Amaralina (Salvador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amaralina
  Bairro do Brasil  
O mar na praia de Amaralina.
O mar na praia de Amaralina.
Localização do bairro em Salvador.
Localização do bairro em Salvador.
Unidade federativa Bahia Bahia
Região administrativa Região Pituba/Costa Azul, RA VIII[1]
Município Salvador
Limites Rio Vermelho, Pituba, Vale das Pedrinhas e Nordeste de Amaralina
Fonte: Não disponível

A Amaralina é um bairro, localizado na região sul de Salvador, capital dos estado da Bahia, Brasil.[2] Distante mnove quilômetros do centro da cidade, é um bairro eminentemente habitacional, embora com variado comércio, sobretudo na rua principal. O bairro é famoso porque tem, em seus limites, a praia de Amaralina.

História[editar | editar código-fonte]

O bairro de Amaralina era a antiga Fazenda Alagoas, uma referência a uma lagoa que existia no local. A fazenda passou a chamar-se Fazenda do Amaral, após José Álvares do Amaral comprá-la e dar seu sobrenome.[3]

Durante a II Guerra Mundial foi ali que os norte-americanos instalaram o posto aeronáutico que, após o conflito, passou para a Aeronáutica, hoje funcionando o 19º Batalhão de Artilharia Anti-Aérea.

Durante o regime ditatorial de 1964, para lá, o Quartel de Amaralina, foram encaminhados e, segundo a visão de esquerda, torturados vários dos presos políticos do estado[4], como o poeta Camillo de Jesus Lima, Pedral Sampaio, Othon Jambeiro, Nudd David de Castro e outros intelectuais, embora não haja comprovação para os fatos.

Acesso e localização[editar | editar código-fonte]

Está situado na orla atlântica, entre o bairro Rio Vermelho (a leste), o bairro da Pituba (a oeste), Vale das Pedrinhas e Nordeste de Amaralina (ao norte) e com o Oceano Atlântico (ao sul).[5]

Suas vias principais são a Avenida Amaralina, que termina no Largo do mesmo nome e onde encontra-se com a rua Visconde de Itaboraí. Embora não característica desse bairro, parte da Avenida Manoel Dias da Silva - uma das principais da Pituba - tem seu final na rua Visconde de Itaboraí.[5]

Uma curiosidade sobre o bairro é que onde hoje existe parte do bairro, entre a praça (hoje chamada Praça dos Ex-combatentes) em frente ao quartel e a Avenida Manoel Dias da Silva havia uma lagoa, que desapareceu com a ocupação das construções.

Praias[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Praia de Amaralina (Salvador)

Na praia do mesmo nome está localizado o Largo de Amaralina, famoso por abrigar diversas baianas de acarajé, em um grande quiosque, sendo este um dos pontos mais tradicionais de venda de acarajé, água de coco e outras delícias típicas de Salvador.

A praia possui trechos com ondas fortes, principalmente na parte sul, que se inicia a partir do quartel do Exército, e também trechos com piscinas de corais forradas com um tapete verde de algas, escondidos na região que fica logo atrás do largo de Amaralina e que aparecem apenas na maré baixa. Nesta praia existem também trechos excelentes para a pesca esportiva.

Toda sua extensão é contornada por um grande calçadão, facilitando a prática do cooper.

O cantor Raul Seixas escreveu a canção "Menina de Amaralina" fazendo referências a localidade e em referência à cultura do local, Mart'nália canta a música "Nás águas de Amaralina". Caetano Veloso também cita o mar de Amaralina em sua música "Tropicália" e "Clarice".

Demografia[editar | editar código-fonte]

Foi listado como um dos bairros menos perigosos de Salvador, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgados no mapa da violência de bairro em bairro pelo jornal Correio em 2012.[6] Ficou entre os bairros mais tranquilos em consequência da taxa de homicídios para cada cem mil habitantes por ano (com referência da ONU) ter alcançado o nível mais baixo, com indicativo "0", sendo um dos melhores bairros na lista.[6]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Amaralina (Salvador)

Referências

  1. «Prefeitura Municipal de Salvador. Plano Diretor Urbano (PDDU). 2007». Consultado em 1 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 15 de julho de 2016 
  2. Bairro
  3. Salvador Cultura Todo Dia
  4. «Os 30 anos de anistia política». Consultado em 1 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2013 
  5. a b Amaralina[ligação inativa]
  6. a b Juan Torres e Rafael Rodrigues (22 de maio de 2012). «Mapa deixa clara a concentração de homicídios em bairros pobres». Correio (jornal). Consultado em 28 de abril de 2019