em seu último ano na Fórmula 1, conheceu quando competia na CanAm um jovem piloto canadense que lhe pareceu muito talentoso, a ponto de recomendar ao seu ex-patrão, Enzo Ferrari, que contratasse o novato. O nome do jovem: Gilles Villeneuve.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Chris Amon