Stella Maris (Salvador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Stella Maris
—  Bairro do Brasil  —
Pista do Aeroporto de Salvador e as praias soteropolitanas mais ao nordeste ao fundo.
Pista do Aeroporto de Salvador e as praias soteropolitanas mais ao nordeste ao fundo.
Localização de Stella Maris (em vermelho) no município de Salvador.
Localização de Stella Maris (em vermelho) no município de Salvador.
Unidade federativa Bahia
Região administrativa Região Itapuã, RA X[1]
Município Salvador
Limites Itapuã (oeste), São Cristóvão (norte), Lauro de Freitas (nordeste)
Fonte: Não disponível

Stella Maris, ou simplesmente Stella, é um bairro nobre da cidade de Salvador situado no lado norte da cidade.[2] Seu significa estrela do mar, em latim. Teve sua origem em um loteamento que deu nome à praia homônima. Suas ruas projetadas têm nomes de praias do Brasil, em virtude do Loteamento Alamedas da Praia, que inclusive é um marco no bairro, as alamedas.[3]

Cercada pelas dunas que cercam o Aeroporto Internacional de Salvador, Stella Maris possui algumas das praias mais frequentadas da cidade, como a praia do Flamengo. Além de ter as praias mais badaladas pelos jovens de classe alta de Salvador e as famosas barracas Cabana Coral e Honolulu, é um pico para os surfistas por causa das ondas.[2]

O bairro, apesar dos empreendimentos e casas/condomínios de luxo, sofre com infraestrutura precária: alagamentos, sem bueiros, ruas esburacadas e não asfaltadas, pontos de ônibus sem cobertura ou capacidade para abrigo, matagais, locais sem calçadas, calçadas mal conservadas, iluminação e segurança.[2][4]

Devido à proximidade ao aeroporto, durante a Copa das Confederações FIFA de 2013, as equipes do Brasil e Uruguai ficaram hospedados em hotéis do bairro (Gran Hotel Stella Maris, Catussaba Resort, respectivamente), tal como a Nigéria hospedou-se no Hotel Deville, em Itapuã.[4]

Como via principal do bairro, figura a rua Capitão Melo; e destaca-se também a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima[5] e os clubes recreativos: Clube dos Maçons e o Clube dos Empregados da Petrobrás (CEPE-Salvador).[6][7] Há ainda um acampamento, o Camping Ecológico de Itapuã, cujo terreno pertence à Prefeitura e é objeto de ação de reintegração de posse, por alegação de uso para moradia permanente.[8] O acampamento sofreu um incêndio em janeiro de 2017;[9] época em que ainda funcionava em virtude da suspensão do processo por alegação de parte do terreno ser da União (área da Marinha) e apesar da estipulação de 60 dias para encerramento das atividades do acampamento pelo decreto municipal n.º 26.407 publicado no Diário Oficial do Município em 1º de setembro de 2015.[8]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Vista área da lagoa do Flamengo na altura da segunda ponte.

No bairro está situado o riacho Flamengo, cuja foz delimitava o distrito de Santo Amaro de Ipitanga do distrito de Salvador, dentro da capital baiana antes da emancipação do primeiro, e posteriormente o município de Lauro de Freitas e do município de Salvador.[10][11][12] O riacho na verdade é um estuário, cuja ligação com o mar foi regulada na década de 1960 com a construção de um equipamento chamado "cachimba".[13] Com essa espécie de represamento, aparenta ser uma lagoa e passou a ser mais comumente referido como "lagoa do Flamengo".[14] O corpo d'água está inserido na região hidrográfica estadual RPGA Recôncavo Norte[15] e na Bacia de Drenagem Natural de Stella Maris e rodeado pelas dunas do Parque das Dunas e por condomínios residenciais.[13][16] Tem profundidade de 1,9 metro.[16] Em 2015, obras de aterramento foram denunciadas e objeto de investigação pelo Ministério Público como possibilidade de crime ambiental.[17]

No mesmo bairro está o rio Sapato, que nasce na lagoa da Vitória, situada no Parque das Dunas, e corre paralelamente à costa rumo a Lauro de Freitas até desembocar na foz do rio Joanes, compondo a bacia desse rio principal, tal como a do rio Ipitanga.[18]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lei Municipal de Salvador n.º 7.400 de 2008» (PDF). 2008 
  2. a b c Adailton, Franco (25 de agosto de 2014). «Moradores pedem reforma em Stella Maris». Portal A TARDE 
  3. «Alameda Praia Garapuá (Lot Al Praia), Stella Maris - Salvador BA - CEP 41600-090». www.consultarcep.com.br. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  4. a b PACHECO, Clarissa (25 de maio de 2013). «Sem estrutura, Stella Maris receberá seleções do Brasil, Nigéria e Uruguai no mês que vem». Consultado em 23 de junho de 2013 
  5. LYRIO, Alexandre; PEREZ, Florence (11 de março de 2012). «Antes tranquila, Stella Maris se torna paraíso de roubos e assaltos». Consultado em 23 de junho de 2013 
  6. «PRAIA DO FLAMENGO / STELLA MARIS». Salvador Cultura Todo Dia. Fundação Gregório de Mattos. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  7. «CEPE - Clube dos Empregados da Petrobrás». www.cepe-ssa.com.br. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  8. a b Sotero, Anderson; Gomes, Ana Esther (5 de janeiro de 2017). «Após incêndio em trailers, camping tem clima de tristeza e tensão». Portal A TARDE. Consultado em 1.º de fevereiro de 2017 
  9. Da Redação (4 de janeiro de 2017). «Incêndio atinge cinco trailers em camping em Stella Maris». Portal A TARDE. Consultado em 1.º de fevereiro de 2016 
  10. «LAURO DE FREITAS NÃO SE DIVIDE E QUER MANTER TERRITÓRIO DE IPITANGA». Bahia Já. 26 de setembro de 2007. Consultado em 25 de maio de 2017 
  11. «LEI Nº 2.713 DE 25 DE AGOSTO DE 1969» (PDF). sedur.laurodefreitas.ba.gov.br. 25 de agosto de 1969. Consultado em 25 de maio de 2017 
  12. Borges, Rogério (Setembro de 2010). «Moema Gramacho move guerra de reconquista» 140 ed. www.youblisher.com. Vilas Magazine: 8. Consultado em 26 de maio de 2017 
  13. a b Pereira, Thiago (28 de fevereiro de 2011). «Transposição promete recuperar Lagoa do Abaeté». Tribuna da Bahia. Consultado em 26 de maio de 2017 
  14. A TARDE On Line (12 de maio de 2008). «Embasa vai analisar mancha de óleo na Lagoa do Flamengo». Portal A TARDE. Consultado em 25 de maio de 2017 
  15. Juliana Jesus Santos ; Ailton dos Santos Junior ; Maili Correia Campos ; Claudia do Espírito Santo Lima & Eduardo Farias Topázio. «BALNEABILIDADE DAS LAGOAS URBANAS DE SALVADOR - BAHIA» (PDF). www.abrh.org.br. Consultado em 26 de maio de 2017 
  16. a b «RELATÓRIO TÉCNICO 006/15: QUALIDADE DA ÁGUA E ESTADO TRÓFICO DAS LAGOAS URBANAS DE SALVADOR-BA» (PDF). Salvador: INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS. 2015. Consultado em 26 de maio de 2017 
  17. «Lagoa é aterrada na Praia do Flamengo». Bahia no Ar. R7 Bahia. 8 de janeiro de 2015. Consultado em 26 de maio de 2017 
  18. «RELATÓRIO TÉCNICO Nº 028/16: DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE AMBIENTAL DOS RIOS DE SALVADOR E LAURO DE FREITAS, BAHIA, BRASIL» (PDF). Bahia: INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS. 2016. Consultado em 26 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]