João Leite da Silva Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

{{Info/Político

|imagem           =Deputado João Leite.jpg
|imagem_tamanho   =230px
|imagem_legenda   = 
|nome             =João Leite da Silva Neto
|título           =Deputado estadual de Minas Gerais Minas Gerais
|mandato          =1º de fevereiro de 1995
à atualidade
(6 mandatos consecutivos) |título2 =Vereador de Belo Horizonte Bandeira Belo Horizonte.PNG |mandato2 =1º de janeiro de 1993
a 16 de dezembro de 1994 |data_nascimento =13 de outubro de 1955 (60 anos) |local_nascimento =Belo Horizonte, MG |partido =PSDB |profissão =ex-Atleta |projecto =Brasil

}político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira. Teve grande destaque no Atlético Mineiro nas décadas de 70 e 80, atuando como goleiro.

Natural de Belo Horizonte, João Leite é bacharel em história pelo Centro Universitário de Belo Horizonte. Sua vida profissional começou como atleta de futebol, jogando como goleiro no Clube Atlético Mineiro. Também jogou no Guarani de Campinas, no Vitória de Guimarães, em Portugal e na Seleção Brasileira, quando foi comandada por Lazaroni e Cláudio Coutinho, em 1981 e 1982. Em sua vida de atleta, João Leite foi o jogador que mais vestiu a camisa do Galo: 684 vezes, tendo conquistado 10 títulos estaduais e uma Conmebol.

Ao encerrar a carreira de atleta, João Leite dedicou-se à política. Foi vereador por Belo Horizonte e eleito deputado estadual por seis mandatos sucessivos, tendo sido o mais votado do Estado nas eleições de 1998 e 2002.

Como parlamentar estadual, integrou as comissões do Consumidor, do Meio Ambiente, dos Direitos Humanos e Segurança Pública, tendo sido presidente dessas duas últimas. Ainda como legislador mineiro, João Leite presidiu duas comissões parlamentares de inquérito: a do Sistema Penitenciário e a da emissão de Carteiras Nacionais de Habilitação e foi o relator da Telefonia Móvel.

No primeiro governo de Aécio Neves, assumiu o cargo de secretário de estado de Desenvolvimento Social e Esportes, e foi o responsável por essa nova pasta que integrou as políticas públicas de Assistência Social, Trabalho, Anti-drogas, Direitos Humanos, Criança e Adolescente, e Esportes.

Em 28 de julho de 2016, com apoio do PP, DEM, PPS, PRB e PRTB João Leite foi escolhido como candidato do PSDB à Prefeitura de Belo Horizonte.

Início de vida, educação e carreira[editar | editar código-fonte]

João Leite da Silva Neto nasceu em 13 de outubro de 1955, em Minas Gerais, numa família simples da Vila Oeste, periferia de Belo Horizonte. Seu pai, Waldemar Leite da Silva, falecido em 2007, era guarda civil. A mãe, Geralda Campos Leite, 84 anos, foi servidora estadual. João é o segundo mais velho entre cinco irmãos, e é casado com Eliana Maria Aleixo Leite, ex-jogadora de vôlei do Minas Tênis Clube e da Seleção Brasileira. João Leite é pai de três filhos, Débora, Daniela e Hélton, e tem uma neta: Letícia. Ele cresceu numa família religiosa, e esse é um traço de personalidade que ele traz desde cedo com muito orgulho.

João concluiu o ensino básico em escola pública, no Grupo Escolar João Pessoa. Mais tarde, ganhou bolsa de estudos para cursar o ensino fundamental no colégio Dom Silvério, quando sentiu o chamado de duas grandes paixões. De um lado, o esporte. Aos 15 anos, trocou o time do colégio pelas escolinhas de futebol do Atlético. De outro, a história, transmitida pelo inesquecível professor Cláudio. O futebol venceu. A história ainda teria de esperar.

O esporte sempre esteve presente em sua vida. Foi jogando bola num campinho de várzea que seu pai, Waldemar, observou a forma como o filho "encaixava" as bolas quando jogava no gol. Conta João Leite que o pai mandou chamar a mãe e previu, com entusiasmo, o futuro do filho: "João será um grande goleiro".

Ele concluiu o ensino básico em escola pública, no Grupo Escolar João Pessoa. Mais tarde, ganhou bolsa de estudos para cursar o ensino fundamental no colégio Dom Silvério, quando sentiu o chamado de duas grandes paixões. De um lado, o esporte. Aos 15 anos, trocou o time da colégio pelas escolinhas de futebol do Atlético. De outro, a história, transmitida pelo inesquecível professor Cláudio. O futebol venceu. A história ainda teria de esperar.

João Leite fez sua estreia profissional como goleiro do Galo aos 21 anos, em 1976. Formado nas categorias de base do Atlético, João Leite assumiu a camisa 1 para substituir o argentino Miguel Ángel Ortiz[1], machucado, e se tornou um dos destaques do time que acabou sendo vice-campeão brasileiro invicto. Defendeu dois pênaltis na final contra o São Paulo, o que não impediu o título dos paulistas. Desde então, ninguém vestiu tantas vezes a camisa do Atlético: 684 jogos. Após 16 anos e 11 títulos conquistados, tendo atuado também como goleiro da Seleção Brasileira, ele encerrou a vitoriosa carreira de atleta profissional.

Encerrada a trajetória como atleta, João Leite decidiu estudar História no Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH), onde se formou, mas teve de conciliar os estudos com outro grande desafio: a carreira política.

Carreira Política[editar | editar código-fonte]

Em 1992, estimulado por admiradores e amigos, João Leite elegeu-se vereador em Belo Horizonte, pelo PSDB, com a quinta maior votação. Seu lema era "Ele vai defender você!". Na Câmara Municipal, aprovou iniciativas como a lei municipal antifumo, ainda em 1995, e a lei municipal para doação de órgãos e tecidos.

Como secretário municipal de Esportes, implementou 12 projetos, como o Superar, voltado à prática esportiva para portadores de necessidades especiais, e o Quadras Abertas, que promovia atividades físicas em 200 quadras de rua simultaneamente. Em 1994, elegeu-se deputado estadual, sendo o oitavo mais votado no estado. Presidiu a Comissão de Direitos e Garantias Fundamentais, e comandou a CPI do sistema carcerário. Em 1998, reelegeu-se como o terceiro deputado mais votado de Minas Gerais. Presidiu a CPI das Carteiras de Habilitação.

Em 2000, candidatou-se à prefeitura de Belo Horizonte pelo PSDB. No primeiro turno, João Leite classificou-se para o segundo turno ao obter 372.257 votos (31,25%), enquanto o então prefeito Célio de Castro obteve 518.600 votos (43,54%). No segundo turno, João Leite obteve 562.863 votos (45,05%) e foi derrotado por Célio de Castro que recebeu 686.378 votos (54,94%).[2]

Em 2004, candidatou-se novamente à prefeitura de Belo Horizonte, desta vez pelo PSB e tendo a ex-deputada federal Maria Elvira (PMDB) como candidata a vice-prefeita. A sua coligação recebeu o nome "Novos Horizontes" e foi composta pelo PSB, PSDB, PP, PMDB, PSC, PSDC, PRTB, PHS, PTC, PV e PTdoB. João Leite obteve 290.194 votos (22,78%) e foi derrotado no primeiro turno pelo então prefeito Fernando Pimentel que obteve 872.601 votos (68,49%).[3]

De 2003 até 2004, foi Secretário Estadual de Desenvolvimento Social e Esportes de Minas Gerais durante o primeiro governo de Aécio Neves.[4]

Em 2006, João Leite voltou para o PSDB e foi reeleito deputado estadual com 94.656 votos,[5] sendo reeleito em 2010 com 84.316 votos,[6] e reeleito em 2014 com 63.623 votos.[7]

Exercendo o sexto mandato como deputado estadual, João Leite é reconhecidamente um dos parlamentares mais atuantes de Minas Gerais. Foi integrante das comissões de Defesa do Consumidor e do Contribuinte, e também de Meio Ambiente e Recursos Naturais. Também liderou a Comissão Especial da Execução das Penas e assumiu, em 2009, a presidência da Comissão de Segurança Pública. Entre as realizações, liderou o Fórum Nacional das Comissões de Segurança Pública[8], com o foco voltado às fronteiras, ao combate ao tráfico de armas e drogas, além da luta contra o tráfico internacional de pessoas.

São de sua autoria iniciativas tornadas normas jurídicas como o Fundo Estadual de Cultura, Lei de Proteção à Testemunha, a criação do Conselho Estadual do Idoso, Lei de Incentivo ao Esporte e a Lei Estadual Antifumo, entre várias outras.

Em 28 de julho de 2016, João Leite foi oficializado como candidato à prefeitura de Belo Horizonte pelo PSDB.[9] Em 31 de julho, o vereador Ronaldo Gontijo (PPS) foi anunciado como candidato a vice-prefeito.[10] Sua coligação é chamada de "Juntos por BH" e é composta pelo PSDB, PPS, PP, DEM, PRTB e PRB. Desde o início da campanha, João Leite lidera as pesquisas com 21% à 30% das intenções de votos.[11][12]

Conquistas durante a carreira no futebol[editar | editar código-fonte]

Atlético-MG[editar | editar código-fonte]

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Atlético-MG[editar | editar código-fonte]

América-MG[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Miguel Ángel Ortiz». GaloDigital.com. 24 de abril de 2010. Consultado em 4 de abril de 2014. 
  2. «Resultado da eleição 2000 — Tribunal Superior Eleitoral». 
  3. «UOL Eleições 2004». eventos.noticias.uol.com.br. Consultado em 2016-09-11. 
  4. «Biografia - Deputado João Leite - Assembleia de Minas». Assembleia de Minas. Consultado em 2016-09-11. 
  5. «Folha Online - Especial - 2006 - Eleições - Apuração - Minas Gerais - Deputado Estadual». eleicoes.folha.uol.com.br. Consultado em 2016-09-11. 
  6. «Apuração dos votos: Minas Gerais - Eleições 2010 - Terra». eleicoes.terra.com.br. Consultado em 2016-09-11. 
  7. «Minas Gerais - Deputado Estadual - 1º Turno - Apuração - Eleições - 2014 - Especial - Poder - Folha de S.Paulo». eleicoes.folha.uol.com.br. Consultado em 2016-09-11. 
  8. «Notícias». www.al.ms.gov.br. Consultado em 2016-08-20. 
  9. «PSDB oficializa candidatura João Leite à prefeitura de Belo Horizonte». Consultado em 2016-09-11. 
  10. «PPS lança Ronaldo Gontijo como vice na chapa de João Leite em BH». 2016-07-31. Consultado em 2016-09-11. 
  11. «João Leite lidera disputa para Prefeitura de BH com 21%, diz Ibope». 2016-08-22. Consultado em 2016-09-11. 
  12. «João Leite tem 30% e Kalil tem 19% na disputa em BH, diz Datafolha». 2016-09-09. Consultado em 2016-09-11.