Biblioteca Nacional de Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Biblioteca Nacional de Brasília (BNB)
Biblioteca Nacional de Brasília
País  Brasil
Tipo Nacional/Pública
Estabelecida 2008
Localização Brasília, DF
Acervo
Tamanho 30 mil
Depósito legal Não
Acesso e uso
Requisitos de acesso Livre acesso
Circulação 180.000/ano
População servida Aberta ao público
Outras informações
Diretor Yuri Barquette
Website [2]

A Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) ou Biblioteca Nacional de Brasília Leonel de Moura Brizola é uma biblioteca brasileira, situada na cidade de Brasília, no Distrito Federal, próxima a Rodoviária do Plano Piloto e junto ao Eixo Monumental e faz parte do Complexo Cultural da República (ou Conjunto Cultural da República), localizado na Esplanada dos Ministérios.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) foi concebida no plano original de Brasília, assinado por Lúcio Costa no final dos anos 50 do século passado, quando o urbanista projetou a capital federal com Oscar Niemeyer e outros arquitetos. As primeiras tentativas de sua efetiva criação remontam ao Decreto Nº 927-A, de 27 de abril de 1962[1], assinado pelo Primeiro Ministro Tancredo Neves, junto ao Ministério da Educação e Cultura, que constituía comissão para estudar medidas necessárias à criação, organização e instalação da Biblioteca. O referido decreto afirma, em suas primeiras linhas, a impossibilidade da Capital da República prescindir dos serviços de uma biblioteca de caráter nacional

Em fevereiro de 1988 o Decreto Nº 95.713[2] institui a Comissão do Conjunto Cultural Federal da Capital da República para estudar as medidas necessárias à implementação e funcionamento do Conjunto Cultural que, acredita-se, abrangeria a Biblioteca.

Após longo intervalo, mais de 40 anos após o primeiro decreto, por iniciativa do Governo do Distrito Federal, inicia-se o processo de efetiva construção do Conjunto Cultural e é criada a Comissão Técnica para Elaboração da Estrutura Organizacional da Biblioteca de Brasília. Dos trabalhos dessa Comissão surge uma primeira proposta concreta para a Biblioteca situada no Conjunto Cultural da República, apontando quais seriam os seus princípios, os seus objetivos, as características de seu acervo e, entre outras coisas, a sua missão. O texto dessa primeira proposta aponta fundamentalmente para a vocação de ser uma biblioteca integradora e centro irradiador de concepções e soluções exemplares para toda a nação. Como diz o documento, também deve constituir-se como centro referencial da cultura do país, atender às exigências dos cidadãos contemporâneos, sem deixar de oferecer à comunidade local atividades para o melhor aproveitamento de suas horas de lazer.

O prédio da Biblioteca Nacional de Brasília foi entregue à população no final de 2006, contudo, sem as condições adequadas para o seu funcionamento. O projeto exigiu um processo de planejamento e instalação que culminou com a abertura ao público, em 12 de dezembro de 2008.

No período entre a entrega do prédio da Biblioteca Nacional de Brasília à população (2006) e a sua abertura à frequentação pública (2008), foi criada, por meio do Decreto Nº 27.796[3], de 20 de março de 2007, a Comissão Intergovernamental do Conjunto Cultural da República, que ficou responsável por discutir e apresentar propostas em relação à programação de uso público do Museu Nacional e da Biblioteca Nacional de Brasília.

A implantação da Biblioteca Nacional de Brasília contou com um convênio com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), através do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), em estreita colaboração com o corpo gestor da BNB, apoiada pela Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal (SeCult DF).

Lista de diretores[editar | editar código-fonte]

Moderna Biblioteca Nacional[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Nacional de Brasília desempenha e enfatiza as funções de acesso e atendimento ao público usuário, atendendo à comunidade local por meio de ações que beneficiam o Sistema de Bibliotecas Públicas do Distrito Federal e atuando fundamentalmente como biblioteca integradora e centro referencial de cultura, informação e convivência, irradiando concepções e soluções exemplares para toda a nação, inserindo-se, assim, na moderna perspectiva de Biblioteca Nacional[6]

Dessa forma, além de manter a herança cultural da nação, com uma Coleção dirigida a pesquisadores e estudiosos, a biblioteca está voltada para o atendimento a todos os cidadãos.

Acervo[editar | editar código-fonte]

Até o término do ano de 2012, seu acervo era composto e desenvolvido exclusivamente a partir de doações, com destaque para as obras dos acervos particulares do poeta, ensaísta e tradutor Aricy Curvello e da poetisa Marly de Oliveira. Em janeiro de 2013, foi autorizado a liberação de R$ 413 mil para a compra de livros para a BNB, com base em estudos e levantamentos feitos por seus servidores. Obras que compõem a Coleção Popular Geral (COPOG) estão disponíveis para empréstimos. São cerca de 25 mil exemplares que contemplam várias áreas do conhecimento. O catálogo da biblioteca está disponível para consulta on-line[7] A BNB também disponibiliza uma Biblioteca Digital[8], que busca conteúdo em universidades, instituições de tecnologia e repositórios de pesquisa.

Denominação[editar | editar código-fonte]

Pela lei do Nº 3.699, de 10 de novembro de 2005, sancionada pelo então governador Joaquim Roriz concedeu-se a denominação personativa de Biblioteca Nacional Leonel Brizola.

Referências

  1. «Decreto do Conselho de Ministros nº 927-A, de 27 de Abril de 1962». 27 de Abril de 1962. Consultado em 15 de setembro de 2014 
  2. «Institui a Comissão do conjunto cultural federal da Capital da República, e dá outras providências.». 10 DE FEVEREIRO DE 1988. Consultado em 15 de setembro de 2014  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Cria Comissão Intergovernamental do Conjunto Cultural da República» (PDF). 20 DE MARÇO DE 2007. Consultado em 15 de setembro de 2014  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. Revista Correio Filatélico. edição número 236, ano XXXVIII, abril/junho de 2015. ISSN 0101-3114. página 33.
  5. Biblioteca Nacional de Brasília tem novo diretor. bnb.df.gov.br. Acesso em 25 de janeiro de 2016.
  6. CAMPELLO, Bernadete (2006). Introdução ao controle bibliográfico 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos 
  7. «Consulta on-line». Consultado em 15 de setembro de 2014 
  8. «Biblioteca Digital». Consultado em 15 de junho de 2014 
  9. [1]. Diário Oficial do Distrito Federal

BIBLIOTECA Nacional de Brasília: pesquisa e inovação. Aurora Cuevas Cerveró, Elmira Simeão (org.). Thesaurus: Brasília, 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.