Benedito de Assis da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Benedito de Assis Silva)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Assis
Treinador de futebol
Informações pessoais
Nome completo Benedito de Assis Silva[1]
Data de nasc. 12 de novembro de 1952
Local de nasc. São Paulo, SP, Brasil
Falecido em 6 de julho de 2014 (61 anos)
Local da morte Curitiba, PR, Brasil
Apelido Carrasco
Informações profissionais
Posição ex-Atacante e ex-treinador
Clubes profissionais
Seleção nacional
Times/Equipas que treinou

Benedito de Assis Silva (São Paulo, 12 de novembro de 1952Curitiba, 6 de julho de 2014), mais conhecido como Assis, foi um futebolista brasileiro que atuava como atacante.[2][3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

No início de sua carreira, passou por clubes pequenos do futebol paulista. Com a ascensão da Francana à primeira divisão do Campeonato Paulista, em 1978, ele foi contratado e teve seu contrato registrado em 26 de julho.[4] Na edição seguinte, chamou a atenção do São Paulo, que o contratou após ele marcar dezessete gols pela Francana.

Defendeu o clube do Morumbi entre 1980 e 1981, fazendo parte dos elencos que conquistariam o bicampeonato paulista nos dois anos. Foi negociado com o Internacional em agosto de 1981, junto com uma quantia em dinheiro, com o São Paulo recebendo o meia Mário Sérgio em troca.

Em 1982, foi para o Atlético Paranaense, trocado junto com o também reserva Washington pelo lateral Augusto.[5] Lá, a dupla começou a se projetar nacionalmente, ajudando a levar o clube paranaense ao título estadual de 1982 e à semifinal do Campeonato Brasileiro de 1983.[6]

Mas sua carreira teve maior destaque no Fluminense, quando chegou ao clube ao lado de Washington e conquistou o tricampeonato do Campeonato Carioca (1983, 1984, 1985) e o Campeonato Brasileiro de 1984, além de diversos outros torneios, inclusive internacionais.

Assis disputou 177 partidas pelo Fluminense e fez 54 gols, entre 1983 e 1987[7]. Ao lado do companheiro de ataque, formou uma dupla que ficou conhecida como "Casal 20", alusão a um seriado de televisão da época.[8] Decidiu dois campeonatos cariocas, marcando gols em finais contra o Flamengo. Ganhou o apelido de "Carrasco do Flamengo" e passou a ser saudado pela torcida tricolor com o refrão "Recordar é viver, Assis acabou com você".[9]

Deixou o clube carioca em 1987, para tentar jogar nos Estados Unidos, pelo Miami, mas não conseguiu obter o visto de entrada e teve que voltar para o Brasil.[10] Também defendeu o Paysandu e o Paraná Clube antes de encerrar a carreira no Atlético Paranaense, em 1992.

Seleção Brasileira

Assis foi convocado apenas uma vez para a Seleção Brasileira, na breve passagem do técnico Edu, em 1984, logo após a vitoriosa campanha do Fluminense no Campeonato Brasileiro. Ele atuou nos amistosos contra a Inglaterra (derrota por 2 a 0, no Maracanã) e o Uruguai (vitória por 1 a 0, no Morumbi).[11]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em 2012, após anos como Coordenador da Categoria de Base do Fluminense, Assis foi convidado a ocupar o título de "Embaixador do Fluminense". No novo cargo, acompanhava os eventos do mundo futebolístico e do próprio Flu, como o projeto "Tricolor em toda a terra", como representante do seu time do coração.

Em 2012 fez parte do documentário Fla x Flu - 40 Minutos Antes do Nada, onde comentou suas experiências e sentimentos em relação ao clássico carioca, entre eles a vitória nas duas finais de Campeonato Carioca que Flamengo e Fluminense decidiram, em 1983 e 1984: Assis que marcou dois gols decisivos nos dois Fla-Flus, que deram o bicampeonato carioca ao Fluminense, ganhando, assim, o apelido de "Carrasco".

Em 2013, seu filho, o ator, diretor e roteirista Gustavo Stella, desenvolveu o documentário independente intitulado "Ídolo Desmistificado" em que conta a relação do pai com seus admiradores e torcedores por todo o Brasil. O filme passou por Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador, Brasília e Vitória.

Morte[editar | editar código-fonte]

Na manhã de 6 de julho de 2014, o ex-atacante morreu, vítima de insuficiência renal, aos 61 anos de idade.

Títulos[editar | editar código-fonte]

São Paulo
Internacional
Atlético-PR
Fluminense
Paraná Clube

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Site IMORTAIS DO FUTEBOL - Esquadrão Imortal - Fluminense 1983-1985, página editada em 6 de agosto de 2012 e disponível em 13 de novembro de 2016.
Site da revista PLACAR - Times históricos: o Fluminense de 1984, página editada em 13 de janeiro de 2017 e disponível em 18 de janeiro de 2017.

Referências

  1. Biografias - Assis. UOL Esporte
  2. Assis Fluminense Football Club
  3. Assis e o futebol do Casal 20Jornal Tribuna do Paraná
  4. «FPF em Foco». Popular da Tarde (3 297). São Paulo: Diário Popular. 27 de julho de 1978. 9 páginas 
  5. Jorge Eduardo (29 de agosto de 1982). «Atlético, a nova força do futebol paranaense». O Estado de S. Paulo (32 967). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. 45 páginas. ISSN 1516-2931 
  6. Assis. Furacão.com - História
  7. DE FREITAS LIMA, Ricardo. «Jogadores - Letra A - Assis 1987». Fluzão.info. Consultado em 13 de novembro de 2016. 
  8. Museu do esporte
  9. Carioca: Fluminense lembra Assis e título de 1983 em 2º uniforme Futebol Interior, 23/04/2013
  10. Que fim levou? - Assis. Terceiro Tempo
  11. Que fim levou? - Galeria de fotos: Assis. Terceiro Tempo