Buster Keaton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Buster Keaton
Nascimento Joseph Francis Keaton VI
4 de outubro de 1895
Piqua, Kansas
Morte 1 de fevereiro de 1966 (70 anos)
Los Angeles, CalifórniaForest Lawn Memorial Park
Residência Beverly Hills
Sepultamento Forest Lawn Memorial Park
Nacionalidade norte-americano
Cidadania Estados Unidos
Progenitores
  • Joe Keaton
  • Myra Keaton
Cônjuge
  • Natalie Talmadge
    (c. 1921; div. 1932)
  • Mae Scriven
    (c. 1933; div. 1936)
  • Eleanor Norris
    (c. 1940; morte dele 1966)
Filho(s) 2
Ocupação
Período de atividade 1898–1966
Prêmios
Causa da morte derrame
Página oficial
http://www.busterkeaton.com

Buster Keaton (nascido Joseph Frank Keaton VI; Piqua, 4 de outubro de 1895Los Angeles, 1 de fevereiro de 1966) foi um ator, comediante, diretor, produtor, roteirista e dublê americano.

Nascido no mundo do vaudeville (mistura de teatro e circo muito popular nos Estados Unidos) em fins do século XIX, Keaton começou sua carreira artística participando de um número com seus pais, chamado Os três Keatons, onde a grande piada era como disciplinar uma criança mal-educada. Depois de algum tempo fazendo pontas em filmes, em 1920 Buster começou a dirigir seus primeiros curtas.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Keaton nasceu em uma família de vaudeville em Piqua, Kansas, a pequena cidade onde sua mãe, Myra Keaton (nascida Cutler)[1], estavano palco quando ela entrou em trabalho de parto. Ele foi nomeado Joseph para continuar uma tradição do lado de seu pai (ele foi o sexto em uma linha com o nome de Joseph Keaton)[2] e Frank por seu avô materno, que desaprovava a união de seus pais. Seu pai era Joseph Hallie "Joe" Keaton , dono de um show itinerante com Harry Houdini chamado Mohawk Indian Medicine Company, ou Keaton Houdini Medicine Show Company, que se apresentava no palco e vendia remédios patenteados ao lado.[carece de fontes?]

De acordo com uma história frequentemente repetida, que pode ser apócrifa, Keaton adquiriu o apelido de Buster com a idade de cerca de 18 meses. Um amigo ator chamado George Pardey estava presente um dia quando o jovem Keaton caiu por um longo lance de escadas sem se machucar. Depois que o bebê se sentou e se livrou da experiência, Pardey comentou: "Ele é um buster regular!" Depois disso, o pai de Keaton começou a usar o apelido para se referir ao jovem. Keaton recontou a anedota ao longo dos anos, inclusive em uma entrevista de 1964 com o Telescope da CBC[3]. Na releitura de Keaton, ele tinha seis meses quando o incidente ocorreu, e Harry Houdini lhe deu o apelido.

Aos três anos de idade, Keaton começou a se apresentar com seus pais em Os Três Keatons. Ele apareceu pela primeira vez no palco em 1899 em Wilmington (Delaware). O ato foi principalmente um esboço de comédia. Myra tocou o saxofone de lado, enquanto Joe e Buster se apresentaram no centro do palco. O jovem Keaton incitou seu pai desobedecendo-o, e o velho Keaton respondeu jogando-o contra o cenário, no fosso da orquestra ou mesmo na platéia. Uma alça de mala foi costurada na roupa de Keaton para ajudar com o constante lançamento. O ato evoluiu quando Keaton aprendeu a fazer truques com segurança; ele raramente foi ferido ou machucado no palco. Este estilo de comédia knockabout levou a acusações de abuso infantil e ocasionalmente, prisão. No entanto, Buster sempre foi capaz de mostrar às autoridades que não tinha hematomas ou ossos quebrados. Ele acabou sendo anunciado como "The Little Boy Who Can't Be Damaged", e o ato geral como "O ato mais duro que já existiu na história do palco". Décadas depois, Keaton disse que nunca foi ferido por seu pai e que as quedas e a comédia física eram uma questão de execução técnica adequada. Em 1914 ele disse ao The Detroit News : "O segredo está em aterrissar manco e amortecer a queda com o ou a mão. É um talento. Comecei tão jovem que cair direito é uma segunda natureza minha. Várias vezes eu teria morrido se não conseguisse pousar como um gato. Os imitadores do nosso ato não duram muito, porque não suportam o tratamento."[4]

O humor nos filmes de Buster Keaton, basicamente, se fazia através das chamadas gags; corridas, quedas, fugas. Uma das grandes inovações de Keaton, no entanto, é o fato de sua comédia se basear num personagem impassível, que mantém as mesmas feição diante dos fatos ocorridos. Isso explica os apelidos dados a ele pelos críticos; O Grande cara de pedra e O homem que nunca ri. Em Portugal (e Espanha) era conhecido por "Pamplinas". Keaton percebeu que ao não modificar sua expressão, o espectador projetaria suas aspirações sentimentais sentimentais, sensoriais e morais. Assim, pode-se afirmar que, de certa forma, ele pré-concebeu intuitivamente a famosa Experiência Kuleshov.

Carreira no cinema[editar | editar código-fonte]

Keaton estreou no cinema em 1917 ao lado de Roscoe Arbuckle, Arbuckle que apresentou o jovem Keaton e junto de Al St. John fizeram vários curtas-metragens até 1921[5], a parceria com Arbuckle foi muito bem-sucedida; Buster não demorou para chegar a fama. Como Arbuckle passou a fazer longas por volta de 1921, Buster Keaton passou a fazer seus próprio curtas independentes e obteve grande sucesso, então fez seu primeiro longa em 1920 com o o filme The Saphead[6], mais tarde em 1923 lançou o longa Three Ages o primeiro que dirigiu; em 1924 Arbuckle se encontrava em declínio então Keaton o ajudou dando papéis e até pondo-o para dirigir alguns filmes, como é o caso do filme Sherlock Jr. Em 1925 ele lançou Sete Oportunidades, e anos depois ele afirmou ser este seu filme de que menos gostava[7], seu melhor e mais famoso filme é A General (1926) mas foi um fracasso comercial na época [8], ele alcançou fama e prestígio mas com a chegada da tecnologia sonora Keaton foi forçado a fazer filmes a contragosto e medíocres dos quais poucos se salvam. Entretanto é possível ver que Keaton usava um humor cheio de ação e fugas nos seus filmes, com quedas e bagunças únicas do Keaton, por ser perfeccionista pensava em tudo que pudesse tirar risadas. O humor do Buster Keaton era caracterizado pelo seus jeito desastrado e passivo, com seu chapéu torta de porco; na maioria de seus curtas e filmes na fase muda é marcada por perseguições e quedas, no filme Cops (Policiais) vemos uma corrida desenfreada de Keaton, que estar fugindo de centenas de policiais, e no filme The Goat (A cabra) o drama se repete pois o personagem é confundido com um criminoso terrível, basicamente Keaton trouxe um tipo de humor diferente do habitual.


Em O Homem das novidades, Keaton interpreta um fotógrafo que, para se aproximar da bela secretária do cinejornal da MGM, troca sua câmera câmera fotográfica por uma câmera de cinema e se torna um cinegrafista. O filme discute o cinema e a relação entre ficção e realidade no momento derradeiro do cinema mudo, através de organização caótica dos elementos.

Buster Keaton durante a I Guerra Mundial.

O Homem das Novidades foi o primeiro filme de Keaton na MGM, tempo que este gostaria de esquecer, uma vez que o grande comediante da época se tornou um mero ator assalariado, sem nenhuma independência artística, no recém formado estúdio. No começo da década de 1930, passa por uma fase de decadência, por ter assinado um contrato com o estúdio Metro pelo qual perde o controle sobre o conteúdo criativo de seus filmes e tem de aceitar roteiros impostos pelo estúdio. Teve de enfrentar o divórcio (com Natalie Talmadge, ele ainda se casaria duas vezes), a morte de Arbuckle,o declínio de sua carreira e entre outras coisas que o fizeram se entregar ao álcool, até que foi demitido em 1933, após lançar o filme What! No Beer?

Ao contrário de Charles Chaplin, o estrelato e veia cômica de Keaton não sobreviveram à conversão de Hollywood ao cinema falado. Para piorar, a vida pessoal de Keaton estava em frangalhos, após um divórcio doloroso. O consumo de álcool de Keaton aumentava proporcionalmente aos seus problemas pessoais. Após sobreviver por duas décadas de comédias sonoras baratas e eventuais aparições públicas, Keaton volta à evidência ao participar em 1952 do filme Luzes da Ribalta de Charles Chaplin.[9] Por ironia, esse filme sobre um artista em decadência salva da decadência o artista Keaton. Depois de contracenar com Chaplin, a única participação conjunta dos dois grandes artistas da comédia num mesmo filme, Keaton parou de beber e representou diversos papéis secundários no teatro, TV e cinema.[10]

Em Luzes da Ribalta, temos a cena lendária em que Charles e Keaton contracenam, mas na realidade o papel não foi originalmente destinado para Buster, pois Charles achara o papel pequeno demais para um ator como Keaton, mas ao saber da situação em que Buster Keaton se encontrava acabou dando o papel para ele; mas correram boatos de que Chaplin tirou cenas de Keaton por ciúmes, houve também boatos de que o personagem de Buster tinha mais cenas no filme, mas tudo isso foi comprovado não ser verdade; o ator ficou muito emocionado com a participação no filme e pelo destaque recebido. Após a gloriosa participação no filme Keaton voltou ao meio artístico, fez vários outros filmes na década de 60, e cada vez mais voltava a ser o que era; com isso seus antigos longas e curtas-metragens dos anos 1920 começaram a passar por um processo de restauração e relançamento, ele também mesmo depois dos 50 anos continuava a fazer suas acrobacias arriscadas[11], em 1965 fez a gravação do seu último filme, Um Escravo das Arábias em Roma, após o fim das gravações Keaton faleceu. Sua vida finalmente encontrou estabilidade pessoal e profissional.

Em 1954, Buster e Eleanor Keaton conheceram o programador de cinema Raymond Rohauer , com quem desenvolveram uma parceria comercial para relançar seus filmes. O ator James Mason comprou a casa dos Keaton e encontrou inúmeras latas de filmes, entre os quais o clássico perdido de Keaton, The Boat. Keaton tinha cópias dos recursos Three Ages , Sherlock Jr , Steamboat Bill, Jr.. , e College (faltando um rolo), e os curtas "The Boat" e " My Wife's Relations ", que Keaton e Rohauer então transferiram para filme de acetato de celulose de estoque de filme de nitrato em deterioração[12].

Televisão[editar | editar código-fonte]

De 1950 a 1964, Keaton fez cerca de 70 aparições em programas de variedades na televisão, incluindo os de Ed Sullivan e Garry Moore. Keaton também encontrou trabalho estável como ator em comerciais de TV para Colgate,Alka-Seltzer, US Steel, 7-Up, RCA Victor, Phillips 66, Milky Way, Ford Motor Company, Minute Rub e Budweiser, entre outros. Em uma série de comerciais de televisão mudos para Simon Pure Beer feitos em 1962 por Jim Mohr em Buffalo, Nova Iorque , Keaton revisitou algumas das piadas de seus dias de cinema mudo[13].

Em 3 de abril de 1957, Keaton foi surpreendido por Ralph Edwards para o programa semanal da NBC This Is Your Life. O programa também promoveu o lançamento do filme biográfico The Buster Keaton Story com Donald O'Connor. Em dezembro de 1958, Keaton foi uma estrela convidada no episódio "A Very Merry Christmas" do The Donna Reed Show na ABC. Ele voltou ao programa em 1965 no episódio "Now You See It, Now You Don't". Em agosto de 1960, Keaton interpretou o mudo Rei Sextimus, o Silencioso na companhia de turnê nacional do musical da Broadway Once Upon A Mattress. Em 1960, ele retornou à MGM pela última vez, interpretando um domador de leões em uma adaptação de 1960 de The adventures of Huckleberry Finn, de Mark Twain. Grande parte do filme foi filmado em locações no rio Sacramento , que dobrou para o cenário do Rio Mississippi do livro de Twain. Em 1961, ele estrelou o episódio " Once Upon a Time " de The Twilight Zone , que incluiu sequências silenciosas e sonoras. Ele trabalhou com o comediante Ernie Kovacsem um piloto de televisão provisoriamente intitulado "Medicine Man", filmando cenas para ele em 12 de janeiro de 1962 - um dia antes de Kovacs morrer em um acidente de carro. "Medicine Man" foi concluído, mas não foi ao ar.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Enquanto isso, a carreira de Keaton na tela grande continuou. Ele teve uma participação especial como Jimmy, aparecendo perto do final do filme Deu a Louca no Mundo (1963). Jimmy ajuda o personagem de Spencer Tracy , Capitão CG Culpepper, preparando o barco não utilizado de Culpepper para sua fuga abortada. (A versão restaurada desse filme, lançada em 2013, contém uma cena em que Jimmy e Culpeper conversam ao telefone. Perdido após a exibição " roadshow " do épico de comédia, o áudio dessa cena foi descoberto e combinado com fotos para recriar a cena.)

Em 1965, Keaton estrelou o curta-metragem The Railrodder para o National Film Board of Canada. Ele viajou de uma ponta a outra do Canadá em um carro de mão motorizado , usando seu tradicional chapéu de torta de porco e fazendo piadas semelhantes às dos filmes que ele fez 50 anos antes. O filme também é notável por ser sua última performance no cinema mudo. Ele desempenhou o papel central no filme de Samuel Beckett intitulado simplesmente como Film (1965), dirigido por Alan Schneider. Também em 1965, ele viajou para a Itália para desempenhar um papel em Due Marines e un Generale, coestrelado por Franco Franchi e Ciccio Ingrassia.

Um mito que rodeia até hoje a carreira de Keaton é, que os filmes produzidos por ele pela MGM foram todos fracassados e muito mal recebidos, mas na verdade os tais longas arrecadavam muito dinheiro, e apesar de medíocres tinham seu charme, a questão é que ele não tinha liberdade, e seu descontentamento com a produtora só crescia, ele alegou estar cansado de fazer filmes ruins, geralmente ele ou faltava ou aparecia embriagado nas gravações e esse foi o motivo pela sua demissão; Trabalhando na Columbia Pictures ele produziu alguns curtas entre 1939 e 1941 e um tanto quanto notáveis e agradáveis, porém ele não aceitou renovar o contrato e ainda afirmou nunca mais fazer um filme ruim de dois rolos. Ele em 1946 produziu no México o filme O Moderno Barba Azul , considerado seu pior filme[14]... entretanto cheio de quedas e acrobacias típicas do ator, para piorar seu pai faleceu nesse mesmo ano, Joe fez vários filmes com o filho[15].

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Buster casou-se pela primeira vez com Natalie Talmadge, em 31 de Maio de 1921, ela foi sua protagonista no filme Nossa Hospitalidade, de 1923, juntos eles tiveram dois filhos, o primeiro nasceu em 1922 e chamava-se Joseph, o segundo chamava-se Robert e nasceu em 1924.

Depois disso a relação dos dois esmoreceu, depois de várias tentativas eles divorciaram-se em 1932, e o nome as crianças foi mudado para Talmadge, somente em 1942 o nome da ambos; agora maiores de idade; foi corrigido para Talmadge Keaton[16].

Após o fim do casamento Buster se entregou ao álcool, foi internado numa clínica de reabilitação, onde se casa com sua enfermeira Mae Scrivem em 1933, ela pediu o divórcio em 1935[17]. Eles divorciaram-se em 1936, um grande prejuízo financeiro para o ator, após anos de terapia, ele ficou 5 anos sem consumir álcool[18]

Em 29 de Maio de 1940 ele casou-se com Eleanor Norris, ela era 23 anos mais jovem, e é a grande responsável por salvar a carreira e a vida de Buster, após a união Keaton passou a beber com menor frequência, ela ficou, e cuidou de Keaton até a morte do mesmo em 1966.

Morte[editar | editar código-fonte]

Faleceu em 1 de fevereiro de 1966 vítima de câncer de pulmão. Encontra-se sepultado no Forest Lawn Memorial Park (Hollywood Hills), Hollywood Hills, Los Angeles, nos Estados Unidos.[19]

Referências

  1. Editors, Biography com. «Buster Keaton». Biography (em inglês). Consultado em 19 de março de 2022 
  2. Meade, Marion (1997). Buster Keaton : cut to the chase 1st Da Capo Press ed ed. New York: Da Capo Press. OCLC 37115012 
  3. Wolfe, Charles (28 de maio de 2013). «Buster Keaton». Oxford University Press. Cinema and Media Studies. Consultado em 14 de março de 2022 
  4. «PART I: A Vaudeville Childhood». web.archive.org. 8 de janeiro de 2015. Consultado em 14 de março de 2022 
  5. «Buster Keaton». educacao.uol.com.br. Consultado em 19 de março de 2022 
  6. AdoroCinema, The Saphead, consultado em 1 de abril de 2022 
  7. AdoroCinema, Sete Oportunidades: Curiosidades, consultado em 24 de abril de 2022 
  8. «Buster Keaton realizou o feito mais caro da história do cinema mudo». Mega Curioso - As curiosidades mais interessantes estão aqui. 20 de dezembro de 2021. Consultado em 19 de março de 2022 
  9. Christopher Lyon (org.), The International Dictionary of Films and Filmakers: Directors, verbete KEATON, BUSTER
  10. Idem.
  11. Wolfe, Charles (28 de maio de 2013). «Buster Keaton». Oxford University Press. Cinema and Media Studies. Consultado em 14 de março de 2022 
  12. «Buster Keaton: Interviews with his widow, with Raymond Rohauer and with Kevin Brownlow». web.archive.org. 7 de outubro de 2013. Consultado em 24 de março de 2022 
  13. «Buster Keaton For Simon Pure Beer». Brookston Beer Bulletin (em inglês). 4 de outubro de 2015. Consultado em 14 de março de 2022 
  14. «Film Threat - The Bootleg Files: "boom In The Moon"». web.archive.org. 7 de junho de 2011. Consultado em 24 de março de 2022 
  15. «Joe Keaton». Wikipedia (em inglês). 31 de agosto de 2021. Consultado em 21 de março de 2022 
  16. «Melissa Talmadge Cox (Buster Keaton's granddaughter) | Film Radar». web.archive.org. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 24 de abril de 2022 
  17. «Reading Eagle - Pesquisa no arquivo do Google Notícias». news.google.com. Consultado em 24 de abril de 2022 
  18. Fox, Charlie. «Buster Keaton's Cure | Charlie Fox». cabinetmagazine.org (em inglês). Consultado em 24 de abril de 2022 
  19. Buster Keaton (em inglês) no Find a Grave

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.