Calçada (Salvador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Calçada
  Bairro do Brasil  
Unidade federativa Bahia Bahia
Município Bandeira de Salvador.svg Salvador
Fonte: Não disponível

A Calçada é o primeiro bairro entre a Cidade Baixa e o subúrbio ferroviário de Salvador, na Bahia, no Brasil. Situa-se próximo à Feira de São Joaquim e ao terminal marítimo. É neste bairro que se encontra a mais importante estação ferroviária da cidade, que liga a região de Água de Meninos ao bairro de Paripe por meio do sistema ferroviário urbano. Há, ainda, um plano inclinado que liga a Calçada à Liberdade: o Plano inclinado Liberdade-Calçada.[1]

Um prédio antigo da Petrobras localizado no bairro foi cedido, em fevereiro de 2016, à Universidade do Estado da Bahia (UNEB) para sediar a reitoria dessa instituição, com o propósito de estimular a ocupação do Centro Antigo de Salvador, próximo do qual está a Calçada.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

A origem e o nome do bairro é em decorrência de um caminho que foi criado entre a atual Avenida Jequitaia e o Bonfim, denominado "Calçada do Bonfim". Devido à criação da estação ferroviária da Viação Férrea Federal do Leste Brasileiro no local, o comércio no bairro começou a desenvolver rapidamente, e, hoje, tem grande importância nessa região da cidade.[1]

Neste bairro foi elaborada a primeira vila operária do Brasil, para os empregados da Companhia Empório Industrial do Norte, do industrial Luís Tarquínio, na década de 1890.[4][5].

Demografia[editar | editar código-fonte]

A região do bairro da Calçada chamada Baixa do Fiscal foi listada como uma das mais violentas de Salvador, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgados no mapa da violência de bairro em bairro pelo jornal Correio em 2012.[6] O bairro ficou entre os mais violentos em consequência da taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes por ano (com referência da ONU) ter sido "mais que 90", o pior nível.[6]

Referências

  1. a b Thaís Seixas (29 de março de 2015). «Salvador em bairros: Calçada mantém ar de bairro mercantil». Salvador. A TARDE 
  2. «Rui critica prefeitura por retirar placas de obras do governo». Metro1. 22 de Set de 2016. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  3. Cordeiro, Danilo (06 mar 2016). «Vestibular 2016: UNEB realiza 1º dia de provas na capital e no interior do estado». www.uneb.br. Assessoria de Comunicação/UNEB. Consultado em 22 de setembro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. Prefeitura de Salvador ameaça com desapropriações Terra Magazine - acessado em 22 de fevereiro de 2015
  5. Luíz Tarqüínio Pioneiros e Empreendedores - acessado em 22 de fevereiro de 2015
  6. a b Juan Torres e Rafael Rodrigues (22 de maio de 2012). «Mapa deixa clara a concentração de homicídios em bairros pobres». Correio (jornal). Consultado em 28 de abril de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]