Robbie Williams

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robbie Williams
Robbie Williams em 2012.
Informação geral
Nome completo Robert Peter Williams
Nascimento 13 de Março de 1974 (40 anos)
Local de nascimento Stoke-on-Trent, Staffordshire, Inglaterra
 Reino Unido
Origem Londres, Inglaterra
País  Reino Unido
Nacionalidade Britânica
Gênero(s) Pop rock
Soft rock
Dance
Britpop (començo)
Ocupação(ões) Cantautor
Músico
Produtor
Ator
Instrumento(s) Voz
Guitarra
Baixo
Sintetizador
Bateria
Piano
Violino
Harmónica
Marimba
Período em atividade 1990 - atualmente
Gravadora(s) Chrysalis
Virgin Records
Island Records
Universal Music
Afiliação(ões) Take That
Gary Barlow
Página oficial Site Oficial

Robert Peter Williams[1] (Stoke-on-Trent, Staffordshire, 13 de Fevereiro de 1974) é um cantor britânico de música pop. Alcançou o sucesso com a balada "Angels", de 1997, do álbum Life thru a Lens.

Ele é um membro do grupo pop Take That. Williams chegou à fama no início até meados da década de 1990. Depois de muitas discordâncias com a gestão e com os membros do grupo, Williams deixou o grupo em 1995 para lançar sua carreira solo. Em 15 de julho de 2010, foi anunciado que ele tinha voltado para o Take That e o grupo lançou o álbum Progress em novembro de 2010.

Williams já vendeu mais de 57 milhões de álbuns em todo o mundo [2] . Ele é o artista solo britânico de maior venda no Reino Unido e o artista de maior venda não-Latino na América Latina. Seis de seus álbuns estão entre os top 100 que mais vendeu álbuns no Reino Unido. Ele também foi honrado com dezessete prêmios BRIT, mais do que qualquer artista e outros sete prêmios ECHO. Em 2004, ele foi introduzido no Music Hall of Fame do Reino Unido depois de ter sido votado como o "maior artista da década de 1990".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 13 de fevereiro de 1974, na Inglaterra, Robbie Williams iniciou a carreira no grupo Take That, em 1990. Espécie de pioneiro na retomada do formato contemporâneo das boy bands, o grupo consagrou-se como o maior vendedor de discos na ilhas britânicas desde os Beatles. Destaque do quinteto, Robbie Williams decidiu seguir seu próprio caminho em 1995, apesar dos boatos de que teria sido expulso. Sua primeira tentativa foi um fiasco: gravou uma versão de "Freedom '90", de George Michael.

Como o crédito de ex-Take That não ajudava a ter credibilidade, envolveu-se com personagens do britpop como Noel Gallagher, que lhe deu algumas canções para o disco de estréia. Mesmo sem utilizá-las em Life thru a Lens (1997), Williams conheceu de perto o estilo de vida do Oasis, e saiu com uma porção de histórias sobre festas da pesada e bebedeiras para contar. Com tal companhia, se tornou alvo dos tablóides sensacionalistas, o que só fez aumentar a curiosidade em torno do disco, grande sucesso na Inglaterra. O single "Old Before I Die" apresentava uma sonoridade mais ousada e letra irônica. No disco, um resumo da música britânica, do dance ao glam, passando pelo britpop.

Consagrado no Reino Unido, Williams lançou I've Been Expecting You, em 1998, de olho em outros mercados. Não foi daquela vez, mas "Strong" e "Millennium" reafirmaram seu talento entre os súditos da Rainha. Em "No Regrets", ele contou com os Pet Shop Boys nos vocais. Se a América não vinha até ele, Williams resolveu lançar a compilação The Ego Has Landed, em 1999, apenas naquela praça. Em outubro de 2000, não mediu esforços no álbum Sing When You're Winning, que, voltado para o pop dançante, é considerado um de seus melhores trabalhos. Williams faz um dueto com Kylie Minogue em "Kids" e emplacou novo hit, "Rock DJ", cujo clipe gerou polêmica ao apresentar o músico nu e arrancando pedaços de seu corpo em uma pista de patinação.

Take That[editar | editar código-fonte]

O início da carreira musical de muito sucesso deu-se no grupo Take That, fundado em 1990, com a qual conseguiu grande sucesso, tendo oito singles na lista de mais vendidos do Reino Unido. Daí, surgiram várias bandas similares no país. No entanto, havia boatos de que Williams não se ajustava muito ao grupo, causando brigas dentro do círculo. Abandonou o grupo em 1995.

1996–1999: Robbie e "Los Angeles"[editar | editar código-fonte]

Depois da saída do grupo, teve problemas com drogas e álcool. Começou a carreira-solo em 1996, com o single "Freedom '90". Passou um curto período numa clínica de desintoxicação. Em 1997, lançou "Old Before I Die". Os dois singles alcançaram os primeiros lugares das paradas inglesas.

Em dezembro de 1997, lançou Life thru a Lens (A vida através de uma lente), na qual se incluía o hit "Angels". Com "Angels", ficou na primeira posição das paradas durante 28 semanas, e ressuscitou-se a carreira de Robbie, mesmo não sendo o número um na parada britânica de singles (ficou em 4º lugar em vendas). "Angels" foi eleita a melhor música dos últimos 25 anos (da época) pelos ouvintes da BBC e recebeu um prêmio especial na 15º edição do Brit Awards.

I've Been Expecting You, seu segundo disco, estourou em vendas no Reino Unido. Contava com as canções "Strong", "Millennium" e "No Regrets". Fez participação especial com Tom Jones na regravação de "Are You Gonna Go My Way?", de Lenny Kravitz, em 1999.

2000–2003: Ascensão[editar | editar código-fonte]

Seu próximo álbum foi Sing When You're Winning (Cante quando estiver a ganhar), em 2000. O sucesso do álbum foi "Rock DJ", que obteve grande sucesso no Reino Unido e um certo reconhecimento no Estados Unidos. O clipe foi censurado nas paradas, já que o cantor aparecia em nu frontal, arrancando pedaços de seu corpo até que só restassem os ossos. Em seguida lançou o álbum Swing When You're Winning" onde faz várias homenagens em estilo Swing a Frank Sinatra, Sammy Davis Jr., entre outros, e contando com a participação de Nicole Kidman em uma faixa.

Houve polêmica no videoclipe de "Rock DJ", em que Williams aparecia rodeado de mulheres, e fazia um strip-tease tirando toda a roupa até que, utilizando-se de efeitos especiais, arrancava sua pele. No final, aparecia somente o esqueleto dançando.

Em 2001, lança Swing When You're Winning (Dance quando estiver a ganhar)

Lança Escapology (Escapologia) em 2002, na qual se encontram os sucessos "Feel", "Sexed Up" e "Come Undone".

2004–2008: O sucesso continua[editar | editar código-fonte]

No outono de 2003, faz um grandioso espetáculo em Knebworth, entrando no Guinness por três motivos: um por lotar Knebworth por três dias consecutivos, e outro por cantar no "maior karaoke do mundo" a canção "Strong" e por vender em apenas um dia, mais de 1,6 milhão de bilhetes.

Em 2004, lança um disco Greatest Hits, contendo o melhor de seus sete anos de carreira e duas faixas-bônus: "Radio" e "Misunderstood".

Já em 2005, lançou Intensive Care (Cuidados intensivos), da qual saíram três singles: "Tripping" [#1 Reino Unido; #1 França; #1 Alemanha; #5 Austrália], "Advertising Space" [#23 Reino Unido; #50 França; #67 Alemanha; #41 Austrália] e "Sin, Sin, Sin" [#32 Reino Unido; #69 França; #120 Alemanha; - Austrália]. Robbie diz ter sido o disco mais elaborado de sua carreira. Participa do Live 8.

Dia 23 de Outubro de 2006, saiu um disco novo: Rudebox - um disco muito electro e muito diferente dos anteriores.

No dia 13 de Fevereiro de 2007, dia do seu aniversário, Robbie Williams internou-se numa clínica de reabilitação de drogas e álcool.

2009: Reality Killed The Video Star[editar | editar código-fonte]

Robbie volta a morar na Inglaterra, e desmente rumores sobre sua volta ao grupo Take That, ele lançou em 9 de novembro de 2009 o álbum intitulado Reality Killed the Video Star, que tem como primeiro single a música "Bodies". Depois foram lançados os singles "You Know Me" e "Morning Sun".

Ao longo de sua carreira solo, Robbie Williams foi um verdadeiro e ininterrupto furacão. As estatísticas não deixam dúvidas sobre as conquistas dele: mais de 55 milhões de álbuns vendidos, mais prêmios Brit (o Grammy inglês) recebidos do que qualquer outro cantor na história, as três noites de show em Knebworth no ano de 2003 diante de 375 mil pessoas, o maior número de entradas já vendido em um único dia (1 milhão e 600 mil, para sua turnê Close Encounters de 2006), e muito mais.

Reality Killed the Video Star, lançado no Reino Unido em novembro de 2009, já contabiliza um milhão de cópias apenas na região e foi o álbum a alcançar a terceira melhor posicão na primeira semana de vendas de qualquer outro álbum no Reino Unido, sendo superado por muito pouco o fenômeno que foi Susan Boyle.

"É incrível ouvir o álbum e perceber que já são 20 anos fazendo música e shows. E a melhor coisa sobre o álbum é que ele não é apenas uma celebração ao meu passado, mas também uma ponte para o futuro", resume Robbie Williams. "O fato de que parte do futuro inclui um nome do meu passado, torna tudo ainda mais pungente para mim", completa o astro.

In and Out of Consciousness e o retorno ao Take That[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2010, anunciou-se oficialmente que Williams estava pronto para lançar o seu segundo álbum de coletânea, In and Out of Consciousness: Greatest Hits 1990–2010, para celebrar o seu aniversário de 20 anos na música. O novo single de Williams, também incluído no álbum, "Shame", foi escrita e cantada por Williams e Gary Barlow, o seu parceiro de Take That.

No dia 15 de julho de 2010 Robbie afirma para a mídia a sua volta ao Take That. No site oficial, confirmaram usando a seguinte mensagem: "The rumours are true... Take That: the original lineup, have written and recorded a new album, to be called, Progress for release later this year, Following months of speculation Gary Barlow, Howard Donald, Jason Orange, Mark Owen and Robbie Williams confirmed they have been recording a new studio album as a five-piece, which they will release in November." (Os rumores são verdade... Take That: a formação original, escreveram e gravaram um novo álbum, vai se chamar, Progress para ser lançado no final do ano. Depois de meses de especulação Gary Barlow, Howard Donald, Jason Orange, Mark Owen e Robbie Williams confirmam que estão gravando um álbum de estúdio como quinteto, que deve ser lançado em novembro). Williams lançou com o Take That o single "The Flood", o primeiro depois de quinze anos desde "Never Forget". O álbum Progress foi lançado pela banda no final de 2010.[3]

Em outubro, o Media Control nomeou Robbie Williams como "o artista do álbum mais sucedido do milênio" ao fato que ele foi número um no German Albums Chart por 38 semanas desde 2000. Ele alcançou 135 vezes o Top-10.

Take the Crown e a volta em carreira solo[editar | editar código-fonte]

Após o término da Progress Live, Gary Barlow confirmou que Robbie estava deixando o Take That novamente, mas que seria bem vindo quando quisesse. Robbie então começou a produzir seu nono álbum de estúdio em Los Angeles, em parceria de nomes como Barlow. Neste período, foi anunciado que Robbie seria pai pela primeira vez, de uma menina. Robbie estava programado para se apresentar na cerimonia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Verão de 2012 em Londres, mas cancelou de ultima hora devido ao estágio de gravidez de sua esposa.

Robbie cantou uma das músicas do álbum, intitulada "Losers" na webcam para um fã, que logo em seguida postou em um site de hospedagem de vídeos. Especulava-se que aquele seria o primeiro single, afirmação negada mais tarde. O primeiro single "Candy" foi, segundo Robbie, uma ideia que veio do nada em sua cabeça, e descreveu a canção como sendo uma clássica canção pop de verão. Robbie gravou o video em meados de agosto, dirigido por Joseph Kahn, responsável por videos como "Toxic" de Britney Spears. Robbie anunciou Take the Crown em seu site no dia 2 de setembro de 2012, que está previsto para ser lançado em 5 de Novembro de 2012. Robbie anunciou juntamente com o anuncio do álbum uma uma mini turnê promocional, que passará pelo Reino Unido e Irlanda.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Robbie Williams, que tem um passado ligado à toxicodependência, namorou com várias mulheres famosas, entre elas a cantora Nicole Appleton, das All Saints, a actriz americana Cameron Diaz e a Spice Girl Geri Halliwell.

Robbie Williams se casou nos Estados Unidos com a atriz norte-americana Ayda Field [4] em 7 de agosto de 2010, "Finalmente Rob está feliz", afirmou Pete Conway, o pai do cantor, ao tabloide britânico News of the World. Robbie Williams e Ayda Field foram pais pela primeira vez em setembro de 2012.A bebé chama-se Theodora Rose Williams, Teddy, e nasceu em Inglaterra, com 3,288 kg.[5]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Rollings, Grant. "Stars' crazy middle names", The Sun, News International, 5 February 2010, p. 8. Página visitada em 5 February 2010.
  2. http://www.billboard.com/news/robbie-williams-to-rejoin-take-that-1004104602.story#/news/robbie-williams-to-rejoin-take-that-1004104602.story
  3. Take That relança álbum "Progress" com oito músicas inéditas (em português) Música UOL. Página visitada em 01 de julho de 2011.
  4. Revista Publica fotos do casamento de Robbie Williams (em português) Folha on line. Página visitada em 01 de julho de 2011.
  5. Já nasceu a filha de Robbie Williams e Ayda Field Revista Caras (19 de setembro de 2012). Página visitada em 25 de novembro de 2013.
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons

Ligações externas[editar | editar código-fonte]