Milnaciprano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Milnaciprano
Alerta sobre risco à saúde
Milnacipran Enantiomers Structural Formulae V2.svg
Nome IUPAC (1-fenil-1-dietil aminocarbonil-2-aminometil ciclopropano-2-cloridrato)
Identificadores
Número CAS 92623-85-3,(milnacipran) 101152-94-7 (Cloridrato de milnacipran)
PubChem 65833
Código ATC N06AX17
Primeiro nome comercial ou de referência Ixel
Propriedades
Fórmula química C15H22N2O
Massa molar 246.34 g mol-1
Ponto de fusão

179 a 181 °C (cloridrato de milnacipran) [1]

Solubilidade em água 19 g·l-1 (cloridrato) [2]
Farmacologia
Biodisponibilidade 85%
Metabolismo hepático
Meia-vida biológica 8 horas
Ligação plasmática 13%
Excreção renal
Riscos associados
Frases R R22
Frases S -
LD50 237 mg·kg-1 (rato, per os) [3]
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

O milnaciprano é um antidepressivo relativamente recente e que apresenta a propriedade de inibir a recaptação da serotonina e da noradrenalina de forma equivalente. Comparado à imipramina, apresenta a mesma eficácia antidepressiva e aparentemente é superior aos inibidores da recaptação da serotonina.

As principais vantagens deste antidepressivo devem-se aos menores efeitos anticolinérgicos e a segurança para pacientes cardiopatas devido à baixa influência no ritmo cardíaco. O milnaciprano não apresenta afinidade pelos receptores muscarínicos, dopamínicos e histamínicos proporcionando poucos efeitos colaterais e não sedando o paciente. Os efeitos colaterais dessa medicação são leves e costumam ceder dentro de uma a três semanas, sendo dificilmente intolerável pelo paciente. Os efeitos mais comuns são vertigem, sudorese, sensação de calor repentina, ansiedade. Náuseas, vômitos, boca seca e constipação também podem ocorrer, embora em menor frequência. Apresenta baixa toxicidade de overdose.[4]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Thieme Chemistry (Hrsg.): Römpp Online. Version 3.1. Georg Thieme Verlag, Stuttgart 2008.
  2. Datenblatt für Milnacipran hydrochloride – Sigma-Aldrich 23. März 2008.
  3. The Merck Index. An Encyclopaedia of Chemicals, Drugs and Biologicals. 14. Auflage, 2006, S. 1069, ISBN 978-0-911910-00-1.
  4. ESCOBAR-CORDOBA, Franklin; GUEVARA NARVAEZ, Carlos; CASTILLA-PUENTES, Ruby. Tentativa de suicídio com milnaciprano: relato de caso. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul, Porto Alegre, v. 28, n. 2, Aug. 2006 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082006000200013&lng=en&nrm=iso>. access on 19 July 2010. doi: 10.1590/S0101-81082006000200013.