Toxic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Music01 (D C) há 49 dias atrás. (Recarregar)

"Toxic"
Single de Britney Spears
do álbum In the Zone
Lançamento 13 de janeiro de 2004 (2004-01-13)
Formato(s) CD single, disco de vinil, download digital, DVD single
Gravação 2003;
Murlyn Studios
(Estocolmo)
Record Plant Studios
(Hollywood, Califórnia)
Gênero(s) Dance-pop
Duração 3:21
Gravadora(s) Jive
Composição Christian Karlsson, Pontus Winnberg, Cathy Dennis, Henrik Jonback
Produção Bloodshy & Avant
Cronologia de singles de Britney Spears
Último
Último
"Me Against the Music"
(2003)
"Everytime"
(2004)
Próximo
Próximo
Lista de faixas de In the Zone
Último
Último
"Early Mornin'"
(5)
"Outrageous"
(7)
Próximo
Próximo

"Toxic" é uma canção da artista musical estadunidense Britney Spears, contida em seu quarto álbum de estúdio In The Zone (2003). Foi composta e produzida pela dupla sueca Bloodshy & Avant, com escrita adicional por Cathy Dennis e Henrik Jonback. A sua gravação ocorreu em 2003 nos estúdios Murlyn Studios em Estocolmo e Record Plant Studios em Hollywood, Califórnia. Inicialmente oferecida a Kylie Minogue, foi selecionada pela própria cantora para servir como foco de promoção do disco, depois de escolher entre "(I Got That) Boom Boom" e "Outrageous". A faixa foi enviada para estações de rádio estadunidenses em 13 de janeiro de 2004, servindo como o segundo single do projeto. Mais tarde, foi comercializada em formato digital e físico.

Musicalmente, "Toxic" é uma obra dance-pop com influências do electropop e da música bhangra, e apresenta instrumentação variada, como bateria, sintetizadores e guitarras de surf. É acompanhada por cordas agudas de Bollywood e vocais sussurrados. Liricamente, trata sobre estar viciada a um amante. A faixa recebeu aclamação universal da mídia especializada, a qual prezou sua produção, com resenhadores definindo-a como o destaque de In the Zone. "Toxic" obteve êxito comercial, liderando as tabelas musicais de países como Austrália, Canadá, Irlanda e Reino Unido, enquanto classificou-se nas dez melhores posições na maioria das tabelas em que entrou, como Áustria, Bélgica, Estados Unidos e Nova Zelândia. Nos Estados Unidos, tornou-se a primeira canção de Spears a qualificar-se nas dez primeiras colocações da Billboard Hot 100 em cerca de quatro anos.

O vídeo musical correspondente foi dirigido por Joseph Kahn e estreou em 13 de janeiro de 2004 durante o especial Making the Video. Apresentando referências a Blade Runner, The Seven Year Itch, Alias e aos filmes de John Woo, a produção apresenta um tema de espionagem e retrata Spears como uma agente secreta em busca de um frasco com um líquido verde. Depois de roubá-lo, ela entra em um apartamento e envenena seu namorado infiel. Ao longo da trama, são intercaladas cenas da artista nua, coberta de diamantes em seu corpo. Após o incidente com Janet Jackson no Super Bowl XXXVIII, o vídeo foi considerado explícito pela MTV e foi movido para a programação de fim-de-noite.

Spears apresentou "Toxic" em uma série de apresentações ao vivo, como nos NRJ Music Awards e no concerto especial Britney Spears: In the Zone, transmitido pela ABC em 17 de dezembro de 2007. Ela inclui-a no repertório das turnês The Onyx Hotel Tour (2004), The Circus Starring Britney Spears (2009), Femme Fatale Tour (2011), além de apresenta-la no concerto residencial Britney: Piece of Me (2013-15), feito no cassino Planet Hollywood, situado em Las Vegas, Nevada. A faixa foi regravada por uma série de artistas após o seu lançamento, como Mark Ronson, A Static Lullaby, Reece Mastin e Ingrid Michaelson, bem como pelo elenco da série musical televisiva Glee. "Toxic" rendeu a Britney seu primeiro Grammy Award, na categoria de Best Dance Recording e foi definida como uma das melhores músicas da década de 2000 em listas feitas pela Pitchfork Media, NME e Rolling Stone, sendo notada por Amy Schriefer, da NPR, como a definição do dance-pop da década de 2000. Em 2010, Spears nomeou "Toxic" como a canção favorita de sua carreira.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2001, Spears lançou seu terceiro álbum de estúdio Britney, que retratou temas mais adultos e provocantes e contou com o single "I'm a Slave 4 U". O trabalho vendeu cerca de quatro milhões de cópias nos Estados Unidos; no entanto, estes números foram considerados baixos em comparação aos seus discos anteriores.[1] [2] No ano seguinte, seu relacionamento de três anos com o cantor Justin Timberlake terminou depois de meses de especulações.[3] Após a turnê Dream Within a Dream Tour — em apoio a Britney — ser concluída em julho de 2002, a cantora anunciou que iria fazer uma pausa de seis meses em sua carreira. Em novembro seguinte, ela revelou estar trabalhando em seu álbum seguinte, explicando: "Na verdade, eu só queria tirar umas duas ou três semanas de folga. (...) E o mundo todo começou a ficar tipo: 'Oh meu Deus, ela se foi...'".[1] [4] O produto final, In the Zone, veio a ser distribuído em novembro de 2003 sob análises geralmente positivas da mídia especializada,[5] debutando na primeira colocação da Billboard 200 com cerca de 609 mil unidades adquiridas.[6]

"Toxic" foi inicialmente oferecida para a cantora australiana Kylie Minogue para o seu nono disco Body Language (2003), porém ela rejeitou-a. Minogue mais tarde comentou: "Eu não fiquei totalmente furiosa quando funcionou para ela [Spears]. É como o peixe que escapou. Você só tem que aceitar".[7] Em dezembro de 2003, foi anunciado pela MTV News que Spears havia selecionado "Toxic" como o segundo single de In the Zone, depois de escolher entre "(I Got That) Boom Boom" e "Outrageous".[8] Ela descreveu a canção como "alegre", e disse: "É realmente diferente, por isso eu gosto muito dela".[9]

Composição[editar | editar código-fonte]

"Toxic" é composta em Mi ♭ maior e é uma canção dance-pop com elementos dominantes de electro-pop.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Musicalmente, "Toxic" é uma canção dance-pop com elementos do electro e da música bhangra.[10] [11] Apresenta instrumentações diversas, como é composta por tambores, sintetizadores e cordas agudas de Bollywood.[12] [13] Também possui guitarras da música surf, o que segundo Caryn Ganz, da revista Spin, são "teias e suportes como se tivessem sido usadas no The Matrix".[12] A faixa também foi comparada à obras de trilhas sonoras dos filmes de James Bond.[12] O gancho da faixa contêm demonstrações de "Tere Mere Beech Mein", da trilha sonora do filme índio de 1983 Ek Duuje Ke Liye. Entretanto, a amostra não é usada totalmente, pois em "Toxic", esta canção tem sua pontuação mixada em duas seções diferentes.[14] Na canção, Spears canta com vocais sussurrados.[13]

De acordo com a partitura publicada no Musicnotes.com pela EMI Music Publishing, "Toxic" é composta na chave de dó menor, com um ritmo de andamento rápido formado por 143 batidas por minuto. Os vocais de Spears variam entre fá maior3 até a alta nota de sol maior5.[15] Liricamente, fala sobre estar viciada a um amante. Britney refere seu vício a seu amante nas linhas "Tão alto / Não posso descer / Perdendo a cabeça / Dando voltas e voltas" em um falsete.[nota 1] Um revisor da Popdust chamou o verso de "a letra mais representativa do delírio da canção e do seu charme desorientador".[14] [16] A faixa termina com uma coda em que Spears canta "Me intoxique, agora / Com seu amor, agora / Acho que estou pronta agora".[nota 2] [16] Nick Southall, da revista Stylus Magazine, disse que as letras da faixa fazem Spears soar como se tivesse medo de sexo.[17]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

A música, num geral, recebeu ótimas críticas. "Toxic" rendeu à Spears um Grammy. A música foi escolhida como a segunda favorita de todos os tempos no mundo todo em um concurso feito pela Sony Ericsson, no qual 700,000 fãs de 66 países votaram, o que fez com que a canção ficasse apenas atrás de "We Are the Champions" do Queen. Apenas uma crítica negativa veio da revista Blender, dizendo que "Toxic" tem uma "melodia irritante que gruda na sua mente como chiclete no sapato", e quase aparece na lista das "50 Piores Canções de Todos os Tempos" por isto.[18] Foi escolhida pelos leitores da revista Rolling Stone o 4º melhor single da década de 2000.[19]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A cena infame de Spears vestindo diamantes sobre seu corpo.

O vídeo musical de "Toxic" foi filmado em três dias em dezembro de 2003, em um estúdio de som localizado em Los Angeles, Califórnia. Foi dirigido por Joseph Kahn, que já havia trabalhado com Spears no vídeo musical de "Stronger" (2000). A cantora abordou Kahn com um esboço de uma história de uma agente secreta que busca vingança de um ex-amante, para o qual o diretor criou um tratamento. O conceito foi quase totalmente formado e detalhado, exemplificando a cena na qual ela joga água no colo de um passageiro. O diretor disse: "Isso é parte de seu brilho. (...) Ela entendeu totalmente que ela é louca e agradável, que ela é a próxima garota boa que se tornou ruim que está constantemente excitando você". Britney disse que queria se juntar ao clube dos milionários e ser uma aeromoça que beijou um homem no banheiro. Kahn sugeriu que esse homem fosse obeso, de modo que "homem comum" fosse representado. A artista também lhe disse sobre uma cena em que ela estaria nua e coberta de diamantes. Joseph declarou o seguinte: "Não era certo o que eu estava pensando quando ela me disse sobre aquela cena, talvez essas introduções aos filmes de James Bond, mas cada vídeo precisa de uma imagem icônica para ser lembrado, e é isso". A coreografia foi uma colaboração entre Brian Friedman e Spears, e cada cena teve uma rotina completamente diferente e rigorosamente estruturada. Depois de o tratamento ser finalizado, Kahn começou a enviá-la a seus amigos e conhecidos, assim como na maioria de seus projetos. O passageiro no qual Spears joga água foi interpretado por seu diretor de elenco de longa data, enquanto o homem obeso no banheiro foi interpretado pelo assistente do diretor de elenco. O namorado de Spears foi feito por Martin Henderson, que fez parte da estreia de Kahn como diretor, Torque.[20]

Para as cenas em que estava nua, Spears fez Kahn afastar todo o elenco, deixando-os sozinhos para filmar a sequência. Ela também fez cenas na qual ela tinha que dançar através de uma série de lasers imaginários na frente uma tela verde, algo que foi visto por Kahn como "incrível para assistir". As últimas cenas do vídeo nas quais a cantora mata seu fictício namorado preocupou o diretor, que achou que elas seriam censuradas. Ele explicou que "o truque era fazer parecer pop ao mesmo tempo" e perguntou a Henderson "Você gostaria de ser beijado por Britney Spears". De acordo com Joseph, a sugestão de um sorriso que aparece na face de Henderson antes de Spears derramar o veneno em sua boca foi o que fez a sequência não ser censurada. Embora Spears tenha sido a primeira a envolver-se no processo de edição, ela não contatou Kahn depois do escândalo da mídia acerca de seu casamento em Las Vegas.[20] "Toxic" é o vídeo musical mais caro de Spears até a data, custando cerca de US$ 1 milhão.[21] O vídeo estreou exclusivamente no especial Making the Video da emissora estadunidense MTV no mesmo dia do lançamento da faixa, em 13 de janeiro de 2004.[22] No dia seguinte, a intérprete apareceu no extinto programa musical Total Request Live para estreá-lo em rotação regular.[23] A produção foi lançada comercialmente pela primeira vez no formato de DVD single, disponibilizado apenas no Reino Unido,[24] sendo posteriormente incluída no DVD In the Zone.[25] Uma versão alternativa em karaokê apresentando a cena dos diamantes foi lançada no DVD Greatest Hits: My Prerogative.[26]

Awards[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Prêmio Resultado
2004 MTV Video Music Awards Melhor Vídeo Feminino Nominado
Melhor Vídeo de Dança Nominado
Melhor Vídeo Pop Nominado
Vídeo do Ano Nominado
MuchMusic Video Awards Melhor Vídeo Internacional Nominado
MTV Europe Music Awards Melhor Canção Nominado
Kids' Choice Awards Música 'Choice' Ganhou
Popstar Awards Melhor Video Musical Ganhou
Teen Choice Awards Single 'Choice' Ganhou
Golden Music Awards Vídeo do Ano Ganhou
2005 Grammy Awards Melhor Gravação Dance Ganhou
Groovevolt Awards Vídeo do Ano Ganhou
Ivor Novello Awards Trabalho Mais Divulgado Ganhou
2009 MTV UK Melhor Faixa da Década Ganhou
NPR Award Gravação Mais Importante da Década Ganhou

Faixas[editar | editar código-fonte]

  • CD-Maxi Jive (82876 59173 2 / EAN 0828765917322)
  1. "Toxic" - 3:21
  2. "Toxic (Album Mix Instrumental)" - 3:19
  3. "Toxic (Bloodshy & Avant's Remix)" - 5:35
  4. "Toxic (Armand Van Helden Remix - Edit)" - 6:25
  • CD-Single Jive (82876 59265 2)
  1. "Toxic" - 3:21
  2. "Toxic (Album Mix Instrumental)" - 3:19
  • DVD-Single Jive
  1. "Toxic" - 3:21
  2. "Toxic" (Lenny Bertoldo Mixshow Edit)- 5:35
  3. "Toxic" (Video)- 3:21
  4. Britney Previews 'In The Zone'- 4:50

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração de "Toxic", de acordo com o encarte de In the Zone:[27]

Charts e Certificações[editar | editar código-fonte]

"Toxic", apesar de ter sido #2 no Brasil, foi a 34ª canção mais tocada nas rádios brasileiras em 2004, de acordo com a Parada de Fim de Ano do Hot100Brasil e também a 5ª canção de maior sucesso no mundo no mesmo ano, de acordo com a United World Chart [28] . Nos 20 anos de MTV, o videoclipe de "Toxic" foi o mais votados nos 20 anos de MTV no Top 20 Especial[29] .

Notas

  1. No original: "Too high / Can't come down / Losing my head / Spinning round and round".
  2. No original: "Intoxicate me now / With your love now / I think I'm ready now".

Referências

  1. a b Shaw, William. (20 de dezembro de 2003). "Britney Busts Loose! - Blender". Blender. ISSN 1534-0554.
  2. Vaziri, Aidin (20 de novembro de 2003). There's more to Britney than the porn persona - just listen to her wonderfully awful new album - SFGate (em inglês) San Francisco Chronicle Hearst Corporation. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  3. Moss, Corey (28 de maio de 2002). Britney Avoids Vice, Justin Talk At Sin City Tour Opener (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  4. Moss, Corey (5 de novembro de 2002). Britney Spears' Hiatus Is History - Music, Celebrity, Artist News | MTV (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  5. Britney Spears – In the Zone – Metacritic (em inglês) Metacritic. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  6. Britney In Her 'Zone' Atop Billboard 200 (em inglês) Billboard Prometheus Global Media (26 de novembro de 2003). Visitado em 31 de outubro de 2014.
  7. Reporter, Staff (13 de janeiro de 2008). Kylie dumped Toxic for Brit | The Sun | Showbiz | Music (em inglês) The Sun News Corporation. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  8. Staff, MTV News (8 de dezembro de 2003). For The Record: Quick News On Britney Spears, Jay-Z, Gwyneth And Chris, Weezer, 3 Doors Down & More (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  9. Vena, Jocelyn; Elias, Matt (23 de novembro de 2009). Britney Spears Left 'Very Little To The Imagination' In 'Toxic' Video - News Story | Music, Celebrity, Artist News | MTV News (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  10. Reporter, Sputnikmusic (29 de dezembro de 2009). Britney Spears - The Singles Collection (album review) | Sputnikmusic (em inglês) Sputnikmusic. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  11. Shawan, Jason. Kylie Minogue – Body Language and Britney Spears – In the Zone (em inglês) About.com. The New York Times Company. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  12. a b c Ganz, Caryn (18 de novembro de 2003). Britney Spears: "In the Zone" Review (em inglês) Spin. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  13. a b D., Spence (16 de novembro de 2004). Britney Spears Greatest Hits: My Prerogative (em inglês) IGN. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  14. a b Top Ten Songs: Popdust 40 Artists: Madonna, Beyoncé, Jay-Z, Lady Gaga | #7 Britney Spears, "Toxic" (em inglês) Popdust (18 de novembro de 2011). Visitado em 31 de outubro de 2014.
  15. Digital Sheet Music – Britney Spears – Toxic (em inglês) Musicnotes.com. EMI Music Publishing. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  16. a b Schrefer, Amy. The Decade in Music: Britney Spears' "Toxic" (2004) — NPR (em inglês) NPR. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  17. Southall, Nick (18 de novembro de 2003). Britney Spears – In the Zone – Review (em inglês) Stylus Magazine. Visitado em 23 de junho de 2010.
  18. http://www.blender.com/guide/articles.aspx?id=819
  19. Top Singles of the Decade Rolling Stone Jann Wenner (2009-12-08). Visitado em 2009-12-09.
  20. a b Kaufman, Gil (25 de agosto de 2004). Yes, Britney Really Is Naked In The 'Toxic' Video: VMA Lens Recap - News Story | Music, Celebrity, Artist News | MTV News (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  21. Reporter, Dail Mail (18 de dezembro de 2007). Was Britney 'slimmed down' in new video? (em inglês) Daily Mail Daily Mail and General Trust. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  22. MTV.com - Music - Video Premiere - Britney Spears (em inglês) MTV News. Viacom (13 de janeiro de 2004). Visitado em 31 de outubro de 2014.
  23. Silverman, Stephen M. (15 de janeiro de 2004). Bride Britney: Vegas 'Took Over Me' (em inglês) People Time Inc.. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  24. Toxic [DVD] (em inglês) Amazon. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  25. Vineyard, Jennifer (26 de fevereiro de 2004). Britney Spears Releasing Diddy-Produced Song On DVD - News Story | Music, Celebrity, Artist News | MTV News (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  26. Vineyard, Jennifer (27 de outubro de 2004). Britney DVD Has Alternate Takes Of Her Videos, Plus More Skin (em inglês) MTV News. Viacom. Visitado em 31 de outubro de 2014.
  27. (2003) Créditos do álbum In the Zone por Britney Spears. Jive Records.
  28. United World Chart - Parada de Fim de Ano de 2004 Media Traffic (Dezembro de 2004). Visitado em 3 de Junho de 2008.
  29. Top 20 MTV Especial 20 Anos MTV Brasil (Outubro de 2010). Visitado em 21 de Outubro de 2010.
  30. Hit Parade (2004). European charts hitparade.ch. Visitado em 2008-10-20.
  31. a b Austrian charts (2004). Austrian annual chart. Visitado em 2008-10-20.
  32. Australian Recording Industry Association (2004). ARIA charts — End of year charts aria.com.au. Visitado em 2008-10-20.
  33. Syndicat national de l'édition phonographique (2004). Le Classement Singles disqueenfrance.com. Visitado em 2008-10-20.
  34. Universität Würzburg (2004). German annual chart ki.informatik.uni-wuerzburg.de. Visitado em 2008-10-20.
  35. Single top 100 over 2004 (pdf) (em dutch) Top40. Visitado em 5 May 2010.
  36. Recording Industry Association of New Zealand (2004). New Zealand annual chart rianz.org.nz. Visitado em 2008-10-20.
  37. Hit Listan (2004). Årslista Singlar (Search) hitlistan.se. Visitado em 2008-10-20.
  38. Hit Parade (2004). Swiss annual chart swisscharts.com. Visitado em 2008-10-20.
  39. a b British Phonographic Industry (2004). U.K. annual chart bpi.co.uk. Visitado em 2008-10-20.
  40. a b Billboard magazine (December 31, 2004). Billboard Hot 100 — year-end chart billboard.com. Visitado em 2008-10-20.
  41. Universität Würzburg (2004). German annual chart ki.informatik.uni-wuerzburg.de. Visitado em 2008-10-20.
  42. Austrian charts (2004). Austrian annual chart. Visitado em 2008-10-20.
  43. Australian Recording Industry Association (2004). ARIA charts — End of year charts aria.com.au. Visitado em 2008-10-20.
  44. Syndicat national de l'édition phonographique (2004). Le Classement Singles disqueenfrance.com. Visitado em 2008-10-20.
  45. Recording Industry Association of New Zealand (2004). New Zealand annual chart rianz.org.nz. Visitado em 2008-10-20.
  46. Hit Listan (2004). Årslista Singlar (Search) hitlistan.se. Visitado em 2008-10-20.
  47. Hit Parade (2004). Swiss annual chart swisscharts.com. Visitado em 2008-10-20.
  48. Recording Industry Association of Japan (2005). Standard for Certifying Awards of Countries riaj.or.jp. Visitado em 2008-10-20.
  49. Australian Recording Industry Association (2004). Australian certification aria.com.au. Visitado em 2008-10-20.
  50. Recording Industry Association of America (June 14, 2006). U.S. certification riaa.com. Visitado em 2008-10-20.
  51. Syndicat national de l'édition phonographique (2005). French certification chartsinfrance.net. Visitado em 2008-10-20.
  52. Recording Industry Association of New Zealand (July 26, 2004). New Zealand certification (search) rianz.org.nz. Visitado em 2008-10-20.
  53. International Federation of the Phonographic Industry — Norway (2004). Norwegian certification ifpi.se. Visitado em 2008-10-20.
  54. International Federation of the Phonographic Industry — Sweden (2004). Swedish certification ifpi.se. Visitado em 2008-10-20.
  55. British Phonographic Industry (April 30, 2004). U.K. certification bpi.co.uk. Visitado em 2008-10-20.