Batman (série de televisão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batman & Robin
1960s Batmobile (FMC).jpg
Réplica do Batmóvel, o carro do Batman e uma das marcas registradas da série
Informação geral
Formato
Gênero Ação
Duração 25 minutos
Criador(es) Bob Kane (personagens)
William Dozier (série)
País de origem  Estados Unidos
Idioma original inglês
Produção
Narrador(es) William Dozier
Elenco Adam West
Burt Ward
Alan Napier
Stafford Repp
Neil Hamilton
Cesar Romero
Burgess Meredith
Frank Gorshin
Julie Newmar
Tema de abertura Tema do Batman
Compositor da música tema Neal Hefti
Emissora de
televisão original
Estados Unidos ABC
Brasil TCM
Transmissão original 14 de Março de 1968
Nº de temporadas 3
Nº de episódios 120

Batman (também conhecido como Batman e Robin ou Batman de Adam West) foi um seriado televisivo exibido entre 1966 e 1968, tendo ao todo 60 estórias , sendo cada uma dividida em 2 partes , totalizando 120 episódios . O programa é baseado no personagem homônimo de banda desenhada e narra a luta contra o crime do herói (cujo nome verdadeiro é Bruce Wayne), sempre acompanhado pelo parceiro Robin (alter-ego: Dick Grayson) e auxiliado pelo mordomo Alfred, pelo comissário de polícia James Gordon e pelo chefe de polícia O'Hara.

De forte tom humorístico, é considerado uma "sátira consentida", pelos aspectos deletérios ao "mito" do personagem. O primeiro deles, segundo a crítica, estava no protagonista: Batman/Bruce Wayne era vivido pelo ator Adam West, visivelmente fora de forma para o papel, em uma fantasia que deixava evidente tal falta de forma. O papel de Robin/Dick Grayson era de Burt Ward, cuja principal marca era iniciar boa parte de suas frases com a expressão "Santo (ou Santa) alguma coisa!" Estas frases foram reaproveitadas nas duas séries animadas produzidas pela norte-americana Filmation na década de 70, e no desenho "Superamigos", da Hanna-Barbera. As más línguas no mundo inteiro onde a série foi exibida também teorizavam a existência de um envolvimento homossexual entre os dois personagens. Isto se deu primariamente devido a um livro da vida real chamado Seduction of the Innocent (Sedução do Inocente), de Frederic Wertham (que deu origem ao Comics Code Authority). No livro, o psicólogo afirmava que a dupla dinâmica poderia ser homossexual, dado que Bruce Wayne não era casado e havia adotado um garoto em idade avançada (Dick). A DC Comics veio a público dizer que o personagem não é homossexual, apesar dos subtextos evidentes presentes na série.

Na telessérie exibida nos anos 60 (e mais tarde reexibida na TV brasileira, pelo canal SBT e depois pelos canais a cabo Fox,FX e mais recentemente pelo TCM(Turner Classic Movies)o ator que interpretava o vilão Pinguim era Burgess Meredith, que anos mais tarde se tornaria mundialmente conhecido ao interpretar Mickey Goldmill, o treinador de Rocky Balboa, nos filmes da série Rocky.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco Principal[editar | editar código-fonte]

  • Adam West como Batman / Bruce Wayne: um milionário cujos pais foram mortos quando era apenas uma criança e que agora dedica sua vida para combater o crime. O produtor Willian Dozier escolheu Adam West para o papel após ver sua atuação como o vilão Captain Q num comercial para Nestlé Quick. Lyle Waggoner tambem havia sido selecionado para o papel, mas foi dispensado em favor de West. No Brasil, foi dublado por Gervásio Marques (AIC) e Waldir Fiori Cinesom).
  • Alan Napier como Alfred: mordomo à serviço de Bruce Wayne, auxiliando-o diversas vezes à manter sua identidade secreta. Dublado no Brasil por Mário Monjardim (Cinesom).
  • Stafford Repp como Chefe O'Hara: Chefe da Polícia de Gothan. O personagem O'Hara foi criado simplesmente para que Gordon tivesse alguem com quem conversar, porém foi adicionado aos quadrinhos após o seriado por um curto periodo de tempo. Dublado no Brasil por Carlos Leão (AIC).
  • Madge Blake como Tia Harriet Cooper: tia de Dick Grayson. Ela foi adicionada na série para justificar a necessidade Bruce e Dick de manterem suas identidades secretas e para, de acordo com o produtor do show, Willian Dozier, que a dupla dinâmica não parecesse um casal gay.

Vilões e Outros Personagens Recorrentes[editar | editar código-fonte]

Referências

Batiman Feira da Fruta[editar | editar código-fonte]

O seriado voltou a ganhar destaque no Brasil em 2003 quando foi difundida na internet uma sátira conhecida como "Filme do Batiman" ou "Batiman Feira da Fruta", onde um episódio inteiro da série clássica (o episódio 16 da primeira temporada, He Meets His Match, the Grisly Ghoul, traduzido em português como "Um Adversário à Altura de um Medonho Bandido") foi redublado com inúmeros palavrões e diálogos inverossímeis.

A sátira foi gravada em 1981, sendo redescoberta e difundida pela internet desde 2003. A sátira acabou sendo conhecida popularmente como "Feira da Fruta" devido à música de mesmo nome, composta pelo Grupo Capote, que serve de trilha sonora para o episódio.

Esta dublagem foi adaptada para quadrinho em 2012, com arte de diversos artistas brasileiros.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.