Corações Unidos do Ciep

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Corações Unidos do CIEP
Bandeira do GRCESM Corações Unidos do Ciep.png
Fundação 15 de agosto de 1985 (31 anos) [1]
Cores

Amarelo

Branco

Laranja
Símbolo Arco da Praça da Apoteose
(Monumento de Oscar Niemeyer) [1]

Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Mirim Corações Unidos do CIEP (ou simplesmente Corações Unidos do CIEP) é uma escola de samba mirim da cidade do Rio de Janeiro. Foi fundada em 15 de agosto de 1985 por um grupo de professores e animadores culturais chefiados por Xangô da Mangueira.[2][3]

A escola é formada por alunos da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro, que não só desfilam, como também produzem os desfiles, através do projeto "Escola de Bamba", que integra o carnaval ao currículo escolar das crianças.[4][3][5]

Dentre as personalidades que passaram pela escola estão os mestres-sala Sidclei Santos, Julinho Nascimento e Phelipe Lemos.[6][7][4]

História[editar | editar código-fonte]

A escola mirim foi fundada em 15 de agosto de 1985 por um grupo de professores e animadores culturais chefiados por Xangô da Mangueira.[2][3] Dentre os fundadores da agremiação está José Carlos Faria Caetano, o "Machine", também conhecido como "Síndico da Passarela".[8][6]

A 'Corações' desfilou pela primeira vez no ano de 1986, contando com 800 integrantes.[9]

Inicialmente, a escola desfilava apenas com alunos do extinto CIEP Avenida dos Desfiles, que funcionava no Sambódromo - daí seu nome. A partir de 1990, com a eleição de Marilene Monteiro à presidência da agremiação, alunos de outras escolas municipais do Rio de Janeiro passaram a integrar a escola mirim.[5] Marilene também deu início ao projeto "Escola de Bamba", que visa integrar a construção do desfile ao currículo básico das escolas participantes do projeto.[4] Com isso, os desfiles da escola mirim são produzidos pelos próprios alunos.[3][5]

Os mestres-sala Sidclei Santos, Julinho Nascimento e Phelipe Lemos passaram pela escola mirim antes de despontar nas escolas do Grupo Especial do carnaval carioca.[6][7][4]

Desfiles[editar | editar código-fonte]

No ano de 2008, participou do Carnaval apresentando o enredo "A cidade de eterna realeza anuncia: O Rei chegou!" , contando a história da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, aproveitando as comemorações do bicentenário do evento. Nesse carnaval, contou com 2600 integrantes, que se dividiram em 22 alas.[10]

Para 2011, reeditou o samba-enredo da União da Ilha de 1982.[11][12] No ano seguinte, abordou a história da Matemática, suas operações básicas e sub-disciplinas, como a Geometria, e outras áreas do conhecimento que utilizam números, como a Numerologia.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Corações Unidos do Ciep
Bateria da escola no desfile de 2015.

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Marilene Monteiro ? - ? [5]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor de harmonia Mestre de bateria Ref.
2011 Geracina Siqueira e Juliana Siqueira Ricardo Maia e Jefferson Allan Christian e Willian

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Intérprete Período Referências
Juliana Siqueira e Natália Siqueira 2013-2014 [13][14]
Pablo Marques 2017 [15]
Casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Coreógrafo(a) Período Referências
Andréa Ramos 2011
Lívia Malaspina 2014

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Casais Período Referências
Yuri e Tainá 2011
Kaueh Costa Palmeira e Giovanna Casagrande 2016

Rainha de bateria[editar | editar código-fonte]

Nome Período Referências
Érica 2011
Enya Christin 2014

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Corações Unidos do CIEP
Ano Enredo Compositores
do samba-enredo
Carnavalesco Ref.
2000 "Do canto ao acalanto, o Brasil dá o Tom" Oficina de Carnaval [1]
2003 "No reino da película, o olhar do Brasil" Oficina de Carnaval [1]
2004 "Caras e formas da negritude" Oficina de Carnaval [1]
2005 "Universo feminino na história da Humanidade" Oficina de Carnaval [1]
2006 "Qualidade de vida, desafio de uma nação" Oficina de Carnaval [1]
2007 "Cantos e contos do Rio" Oficina de Carnaval [1]
2008 "A cidade de eterna realeza anuncia: O Rei chegou!" Lucas Lixa e Estefanny Soares Oficina de Carnaval [9][1]
2009 "Uma aquarela francesa descobre o paraíso tropical" Lucas Lixa e Estefanny Soares Comissão de Carnaval [1]
2010 "A diversidade cultivando novas formas de vive" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [1]
2011 "Domingo"
(Reedição do enredo de 1977 da União da Ilha do Governador)
Aurinho da Ilha, Adhemar de A. Vinhaes, Ione do Nascimento e Waldyr da Vala Comissão de Carnaval [1][16]
2012 "Me conta quantas contas que eu te conto quantos contos" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [1][17]
2013 "Na dialética do amo, um traço de Shakespeare na Sapucaí" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [13]
2014 "Com espírito bandeirante, o samba resplandece na terra da garoa" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [14][18]
2015 "Entre curvas e paixões, 450 anos de uma cidade que continua apaixonante e apaixonada" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [19][20]
2016 "Riscos e rabiscos que escrevem a nossa história" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [21]
2017 "Arteiros, artífices e artistas. É na arte que o homem se ultrapassa" Oficina de compositores Comissão de Carnaval [15]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m «Informações». Site Academia do Samba. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 24 de outubro de 2016 
  2. a b «GRCESM Corações Unidos do Ciep Oficial». GRCESM Corações Unidos do Ciep Oficial. Consultado em 23 de outubro de 2016 
  3. a b c d «Corações Unidos do Ciep escolhe o samba enredo do Carnaval 2017». www.rio.rj.gov.br. Consultado em 23 de outubro de 2016 
  4. a b c d «Projeto une carnaval e ensino tradicional na rede municipal de educação». O Globo. 23 de janeiro de 2016 
  5. a b c d «Carnaval 2017 - Escola de Samba Mirim Corações Unidos do Ciep (RJ)». www.caminhosdorio.net. Consultado em 23 de outubro de 2016 
  6. a b c «Julinho e Rute atingem maturidade juntos na Tijuca e disparam: 'Não existe dança sem coreografia'». Carnavalesco. 28 de janeiro de 2016 
  7. a b «Celeiro de talentos, a Corações Unidos dá lição de samba - O Dia na Folia - O Dia». O Dia 
  8. «Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 23 de outubro de 2016 
  9. a b SRZD - Carnavalesco (1 de fevereiro de 2008). «Corações Unidos do Ciep traz a realeza para o samba». Consultado em 25 de novembro de 2010  Nota:A fonte fala em 1985, mas é atestado por outras fontes que a escola foi fundada em agosto daquele ano, portanto não poderia ter desfilado no Carnaval.
  10. Prefeitura do Rio. «Corações Unidos do CIEP». Consultado em 25 de novembro de 2010 
  11. Eliane Maria, para o Jornal Extra (22 de junho de 2010). «Carnaval 2011: escolas de samba mirins apresentam enredos e lançam CD». Consultado em 27 de novembro de 2010 
  12. TV Rio Samba (março de 2011). «AESM-RIO divulga notas das agremiações mirins». Consultado em 28 de maio de 2011. Cópia arquivada em 5 de novembro de 2013 
  13. a b «2013». Site SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 9 de julho de 2017 
  14. a b «2014». Site SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 29 de novembro de 2013 
  15. a b «2017». Site Rádio Arquibancada. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 9 de julho de 2017 
  16. «2011». Site Galeria do Samba. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  17. http://www.sidneyrezende.com/noticia/154694
  18. «2014 2». Site Galeria do Samba. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2016 
  19. «2015». Site Rio Educa. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 9 de julho de 2017 
  20. «2015 2». Site Agência Brasil. Consultado em 9 de julho de 2017. Cópia arquivada em 9 de julho de 2017 
  21. «2016». Site Revista Indo e Vindo. Consultado em 9 de julho de 2017. Arquivado do original em 23 de outubro de 2016