São José Liberto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Espaço São José Liberto ou Polo Joalheiro, localizado em Belém, no estado do Pará. Construído em 1749, pelos frades capuchos de Nossa Senhora da Piedade, como Convento de São José, para promover as missões no Brasil. Em 2002, deu lugar ao espaço São José Liberto que abriga: a Capela São José; uma ourivesaria; um polo joalheiro; a Casa do Artesão; o Museu de Gemas do Pará; o anfiteatro Coliseu das Artes; o Memorial da Cela, e; o Jardim da Liberdade.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

É o antigo convento de São José construído em 1749 pelos frades capuchos da Piedade, para promover as missões de evangelização em território brasileiro.

Com a expulsão dos jesuítas do Brasil, por Marquês de Pombal devido divergências comerciais, o governo tomou posse do convento, que teve diversas funções ao longo de dois séculos, como: olaria; quartel do Batalhão de Pedestres; quartel do Esquadrão de Cavalaria (em 1804 durante governo de D. Marcos de Noronha); depósito de pólvora; hospital (em 1835 durante a Cabanagem), e; cadeia pública.[1]

Em 1835, foi transformado em hospital, para socorrer os feridos nas batalhas da Cabanagem. Em seguida o prédio transformou-se em cadeia pública em 1843, devido muitos pacientes estarem sob a tutela da justiça.

Em 1943, foram implantadas regras institucionais e prisionais mais rígidas porém mais humanas, além de novas instalações, e a cadeia se tornar um presídio de segurança máxima. Durante o governo de Magalhães Barata, o presídio passou por reformas tanto no âmbito físico, ganhando mais um prédio (anexo ao primeiro prédio, feito com pedra, grude de peixe e areia de praia), quanto na manutenção das normas prisionais, sob direção de Anastácio das Neves. Esta direção que sofreu criticas severas por implantar uma espécie de polícia interna, formada por próprios detentos, com objetivo de coibir os excessos e disciplinar.

Foram 150 anos como cadeia pública e presídio São José - sendo desativado em 1998 após diversas revoltas.[1] Em 2002, após restauração, deu lugar ao Espaço São José Liberto que abriga: a Capela São José (onde ocorre concertos de música sacra); uma ourivesaria; um polo joalheiro; a Casa do Artesão; o Museu de Gemas do Pará; o anfiteatro Coliseu das Artes (onde ocorre eventos culturais); o Memorial da Cela, e; o Jardim da Liberdade.[1][2]

Referências

  1. a b c d Braga, David. «Espaço São José Liberto - Reinventando a utilizacao de lugares publicos». Arquitetura. The Green Club. Consultado em 23 de junho de 216. 
  2. a b «Espaço São José Liberto / Polo Joalheiro». Viaje Aqui. Editora Abril. Consultado em 23 de junho de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre construção civil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.