Operação Battleaxe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Operação Battleaxe
Campanha do Deserto Ocidental
Segunda Guerra Mundial
IWM-E-003660-4700-32.jpg
Soldados da 4ª Divisão Indiana decorando o lado de seu caminhão
"Khyber Pass to Hell-Fire Pass".
Data 15 de junho - 17 de junho de 1941
Local Cirenaica, Líbia
Desfecho Vitória do Eixo
Combatentes
Aliados
 Reino Unido
British Raj Red Ensign.svg India colonial
Eixo
Flag of German Reich (1935–1945).svg Alemanha Nazista
Flag of Italy (1861-1946) crowned.svg Itália fascista
Comandantes
Flag of the United Kingdom.svg Noel Beresford-Peirse
(XIII Corps)
Flag of the United Kingdom.svg Archibald Wavell
(Midle East Command)
Flag of the United Kingdom.svg Arthur Coningham
(Desert Air Force)
Flag of German Reich (1935–1945).svg Erwin Rommel
(Afrika Korps)
Forças
+20.000 soldados
190 Tanques
98 Caças
105 Bombardeiros
13.200 soldados
50 Tanques
130 Caças
84 Bombardeiros
Baixas
969 soldados
91 Tanques
33 Caças
3 Bombardeiros
678 soldados
12 Tanques
10 Aeronaves[1]

A Operação Battleaxe (15 de junho - 17 de junho de 1941), foi a segunda tentativa do exército britânico de recapturar a Cyrenaica e libertar Tobruk do cerco que a Afrika Korps do general Erwin Rommel lhe havia imposto , mas fracassou assim como a primeira tentativa. O comandante das forças britânicas era o general Noel Beresford-Peirse, que tinha a sua disposição o XIII Corps, a 7ª Divisão Blindada e a 4ª Divisão Indiana. Rommel contava com a 5ª Divisão Ligeira e sua famosa 15ª Divisão Panzer. Foi a primeira vez durante a guerra que uma força significativa alemã lutou na defensiva.[2]

Plano de Ataque[editar | editar código-fonte]

Peirse planejou um ataque frontal por parte da Divisão de índiana às posições ao redor do Passo de Halfaya e ao forte de Capuzzo, enquanto as forças blindadas, depois de tomar a ponte de Hafid, atacariam os Panzers, mas os britânicos subestimaram as forças sob o comando da Raposa do Deserto, e não sabiam que ele contava com a 15ª Divisão Panzer, uma divisão altamente treinada, com grande número de carros Panzer IV e uma enorme reserva de antiaéreos 88 mm, que os alemães usavam como potentissimos canhão canhões antitanque. A operação foi um fracasso total: os britânicos tiveram quase 1.000 baixas e perderam 91 tanques e 36 aviões, por apenas 700 baixas alemãs, com 12 tanques e 10 aviões perdidos. Apesar disto, na tentativa seguinte (Operação Crusader), as forças britânicas conseguiram desalojar Rommel temporariamente e libertar Tobruk.

Imagens da Operação[editar | editar código-fonte]

Veja Também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Playfair, p. 171
  2. Maule, p. 115