Estação das Docas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Estação das Docas
Complexo Estação das Docas
Construção século XIX
Estado de conservação PA
Património nacional
Classificação Companhias Docas do Pará (cdp)
Geografia
País Brasil
Cidade Belém
Coordenadas 1° 26' 55" S 48° 30' 01" O

A Estação das Docas (inicialmente era o Porto de Belém edificado em 1850) é um complexo turístico e cultural, situado na rua Castilhos França, na cidade paraense de Belém (estado brasileiro do Pará), inaugurado em 13 de maio de 2000. Administrado pela Organização Social Pará 2000.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Estação foi resultado de um trabalho de restauração de três armazéns do porto da capital paraense;[2] para substituir as precárias docas do Ver-o-Peso e Reduto, construído a partir de 1909 o primeiro trecho de 120 m de cais e um armazém de 2 mil em ferro inglês, exemplo da arquitetura característica da segunda metade de 1800 (século XIX), com máquina a vapor fornecendo energia aos equipamentos do local. Os guindastes externos foram fabricados nos Estados Unidos, no começo do século XX.

A ruína do forte de São Pedro Nolasco (também conhecido como Baluarte de Nossa Senhora das Mercês) encontrada na Estação das Docas originalmente construído em 1665, para cooperar com o Forte do Castelo na defesa do núcleo inicial colonial da cidade, em uma zona rochosa na faixa de praia às margens da Baia do Guajará, de fronte ao convento dos Mercedários.[2]

Foi destruído no movimento da Cabanagem, em 1825, e demolido em1842 para a construção do porto de Belém e aterramento para criar a então rua do Imperador (atual Boulevard Castilhos França).[2] A ruína do forte foi revitalizado e transformado em anfiteatro na inauguração da Estação das Docas.[2]

Anteriormente parte do Porto de Belém, a Estação da Docas foi inaugurada como complexo turístico em 13 de maio de 2000, em uma área que anteriormente apresentava altos índices de criminalidade e prostituição, revitalizando a área e transformando-a em um ponto de lazer regional com seus 500 metros de orla. [1]

Características[editar | editar código-fonte]

O complexo congrega diversos aspectos, entre eles: gastronomia, cultura, moda e eventos. São 32 mil m² divididos em três armazéns e um terminal de passageiros, uma janela para Baía do Guajará e a ilha das onças.

Divisões[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Estação das Docas completa 21 anos como referência em complexos turísticos». SECRETARIA DE ESTADO DE TURISMO (SETUR ). Consultado em 24 de fevereiro de 2022 
  2. a b c d Norat, Roseane da Conceição Costa (2018). «O Forte São Pedro Nolasco ou Baluarte Nossa Senhora dasMercês em Belém do Pará: uma história em blocos de rochas». BOLETIM DO MUSEU DE GEOCIÊNCIAS DA AMAZÔNIA. 5: 1-9. doi:10.31419/ISSN.2594-942X.v52018i2a4ACS