Felipe Nasr

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Felipe Nasr
Felipe Nasr em 2011
Informações pessoais
Nacionalidade  brasileira
Nascimento 21 de agosto de 1992 (22 anos)
Brasília, (DF), Brasil
Registros na Fórmula 1
Temporadas 2015
Equipes Sauber
GPs disputados 10[1]
Primeiro GP GP da Austrália de 2015
Último GP GP da Austrália de 2015

Luíz Felipe de Oliveira Nasr, mais conhecido como Felipe Nasr (Brasília, 21 de agosto de 1992) é um automobilista brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início no kart[editar | editar código-fonte]

Nasr iniciou sua carreira no kart aos sete anos na equipe Dibo Racing onde conquistou todos seus títulos no kart. Venceu o campeonato brasiliense cinco vezes consecutivas entre 2000 e 2004. Em 2001 e 2002, foi vice-campeão brasileiro. Em 2004, campeão da Copa Brasil. Em 2005, campeão do Centro-Oeste. Em 2006, campeão brasileiro. Em 2007, bicampeão da Copa Brasil e campeão do Sudam.[2]

Início nos monopostos e título na Fórmula BMW[editar | editar código-fonte]

No ano de 2008 Nasr fez alguns testes com monopostos visando mudar de categoria. Testou carros de Fórmula 3 e Fórmula Renault e, satisfeito com os resultados, planejava fazer uma temporada completa na Fórmula 3 Sul-americana em 2009. Porém, o piloto recebeu um convite da Fórmula BMW das Américas para disputar a rodada final do campeonato em Interlagos. Felipe conseguiu um terceiro e um quinto lugares. A equipe Euromotorsport, de Antonio Ferrari, que chegou até a competir na antiga IndyCar, entusiasmada com o desempenho de jovem piloto, o convidou para um teste que seria realizado no final daquela temporada, com um desempenho acima do imaginado, Felipe bateu o recorde da pista, onde havia ocorrido o mundial da Fórmula BMW dois dias antes, a equipe então sem perder tempo assinou com um contrato com ele para disputar a Fórmula BMW europeia, categoria que realizava corridas como preliminares das etapas europeias da Fórmula 1. Entretanto, seu companheiro de equipe, o espanhol Daniel Juncadella, também patrocinado pela Red Bull, era considerado o favorito ao início da temporada. Mas o cenário mudou logo na pré-temporada, quando Nasr liderou várias das sessões. E na primeira rodada do campeonato, em Barcelona, o brasileiro conseguiu fazer as duas poles, chegando em segundo e primeiro respectivamente nas duas corridas. Ele venceu também em Zandvoort, em Nürburgring, em Hungaroring e em Monza. Com cinco vitórias, 14 pódios, seis poles e 392 pontos, Felipe conquistou o título com uma corrida de antecipação. Com o título, apareceram convites de categorias e empresários se ofereceram para cuidar de sua carreira. Nasr escolheu ser agenciado por David e Steve Robertson, pai e filho, que cuidam da carreira de Kimi Raikkonen e levaram Jenson Button a F1.[2]

Fórmula 3 Inglesa[editar | editar código-fonte]

Em 2010 assinou com a equipe Raikkonen Robertson Racing para correr na Fórmula 3 Inglesa em 2010. Seu primeiro pódio aconteceu na sexta corrida, a terceira da segunda rodada tripla, realizada em Silverstone. A primeira vitória aconteceu na terceira prova da rodada de Rockingham, na qual ele largou em quarto e assumiu a liderança logo já na primeira volta. Na última rodada, em Brands Hatch, Felipe fez sua primeira pole position, mas foi punido por ter andado em bandeira amarela e acabou saindo apenas em oitavo. Nasr terminou o ano na quinta posição.[2] Na temporada seguinte com 297 pontos, 24 corridas, 7 Vitórias, 16 Pódios, 4 Poles e 8 voltas mais rápidas, Felipe foi campeão com duas etapas de antecedência.[3] Onde é o 12º brasileiro a conquistar o título da categoria.[4]

GP2[editar | editar código-fonte]

Nasr competindo pela Carlin em Silverstone 2014.
Nasr no Goodwood Festival of Speed 2014

Felipe disputou a temporada 2012 da GP2 Series na equipe DAMS ao lado de Davide Valsecchi, patrocinado pelo Banco do Brasil e pela OGX.[5] Seu melhor resultado foi um segundo lugar na primeira corrida da etapa belga.[6] [7] Seu companheiro de equipe, o experiente Davide Valsecchi, venceu o campeonato de pilotos.[8] O décimo lugar de Nasr na classificação permitiu DAMS vencer o campeonato de equipes também. Ele obteve quatro pódios e foi o segundo melhor estreante atrás de James Calado.

Para a temporada de GP2 2013 Nasr mudou-se para equipe Carlin Motorsport, em parceria britânico Jolyon Palmer. Nasr acreditava que ele seria um candidato ao título, ao lado de James Calado e Marcus Ericsson, e esperava estar dirigindo um carro de F1 no final do ano. Nasr terminou o quarto 2013 campanha na classificação geral, somando 154 pontos.[9] [10] Em 2014 Felipe disputou novamente a temporada da GP2 pela Carlin. Com quatro vitórias e dez pódios, concorreu ao título até a etapa da Rússia,[11] [12] onde Jolyon Palmer sagrou-se campeão por antecipação. Terminou o campeonato em terceiro lugar.[13]

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Em 22 de fevereiro de 2014 foi contratado como piloto de testes da equipe Williams. Sua estreia em treinos oficiais foi no GP do Bahrein.[14] [15] Em novembro do mesmo ano, foi anunciado como piloto titular da equipe Sauber para a temporada de 2015, tendo como companheiro de equipe o sueco Marcus Ericsson.[16]

Durante o Grande Prêmio da Austrália, primeira corrida da temporada de 2015, Nasr se tornou o melhor estreante brasileiro da história da Fórmula 1, chegando em quinto lugar e superando o sétimo posto de Chico Serra no GP dos Estados Unidos de 1981. O brasiliense de 22 anos fez uma boa largada e superou Daniel Ricciardo, em uma disputa que durou praticamente toda a prova.[17]

Resultados nas corridas da F1[editar | editar código-fonte]

Legenda: (Corridas em negrito indicam pole position); (Corridas em itálico indicam volta mais rápida)

Temporada Equipe Chassis Motor 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 Class. Pontos
2015* Sauber Sauber C34 Ferrari 1.6 V6 AUS
5
MAL
CHN
BHR
ESP
MON
CAN
AUT
GBR
HUN
BEL
ITA
SIN
JAP
RUS
EUA
MEX
BRA
EAU
10

* Temporada em andamento.

Referências


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons

Ligações externas[editar | editar código-fonte]