Femme Fatale (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Femme Fatale
Álbum de estúdio de Britney Spears
Lançamento 25 de março de 2011 (2011-03-25)
Gravação 2009 - 2011
Gênero(s) Dance, pop
Duração 44:02
Idioma(s) CD, download digital
Formato(s) Inglês
Gravadora(s) Jive
Produção Dr. Luke (exec.), Max Martin (também exec.), Ammo, Billboard, Benny Blanco, Bloodshy, Cirkut, Kuk Harrell, Rodney "Darkchild" Jerkins, JMike, Henrik Jonback, Magnus, Oligee, Fraser T Smith, Sandy Vee, Shellback, Stargate, will.i.am, Emily Wright
Cronologia de Britney Spears
Último
Último
The Singles Collection
(2009)
B in the Mix: The Remixes Vol. 2
(2012)
Próximo
Próximo
Singles de Femme Fatale
  1. "Hold It Against Me"
    Lançamento: 11 de janeiro de 2011 (2011-01-11)
  2. "Till the World Ends"
    Lançamento: 4 de março de 2011 (2011-03-04)
  3. "I Wanna Go"
    Lançamento: 13 de junho de 2011 (2011-06-13)
  4. "Criminal"
    Lançamento: 30 de setembro de 2011 (2011-09-30)

Femme Fatale é o sétimo álbum de estúdio da artista musical estadunidense Britney Spears. O seu lançamento ocorreu em 25 de março de 2011, através da Jive Records. O disco possui uma sonoridade inspirada por gêneros como o dance, o trance, o dubstep e o pop; enquanto a sua instrumentação é composta por guitarras, sintetizadores, cordas e tambores sintetizados. Liricamente, as faixas refletem-se ao amor e à dança, e no caso de canções como "He About to Lose Me", à vida pessoal. As gravações do projeto ocorreram entre 2009 e 2011 nos Estados Unidos, com a produção de profissionais como Max Martin, Dr. Luke, Billboard, William Orbit, Fraser T. Smith, Bloodshy & Avant, will.i.am e Stargate.

Femme Fatale recebeu revisões geralmente positivas por parte da mídia especializada, a qual prezou a mistura de gêneros como o dance-pop e o trance. Entretanto, seus vocais foram criticados pelos analistas, que afirmaram estar processados, bem como o fato de Spears não ter escrito quase nenhuma faixa. Este fato gerou bastante controvérsia, com o artista Ryan Tedder defendendo Spears, afirmando que Frank Sinatra e Garth Brooks não compõem muitas de suas canções. Mais tarde, Spears também afirmou que o estilo do álbum era o melhor de toda a sua carreira.

Comercialmente, o disco obteve um desempenho exitoso, estreando no topo das tabelas musicais da Austrália, do Brasil, do Canadá, dos Estados Unidos, do México e da Rússia, ao passo que qualificou-se entre os dez primeiros na Alemanha, na Áustria, na Bélgica, na Dinamarca, na Finlândia, na França e em outras quinze nações. Nos Estados Unidos, Femme Fatale converteu-se no sexto álbum de Spears a debutar na primeira colocação da Billboard 200. Posteriormente, foi certificado como platina pela Recording Industry Association of America (RIAA), vendendo um milhão de cópias em território estadunidense.

A fim de promover o disco, quatro singles foram retirados de seu alinhamento. O primeiro, "Hold It Against Me", debutou na liderança da Billboard Hot 100, tornando Spears a segunda artista — depois de Mariah Carey — a ter mais de um single estreando no primeiro posto desta tabela. "Till the World Ends" e "I Wanna Go" tiveram um desempenho comercial semelhante ao antecessor, atingindo a terceira e sétima colocação da Billboard Hot 100, respectivamente. Com isto, tornou-se o primeiro disco de Spears a ter três singles listando-se nas dez primeiras posições desta tabela. "Criminal" foi lançada como o último single do disco, e liderou as tabelas musicais do Brasil, enquanto classificou-se entre os vinte primeiros em outros países. Como forma de divulgação do material, a cantora apresentou faixas do disco em programas de televisão, concedeu entrevistas em programas de rádio e embarcou na turnê mundial Femme Fatale Tour.

Antecedentes e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Spears apresentando "(Drop Dead) Beautiful" durante a turnê Femme Fatale Tour (2011).

Em junho de 2010, durante uma entrevista concedida à revista Rap-Up, Danja comentou que estava trabalhando com Spears na pré-produção de Femme Fatale.[1] Darkchild, que também estaria trabalhando com ela, disse em uma sessão feita na Ustream em agosto de 2010 que "os fãs de Britney ficarão felizes nas próximas semanas", dando a entender o lançamento de novas canções. Entretanto, isto foi negado por Adam Leber, empresário de Spears, afirmando: "Não há notícias sobre as novas músicas [de Spears] agora. (...) Gostaria que as pessoas não enganassem vocês com informações erradas. Os caras que estão trabalhando no próximo álbum de Britney não estão falando sobre isso (...)".[2] Leber também falou com a revista Entertainment Weekly, comentando que o novo som da intérprete seria "progressivo" e um "afastamento do que vocês estão acostumados a ouvir".[3] Em novembro de 2010, o produtor Dr. Luke anunciou que estaria a cargo da produção executiva de Femme Fatale, juntamente com Max Martin.[4] Em uma entrevista à publicação musical Rolling Stone, Spears disse que estava trabalhando com Luke na produção de Blackout (2007), afirmando que "ele estava incrível naquela época, e só está melhorando ao longo dos anos". Ela também falou sobre Martin, adicionando: "Ele esteva lá desde o início [da minha carreira] para que haja um grande nível de confiança. (...) Eu não posso me sentir mais confortável com ninguém, colaborando com [ele] no estúdio".[5] Em 2 de dezembro seguinte, dia de seu 29º aniversário, a cantora agradeceu seus fãs com seus desejos de aniversário, anunciando o lançamento do álbum: "Eu estou quase pronta com o meu próximo álbum, que sairá em março. Eu estou apaixonada por ele!".[6] Após a revelação da capa e do título do disco em 2 de fevereiro de 2011, Spears falou sobre Femme Fatale durante uma entrevista ao Digital Spy:

Em 2 de fevereiro de 2011, Spears revelou o título do álbum através de sua conta no Twitter, divulgando também a capa do disco.[7] Após o anúncio, o título do projeto tornou-se um dos assuntos mais comentados na rede social, tornando-se o assunto com a décima maior duração na página, bem como a primeira tendência relacionada à música a listar-se entre os dez tópicos mais comentados. Com isto, Spears comentou no Twitter: "Não posso acreditar que Femme Fatale foi assunto durante seis dias. Pessoal, vocês são a minha motivação de todos os dias. Amo todos vocês!".[8] Femme Fatale foi lançado em 25 de março de 2011 primeiramente em uma edição padrão com um pacote simples, bem como em uma edição deluxe com um pacote expandido, bem como novas páginas incluídas em seu encarte e quatro faixas bônus. Uma edição de fã também foi lançada, um livro de fotos limitado com 32 páginas, o CD da edição deluxe com uma capa exclusiva e um disco de vinil incluindo "Hold It Against Me" e a edição digital do álbum.[9]

Gravação[editar | editar código-fonte]

"[Eu descobri] seu amor pela música. Eu nunca vi ninguém, tipo, ganhando vida, cheia de emoção e rindo e rindo por trás do microfone. Ela estava como uma criança quando estava gravando a canção e isso só traz toda a atmosfera e muda toda a atmosfera quando alguém realmente ama música. Então, foi ótimo trabalhar com ela".

will.i.am falando sobre a sua experiência de trabalho com Spears.[10]

Em julho de 2009, Spears revelou que estava gravando novos materiais com Max Martin, colaborador de longa data da cantora;[11] o material formou o que tornou-se seu sétimo álbum de estúdio, e foi concluído em dois anos.[12] Spears declarou o seu desejo de fazer "um som refrescante [para o disco]. (...) Para as boates ou algo que você toca em seu carro quando você está saindo na noite em que você fica animado, mas eu queria que soasse diferente de todas as coisas de hoje em dia". Spears também afirmou que queria ter certeza de que Femme Fatale fosse diferente de Circus (2008), e que o álbum parecia "muito conectado do início ao fim".[5] Depois que "Hold It Against Me" foi composta, Luke e Martin queriam entregar a faixa para Katy Perry, mas depois decidiram que "definitivamente não era um registro de Katy Perry". Eles continuaram trabalhando na canção com Billboard, e Luke comentou que antes de dar a música para Spears, "queria ter certeza de que não soasse como tudo o que havia feito anteriormente".[13] Darkchild declarou que ao trabalhar com ele, Spears estava muito "ligada" e "tinha diversas ideias para mim".[14] Mais tarde, ele comentou que havia produzido duas músicas para o álbum, com uma delas sendo produzida juntamente com Travis Barker. Darkchild acrescentou que a música "[tem] esse sentimento rock que está fora da caixa, fora do meu normal, e eu acho que é fora de sua norma também".[15]

Spears apresentando "How I Roll" durante a turnê Femme Fatale Tour (2011).

Em fevereiro de 2011, Luke revelou que havia uma lista de faixas final "coesa" que ainda não havia sido escolhida.[13] No mesmo mês, Spears colaborou com will.i.am, que descreveu a parceira como "algo que é necessário nos dias de hoje".[16] Mais tarde, a cantora revelou que era uma grande fã dos The Black Eyed Peas — cujo grupo will.i.am é o vocalista principal —, e que gostaria de trabalhar com will.i.am no futuro.[5] Ela também disse que descobriu Sabi através da recomendação de um amigo e que sempre queria apresentar um artista novo em seus álbuns, uma vez que ambas gravaram "(Drop Dead) Beautiful".[5] O produtor britânico Fraser T Smith trabalhou com Spears em três faixas do disco e prezou a ética de trabalho da artista, comentando: "Ela fez café para todos nós no estúdio, sua voz era forte e ela sempre estava focada em sua música. Eu nunca poderia esperar por outra experiência. Eu apenas espero que as faixas [que eu produzi] estejam no álbum".[17] Heather Bright, um dos compositores do álbum, disse que "Trouble for Me" foi uma das primeiras canções gravadas por Spears para Femme Fatale.[18] William Orbit revelou que havia composto uma canção com Klas Åhlud, mas que foi omitida do projeto.[16] Orbit afirmou que ficou descontente, comentando que foi "a coisa de Britney. Olhe, eu fui a um acampamento de composição em Teresa. Foi uma época adorável. As palavras saíram. Hipóteses foram feitas. Dr. Luke é o produtor executivo e ele tranca cadeados para quem ele quiser. E você me pergunta: o que Britney tem a ver com isso tudo? Eu também não sei. Fiz uma canção com Klas Åhlud, que também compôs 'Piece of Me'. E isso mata. Porém, não [em Femme Fatale]. Mas uma boa canção é uma boa canção independentemente [do que for]".[19]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

A cantora apresentando "Till the World Ends" durante a turnê Femme Fatale Tour (2011).

Em 25 de março de 2011, dia do lançamento de Femme Fatale, Spears realizou uma apresentação no Rain Nightclub, situado no Palms Casino Resort, que incluiu "Hold It Against Me", "Till the World Ends" e "Big Fat Bass". A performance foi incluída em um especial transmitido em 4 de abril seguinte na MTV, intitulado I Am the Femme Fatale.[20] Em uma entrevista à MTV, o gerente de Spears Larry Rudolph explicou a decisão de escolher o Palms Casino Resort para o espetáculo, dizendo: "Nós escolhemos o Palms porque Britney tem muita história por lá. Nós nos apresentamos aqui com o álbum Britney, e fizemos uma coisa semelhante. Nós estamos fazendo isso após oito anos e estamos fazendo isso pelos fãs". Rudolph também explicou que o principal objetivo da cantora era entreter seus fãs durante a era Femme Fatale, acrescentando: "Eu quero que eles saibam — quando assistirem ao especial — que Britney está de volta e melhor do nunca, não o que ela já foi em outros lugares. Mas ela está de volta, e está melhor do que nunca".[21] A exibição original do especial nos Estados Unidos foi assistido por 0.665 milhões de espectadores, recebendo uma classificação Nielsen de 0.31/1 na demografia de adultos entre 18 e 49 anos.[22]

Dois dias após este concerto, Spears apresentou o mesmo repertório de músicas Bill Graham Civic Auditorium a um público de 5 mil pessoas durante um episódio do Good Morning America que foi transmitido em 29 de março.[23] A cantora também interpretou as mesmas canções e participou de duas esquetes do programa de entrevistas Jimmy Kimmel Live! também transmitido em 29 de março,[24] e fez uma aparição especial na edição de 2011 da premiação infantil Kids' Choice Awards.[25] Ela também fez diversas apresentações especiais no programa televisivo The Ellen DeGeneres Show durante a semana de lançamento do álbum.[26] Em abril de 2011, ela participou do remix da canção "S&M", da cantora barbadense Rihanna, após ser a mais votada em uma enquete feita por Rihanna em seu Twitter, questionando quem deveria participar do remix da faixa.[27] Esta versão atingiu a liderança da Billboard Hot 100, marcando a décima canção de Rihanna e a quinta de Spears a conquistar tal feito.[28] Em 14 de maio de 2011, ela serviu como uma apresentadora convidada na edição de 2011 da série de concertos Wango Tango, juntamente com o radialista Ryan Seacrest.[29] A artista também apareceu durante os Billboard Music Awards, onde apresentou "S&M" ao lado de Rihanna e uma curta versão de "Till the World Ends" com Nicki Minaj.[30] Em 3 de agosto de 2011, a ABC Family anunciou que "(Drop Dead) Beatiful" estaria disponível para download digital grátis durante três dias na página oficial da emissora até a estreia da série Teen Spirit, que ocorreu em 5 de agosto de 2011.[31] "Trouble for Me" foi apresentada na página oficial da Sony BMG Music Entertainment.[32] Em novembro de 2012, "Gasoline" foi usada no comercial da fragrância de Spears Fantasy Twist.[33]

Femme Fatale Tour[editar | editar código-fonte]

Em 16 de junho de 2011, Spears iniciou sua oitava turnê Femme Fatale Tour, feita em suporte a Femme Fatale. Previamente anunciada em março de 2011, incluiu 45 datas na América do Norte, 26 na Europa, uma na Ásia e 7 na América do Sul. [96] Neste último continente, foi a primeira visita de Spears em mais de dez anos após a sua apresentação no Rock in Rio durante a turnê Oops!... I Did It Again World Tour (2001), que ocorreu em janeiro de 2011. Em uma entrevista concedida a Seacrest em seu programa radiofônico On Air with Ryan Seacreast no dia 4 de março de 2011, Spears declarou que iria visitar os Estados Unidos no "início do verão" em apoio de Femme Fatale. [97] Em 29 de março de 2011, após suas performances no Good Morning América, ela anunciou uma turnê conjunta com Enrique Iglesias a partir de junho de 2011. Horas após o anúncio, foi relatado pela Billboard que Iglesias não pôde participar da turnê, que foi consequentemente cancelada. Ray Wedell, da mesma publicação, especulou que a digressão foi cancelada devido ao Spears ter sido considerada pelos meios de comunicação de massa como a atração principal, enquanto Iglesias foi considerado o ato de abertura. [98] As primeiras vinte e seis datas norte-americanas também foram anunciados em 29 de março de 2011. [99] Os atos de abertura foram anunciados em 12 de abril de 2011. Spears declarou: "Esta é a turnê Femme Fatale e estou muito feliz de Nicki Minaj, Jessie and the Toy Boys e Nervo terem se juntado a mim e fazer com que todos dancem até o chão. Mal posso esperar para levar a Femme Fatale Tour para a estrada". Os ingressos foram primeiramente disponibilizados pela Ticketmaster e pela Live Nation em 30 de abril de 2011. [100] Em março de 201, Rudolph disse à MTV que a turnê teria uma "vibração pós-apocalíptica", comentando que "'Till the World Ends' se tornará um tema para nós". Ele também confirmou Jamie King como o diretor da excursão. [101]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Avaliação da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Sputnikmusic 3.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar half.svgStar empty.svg[34]
About.com 4.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar half.svg[35]
Digital Spy 5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svg[36]
The Daily Telegraph 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg[37]
Entertainment Weekly B+[38]
The Guardian 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg[39]
The Independent 2 de 5 estrelas.Star full.svgStar empty.svgStar empty.svgStar empty.svg[40]
Rolling Stone 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg[41]
Spin 7 de 10 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svgStar empty.svg[42]
The Globe and Mail 3.5 de 4 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar half.svg[43]
Slant Magazine 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg[44]

Em termos gerais, Femme Fatale contou com uma boa recepção por parte dos críticos.
De maneira particular, o colunista da revista americana Rolling Stone, disse que o Femme Fatale poderia ser o melhor álbum de Britney, e também citou que esse certamente era o mais forte deles. Ele também citou que o seu conceito era simples, pois a gravação foi destinada a festas cheias de sexo e tristeza. Depois disso, concedeu ao Femme Fatale a quantidade máxima de estrelas que um álbum de Britney Spears já tinha recebido pela revista: quatro de cinco estrelas.[41] Adam Markovitz do Entertainment Weekly chamou de "uma balada sem fim, prontos de batidas de dança incansável e uma produção de elevada qualidade" e chamou os vocais da cantora como "um guia de confiança de corrupção a um lugar onde a nossa única preocupação é saber se os batimentos vai acabar antes do sol nascer.[41] [45] O site PopJustice disse em seu review sobre o álbum “Quem achou que o dubstep só seria explorado no break de Hold It Against Me, se enganou,o Dubstep esta presente no DNA deste álbum”. "...Batidas eletrônicas também fazem parte desse cd,o Pop tradicional que Spears fazia em seus outros álbuns praticamente foi extinto".

No entanto, Andy Gill, do The Independent deu ao álbum duas de cinco estrelas e criticou a sua "dedicação sincera a utilidade na pista de dança", escrevendo que "permanece no modo stomp electro-para praticamente todo o seu curso, com apenas o menor das rítmicas variações ou diferenças em tons electrônicos, distinguir o trabalho de um produtor de uma outra pessoa".[46]

Comercial[editar | editar código-fonte]

Na Austrália o álbum debutou em um éxito de #1 em vendas no principal ranking semanal de álbuns do país, o Top 50 Albums de ARIA Charts,[47] onde tournou-se o primeiro álbum Nº1 de Britney Spears na Austrália, depois de 12 anos de carreira.[48] Seu éxito de vendas levou, na mesma semana do dubute no dito ranking, o certificado de ouro pela associação ARIA Charts, foram contabilizadas mais de 35 mil cópias vendidas na Austrália apenas na primeira semana do lançamento no país.Em Março de 2011 foram contabilizadas mais de 60 mil cópias.[47]

Paralelamente no Reino Unido o maior mercado de música da Europa, Femme Fatale estreou na posição #8 no principal ranking semanal de vendas de álbuns do país, o UK Albums Chart [49] onde se converteu no sétimo álbum Top 10 de Britney Spears no Reino Unido.Em 13 de Agosto foram contabilizadas mais de 300 mil cópias das 350 mil distribuídas no país,mas,em Setembro foram contabilizadas que todos os estoques nas lojas haviam se esgotado,logo após a ida da cantora na The Femme Fatale Tour .

Estados Unidos

Femme Fatale vendeu 278,6 mil cópias nos Estados Unidos apenas na primeira semana de lançamento, o álbum também alcançou a posição Nº 1, na Billboard Hot 200, tudo como foi previsto.[50] [51] [52] [53] Com isso Femme Fatale torna-se o sexto álbum de Britney a estrear no topo da parada.[54] Na segunda semana o álbum vendeu nos Estados Unidos 75 mil cópias ficando em segundo lugar na Billboard 200 atrás apenas de 21 da cantora britânica Adele.[55] Posteriormente na terceira semana o álbum vendeu 46 mil cópias no país, ficando assim na sexta posição da parada.[56] Atualmente o álbum ocupa a quinta posição na Billboard 200, com 46 mil cópias vendidas.[57] Assim o álbum vendeu 445.000 cópias vendidas nas quatro primeiras semanas nos Estados Unidos.[54] [55] [56] [57] . Em Abril de 2011 já somavam 735,879 copias no Estados Unidos ,se tornando a decima segunda maior vendagem do ano e 1,940,000 no mundo todo.Em Agosto de 2011 somavam mais de 2,440,756 cópias no mundo todo e 1.210.596 nos Estados unidos .

Femme Fatale colocou Spears em um seleto grupo, tornando-se a terceira mulher com maior lançamentos no topo ao lado de Mariah Carey e Janet Jackson. Apenas Barbra Streisand (nove em 1º) e Madonna (Oito) tiveram mais lançamentos no topo.

Faixas[editar | editar código-fonte]

A edição padrão do álbum contém doze canções, enquanto a edição deluxe consiste em dezesseis canções.[58] [59]

N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Till The World Ends"   Kesha Sebert; Alexander Kronlund; Lukasz Gottwald; Max Martin Martin, Dr. Luke, Billboard 3:58
2. "Hold It Against Me"   Max Martin; Lukasz Gottwald; Mathieu Jompie; Bonnie Mckee Martin, Dr. Luke, Billboard 3:48
3. "Inside Out"   Max Martin; Lukasz Gottwald; Mathieu Jompie; Bonnie Mckee Martin, Dr. Luke, Billboard 3:38
4. "I Wanna Go"   Max Martin; Savan Kotecha; Johan Karl Schuster Martin, Shellback 3:30
5. "How I Roll"   Christian Karlsson; Pontus Winnberg; Henrik Jonback; Magnus Lidehall; Nicole Morier; Bonnie Mckee Bloodshy & Avant, Jonback, Lidehall 3:36
6. "(Drop Dead) Beautiful" (featuring Sabi) Ester Dean; Jeremy Coleman; Mathieu Jomphe; Benjamin Levin; Joshua Coleman Billboard, Blanco, Ammo, J.Mike 3:36
7. "Seal It With a Kiss"   Max Martin; Henry Walter; Lukasz Gottwald; Bonnie McKee Dr. Luke, Max Martin, Dream Machine 3:26
8. "Big Fat Bass" (featuring Will.I.Am) William Adams Will.I.Am 4:45
9. "Trouble For Me"   Heather Bright; Fraser T. Smith; Livvi Franc Smith 3:20
10. "Trip To Your Heart"   Christian Karlsson; Henrik Jonback; Magnus Lidehäll; Pontus Winnberg; Nicole Morier; Sophie Stern Bloodshy, Henrik Jonback, Magnus 3:33
11. "Gasoline"   Emily Wright; Max Martin; Lukasz Gottwald; Bonnie McKee; Benjamin Levin; Claude Kelly Dr. Luke, Blanco 3:08
12. "Criminal"   Tiffany Amber; Max Martin; Karl Schuster Martin, Shellback 3:45

Créditos[editar | editar código-fonte]

Créditos do Femme Fatale adaptado do Allmusic

Desempenho[editar | editar código-fonte]