Engenho Velho da Federação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Engenho Velho da Federação
  Bairro do Brasil  
Localização
Unidade federativa Bahia
Região administrativa Região Rio Vermelho, RA VII
Município Salvador
Outras informações
Limites Rio Vermelho, Federação, Engenho Velho de Brotas, Acupe, Brotas[1]
Fonte: Projeto de Lei municipal (PL) (363/17)/2017[2]

O Engenho Velho da Federação é um bairro muito populoso da cidade de Salvador.[3] O bairro conta apenas com três linhas de ônibus, o que liga a outras partes da cidade. Nas proximidades do bairro, está o Engenho Velho de Brotas, Av. Vasco da Gama, Garibaldi e Rio Vermelho.

Atualmente devido à cultura, estão localizadas diversas casas de Camdomblés, sendo um dos bairros com mais terreiros. Suas principais ruas são a Avenida Apolinário Santana e a Rua das Palmeiras.

Localização[editar | editar código-fonte]

Localizado como uma continuação da Federação, possui praça e uma pequena feirinha, algumas lojas de roupas. Recebeu este nome devido aos engenhos de cana-de-açúcar na época da escravidão, onde a maior população de negros trabalhava para os donos de engenho.

História[editar | editar código-fonte]

A história do Engenho Velho da Federação começou com uma fazenda homônima, onde havia um grande engenho de cana-de-açúcar, o destino de muitos negros africanos escravizados no século XVII e ligada ao Engenho Velho de Brotas. Foi também o refúgio dos negros vindos da Pedra da Pituba, uma outra fazenda. Permaneciam no local enquanto durava a colheita das lavoura de dendê, licuri e cana-de-açúcar e quando acabava, iam para o terreiro de candomblé Bogum, o atual Terreiro do Bogum de língua Ketu-Jeje, uma homenagem aos negros velhos tendo perdido varias pessoas adeptas para varias igrejas evangelicas que tem crescido muito.

Segurança[editar | editar código-fonte]

Foi listado como um dos bairros mais perigosos de Salvador, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgados no mapa da violência de bairro em bairro pelo jornal Correio em 2012.[1] Ficou entre os mais violentos em consequência da taxa de homicídios para cada cem mil habitantes por ano (com referência da ONU) ter alcançado o segundo nível mais negativo, o "61-90", sendo um dos piores bairros na lista.[1]

Em 2017 foi divulgado que a facção criminosa BDM (Bonde do Maluco) que exerce controle sobre o tráfico de drogas na Bahia atua sobre o bairro.[4] No mesmo ano a polícia tentou conter o controle das facções.[5]

Referências

  1. a b c Juan Torres e Rafael Rodrigues (22 de maio de 2012). «Mapa deixa clara a concentração de homicídios em bairros pobres». Correio (jornal). Consultado em 28 de abril de 2019 
  2. Redação (18 de setembro de 2017). «Aprovado projeto que amplia para 163 número de bairros de Salvador». A Tarde. Universo Online. Consultado em 28 de abril de 2019 
  3. «Engenho Velho da Federação» (PDF). Consultado em 9 de junho de 2013. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  4. Bruno Wendel (22 de janeiro de 2017). «BDM comanda o tráfico em sete bairros de Salvador». Correio (jornal). Consultado em 27 de abril de 2019 
  5. Bruno Wendel (2 de setembro de 2017). «Entenda como é a divisão do tráfico no Engenho Velho da Federação». Correio (jornal). Consultado em 26 de abril de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]